Next Page: 10000

          Entel busca un Contador Auditor - Entel - Las Condes, Región Metropolitana      Cache   Translate Page      
Entel se encuentra en busca de un Contador Auditor quien tendrá como misión preparar, procesar y validar la información tributaria del Grupo, con el objetivo de...
De Entel - Thu, 03 Jan 2019 21:50:33 GMT - Ver todos: empleos en Las Condes, Región Metropolitana
          Liam Neeson fala sobre a terrível perda da sua esposa, a atriz Natasha Richardson      Cache   Translate Page      

Recorda-se da atriz que representou a mãe de Lindsay Lohan no filme “The Parent Trap”?

Infelizmente, a atriz, Natasha Richardon, perdeu a vida após como uma queda, quando fazia esqui num resort no Canadá, que lhe causou um hematoma epidural.

O marido, Liam Neeson, ficou destroçado ao saber desta trágica notícia do estado da sua esposa, que tinha apenas 45 anos na altura.

A atriz deslizava pela neve com os seus filhos e um instrutor quando de repente escorregou e caiu, a princípio parecia ter saído ilesa, não apresentava ferimentos, contudo, após algumas horas, Natasha começou a sentir-se mal e foi transferida de emergência para o hospital mais próximo.

Algumas horas mais tarde, a atriz foi novamente transferida, desta vez para o Hospital do Sagrado Coração em Montreal, onde infelizmente entrou em coma devido a traumatismo craniano que tinha sofrido.

Naquela altura, Liam estava a filmar um filme em Toronto e rapidamente viajou para o hospital onde a sua esposa se encontrava.

Mostraram-me o raio-x e depois disseram-me que ela estava em morte cerebral, vê-la assim foi devastador”, contou o ator.

Neeson revelou numa entrevista que ele e a sua esposa tinham feito uma promessa em 1994, quando decidiram unir as suas vidas, se em algum momento um dos dois ficasse em estado vegetativo, o outro seria responsável e devia desligar as máquinas.

Observando a sua esposa cheia de tubos e ligada às máquinas, sem nada poder fazer, ele convenceu-se que tinha de manter a sua promessa de longa data, porque entendeu que já não havia volta a dar.

Eu amo-te meu amor, mas tu não vai sair disso”, disse Liam à sua esposa.

Eu não sei se me consegues ouvir, deste uma forte pancada com a cabeça, vamos fazer o seguinte: eu vou levar-te comigo para Nova York e toda a família e amigos virão”, acrescentou.

Natasha foi transferida em helicóptero privado para o hospital Lennox Hill, em Nova York, onde foi confirmada a morte cerebral e foi desconectada de todas as máquinas que a mantinham viva no dia 18 de março de 2009.


Liam também realizou os últimos desejos da sua esposa e doou três dos seus órgãos: coração, fígado e rins, dando uma segunda chance de vida a três outras pessoas.

Aqui pode ver a entrevista com o ator que fala sobre a partida da sua mulher.

Liam revelou que ficou destroçado e caiu em depressão grave que o levou a desenvolver dependência de álcool, que era a única maneira de conseguir lidar com a dor que sentia pela sua perda.

Felizmente, depois de alguns anos, conseguiu retomar a sua carreira no cinema e sair da depressão e do alcoolismo. Mas, sem dúvida, a sua esposa continuou sempre presente para ele.

Fonte e foto: Bombeiros24

          LiDAR Analyst - Stahl Sheaffer Engineering, LLC - Morgantown, WV      Cache   Translate Page      
Structural engineering, bridge design and inspection, construction inspection and administration, environmental services, geotechnical services, GIS services,...
From Indeed - Thu, 20 Dec 2018 17:14:19 GMT - View all Morgantown, WV jobs
          LiDAR Project Manager - Stahl Sheaffer Engineering, LLC - Morgantown, WV      Cache   Translate Page      
Structural engineering, bridge design and inspection, construction inspection and administration, environmental services, geotechnical services, GIS services,...
From Indeed - Fri, 14 Dec 2018 20:45:17 GMT - View all Morgantown, WV jobs
          There is an almost palpable sense of fear in this landscape      Cache   Translate Page      
New evidence suggests that the “peaceful” Maya fought bitter wars: In February 2018, National Geographic broke the story of the PACUNAM LiDAR Initiative, a sweeping aerial survey of some 800 square miles (2,100 square kilometers) of the Maya Biosphere Reserve in northern Guatemala. Using revolutionary laser technology, the survey revealed the long-hidden ruins of a […]
          Prefeito de Álvares Machado renuncia ao cargo e Câmara empossa vice como novo chefe do Poder Executivo      Cache   Translate Page      
José Carlos Cabrera Parra (PSDB) renunciou ao cargo de prefeito — Foto: Prefeitura de Álvares Machado/Cedida

José Carlos Cabrera Parra (PSDB) renunciou ao cargo de prefeito de Álvares Machado. Em carta de renúncia encaminhada à Câmara Municipal, ele alegou “problemas pessoais e particulares” como justificativa para a medida.

Com a renúncia do titular, a Câmara Municipal empossou na manhã desta segunda-feira (11) o vice-prefeito Roger Fernandes Gasques (PSDB) como prefeito de Álvares Machado para concluir o mandato que vai até 31 de dezembro de 2020.

Na carta de renúncia, Parra cita que entre os anos de 2018 e 2019 precisou de afastamentos do cargo que totalizaram 120 dias e que “a administração do município tem que continuar”

“Estou deixando o nobre e digno cargo e o trabalho de ser prefeito do nosso município, por problemas pessoais e particulares, contanto que, no exercício de 2018, necessitei de um afastamento pelo período de 30 dias e, neste exercício de 2019, necessitei tirar afastamento por 45 dias, prorrogando-se por mais 45 dias, e a administração do município tem que continuar”, afirm

"Deixo meu vice-prefeito, Roger Fernandes Gasques, com esta missão. Sim, pois vejo esse trabalho como uma missão na vida, nem eu, nem ele, entramos nisso para ganhar nome, dinheiro, poder, e sim para trabalhar em prol da população", salienta Parra.

Ainda na carta de renúncia, José Carlos Cabrera Parra manifesta gratidão pela oportunidade de governar Álvares Machado.

"De início, quero externar minha gratidão a Deus, à minha família e a todos que me deram a honra de ser prefeito em nossa querida cidade de Álvares Machado, bem como agradecer àqueles que, embora não tenham votado em mim, possuem respeito e sabem conviver com dignidade em uma sociedade organizada. O meu agradecimento e admiração a cada família e cidadão de bem", diz.

Roger Gasques (PSDB) vai concluir o mandato — Foto: Bruna Bonfim/Câmara Municipal de Álvares Machado

'Difícil e árdua missão'


Em outro trecho da carta, Parra, que assumiu o comando da Prefeitura em janeiro de 2017, fala sobre o auxílio que teve para enfrentar os problemas do município.

"Nos colocamos para ajudar e servir a Álvares Machado e desde já declaro o meu apreço, carinho e oração por cada vereador; cada funcionário público; cada secretário e por cada colaborador do governo municipal, que muito me auxiliaram na administração demonstrando todo empenho e dedicação para tentar resolver da melhor forma os problemas do município; por cada munícipe... E, principalmente, por Roger, para que Deus o conduza com sabedoria e graça para lidar com essa difícil e árdua missão", pontua.

"Tenho absoluta convicção de que o vice-prefeito Roger saberá, com o apoio do corpo de funcionários e com o imprescindível apoio da Câmara Municipal, dar continuidade aos trabalhos em andamento e tornar realidade todos os importantes projetos para o bem do nosso povo", enfatiza.

"Termino agradecendo mais uma vez a todos os companheiros, a todo povo de Álvares Machado, pois, a cidade é o espaço de todos nós! Onde todos temos o dever de colaborar para que tudo flua melhor e mais saudável. Roguemos a Deus por todos. Lembremo-nos da oração do Pai Nosso: 'Venha o teu Reino e seja feita a tua vontade'... (a vontade de Deus)", conclui Parra.

Ao tomar posse oficialmente do cargo de prefeito para o restante do mandato, nesta segunda-feira (11), Roger Fernandes Gasques ratificou o seguinte compromisso no Poder Legislativo: "Prometo manter, defender e cumprir a Lei Orgânica do Município de Álvares Machado, observar as leis da União, Estado e do Município, promover o bem geral dos munícipes e exercer o cargo sob a inspiração da democracia, da legitimidade e da legalidade".

Vitória nas urnas

A chapa formada por José Carlos Cabrera Parra e Roger Fernandes Gasques venceu as eleições municipais de 2016, em Álvares Machado, com 5.788 votos. O total foi equivalente a 46,16% dos votos válidos na disputa pela Prefeitura naquela ocasião.

As outras duas coligações que concorreram no pleito tiveram, respectivamente encabeçadas por Francisangela Fernandes de São José Policate (PV) e Amarildo Aparecido Miraya (PRB), 5.225 (41,67%) e 1.525 (12,16%) votos. (G1 Prudente)


          Se demuestra la utilidad de los ultrasonidos para alterar la respuesta metabólica e inflamatoria       Cache   Translate Page      

Se demuestra la utilidad de los ultrasonidos para alterar la respuesta metabólica e inflamatoria #source%3Dgooglier%2Ecom#https%3A%2F%2Fgooglier%2Ecom%2Fpage%2F%2F10000

Los equipos de medicina bioelectrónica del Instituto de Investigación Médica de GE Research y Feinstein han demostrado métodos no invasivos potencialmente innovadores para regular la disfunción en los sistemas de control metabólico o inflamatorio del cuerpo mediante ultrasonidos.

Los hallazgos han sido publicados en Nature Communications.

Medicina bioelectrónica

La medicina bioelectrónica combina neurociencia, biología molecular y bioingeniería con objeto de aprovechar el sistema nervioso para tratar enfermedades y lesiones sin el uso de productos farmacéuticos. La investigación sobre medicina bioelectrónica publicada ha demostrado que los dispositivos implantados estimulan los nervios para lograr resultados terapéuticos.

Este estudio analiza el uso de una técnica de ultrasonidos no invasiva para estimular las características nerviosas directamente dentro de los órganos de una manera muy precisa. Según Chris Puleo, ingeniero biomédico y coautor del estudio:

En nuestros estudios, demostramos que la aplicación de ultrasonidos a un objetivo específico en el bazo alteró los marcadores inflamatorios que pueden causar artritis, EII y otras dolencias. Y al atacar una parte específica del hígado, pudimos modular los niveles de glucosa en la sangre.

El potencial de los dispositivos de ultrasonido para atacar vías neuronales reflejas específicas para bloquear la inflamación representa una importante contribución al campo. De cara al futuro, se requerirán más estudios preclínicos para comprender el potencial y los efectos completos de estos nuevos métodos de estimulación mediante el uso de ultrasonidos. Además, se necesitarán pruebas en humanos para desarrollar y validar más estos métodos para posibles aplicaciones médicas futuras.

recommendation.header

Gasolina, diésel, híbrido… Cómo acertar con la propulsión

No me chilles, que no te oigo

[Vídeo] Haciendo levitar objetos mediante ultrasonidos

-
the.news Se demuestra la utilidad de los ultrasonidos para alterar la respuesta metabólica e inflamatoria originally.published.in por Sergio Parra .


          Melhor lidar com pessoas ácidas e honestas do que com pessoas doces e hipócritas.      Cache   Translate Page      

Existem vários tipos de pessoas com quem conviveremos, ao longo de nossas vidas, no trabalho, nas redes sociais, na vida por aí. Pessoas com personalidades diferentes umas das outras, cada uma delas peculiar e única em suas características próprias. Termos o cuidado de manter por perto quem é sincero será um dos maiores favores que faremos a […] More

O post Melhor lidar com pessoas ácidas e honestas do que com pessoas doces e hipócritas. apareceu primeiro em Isto é Super Interessante.


          Despedido sem aviso prévio, médico atende seus pacientes da rede pública na calçada.      Cache   Translate Page      

Algumas coisas que acontecem em nossas vidas realmente nos surpreendem. Em um momento, estamos seguros com nossos relacionamentos, empregos, saúde e no outro tudo muda, e nos vemos forçados a lidar com algumas situações que fogem ao nosso controle. Esse pode ser um momento de dificuldades ou de superação, depende de como nós olhamos para […] More

O post Despedido sem aviso prévio, médico atende seus pacientes da rede pública na calçada. apareceu primeiro em Isto é Super Interessante.


           Técnico Eletricista - RIO DE JANEIRO - 1 VAGA       Cache   Translate Page      
Vaga de Emprego:Técnico Eletricista Requisitos: eletricista com experiência em saber lidar com...

Leia mais em www.vagasurgentes.net

          Tech TalkAt WorkTest and Measurement Differential Lidar Catches "Fugitive" Methane on the Fly      Cache   Translate Page      
From:  IEEE Spectrum


By Douglas McCormick
Posted 
Image: Steve Karcher, Ball Aerospace
The methane plume imaged from a light aircraft by Methane Monitor: real-time [left] and processed [right].


In 2015, methane accounted for 655 million kilograms  of the 7.1 billion kilograms of greenhouse gases released into the atmosphere of the United States alone. The energy sector was responsible for just under half of the methane released, about 279 million kg—lost product with a value of hundreds of millions of dollars.
So detecting leaks from the 2.6 million miles of natural gas pipelines snaking across America is properly both a business and an environmental priority. Air surveillance has reduced serious pipeline leaks by 39 percent since 2009, but there have still been 250 serious incidents in the past 8 years. These include a San Bruno, Calif., pipeline blast that killed eight people in 2010 and the Aliso Canyon leak in 2016—which released about 97 million kilograms of methane, essentially doubling the Greater Los Angeles area’s usual volume of methane emissions from all sources for a three month period.
Until now, efforts to detect what the industry calls “fugitive emissions” have been constrained by the instrument sensitivity and response times. Airborne surveillance required low-flying, slow-moving, expensive-to-run helicopters.
A new approach increases sensitivity and tightens control of timing and synchronization to permit the system to operate at higher speeds and higher altitudes—allowing a shift from helicopters to faster-moving, higher-flying single-engine, fixed-wing aircraft, which are less expensive to own and operate. The innovation earned Ball Aerospace & Technologies engineers Steve Karcher, Phil Lyman, and Jarett Bartholomew the Engineering Impact Award for Energy at NIWeek 2017 in Austin, Tex. The award was presented on 23 May. MORE







          Las 10 claves del acuerdo entre Podemos, IU y Equo para las elecciones del 28 de abril      Cache   Translate Page      
Pablo Iglesias, secretario general de Podemos, y Alberto Garzón, coordinador de Izquierda Unida, durante un acto de la coalición Adelante Andalucía en las últimas elecciones al Parlamento de Andalucía.

Podemos, Izquierda Unida y Equo quieren reeditar su alianza en las elecciones generales del próximo 28 de abril, como ya hicieron en los últimos comicios celebrados en 2016. Las tres formaciones han firmado dos preacuerdos para concurrir juntos dentro de la coalición Unidas Podemos.

Pablo Echenique, secretario de Organización de Podemos, y Noelia Vera, portavoz de la formación morada, han presentado este martes el segundo de esos preacuerdos en la sede del partido, en una rueda de prensa en la que también han participado los ecologistas Juan López de Uralde, diputado por Álava, y Beatriz del Hoyo, coordinadora política de Equo.

En El HuffPost hemos tenido acceso a los dos preacuerdos —el firmado entre Podemos e IU y el rubricado entre Podemos y Equo— y te explicamos los principales puntos del acuerdo:

1. El nombre de la coalición

El nombre de la coalición será Unidas Podemos.

2. Circunscripciones afectadas

Ese nombre aparecerá en las papeletas de 44 de las 52 circunscripciones electorales: en todas las provincias y las dos ciudades autónomas, excepto las 4 provincias de Cataluña y las 4 de Galicia.

3. Cambios en las confluencias

A diferencia de lo que ocurrió en 2016, Compromís no se aliará con Podemos y concurrirá en solitario en las tres provincias de la Comunidad Valenciana.

Tampoco se reeditará la confluencia gallega con los mismos actores. En Marea, el partido instrumental que lidera Luis Villares, se presentará en solitario. Por otro lado, Anova, Podemos y Esquerda Unida (federación gallega de IU) tiene previsto concurrir juntos previsiblemente bajo el nombre de Galicia en común, según cuenta La Voz de Galicia.

La confluencia catalana todavía está en negociación. Jaume Asens, teniente de alcalde del Ayuntamiento de Barcelona, está previsto que lidere la candidatura de En Comú Podem, que todavía no se ha cerrado. Una corriente de Esquerra Unida i Alternativa (EUiA), liderada por Joan Josep Nuet, ha aprobado la negociación de una coalición con ERC.

4. Los puestos de salida para IU

Si se repitieran los resultados de las elecciones generales de 2016, el preacuerdo otorgaría 7 diputados a Izquierda Unida, dos más de los 5 que tienen actualmente, sin contar los de las confluencias:

  • Número 1 y 2 por Málaga.
  • Número 3 por Sevilla.
  • Número 2 por Asturias.
  • Número 3 y 8 por Madrid.
  • Número 2 por Valencia.

5. Tres escaños seguros para IU

Los resultados de 2016 no parece que se vayan a repetir, ya que las encuestas pronostican una caída en votos para la coalición. Lo más probable es que IU solo saque 3 diputados, dos menos que ahora:

  • Alberto Garzón, coordinador de IU, que encabezará la lista de Málaga.
  • Enrique Santiago, secretario general del PCE, que irá de número 3 por Madrid, detrás de Pablo Iglesias e Irene Montero.
  • Roser Maestro, candidata del Partit Comunista del País Valencià y perteneciente al sector crítico con Garzón, que ocupará el número 2 por Valencia, por detrás de Héctor Illueca, de Podemos.

A estos escaños, habría que sumar los diputados de IU que saquen las confluencias. La reelección de Joan Mena (EuiA) por Barcelona y Yolanda Díaz (EU) en Galicia se da por descontada.

6. Los puestos de salida para Equo

Los ecologistas solo tienen garantizado 1 puesto de salida: el número 1 en la provincia de Álava. El fundador del partido Juan López de Uralde ocupará esta posición —la misma que en 2015 y 2016— tras ganar las primarias.

Los ecologistas ocuparán otros puestos en las listas que no tienen ninguna posibilidad de salir:

  • Número 3 por Albacete y Segovia.
  • Número 4 por Almería, Badajoz, Burgos, Cáceres, Córdoba, Granada, Jaén y Valladolid.
  • Número 5 por Málaga, Toledo y Zaragoza.

7. Equo pierde representación

Equo logró tres diputados en las elecciones de 2016. Además de Uralde, Rosa Martínez, que recientemente dejó su escaño, ocupó el primer puesto en la lista de Bizkaia, y Jorge Luis Bail concurrió como número 1 por Huesca. Estos otros dos puestos de los ecologistas no se revalidarán.

8. El reparto del dinero

El preacuerdo entre IU y Podemos garantiza un 74% de los recursos de la coalición para la formación de Pablo Iglesias y un 26% para la de Garzón. Una vez se constituya el grupo parlamentario, un 85% de los recursos se destinarán a Podemos y un 15% a IU. Este reparto supone una importante mejora de las condiciones económicas para los comunistas en relación con los anteriores comicios.

El documento del preacuerdo entre Podemos y Equo no habla en ningún momento del reparto de recursos entre ambas formaciones.

9. La opinión de las bases

Las bases de IU han ratificado el preacuerdo de su formación con Podemos en una votación en la que solo han participado 10.387 militantes de los 37.841 que podían hacerlo (el 27,45%). Un 61,55% ha votado a favor del acuerdo y un 34,75% en contra. (Aquí puedes consultar los resultados completos)

En el caso de Equo, los afiliados al corriente de pago y los simpatizantes verificados del partido verde tienen que decidir si aprueban o no el preacuerdo con Podemos en una votación que se celebrará en este martes y el jueves 14 de marzo a las 10 horas, un día antes de que se cierre el plazo para presentar las coaliciones. Los ecologistas ya rechazaron la confluencia con Podemos en Andalucía, donde se presentaron en solitario, y en la Comunidad de Madrid, donde concurrirán con Íñigo Errejón.

Las bases de Podemos no van a revalidar el pacto, ya que los militantes ya refrendaron esta confluencia el año pasado, según ha señalado Echenique.

10. Malestar entre grupos de militantes

Algunos militantes críticos con las direcciones de IU y Equo se han manifestado públicamente en contra de estos acuerdos.

La consulta a las bases de IU ha demostrado que una parte de la militancia está en contra de ir con Podemos. El apoyo a la confluencia ha pasado del 84,3% para las elecciones de 2016 (16.953 síes) al 61,55% en esta ocasión (6.393 síes). A pesar de la caída en el censo, el rechazo ha pasado de 2.623 votos en contra hace dos años a 3.609 actualmente.

Todas las federaciones regionales de IU han aprobado la confluencia, excepto IU Asturias, en el que el 55% de los votantes ha rechazado la confluencia. Allí militaba hasta hace poco Gaspar Llamazares, enfrentado a Alberto Garzón, que abandonó la formación y se presentará con Actúa.

"Hay muchos sitios donde IU quiere ir por su cuenta"

El sector crítico se ha manifestado contra el acuerdo al considerar que invisibiliza a IU. José Antonio García Rubio, secretario federal de empleo y modelo productivo de IU, ha anunciado su voto en contra en su cuenta de Twitter.

En el partido ecologista Equo, la corriente interna Reverdecer también ha criticado que el acuerdo con Podemos no se haya conocido hasta este martes, justo antes de que se inicie la votación.

Algunos miembros del partido verde han cuestionado cómo se ha llevado a cabo la negociación y han señalado que el preacuerdo no incluye nada sobre las elecciones al Parlamento Europeo, que sí se ha negociado en el caso de IU.


          Se sobrescribe si se loguean varios usuarios a la vez      Cache   Translate Page      

Se sobrescribe si se loguean varios usuarios a la vez

Respuesta a Se sobrescribe si se loguean varios usuarios a la vez

Si no quieres, puedes validar tus autenticaciones desde el lenguaje y tu BD

Publicado el 13 de Marzo del 2019 por Hector

          Conheça a maior produção de arroz agroecológico da América Latina, ligada ao MST. - Editor - O DEMONIO DO MST, NÃO É TÃO FEIO COMO PROPAGAM OS RURALISTAS -PRÓ VENENO - E O PIG- PARTIDO DA IMPRENSA -SEMPRE - GOLPISTA. DELES VEM A MAIORIA DOS ALIMENTOS QUE COMEMOS, EMBORA MUTOS MILHÕES ESTÃO SUBNUTRIDOS.      Cache   Translate Page      

CONQUISTA

Conheça a maior produção de arroz agroecológico da América Latina, ligada ao MST

Produção do alimento acontece há 20 anos em vários assentamentos da Reforma Agrária no Rio Grande do Sul

Brasil de Fato | Porto Alegre (RS)
,
Beneficiado, grão sem veneno é exportado para os Estados Unidos, Holanda, Alemanha, Venezuela, Espanha e Portugal / Fotos: Alex Garcia

Após uma década produzindo arroz orgânico, José Carlos de Almeida, morador do Assentamento Santa Rita de Cassia II, em Nova Santa Rita, região metropolitana de Porto Alegre, se orgulha das conquistas da luta coletiva das famílias do MST, o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra. “Através da produção agroecológica, somos reconhecidos, respeitados e temos força. Hoje somos os maiores produtores de arroz orgânico da América Latina”, destaca. A liderança é confirmada pelo Irga, o Instituto Riograndense de Arroz. 
A primeira experiência do MST na produção de arroz de base agroecológica ocorreu há 20 anos, em pequenas áreas no entorno da capital gaúcha e de forma cooperada. As famílias se organizaram inicialmente por meio da Cooperativa dos Trabalhadores Assentados da Região de Porto Alegre (Cootap), no Assentamento Integração Gaúcha, de Eldorado do Sul; da Cooperativa de Produção Agropecuária dos Assentados de Tapes (Coopat), no Assentamento Lagoa do Junco, em Tapes; e da Cooperativa de Produção Agropecuária Nova Santa Rita (Coopan), no Assentamento Capela, em Nova Santa Rita
O assentado Emerson Giacomelli explica que, ao contrapor o modelo do agronegócio e apostar em novo jeito de produzir, com respeito à vida, aos ciclos da natureza e ao meio ambiente, os agricultores enfrentaram então uma série de dificuldades. “Não conseguíamos nenhuma assistência técnica, nenhum incentivo ou apoio, nenhuma linha de crédito”, recorda.
Aposta no alimento sem veneno
No entanto, a produção de arroz em áreas de reforma agrária começou de forma convencional. As famílias, através da Cootap, tinham acesso a máquinas agrícolas e assistência técnica para organizar a lavoura. Hoje, a cooperativa regional atua na linha de frente da cadeia produtiva de arroz agroecológico, e organiza há 16 anos consecutivos eventos para celebrar a colheita.
Giacomelli enumera alguns motivos que levaram os camponeses à transição de cultura, da convencional à ecológica. Entre eles, a profunda crise econômica do setor orizícola no final dos anos 90, o surgimento de inúmeros problemas de saúde entre os assentados, a poluição nos assentamentos, o manejo inadequado de recursos naturais devido ao uso abusivo de agrotóxicos e a busca de autonomia no plantio, beneficiamento e comercialização.
Celso Alves Silva, coordenador do setor de grãos da Cootap, reforça que a decisão foi técnica e política. “O MST, que durante sua trajetória amadureceu e abraçou a bandeira da conquista da terra, de produção de alimentos saudáveis, distribuição de renda, integração social e econômica entre as famílias assentadas, indicava que era possível produzir alimentos sem veneno em escala e preservando os recursos naturais”, acrescenta.
Treze municípios participam da produção
O debate sobre a construção de uma nova sociedade e a conscientização sobre os impactos dos modelos de agricultura na saúde e no meio ambiente fizeram com que centenas de outras famílias de assentados, motivadas pelas experiências da Cootap, Coopan e Coopat, começassem a produzir arroz agroecológico. O processo se fortaleceu por meio de intercâmbios e estudos sobre rizipiscicultura – mescla de lavoura de arroz com criação de peixes – arroz pré-germinado, secagem, armazenagem, beneficiamento, processamento e formas de comercialização. 
Por meio da Coopan, MST faz o beneficiamento do arroz orgânico
Atualmente, há 363 famílias do MST produzindo arroz ecológico em 15 assentamentos e 13 municípios – Charqueadas, Capela de Santana, Eldorado do Sul, São Jerônimo, Canguçu, Manoel Viana, Tapes, Arambaré, Nova Santa Rita, Viamão, Capivari do Sul, Guaíba e Santa Margarida do Sul. A área plantada na safra 2018-2019 é de 3.433 hectares, e a estimativa de colheita é de aproximadamente 16 mil toneladas.
Os assentados preparam o solo e semeiam o arroz em sistema pré-germinado. Um processo totalmente livre de agrotóxicos. Quando se faz necessário o controle de pragas, utilizam biofertilizantes, repelentes naturais ou insumos permitidos pela legislação dos orgânicos. A água também ajuda a combater inços e plantas indesejadas. Já o melhoramento do solo é feito com incorporação de matéria orgânica, como esterco de animais e palha de arroz, uso de calcário, pó-de-rocha e fosfato natural.
Alternativa ao agronegócio 
Os produtores se organizam no Grupo Gestor do Arroz Agroecológico desde 2002. Ele foi constituído a partir da união de famílias de vários assentamentos que passaram a compartilhar experiências e a aperfeiçoar suas visões enquanto coletivo. Isso resultou em avanços na cadeia produtiva.
De acordo com Giacomelli, a organização coletiva busca consolidar alternativas ao agronegócio, pois estabelece relações de respeito e integração entre os seres humanos e os recursos naturais. “Nossa produção é feita com técnicas que estimulam a fertilidade e a produção de alimentos saudáveis, e gera mais qualidade de vida aos produtores e consumidores, além de renda às famílias assentadas”, argumenta.
Certificação garante a qualidade
O MST possui unidades próprias de agroindústria, além de Unidade de Beneficiamento de Sementes (UBS) 
Hoje, todo o processo produtivo, industrial e comercial do arroz orgânico é coordenado pela Cootap, que detém a marca comercial Terra Livre. Ela ajuda a organizar a produção das famílias vinculadas ao Grupo Gestor do Arroz Agroecológico, através de associações, grupos informais e cooperativas – Coopan, Coopat, Cooperativa de Produção Agropecuária de Charqueadas (Copac) e Cooperativa dos Produtores Orgânicos da Reforma Agrária de Viamão (Coperav).
O MST possui unidades próprias de agroindústria para recebimento, secagem, armazenagem e embalagem de arroz, além de Unidade de Beneficiamento de Sementes (UBS). As sementes são produzidas em sete assentamentos nos municípios de Eldorado do Sul, Viamão, Nova Santa Rita, Tapes e Guaíba.
O arroz orgânico é certificado desde 2004, em todas as etapas da produção, com base em normas nacionais e internacionais, por meio da certificação participativa (OPAC – Coceargs) e de auditoria (IMO – Ceres).
Segundo o assentado Cleomar Pietroski, responsável pelo setor de certificação da Cooperativa Central dos Assentamentos do RS (Coceargs), o arroz é certificado a partir de 12 meses de manejo orgânico na unidade de produção. “Além de agregar valor, a certificação dá a garantia de procedência e de qualidade do produto aos consumidores”, argumenta.
Mentes abertas
O Grupo Gestor do Arroz Agroecológico elegeu como metas a inserção de novas famílias do MST na cadeia produtiva, a expansão da área plantada, a consolidação de uma nova Unidade Básica de Sementes e a construção de uma indústria de arroz parboilizado.
Também quer garantir toda a infraestrutura necessária para viabilizar a produção aos assentados e às cooperativas, além de formar técnica e profissionalmente jovens para que deem continuidade ao cultivo de arroz orgânico.
Giacomelli afirma que a formação política e ideológica também é prioridade aos Sem Terra. “Não existe agricultor orgânico que não tenha uma cabeça aberta, uma cabeça que tenha política, que entenda de sociedade, que saiba de conjuntura e do novo momento. Isso é muito importante para nós”, finaliza.
Exportando arroz para o mundo
A primeira experiência de exportação ocorreu em 2008, para os Estados Unidos 
A maior parte do arroz orgânico produzido pelo MST é destinada ao Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e ao Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae). Assim, além de abastecer o Rio Grande do Sul, o alimento chega a São Paulo, Minas Gerais e Paraná. Na capital paulista, o MST deve entregar a escolas públicas cerca de dois milhões de quilos de arroz em 2019.
O grão também pode ser adquirido em mais de 40 feiras ecológicas da região metropolitana de Porto Alegre, no Mercado Público da capital, na Feira Latino-Americana da Economia Solidária, em Santa Maria; na Exposição Internacional de Animais, Máquinas, Implementos e Produtos Agropecuários (Expointer), em Esteio; e na Feira Nacional da Reforma Agrária, em São Paulo.
Além de abastecer o mercado interno, o MST exporta arroz orgânico. A primeira experiência ocorreu em 2008, para os Estados Unidos. Depois, o grão foi para a União Europeia, Portugal, Holanda, Alemanha, Espanha e Venezuela, tendo como foco o comércio justo e solidário. Atualmente, há busca de novos mercados na Grécia, Portugal, Espanha, Holanda, Argentina, Emirados Árabes, China, Haiti, Jamaica, Costa Rica, Itália, Peru, entre outros países.
https://www.brasildefato.com.br/2019/03/12/mst-e-o-maior-produtor-de-arroz-organico-da-america-latina/


Este conteúdo foi originalmente publicado na versão impressa (Edição 11) do Brasil de Fato RS. Confira a edição completa.
Edição: Marcelo Ferreira

          Líder histórico no Parque do Xingu rejeita “integração” ao agronegócio proposta por Bolsonaro      Cache   Translate Page      

Líder histórico no Parque do Xingu rejeita “integração” ao agronegócio proposta por Bolsonaro

IN DE OLHO NOS CONFLITOSEM DESTAQUEPOVOS INDÍGENASPRINCIPALÚLTIMAS
O mais antigo e respeitado cacique da região, Aritana Yawalapiti, viveu com os irmãos Villas-Bôas e organiza grupo com o filho e outros jovens graduados para defender território 
Por Clarissa Beretz, do Alto Xingu
Aritana Yawalapiti chega ao ponto de sua aldeia com conexão à internet para fazer algo inédito em seus 70 anos de vida. Pela primeira vez, o mais antigo e respeitado cacique do Alto Xingu usa o whatsapp para falar com um amigo em São Paulo. “Que bom ter notícias de longe!”, entusiasma-se. O líder da etnia Yawalapiti é a mais velha autoridade atuante na região. Aos 19 anos, aceitou a incumbência de ser cacique.
Passou os cinco anos seguintes em reclusão, recebendo ensinamentos para ocupar o posto. O indígena que hoje usa a internet é um dos últimos remanescentes dos povos que caçavam e pescavam com arco e flecha nascidos antes da criação do Parque Indígena do Xingu (PIX). Ele cresceu ouvindo os irmãos Orlando e Cláudio Villas-Bôas, dois dos mentores da maior reserva indígena do mundo.
“Você é quem vai tomar conta dessa terra”, disse Cláudio ao jovem Aritana. “Quando o branco entrar aqui, ele vai vir com papéis e panos coloridos para convencer vocês. No dia em que você deixar, acabou o Xingu”, relembra.
Esse dia chegou, constata o líder, ao saber das declarações do presidente Jair Bolsonaro sobre o desejo de “integrar” os indígenas na sociedade capitalista e da proposta de uso de suas terras para lucrarem com o agronegócio: “Não precisamos plantar soja. Temos a nossa roça, mandioca, milho, pesca, caça. O governo tem que respeitar o nosso modo de vida”.
DEMARCAÇÃO ASSEGURA DIREITO PARA 16 ETNIAS
Homologada em 1961, a demarcação de quase 2,8 milhões de hectares para a criação do PIX (divididos entre Alto, Baixo e Médio Xingu)  assegurou a 16 etnias o direito de viver em suas terras ancestrais como contrapartida à devastação promovida pela Marcha para o Oeste, programa do governo Getúlio Vargas que pretendia ocupar o Brasil central.
É nesse oásis isolado com florestas e rios, na região nordeste do Mato Grosso, que cerca de 8 mil índios vivem entre seus hábitos milenares e costumes adquiridos com o homem branco. Segundo a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), a área concentra o mais importante mosaico linguístico puro do país. Mas o rico território é ameaçado pela contaminação de seus rios por agrotóxicos e pelo roubo de madeira e minérios, além das barragens previstas no Rio Xingu e seus irreversíveis impactos socioambientais, como a hidrelétrica de Belo Monte.
Aritana diz que sua luta hoje não é mais de borduna. “É de papel, caneta e computador”, afirma. Essa parte ele conta que deixará para os jovens. Entre manter as tradições e enfrentar os desafios do presente, traçou uma estratégia com o filho Tapi, que mora em Brasília e faz mestrado em Linguística na Universidade de Brasília (UNB). E reuniu um time de indígenas graduados para defender o seu povo.
São jovens que concluíram cursos universitários e agora retornam para a aldeia, entre eles um mestre em Antropologia, dois bacharéis de Direito e um em Ciências Políticas. Eles auxiliarão os caciques na elaboração de documentos e tomada de decisões, conta Tapi, que se prepara para suceder o pai como o próximo cacique Yawalapiti.
A DEMARCAÇÃO DO XINGU PODE MUDAR?
Povos do Xingu temem invasão. (Foto: Renato Stockler)
Aritana lembra que o seu território está mais resguardado em relação aos outros povos indígenas do Brasil, já que a demarcação do Xingu, feita há 58 anos, assegura constitucionalmente ao seu povo viver nessas terras de forma vitalícia. Depois que a responsabilidade de demarcação territorial indígena foi transferida para o Ministério da Agricultura, resta saber se o órgão, comandado pela então líder da bancada ruralista no Congresso, Tereza Cristina, ousará mexer no até então intocável território do Alto Xingu para expandir o agronegócio na região.
O coordenador de políticas públicas do Greenpeace, Marcio Astrini, explica que, para isso acontecer, o governo teria de rever a demarcação, anular o processo ou aprovar via Congresso a alteração dos limites da reserva:
– O governo não pode arrendar uma terra indígena para a produção de soja simplesmente porque deseja. O país tem leis, que devem ser respeitadas. Apesar das Terras Indígenas pertencerem ao estado brasileiro, elas têm um destino: o direito de uso dos indígenas. Não pode haver outro destino ao mesmo tempo. Para tanto, seria preciso mudar a legislação atual, mudar a Constituição e desfazer a destinação. Só depois seria dado um novo destino (no caso, ao agronegócio) via licitação, leilão, regularização fundiária, etc. Seria algo absurdo. Mas não podemos duvidar de nada deste governo.
Para o líder do Alto Xingu, o governo tem uma dívida histórica com os indígenas. “Tomaram tudo o que tínhamos, principalmente dos parentes de outras etnias: terra, madeira, riquezas minerais”, afirma. “Então, tem mais é que dar melhorias. E sem contrapartida. Queremos internet, televisão, dentista? Sim, precisamos! Mas que respeitem a nossa forma de vida”, finaliza Aritana, enquanto sai de sua oca, nu, para tomar mais um banho no rio Toatoari.
Sua maior arma é a paciência. Ele acredita que a principal função de um cacique é promover o diálogo e o entendimento. Assim, o menino que tomava arranhadura de dente de piranha na pele para aprender a lidar com a dor prepara-se para os desafios. Nos encontros em Brasília e reuniões com fazendeiros, mantém o tom amigável. Aritana dialoga com figuras das quais discorda, como Blairo Maggi, ex-governador do Mato Grosso e ex-ministro da Agricultura do governo Temer, um dos maiores produtores de soja do mundo.
Maggi conversou com Aritana sobre a construção de uma estrada na região para escoar a produção de soja e milho desde Querência e Canarana (MT), rumo aos portos de Miritituba e Santarém, no Pará. “O Blairo falou que irá trazer melhorias para o nosso povo, porque poderemos levar os nossos doentes mais rápido para o hospital”, comenta. Aritana não quer o suposto benefício. Disse que não quer, pois a estrada facilitará “a chegada do que não presta”.
https://deolhonosruralistas.com.br/2019/03/11/lider-historico-no-parque-do-xingu-rejeita-integracao-ao-agronegocio-proposta-por-bolsonaro/

          Uma laje em Paraisópolis, um bistrô, uma horta. E mulheres poderosas - Editor - LUTANDO, PERSISTINDO, RESISTINDO, SE VENCEM BARREIRAS, PRECONCEITOS E SE ATINGE A DIGNIDADE.      Cache   Translate Page      

LIVRES PARA DECIDIR

Uma laje em Paraisópolis, um bistrô, uma horta. E mulheres poderosas

Organização, espírito de coletividade, autonomia financeira e outras receitas contra a violência doméstica. A luta de Elizandra Cerqueira em uma das maiores favelas do Brasil
por Por Maria Lígia Pagenotto. Fotos: Marcia Minillo publicado 09/03/2019 10h39
MARCIA MINILLO
Várias Marias
As experiências do bistrô e da horta receberam prêmio em Paris. Estas fotos foram expostas lá
A história do Bistrô & Café Mãos de Maria, um charmoso restaurante numa laje de Paraisópolis, não seria a mesma se Elizandra Cerqueira, uma das idealizadoras do espaço, não tivesse vivido na pele episódios tão parecidos como os protagonizados por mulheres do seu entorno.
A ideia surgiu com a vocação de empoderar as mulheres da comunidade – em uma das maiores favelas do Brasil, ao lado do bairro do Morumbi, região sudoeste paulistana. Muitas delas vítimas de violência doméstica, como a própria Elizandra.
Uma vez Elizandra ouviu do chefe que não devia dizer para ninguém que morava em Paraisópolis. "As pessoas têm muito preconceito. Diga que é do Morumbi"
Inaugurado em setembro de 2017, o bistrô foi uma iniciativa da Associação das Mulheres de Paraisópolis. Funciona junto com o projeto Horta na Laje, que fomenta o plantio de ervas, temperos e hortaliças, estabelecido no terraço da União de Moradores e do Comércio de Paraisópolis, onde fica o restaurante. A publicitária Elizandra, de 30 anos, é presidente da associação, e teve com Gilson Rodrigues, presidente da União de Moradores, na condução do projeto.
"Mesmo antes da inauguração do restaurante, oferecemos aqui uma série de cursos de gastronomia, para que muitas mulheres possam ter renda própria e se manter", conta Elizandra.
Os cursos começaram há quatro anos, sempre gratuitos, e por eles já passaram, ela estima, 4 mil mulheres. "São oferecidas aulas de doces, bolos e salgados para festas. Também ensinamos a preparar pratos brasileiros, que geram renda com a venda de marmitas e bufês em domicílio", conta a baiana de Poções, que chegou em São Paulo com a família quando tinha apenas 1 ano.
Ela revela com orgulho como superou obstáculos e tornou-se referência para outras mulheres. "Nossa sociedade é extremamente machista e preconceituosa, não dá para fingir que não. Mulher, nordestina e moradora de favela sofre muito mais preconceito. Se for negra, então, o preconceito dobra", diz Elizandra, cuja história rendeu uma biografia: Elizandra, muitas vozes numa só, escrita por Flavia Iriarte e Rodrigo Barreto, lançada no ano passado pelo selo Biografias Colaborativas (editora Oito e meio).

Independência financeira

gisele-ferreira.jpg
Para ela, que sofreu agressões físicas e verbais de um companheiro, a independência financeira é um instrumento libertador da mulher. "Aqui, os casos de violência infelizmente são muito comuns. Queremos mudar isso a partir desses projetos também. E temos conseguido."
Muitas mulheres, depois que passam a ter como se manter, observa Elizandra, saem de suas casas, procuram outro lugar para viver e se libertam, têm outra vida, diz. "Claro que o processo não é simples, mas ter condições financeiras é um ponto de partida muito importante para a mulher."
Elizandra não esconde o orgulho e a satisfação com a horta e o bistrô. E reconhece a importância das parcerias. A horta, por exemplo, foi feita em conjunto com Gilson. Incentivada por ele e por sua própria história de vida, Elizandra acabou por fundar a Associação de Mulheres da favela, há quase 12 anos.
Com apoio de Gilson, ela concorreu a uma premiação oferecida pelo Instituto Stop Hunger, uma organização social internacional que luta contra a fome e pelo empoderamento de mulheres. Em março do ano passado ela levou o primeiro lugar pela iniciativa criada em Paraisópolis.
Esteve em Paris para apresentar o projeto da horta e do bistrô em companhia de Gilson. "Foi muita emoção e alegria receber essa premiação diante de uma plateia de 500 pessoas muito influentes, do mundo todo", revela.
As fotos da noite em Paris estão expostas no café do bistrô. "Muitas mulheres me falam que sou uma inspiração para elas, isso me enche de felicidade." Da premiação, participaram mulheres de 44 países, com projetos de empreendedorismo feminino, geração de renda e sustentabilidade. Ela era a única representante do Brasil.

Inspiração a outras mulheres

uniao-dos-moradores.jpg
A trajetória de Elizandra em São Paulo é parecida com a de tantas outras moças filhas de pais que migraram do Nordeste em busca de melhores condições de vida. Seu pai, Atayde, chegou na capital paulista nos anos 1970, quando o setor da construção civil estava no auge. O bairro do Morumbi, ainda cheio de mato e de terrenos vazios, começava a se formar.
Atayde foi para a região com a esperança de trabalhar como pedreiro. E ali ficou. Até hoje exerce seu ofício.
Encravado no Morumbi, já havia um aglomerado de casas muito simples e de barracos. Ele crescia na mesma proporção que o bairro nobre: era a favela de Paraisópolis se expandindo, uma comunidade que hoje abriga cerca de 120 mil habitantes e que, em 2020, completará 100 anos de existência.
Ali, no início, moravam muitos trabalhadores que erguiam mansões no Morumbi. Eliza, mãe de Elizandra, seguiu o caminho de outras mulheres migrantes daquele período. Chegando em São Paulo, foi trabalhar como empregada doméstica também no bairro.
Elizandra, a terceira de cinco filhos do casal Eliza e Atayde, não tardou a traçar para si outro destino meio. Quando adolescente, viu muitas meninas ficarem grávidas precocemente e, com isso, tornarem-se dependentes de parceiros. Seu sonho era fazer faculdade e, se possível, abrir caminho para que outras mulheres também fizessem.
Já no colégio, tornou-se uma liderança estudantil. Na sequência, virou uma referência feminina na comunidade. Quase ao mesmo tempo, os episódios pessoais dolorosos que teve de enfrentar a estimularam a ir mais fundo em seus sonhos. A custa de muito estudo e determinação, ingressou no curso de Publicidade na Universidade Anhembi Morumbi, com bolsa integral.
Formada e já trabalhando em uma agência, um dia ouviu do chefe que não devia dizer para ninguém que morava em Paraisópolis. "As pessoas têm muito preconceito. Diga que é do Morumbi", aconselhou.
"Eu me senti profundamente atingida. Isso já havia ocorrido em outros empregos, e eu achei que tinha chegado a hora de mudar essa realidade. Não tenho vergonha de onde cresci e vivo, ao contrário. Não moro aqui porque quero, mas porque foi o lugar em que meus pais conseguiram se estabelecer", conta.
Outra situação vivida por ela também foi determinante para consolidar sua luta. Casada, sofreu muito com o então marido, vivendo cenas terríveis de ciúme e violência – a última, que culminou em sua separação, foi grave. Elizandra quase morreu de tanto apanhar do parceiro. E se hoje consegue falar do assunto foi porque compreendeu o processo e superou sua dor à custa de muita luta.
Casou-se novamente, agora com um companheiro que a respeita e a incentiva. Está feliz e pensa em ter filhos, mas mais tarde, indo um pouco na contramão da maioria das moças de Paraisópolis. "A maternidade é algo que almejo, mas mais para a frente. Antes tenho muitas outras coisas para fazer que considero prioridade", explica.
Sobre seu passado, diz, convicta: "Vivi muita coisa que me machucou, mas não aceitei os fatos passivamente. Decidi, a partir desses episódios tristes, que eu tinha de fazer algo pelas mulheres de Paraisópolis – a maioria de origem nordestina como eu, sofrendo problemas parecidos."
Foi então que criou a Associação de Mulheres da favela. Antes, porém, esteve à frente da Agência de Empregos de Paraisópolis. Conseguiu empregar mais de 3 mil moradores da favela em empresas de diversos portes.
Essa experiência inspirou a criação de algo mais específico para o público feminino.
"Eu logo percebi que muitas mulheres só estavam junto com um homem por conta da dependência financeira", afirma. Para tirá-las daquela situação, resgatou um projeto chamado Doces e Salgados Mãos de Maria, um curso de capacitação em gastronomia para mulheres que já havia na comunidade. A partir daí vieram a horta e o restaurante.
E os cursos, com apoios diversos, tanto de instituições como de empresas privadas, só crescem, assim como a fama dos pratos oferecidos na laje mais verde de Paraisópolis.
Sobre o nome do bistrô, ela conta como surgiu: "As primeiras mulheres que procuraram os cursos tinham, coincidentemente, o nome Maria, muito comum por aqui e no Brasil todo. Resolvemos então homenagear essas mulheres que tão bem representam a luta da brasileira."
Mais adiante, Elizandra pretende expandir seu projeto para além dos muros de Paraisópolis. Com apoio de instituições e empresas, quer criar uma espécie de franquia social do bistrô, levando a ideia para outras comunidades e beneficiando mais e mais mulheres.
A partir disso, com mais pessoas de fora frequentando os restaurantes, ela espera ainda diminuir o preconceito que muita gente tem contra quem mora em favelas. "Chegar na comunidade e ver um restaurante agradável, que serve comida fresca e saudável, certamente contribui para que muita gente perca o receio de frequentar as favelas. É nessa luta e na independência das mulheres que acreditamos."

Os sabores e segredos do Bistrô & Café Mãos de Maria

feijoada.jpg
Para cada dia da semana, um prato diferente: carne de panela, galinhada, frango, moqueca. Às quartas, como pede a tradição, feijoada.
O frango pode ser servido com quiabo, conforme a moda mineira, ou como estrogonofe. Há algumas variações. A moqueca às vezes é de peixe, outras de camarão.
O cardápio atrai gente de longe – de fora do bairro, da cidade e até do país. O tempero especial, colhido diretamente da horta que fica entre as mesas do restaurante, o lugar, sua história, a simpatia dos atendentes, tudo conspira para tornar essa laje de Paraisópolis uma referência social.
Cheio de cor e verde num entorno praticamente árido, o Bistrô & Café Mãos de Maria desperta atenções de longe. Na decoração, toalhas coloridas, muitas flores, plantas, grafites pelas paredes e guarda-chuvas pendurados numa espécie de varal tão o tom ao lugar.
Os projetos, além de criarem empregos e estimularem o plantio e o consumo de alimentos saudáveis entre a população, são autossustentáveis. O bistrô emprega seis funcionários, treinados em cursos oferecidos no espaço, e, com o que gera com a venda dos pratos, é capaz de manter a estrutura e garantir o salário dos que nele trabalham.
As refeições, no estilo "coma à vontade", custam R$ 20 por pessoa e são oferecidas sempre de segunda a sexta. Bebidas e sobremesa são cobradas à parte. Na quarta-feira, por conta da feijoada, a laje lota.
Um sábado por mês o bistrô abre as portas e traz como atração a feijoada com pagode, R$ 30 reais por pessoa. Nessas datas é preciso antecipar a reserva. Em dias comuns, são servidas cerca de 20 refeições diárias. Muitos frequentadores dizem que os pratos têm gosto de "comida de mãe".
"Plantar e colher hortaliças em vasos é algo simples, pode ser feito em uma área pequena. Queremos que as pessoas peguem gosto por isso e reproduzam a ideia em suas casas", explica Elizandra.
A cada dois meses, dois especialistas da Universidade Estadual Paulista (Unesp) vão ao local ensinar mais pessoas sobre o plantio, além de monitorar os vasos já existentes.
A horta comunitária oferece tomate, pimenta, manjericão, hortelã, alface, couve, cebolinha, alecrim, morango, alface, entre outras tantas delícias orgânicas. E também distribui mudas.
No comando da cozinha do restaurante, está Claudenice de Gonçalves Jesus, a Nice. Ela fez cursos com chefs renomados e, com eles, aprendeu vários segredos. "E com amor qualquer comida fica boa", atesta.
A ajudante Zuleide Seferino da Silva, a Zuzu, é famosa pelo delicioso pudim de leite, o doce preferido pelos frequentadores do bistrô.
Gisele Ferreira gerencia o lugar. Faz as reservas e explica como tudo funciona. "Tem muita gente de outros bairros aqui, temos uma fama, já saímos em vários jornais e programas de televisão", conta Gisele.
horta-na-lage.jpg
Bistrô & Café Mãos de MariaRua Ernest Renan, 1366, (11) 3739-2217
Aberto de segunda a sexta das 12h às 14h30
Feijoada com pagode no segundo sábado do mês das 12h e sem hora pra acabar
Laje da União de Moradores e do Comércio de Paraisópolis
https://www.facebook.com/Bistroecafemaosdemaria/

          Os tanga-frouxas      Cache   Translate Page      
Em 2002, o ator Alexandre Frota deu uma entrevista para revista Playboy dizendo que tem uns tanga-frouxas na Globo. Ou seja, não ter atores machos o suficiente para lidar com as investidas do teste do sofá no projac segundo as palavras do futuro deputado federal bolsonarista. Eu uso tal termo para retratar os humoristas brasileiros […]
          Claves para detectar y prevenir ideas suicidas en menores      Cache   Translate Page      

Diana Díaz, directora del Teléfono Anar, explica que cada día reciben una media de 1.300 llamadas de jóvenes con diversos problemas, «pero nos llama especialmente la atención que los casos de ideación suicida en menores se han multiplicado por seis y los de autolesiones por catorce. «El fenómeno de las autolesiones es muy reciente y ya en 2016 dimos la voz de alarma sobre este asunto —advierte Diana Díaz—. Los jóvenes se enfrentan a muchas dificultades diarias, a situaciones tarumáticas, a acoso, abusos... y se sienten solos. Creen que autolesionándose liberan ese sufrimiento porque desconocen que hay otras maneras de lograrlo que no son dañinas. A ello se suman todas las informaciones que se publican en internet y que fomentan este tipo de conductas».

Desde la Fundación Anar ofrecen a los padres una serie de recomendaciones para ayudar a estos jóvenes que se sienten en situaciones límite.

Señales de alerta

Cambio de conducta

Los altibajos emocionales son comunes en jóvenes, pero si hay ideación suicida son más llamativos. Atentos ante el consumo de drogas, querer “cerrar temas” o si hace cartas de despedida.

Aislamiento

Una cosa es que el adolescente busque la intimidad habitual de su dormitorio y otra que no quiera salir y comunicarse con sus padres ni con su grupo de iguales.

Tristeza

Se debe estar pendientede si el adolescente está más triste de lo normal, tiene una visión del mundo o de sí mismo negativa y muy pesimista respecto a su futuro.

Rendimiento

Se deben vigilar cambios significativos en cuanto a la concentración, si ha bajado su rendimiento a la hora de hacer deberes o se salta clases sin conocimiento previo de los padres.

Autolesiones

Algunos adolescentes se autolesionan para dar salida a un malestar emocional que no saben cómo manejar. Los intentos previos también deben tomarse siempre en cuenta.

Cómo prevenirlo

Darle importancia

Ante signos de ideación suicida no hay que pensar que «son cosas de adolescentes, ya se le pasará». En este tipo de problemas la detección precoz puede evitar graves consecuencias.

Validar emociones

Dejar que se exprese emocionalmente y darle una respuesta empática y comprensiva. Acogerle y contenerle en esos momentos porque, aunque no lo exprese, necesita seguridad.

Temporalidad

Enseñarle que nada es para siempre y que los problemas tienen solución, pero que hay que buscarla de forma adecuada. Si hay que pedir ayuda para ello, no pasa nada.

Compartir

Los adolescentes tienden a pensar que lo que están viviendo no le sucede a nadie más, que ninguna persona le puede comprender. Hablar de los problemas aporta posibles soluciones.

En compañía

Si se han descubierto señales de ideación suicida, tratar de que esté acompañado y quitar de su alcance cualquier medio lesivo (objeto punzante, medicamentos, etc.).


          Sociedade e Seus Preceitos      Cache   Translate Page      
Gostaria de compartilhar com vocês um pensamento que me ocorre, e que com certeza não apenas a mim, mas a toda sociedade, de forma que a melhor maneira encontrada por nós para lidar com isso é ignorar e seguir regras as quais ninguém sabe quem criou. A melhor maneira de explicar algo é através de […]
          Team Leader - KRP GEO SOLUTION - Loyla College, Tamil Nadu      Cache   Translate Page      
Hydro vectorization and Hydro flattening. LiDAR data classifications (DTM & DSM feature classification).... ₹20,000 - ₹25,000 a month
From Indeed - Tue, 12 Mar 2019 09:07:26 GMT - View all Loyla College, Tamil Nadu jobs
          Senior Lidar Executive - KRP GEO SOLUTION - Loyla College, Tamil Nadu      Cache   Translate Page      
Hydro vectorization and Hydro flattening. LiDAR data classifications (DTM & DSM feature classification).... ₹15,000 - ₹22,000 a month
From Indeed - Tue, 11 Dec 2018 06:11:19 GMT - View all Loyla College, Tamil Nadu jobs
          Proyecto de ley prohibiría a tribunales EEUU reconocer marcas comerciales confiscadas por Cuba      Cache   Translate Page      
El senador republicano Marco Rubio, y el demócrata Bob Menéndez, presentaron este martes un proyecto de ley que prohibe el reconocimiento por tribunales de EEUU de marcas comerciales confiscadas por el régimen comunista de Cuba. La medida prohíbe a los tribunales estadounidenses reconocer, hacer cumplir o validar cualquier aseveración de derechos por parte de un […]
          Zurique- Zurich- Zürich      Cache   Translate Page      
Zurique foi a cidade que escolhemos pra conhecer na Suiça. O trajeto de trem entre Itália e Suiça (com uma conexão em Milão), na minha opinião foi o mais lindo. A paisagem é encantadora, ver as geleiras nos alpes...foi incrível.
Quando chegamos, aquela chuvinha chata ameaçava a cair, o tempo estava nublado...mas nada que tirasse a nossa empolgação de conhecer o país do relógio, do chocolate, do canivete, do banco, do queijo... rs.
Bom, no primeiro dia não tínhamos idéia pra onde ir, então pedimos sugestões pra uma menina que trabalha no bar do hostel. Não sei se disse isso aqui no blog, mas a melhor maneira de conhecer um lugar é andar andar e andar! Foi o que decidimos fazer. Pegamos um tram bem ao lado no hostel e descemos na Old Town.














O preço do tram: O ticket para um dia inteiro custa CFH (Francos Suiços) 8.20 e pra usar somente uma vez CFH 2.60. Não quero ser repetitiva, apenas não quero ver ningúem pagando multa, portanto, não esqueçam de validar o ticket heimmm! rsrs. Por via das duvidas validavamos na entrada do tram e na saída, rs. A distância do hostel até a Old Town de tram é de apenas 6 minutos.
O que me surpreeendeu em Zurique, fora a beleza foi o silencio das pessoas nas ruas, sempre elegantes e educadas. Finesse total! rs.
Bom, vamos as fotinhas do tram:


O Tran é ótimo! Na tela aparece qual a próxima estação e em quantos minutos chegará ao seu destino. Queria muito um desses no Brasil!

O hostel! Super recomendado também! No terreo ha um bar e tem sempre musica de banda estilo underground ( que eu adooro) a noite. Depois das 10pm, os hospedes tem direito a uma cerveja ou um refri. 
Ficamos em um quarto para 8 pessoas. Eu me lembro que tinha um casal dos Estados Unidos (me esqueci de qual cidade), um japa (coreano, thailandes, chines...me desculpe a ignorancia, mas reconhecer a descendência de um olhinho puxado, ainda é dificil pra mim), um senhor que roncava e um brasileiro, de Minas...o Daniel que ficou nosso amigo. Tiramos uma foto com ele, olha só:


Detalhe pra cara de "sertaneja" da Isa, hahaha!
Continuando, o hostel tem um quarto e um banheiro por andar. O chuveiro é "louco", rs, esquenta somente por 5 minutos e depois lá vem água fria. Mas já é um desafio proposto pelo hostel pra economizar energia. No ultimo dia ja estava acostumada com o "sistema", rs.
O café da manhã é incluso e bom! O dono do hostel é super gente fina!
Fotos do quarto:







Infelizmente o período foi curto, mas saí de lá com vontade de voltar e conhecer Genebra, Lucerna, Berna...a listinha é grande.

Um "adendo" neste post: Essa semana eu volto pros EUA, então vou confessar que o tempo ta bem curto porque tenho que arrumar a mala, correr atras dos ultimos detalhes, despedir dos amigos e familiares (pior parte), então vou me atrasar um pouquinho pra escrever o proximo post no qual falarei sobre Paris! Mas assim que eu tiver um tempinho legal, eu venho contar aqui. 

Meire


          Veneza- Venice- Venise      Cache   Translate Page      
Após passar por Praga e Munique, chegou a hora de falar sobre Veneza.
Quando chegamos na estação Veneza Mestra, precisavamos saber como fazia pra chegar em Veneza, uma vez que na cidade não entra carro, onibus, trem, até bicicleta é dificil de encontrar por lá.
Enquanto eu e a Isa pediamos informação para um morador local, perguntando qual era a melhor maneira de chegar ate Veneza e onde comprar o ticket do transporte,  o Rene já estava entrando no onibus. Entao tivemos que pedir desculpas pro rapaz e sair correndo.
Entramos no onibus e cade os tickets? Li que a multa pra quem nao validasse o ticket era de  € 55 euros. Poxa, ja tinhamos aprendido a lição e estavamos outra vez fazendo a mesma coisa?
Afobação não leva a nada! Se voce está em grupo, faça as coisas juntos.
Bom, resolvemos saltar uma estação antes do ponto final com medo dos policiais pararem a gente outra vez. Fomos andando até a ultima parada (o que não era muito longe).
Lá perguntamos como faziamos pra chegar até a cidade e compramos os tickets do Vaporeto, uma espécie de onibus aquatico que te leva pra todos os lugares.
Dica importante:
Antes de embarcar, mostre para mais de uma pessoa (double check é sempre válido), o endereço de destino. Eles vão te indicar qual o numero do Vaporeto. Lembrando que: há dois sentidos para cada numero! E adivinhem? Pegamos o sentido errado. haha! Sorte nossa que perguntamos a um funcinário do vaporeto e ele na mesma hora pediu pra que nós descessemos imediatamente naquela parada.
Ok, vamos lá achar o hostel entre mil vielas e canais! Após perguntarmos para sei lá quantas pessoas e andar com aquelas big mochilas por quase 2 horas ( sim, 2hs), enfim encontramos o hostel. Nessas horas voce precisa ter paciencia e se concentrar no que está fazendo para não continuar se perdendo.
Não que o hostel tivesse uma má localização, é dificil andar em Veneza mesmo.
Enfim, depois de fazer o check in, fomos descansar um pouco pra aproveitar bem no outro dia! Ficamos encantados com a cidade e fizemos muitas fotos.
No primeiro dia choveu um pouco e tive que comprar um guarda chuva. A tarde o sol abriu e os outros dias estavam lindos. A noite fazia um pouco de frio!
Uma noite nós fomos a um restaurante e comemos uma massa maravilhosa e tomamos um vinho muito bom também.
Ficamos encantados por Veneza e conhecemos muitos lugares por lá. Visitamos algumas igrejas e andamos muito.


o vaporeto





o relógio dos signos



As
Isa

O gondoleiro Marco
Eu e a Isa na Piaza San Marco ( Praça São Marco)





O preço do vaporeto é   € 6.50. Dá direito de andar por uma hora. Entao voce pode descer e pegar o vaporeto para outro sentido, utilizando apenas um ticket. Não esqueçam de validar nas maquinas que estão nos pontos de embarque.


O bus, 1.50.

Sobre as gondolas: Estão por toda a parte. Existem varios preços, mas a media é de £80 euros.
Como o gondoleiro Marco se encantou pela Isa, rs, ele nos deu um desconto de  € 20 euros. Então pagamos  € 30 cada uma. Saí no lucro com essa também, haha!

Caro é, mas não deixe de fazer o passeio de gondola, é lindo demais. Ir pra Veneza e não fazer o passeio, parece que falta alguma coisa. O passeio dura em torno de 30 a 40 minutos.

Falando sobre o hostel:

Não foi um dos melhores, mas não tenho muito do que me queixar. O wifi também não tem bom sinal dentro dos quartos, mas no corredor de cada andar funciona bem.
O café da manhã  é incluso e é servido das 7 as 9:30.
Pra quem tem diabetes, o unico alimento salgado são as torradas e não tem manteiga/margarina. Mas pergunte na cozinha, as vezes lá deve ter. 



O nosso quarto tinha uma cama de casal ( que eu dormi com a Isa) e uma cama de solteiro (do Rene).
Os edredons/ cobertores cheiram um pouco a pó, mas os lençois estavam limpos, pelo menos.
As toalhas de banho não são inclusas e o banheiro é compartilhado. Depois de um certo tempo no chuveiro, sai agua pra fora do boxe. Entao eles ja deixam um esfregao que serve como rodo.

O hostel cobra  € 3 euros de taxa por dia (o que não estava informado no site quando fizemos a reserva). Segundo um funcionário do hostel, essa é uma taxa da policia local. Vai saber!





Bom, essa foi um pouco de Veneza e no proximo post vou falar sobre Zurique, na Suiça.

Meire




          Seguro Viagem      Cache   Translate Page      

Esta semana fui resolver alguns assuntos da viagem, como por exemplo o seguro.
O Rene ja tinha feito e me recomendou o GTA. Entao fui na CVC e fiz o meu, com a cobertura de 30.000 Euros, que é o minimo exigido em pelo menos em 27 países da Europa. São eles: Bélgica, França, Alemanha, Luxemburgo, Holanda, Itália, Portugal, Espanha, Grécia, Áustria, Suécia, Noruega, Islândia, Finlândia, Dinamarca, Eslovênia, Eslováquia, Polônia, Malta, Lituânia, Letônia, Hungria, Estônia, República Checa, Suíça, Romênia e Bulgária.
Além do mais sabemos que o Seguro Viagem é importantíssimo e não podemos viajar sem. Eu já precisei usar meu Seguro Estudante nos EUA quando lesionei o meu pescoço ao levantar uma mala cheia de roupas. Imagina ter que pagar por uma consulta dessas? $$$$. A gente nunca pode prever o que pode acontecer, unfortunately. 
Há vários seguros viagens no mercado, mas vale a pena pesquisar qual o seu amigo usou, que fulano indicou e tal. 
Uma coisa importante que a vendedora lá da agencia me disse é que é sempre bom validar o seguro desde o dia do embarque (claro), até o dia da sua chegada. Por exemplo, meu retorno pro Brasil é dia 22 de abril, mas validei até o dia 23 porque já houveram casos de passageiros precisarem usar o seguro numa conexão e o seguro ja tinha expirado.
Pois bem, vou deixar um link muito interessante que eu encontrei na internet. O site é o Tudo sobre seguros. Lá você encontra informações mais detalhadas!

O preço que paguei no meu seguro foi R$198,46 e comprei em uma agencia da CVC aqui na minha cidade.


Meu seguro da GTA


Até o próximo post!


Meire

          Órgãos federais vão aceitar CPF como documento de identificação.      Cache   Translate Page      
Um decreto publicado pelo Governo Federal no Diário Oficial da União (DOU) desta terça-feira (12) institui o Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) como documento “suficiente e substitutivo” para o cidadão obter uma série de informações e serviços públicos no âmbito federal.
O Decreto nº 9.723 ratifica a dispensa do reconhecimento de firma e da autenticação em documentos produzidos no País e institui a Carta de Serviços ao Usuário. As medidas visam a simplificação do atendimento aos usuários dos serviços públicos por meio da redução da burocracia estatal.

Com a iniciativa em vigor, os cidadãos que requisitarem informações públicas, demandarem serviços ou solicitarem benefícios concedidos por órgãos e entidades federais poderão, salvo as exceções previstas no decreto, informar o número de inscrição no CPF em substituição aos números de Identificação do Trabalhador (NIT); dos programas de Integração Social (PIS) ou de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep); bem como da Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) e da Carteira Nacional de Habilitação.

O CPF também poderá ser informado em substituição aos números de matrícula em instituições públicas federais de ensino superior; dos Certificados de Alistamento Militar, Reservista, Dispensa de Incorporação ou de Isenção do Serviço Militar, além dos registros de inscrição em conselhos de fiscalização de profissão regulamentada; do número de inscrição no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) e demais números de inscrição existentes em bases de dados públicas federais.

Assinado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, e pelo advogado-geral da União, André Luiz de Almeida Mendonça, o decreto estabelece que a substituição dos demais dados pelo número de inscrição no CPF é ato preparatório à implementação do Documento Nacional de Identidade (DNI), previso na Lei 13.444 , de maio de 2017.

Os órgãos e as entidades da administração pública federal terão três meses, a partir da publicação do decreto, para adequar os sistemas e procedimentos de atendimento ao cidadão às mudanças. E um ano para consolidar os cadastros e as bases de dados a partir do número do (CPF).

Agência Brasil

          Development of Worldwide Automotive Lidar Market Size 2019 Huge Investments from Carmakers, Automotive Electronics Vendors, Hedge Fund Companies      Cache   Translate Page      
Orbis Research Present’s “Development of Worldwide Automotive Lidar and Its Major Players In 2018” magnify the decision making potentiality and helps to create an effective counter strategies to gain competitive advantage.
          Ruanda: Tras 25 años, las heridas siguen abiertas      Cache   Translate Page      
El Gobierno de Ruanda, que en el pasado acusó a Francia de complicidad con el genocidio de 1994, anunció este martes que invitó al presidente galo Emmanuel Macron a la conmemoraciones del 25 aniversario de la masacre, el próximo 7 de abril. Según aseguró el vicecanciller ruandés Olivier Nduhungirehe, esta invitación busca mejorar las relaciones entre ambos países, las cuales "han sido frías en los últimos 25 años". "Su asistencia es muy importante para consolidar las relaciones entre Ruanda y Francia", afirmó Nduhungirehe por teléfono en diálogo con la agencia de noticias EFE.

          Dormir mal te hace vivir menos      Cache   Translate Page      

Cada vez más, los estudios relativos al sueño confirman que dormir es mucho más importante para lo que se pensaba. Y no sólo para consolidar la memoria, o para ir descansado por la vida, o para evitar riesgos laborales, dormir poco reduce tu tiempo de vida. ¡Conoce los detalles! Investigadores de la Universidad de Warwick …

La entrada Dormir mal te hace vivir menos aparece primero en Contenido.


          Ignorância tem cura      Cache   Translate Page      

Ignorância tem cura

(Rodrigo di Lorenzo Lopes)
Sobre a pesquisa…
http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/SIPS/140327_sips_violencia_mulheres.pdf
A culpabilização da mulher pela violência sexual é ainda mais evidente na alta concordância com a ideia de que “se as mulheres soubessem como se comportar, haveria menos estupros” (58,5%). Por trás da afirmação,está a noção de que os homens não conseguem controlar seus apetites sexuais; então, as mulheres, que os provocam, é que deveriam saber se comportar, e não os estupradores. A violência parece surgir, aqui, também, como uma correção. A mulher merece e deve ser estuprada para aprender a se comportar. O acesso dos homens aos corpos das mulheres é livre se elas não impuserem barreiras , como se comportar e se vestir "adequadamente".

Saliento aqui como a pergunta é capciosa: “se as mulheres soubessem como se comportar, haveria menos estupros”. “Se mulheres andassem armadas, haveria menos estupros”. Por trás dessa afirmação está a noção que é possível exterminar os estupradores antes que eles sejam capazes de cometer crimes. Ao meu ver o IPEA erra ao utilizar essa metodologia de frases feitas. Um curioso exemplo é que 91% dos entrevistados acreditam que Homem que bate na esposa tem que ir para a cadeia. Ao mesmo tempo, 89% concordam que “Roupa suja deve se lavar em casa”. (Seria a cadeia uma extensão da casa?)
No entanto, a outra pergunta foi de fato bem direta: Gráfico 24, “Mulheres que usam roupas que mostram o corpo merecem ser atacadas”.
Essa frase também é relevante por apresentar variações significativas segundo algumas características. Mais uma vez, residentes do Sul/Sudeste e jovens têm menores chances de concordar com a culpabilização do comportamento feminino pela violência sexual, que também são menores inversamente ao nível educacional dos entrevistados. Contudo, chama atenção o fato de que católicos tê m chance 1,4 vez maior de concordarem total ou parcialmente com essa afirmação, e evangélicos 1,5 vez maior.
Fui programado pelo meu DNA para desejar o corpo da mulher mas meu ser consciente sabe que sou dono de um único corpo: o meu próprio. Nesse mundo “bacana”, machista e capitalista que vivemos a indústria explora essa programação para vender todo tipo de produto. Isso só mostra como relevantes são meus impulsos para meu lado inconsciente. Nada muda do ponto de vista consciente. A noção do que é certo ou errado não muda com o quero ou deixo de querer. Mas a racionalidade do que é certo muda quando conheço mais sobre os parâmetros de moralidades a mim oferecidos. (Temos por exemplo a algum tempo “abandonado” a moralidade da força, _ embora até os dias de hoje algumas ações parecem ser justificadas apenas pelo mote “porque eu posso” _ mas houve uma época que era perfeitamente aceitável subjugar o mais fraco).

Reescrevendo o que um colega falou: algumas instituições promovem certos parâmetros de moralidades incoerentes. A igreja por exemplo, oferecendo a submissão da mulher como uma “lei de Deus” faz uso de semelhante retórica abandonada em outros casos, como na submissão de povos indígenas ou escravidão dos negros. A igreja sobrevive em sua paraconsistência porque sua força não está na persuasão mas na coerção e comoção (em ambos os casos, apelo a emoção). Enquanto isso a sociedade presume outros critérios de coesão: O contrato social sugere um pacto que delimita a liberdade individual em prol do todo, onde as partes “colaboram” por consequência de uma conclusão racional (ver Rawls, “Uma teoria de justiça”). Estamos diante de uma luta entre o poder coercivo dessas antigas instituições e do espírito crítico.

No longo prazo, parece que o apelo a emoção tende a ser rendido pela razão. Nesse mesmo levantamento sobre a “Tolerância social a violência da mulher” vemos que a concordância da frase sobre roupas “provocantes” e o merecimento do ataque muda conforme nível educacional e credo. Outras evidências já apontaram como um curso superior é associado com o desenvolvimento de um julgamento moral. E os números nos dão uma certa segurança que as mudanças estão a caminho:
http://edudemic.com/wp-content/uploads/2012/01/students-world.jpg
http://www.diw.de/documents/publikationen/73/diw_01.c.74360.de/dp738.pdf

Ímpeto para o mal

(autor não revelado)

Sobre a pesquisa sobre a tolerância à violência da mulher, sinceramente eu não fiquei surpreso. E não ficaria nem se a pesquisa tivesse escala global. Tem muito caminho pela frente. Eu acredito que não seja algo apenas cultural (no Brasil ou em qualquer parte onde ainda impere a misoginia, o machismo).

Na verdade, cultural é não ser machista e não perpetuar a cultura do estupro. Cultural é desenvolver um sistema de regras e práticas de convívio não dominante/sexual com os membros do sexo oposto. Na natureza há inúmeros casos de dominação, estupro, cerceamento, etc… Ao desenvolvermos algum grau de consciência e linguagem tornou-se importante mudar certos comportamentos. Vale o mesmo para termos desenvolvido uma sociedade, por exemplo. Alguns comportamentos se tornaram insustentáveis e lutamos todos os dias pra mudar. Uma parte dessa luta é a cultura que tentamos reforçar todos os dias, do tratamento igualitário independente de gênero.

Claro que muitas instituições, especialmente as religiosas, incentivam a submissão feminina e isso só atrapalha o processo de formação dessa outra maneira de pensar, mas é fato que os milhares de anos de evolução que resultaram na nossa espécies (e em todas as outras) tem uma grande influência no comportamento brutal e irracional ligado a sexualidade. Mais uma vez, o pensamento religioso que criminaliza e torna em pecado o sexo auxilia na permanência dessa forma violenta de lidar com questões internas como o desejo. De qualquer forma, é claro que estamos lutando com ímpetos cunhados em longas e longas gerações.

Um ímpeto é um gatilho, que uma vez acionado dificilmente pode ser parado. A apetência, ou seja, a exposição aos fatores que acionam esse gatilho, por outro lado, é algo controlável. Como biólogo me sinto numa posição bastante desconfortável de entender que apesar de socialmente absurdas, talvez essas formas de controlar a apetência (o infeliz vagão separado por gênero, as roupas que só não cobrem os olhos) sejam eficazes. É claro que poderíamos aplicar isso ao contrário também, trancando em jaulas ou mantendo em correntes, ou castrando, ou obrigando a andarem por aí com vendas e cães-guia os homens que não estivessem aptos a conterem seus ímpetos. Difícil então seria separar o joio do trigo.

Anestesiados

(Rodrigo di Lorenzo Lopes)
A culpabilização da vítima é o retrato de uma sociedade não apenas cínica mas acostumada com a violência como se ela fosse inevitável. Acabo de ler em minha timeline: “Se eu pegasse todo meu salário em notas, colocasse no bolso (de modo a denunciar a presença das notas lá) e saísse para as ruas com uma camiseta: ‘Não mereço ser roubado’”.
 
Isso nos leva ao Sakamoto, um Mac fan que diz que numa sociedade tão desigual quanto a nossa, o maior culpado não é o ladrão mas aquele que ostenta sua riqueza (claro, Sakamoto condenou aqueles que concordam que “as mulheres que vestem roupas provocantes merecem ser atacadas” _ (mas e se os seios forem siliconados???)).

Isto tudo me lembra o dia que eu falei para meu amigo português:
_ A gente deixou a apresentação na mesa dando sopa.
_ Dando sopa???
_ É. Dando mole. Dando sopa. Quero dizer, fácil para qualquer um pegar.
_ E de onde veio esse termo dando sopa?

Dando sopa foi um termo cunhado pela seguinte situação: algumas pessoas das classes mais abastadas iam para periferia distribuir sopa e acabavam sendo roubadas. Na delegacia, ao fazer o BO e ultrajados pela situação ainda tomavam o sermão: “Mas é claro. Vocês ficam ai dando sopa”.
O crime ofendido pelos ricos que distribuem sopa tem certa semelhança ao do rico que desfila de rollex. A sentença é: estão facilitando, dando “mole”. A sociedade brasileira age com essa razão: não é possível ignorar a criminalidade pelo contrário todo cuidado é pouco. Sim, porque o cidadão comum não pode sozinho mudar a realidade. O que o indivíduo faz é evitar que seja ele a próxima vítima. A visão cansada do dia a dia parece não perceber quantos muros altos, grades, vigias estão a nossa volta. As recomendações para se tomar cuidado são tantas que o brasileiro se sente ofendido por aqueles que resolvem ignorar as advertências: como se fossem poucos os pedidos por precaução.

E de repende lê-se no jornal (um artigo de uma dessas pessoas de bom coração) que a sociedade não pode exigir respeito à vida de pessoas que não foram respeitadas pela sociedade (por respeito à vida quero mesmo dizer o mínimo respeito à vida, quando a dor agonizante e a morte não são objetos de prazer de terceiros). E não mais que de repente uma parcela da populção acorda histérica após o resultado de uma pesquisa mostrar que mais da metade aceita a violência contra a mulher, caso ela não use roupas “apropriadas”. Como se passasse a vida ao lado de uma pessoa sem saber sequer seu nome.
Written with StackEdit.

          Victorioso debut del campeón en O’Leary      Cache   Translate Page      
El campeón de la Liga Oleariense de Fútbol, 3 de Febrero Monday, venció 2-0 a 1° de Mayo en la apertura de la temporada. Fue el domingo pasado, el único duelo que se disputó, luego de los actos inaugurales. El equipo albirrojo comenzó bien el certamen, con el propósito de revalidar el cetro obtenido el […]
          Parabéns Miguel!      Cache   Translate Page      
A Festa do Miguel foi num daqueles sítios de que não gosto nada mas tenho de admitir que, pelo menos desta vez, valeu a pena as 2 horas de "espera" porque sempre que olhava para os miúdos percebia o quanto se estavam a divertir. O espaço é daqueles gigantes, que dá para fazerem vários jogos, em especial laser tag ou futebol dentro de bolas insufladas, que fazem o delírio dos miúdos! A escolha foi do Miguel e como diz o lema da família "Um por todos e todos por Um". É esta a beleza da família, sempre pronta para respeitar os gostos e decisões dos outros, com alto poder de encaixe e sempre lá para apoiar, seja nos bons ou maus momentos. E a festa do Miguel foi mais um dos bons momentos que queremos guardar, que marcam os 6 anos do nosso menino mais novo que, assim de repente, já vai este ano para a escola! O nosso Gingas que, com o seu olhar tímido e de menino fofinho, consegue arrancar as maiores e mais genuínas gargalhadas graças às tiradas inesperadas que desarmam qualquer adulto num piscar de olhos. Um menino doce mas incapaz de lidar com a derrota. Um menino cheio de ternura mas que vira bicho se lhe fazem uma falta ou lhe tiram a bola dos pés. Um menino tímido mas que consegue ser a estrela no seu "estádio" de futsal, com uma naturalidade que inspira tanta confiança e determinação que é impossível ficar indiferente. Sem dúvida um menino "desafio" nas nossas vidas, que vai sempre querer esticar os limites para se superar - e testar a paciência de todos à sua volta, em especial dos seus queridos pais e mano. A sorte é que nasceu nesta família elástico, sempre pronta para esticar e encolher, mas nunca para o largar. Muitos parabéns querido Gingas di bala! Que continues a espalhar magia e muitas gargalhadas ;)


           Vera Wang 2015 ilkbahar Yaz Gelinlik Koleksiyonu, Vera Wang 2016 ilkbahar yaz Gelinlik modelleri, resimleri sade Vera Wang Gelinlik      Cache   Translate Page      


 Vera Wang 2015 ilkbahar Yaz Gelinlik Koleksiyonu, Vera Wang 2016 ilkbahar yaz Gelinlik modelleri, resimleri sade Vera Wang Gelinlik


O primeiro julgamento do vestido de casamento é muito importante e deve ser abordado com serenidade. Aqui estão 5 dicas Pinkblog.
Dicas vestido de noiva para lidar com a Primeira julgamento em 5 Passo
Encontrar o vestido de noiva é difícil para algumas mulheres, enquanto para outros é amor à primeira vista. É importante ter um pouco de tempo para fazer as coisas devagar e antes de entrar no estúdio alguma revista ou navegue nas coleções que nós publicados no log de-rosa para encontrar um estilo para o nosso gosto. Então, entre em contato com a loja ou marca e fazer uma nomeação. Como lidar com o primeiro teste?
Deixe-se acompanhado por uma pessoa de confiança. Pode ser a mãe como um amigo. O conselho é ir com alguém que você tem plena confiança e respeito. Deve ser sincero, mas também apoiá-lo dizer: "Não, isso não é para você."
Apresente-se com a lingerie simples. Não pense agora o que lingerie para vestir naquele dia, porque ele vai decidir apenas uma vez você tenha escolhido o vestido. Agora queremos algo simples, apenas uma calcinha e um sutiã branco. E, possivelmente, não vulgar.
Estar em ordem. Não há nada mais constrangedor do que não ser bem depilada e depois arrefecer. Você pode suar, provavelmente, durante o teste, mas tentar obter perfumado. O truque que você não precisa, mas um vinco bem feito pode ser um bom aliado.
Tentar, tentar e tentar. Para entender o que é dado eo que não é, você tem que usar roupas. Diz-se que o que você ama é adequado para a sua compleição física. Tenha a coragem de sequer tentar as roupas que você não parecem se encaixar, pois eles podem revelar algumas surpresas.
Quando você gosta de um vestido, pare. O vestido de noiva pode ser reconhecido. Você ama instantâneas (algumas mulheres choram de emoção). Não procure mais, não você mesmo fazer as medições.




A vestidos de casamento Vera Wang é uma verdadeira princesa, embora para o verão 2014 tem um humor muito escuro, graças às inserções preciosos em negros contraste. Todas as mulheres querem vestir antes, em seguida, um vestido de Vera Wang e há aqueles que fazê-lo aguarda o dia do casamento.
Preços & Modelos vestidos de noiva Vera Wang
A vestidos de noiva Vera Wang coleção do famoso designer de moda agora tem sido ao redor do mundo, porque ele introduziu o preto, atuando dentro de um vestido novidade interessante, que é tradicionalmente branco em suma, se você quiser impressionar seus convidados e pela primeira vez sinto um pouco de "Carrie de Sex & TheCity, esta é a sua oportunidade.
Quais são as características da coleção? Além de preto, a ponta de Wang modelos elegantes, perfeito para um tapete vermelho. Na verdade, eles são extremamente roupas tradicionais: não existe sequer um modelo e saias curtas são muito pomposo. Vamos apenas dizer que o designer decidiu reformular e redefinir o clássico. Você acha que eles conseguiram?
Vestidos de noiva Vera Wang como nas melhores tradições há uma abundância de vestidos de noiva sereia, que são membros (bainha) -como abaixo do joelho e, em seguida, cheiram em uma enorme fila. Este corte está disponível em diferentes versões: Mae, por exemplo, tem um trem tule quase barroco, enquanto o corpete com decote querida é simples. O vestido é branco; o detalhe é nas luvas pretas. Mara é um muito mais elaborado, porque estruturada como uma de duas peças, enquanto Mira tem um espartilho preto no saia branca, Macy modelo importante, caracterizada por um decote em V, mangas e ton sur ton de rosas que fazem o vestido romântico.
Vestidos de noiva vestido de baile
Quando mais do que tentar organizar um casamento de um conto de fadas, em seguida, a mulher escolhe um vestido de baile vestidos de casamento ou o vestido da princesa tradicional com saia volumosa e macios embora vestidos de noiva Vera Wang caiu na panelinha e tem produzido muitos modelos: Manon, shantung de seda, o branco gonnellona tem um corpete preto com um decote e uma faixa que prende no ombro. É quase imperial do mesmo tipo, talvez um pouco 'menos importante, a Miriam. Margaret é talvez o vestido mais sensual, porque tem um corpete de renda preto e branco quase transparente.


Vera Wang nupcial 2015 queda
 Vera Wang nupcial 2,015 pista
 Vera Wang preços de noiva 2015
 Vera Wang nupcial 2015
 Vera Wang nupcial 2015 vídeo
 Vera Wang 2017 coleção nupcial
 Vera Wang Primavera nupcial 2016
 Vera Wang Primavera nupcial 2016 vídeo
 Vera Wang bridal show 2016
 Vera Wang Primavera 2015 coleção nupcial


Vera Wang Gelinlik fiyatları, Vera Wang Gelinlik ingiltere, casamento vara vang
vera wang fiyat Gelinlik, Vera Wang Gelinlik 2016, vakko Vera Wang Gelinlik fiyatları
vera wang modelleri Gelinlik, Vera Wang Gelinlik 2016






























          Convento contará con espectáculos de música y luces para su “gran teatro de musicales”      Cache   Translate Page      

Convento Jerusalén – Matemático Marzal ha desvelado que, para estas Fallas 2019, la plaza donde se ubica el monumento fallero contará con espectáculos puntuales de luces y música de diversos temas de los musicales representados en su proyecto “El Musical”. La Falla Convento Jerusalén – Matemático Marzal, además de querer volver a revalidar el título […]

La entrada Convento contará con espectáculos de música y luces para su “gran teatro de musicales” se publicó primero en valenciabonita.


          WhatsApp indica que toda cuenta que no sea versión oficial será bloqueada      Cache   Translate Page      
WhatsApp anunció esta semana pasada que suspenderá temporalmente las cuentas de los intenautas que usen versiones "alteradas" del servicio, como 'WhatsApp Plus' y 'GB WhatsApp', ya que, según la empresa, estas aplicaciones violan las condiciones de uso.

"Si recibiste un mensaje dentro de la aplicación notificando que tu cuenta se encuentra 'suspendida temporalmente', significa que probablemente estás usando una versión de WhatsApp no autorizada, en lugar de la aplicación oficial", notificó la empresa.

Las versiones "modificadas" del servicio ofrecen algunas características especiales que la aplicación original no tiene, como, por ejemplo, la de configurar el diseño de las conversaciones o incluir más emojis.

"WhatsApp no avala el uso de estas aplicaciones de terceros, debido a que no es posible validar sus prácticas de seguridad", señaló la empresa, agregando que es necesario descargar la 'app' oficial para continuar usando el servicio, indica Informe21.

La compañía también recomendó hacer una copia de seguridad del historial de chats antes de instalar la versión original, y al mismo tiempo advirtó que no puede garantizar el éxito de la transferencia de datos "debido a que las aplicaciones no oficiales no son compatibles con WhatsApp".
          [Resenha - Astral Cultural] Arlo Finch no Vale do Fogo      Cache   Translate Page      
Título: Arlo Finch no Vale do Fogo
Autor: John August
Tradução: Gabriel Oliva Brum
Livro #1 da trilogia
Editora: Astral Cultural
Número de páginas: 272
Skoob


Quando Arlo Finch tinha 12 anos, sua família decidiu voltar para a cidade natal de sua mãe, Pine Mountain, no Colorado, para tentar ter uma vida mais normal após alguns anos bem tumultuados. Mas nada é normal em Pine Mountain. Desde a casa em que vivem, onde seu tio empalha animais mortos, passando por criaturas mágicas que começaram a perseguir Arlo. Para fazer novos amigos, o garoto decide entrar para os Patrulheiros, um tipo de grupo de escoteiros. Mas logo ele descobre que nas reuniões eles não aprendem só coisas como acender fogo ou fazer nós. Eles também aprendem sobre magia, feitiços, criaturas mágicas e sobre a Floresta Longa. O que Arlo descobre é que, na verdade, ele não é um patrulheiro qualquer. Ainda mais nesse momento tão delicado, quando uma força do mal está ameaçando o mundo real. E o pior: qualquer que seja essa coisa, ela está atrás de Arlo. Arlo Finch no Vale do Fogo é o primeiro livro da trilogia de John August.

Arlo Finch tem vivido de forma bem tumultuada nos últimos anos. Sua família sempre se mudou muito, mas depois que o pai teve que deixar o país por ser procurado pelo FBI (embora muita gente acredite que ele não fez nada ilegal) as mudanças se tornaram ainda mais frequentes. Como o dinheiro estava extremamente escasso, sua mãe acaba tomando uma decisão: se mudar a casa que possui em sua cidade natal. 

Ao chegar lá, Arlo começa a reparar em algumas coisas estranhas... primeiro, seu tio, que já mora na casa também, trabalha empalhando animais mortos. Isso poderia ser considerado bem esquisito, mas fica até normal perto do cachorro fantasma que ele começa a ver... o que não é nem de longe tão espantoso quanto descobrir que o mundo esconde uma enormidade de seres fantásticos, alguns deles bem perigosos. 

Pine Mountain é uma cidade que tem uma ligação muito forte com a Floresta Longa, uma espécie de outro universo que em alguns pontos se interliga ao nosso... e, ao se tornar um Patrulheiro (um tipo de escoteiro), Arlo passa a aprender muito sobre seres e lugares que nunca imaginou que existissem. E ainda precisa descobrir porque parece ter sempre alguém atrás dele - e com intenções nada boas.

Quando li a sinopse de Arlo Finch fiquei louca para conhecer a história. E, felizmente, posso dizer que a obra superou minhas expectativas. Desde o início achei a leitura muito fluida. As personagens, tanto as principais quanto as secundárias, são bem cativantes - pelo menos a maior parte delas, claro que sempre tem aquelas que foram criadas para serem odiadas.

Adoro livros que mostram esse universo de escoteiros, e esse tem algo ainda mais fascinante porque inclui um mundo mágico no enredo. Essa mistura de aventura e fantasia sempre me agrada demais. Arlo tem apenas 12 anos e precisa aprender a lidar com coisas que a maior parte dos seres humanos nunca vão nem imaginar que possam existir.

Não tem problema ter medo, mesmo que não haja nada a temer. (...) A maioria das coisas de que me arrependo na vida são as que não fiz. As oportunidades que não aproveitei. É fácil pensar em razões para dizer não. É muito melhor pensar em razões para dizer sim. 

Como esse é o primeiro volume de uma trilogia, o autor nos oferece muito mais questionamentos que respostas. O tio do Arlo pra mim é o maior mistério, por algum motivo ele é um adulto muito diferente dos outros. O segundo livro foi publicado este ano no exterior, e o terceiro está com publicação prevista para fevereiro do ano que vem. Espero que eles cheguem logo por aqui porque estou curiosa demais para saber como tudo vai terminar!


          Grávida? Lady Gaga diz que está mesmo é trabalhando na produção do LG6!      Cache   Translate Page      

Em dez anos de carreira, fala sério, Lady Gaga sabe lidar muito bem com as críticas e os comentários a seu respeito. Na noite desta terça-feira (12), por exemplo, a cantora resolveu responder no Twitter aos rumores que davam conta de que ela estaria grávida. Muito bem humorada, Gaga usou a rede social para fazer […]

O post Grávida? Lady Gaga diz que está mesmo é trabalhando na produção do LG6! apareceu primeiro em PAPELPOP.


          Uma escola inclusiva, é uma escola com boa vontade!      Cache   Translate Page      
Esse ano a Nina completou 5 anos! Deu aquele frio na barriga... Ela virou uma criança e não é mais um bebê! Pra uma criança especial, a fase de bebê é aquela disfarçável, aquela que nós pais não precisamos dar muitas satisfações pois tudo é mesmo meio normal...  Não falar, não andar, não comer... Todos passam por isso...Mas, quando vira uma criançona mesmo, as perguntas mudam, e as respostas precisam ser bem pensadas.
Sempre fui do ponto de vista que os problemas precisam ser discutidos e debatidos, pra que todo mundo se entenda e se ajude... Mas, é nessa fase que vão acontecer os 1ºs conflitos mais sérios na escola.
O drama se resume no fato da escolha entre a Escola Especial X Escola Normal... 
O mais fácil e mais confortante a se fazer seria nós de fato coloca-la numa escola especial... Onde ela teria toda ajuda necessária, conviveria com crianças "iguais" , e... INVOLUIRIA... Imitaria crianças que possuem comportamentos repetitivos e obsessivos que ela talvez já os tivesse superado. Ao mesmo tempo, teríamos a certeza que todo o tempo que ela estivesse lá, ela estaria sendo assistida, estaria aprendendo... 
Na escola normal, a história é bem diferente... Ela É a criança diferente, a que precisa correr atrás de seus objetivos. Mas, que nós como pais precisamos de algo MUITO nobre chamado boa vontade. Sim, porque não existem pessoas capacitadas a lidar com crianças especiais, existem pessoas com boa vontade... E sinceramente, isso basta. Para o caso da Nina, é suficiente e não é dificil.
Quando começamos a nossa jornada pouco entendíamos também de técnicas e formas de se " manipular" uma criança autista, e nós aprendemos. Então, podemos ensinar à todos que queiram nos ajudar a levar a Nina adiante.
Temos uma escola assim. Uma escola que desde o começo nos ajudou, e que pegou o caso pra si. Sentamos, nos reunimos, resolvemos. O trabalho multi disciplinar, junto com as terapeutas, a adaptação das tarefas, o envolvimento do professor, auxiliares , coordenadores é ESSENCIAL. O esclarecimento pros colegas é muito delicado e necessário... eles são o fator decisivo e agregador da aceitação dela... Perguntas como " Por que ela chora tanto?" Por que ela não faz xixi sozinha" precisam e devem ser respondidas. Os educadores precisam buscar nas próprias crianças, a ajuda que precisam na manipulação... fazemos isso no meio familiar e social e funcionaaa!!! Muito! Pra educar uma criança autista, é preciso abrir o caso, pedir ajuda, trocar ideias e traçar um plano. 
Nada disso seria possivel sem o passo inicial: o reconhecimento da condição, a aceitação da causa e a execução do combinado.
"Uma criança autista no meio de um monte de crianças normais numa sala de aula é um presente de " humanidade", uma aula prática de como a vida deve ser pra todas aquelas crianças..."  Foi assim que uma mãe de um colega da Nina me definiu... E é mesmo... ( e eu que também já pensei diferente... Sorri e chorei.) 
Fotos tiradas pela professora da Nina esse ano, Silvia Fruggis e pela professora do ano passado Fernanda Nogueira. 

          Parando o choro... Chorando! Nova técnica!      Cache   Translate Page      
O problema + chatinho de lidar com a Nina é sem dúvida essa coisa de botar 1 coisa na cabeça, e querer fazer aquilo de qualquer jeito senão a casa cai. E cai mesmooo!! Buaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaahhhhh!!!! Aaaaaaaaaaaa!
Mas, hoje eu ganhei! Ráaaa!
Assim... 
Esse fim de semana, tava num momento chateada que não vem ao caso, e eu tava chorando... Ela me olhou, me abraçou passou a mãozinha no meu rosto e falou: "tá chorando!" E ficou deitadinha abraçadinha até eu parar... (Depois eu não sabia se chorava da bobeira ou do fato da Nina estar percebendo sentimentos, algo MUITO dificil pra um autista).
Hoje, voltando da escola, ela começa a chorar, berrar, espernear porque queria isso, queria aquilo... Chega em casa Buaaaaaaaahhhhh Aaaaaaaaaahhhh , não quis jantar, Buaaaaahhhh, na hora de tomar banho tcharaaan! 
EU LEMBREI DA HISTORIA DO CHORO DE ONTEM!
Enquanto ela se esguelava, eu tampei o meu rosto e comecei a fingir que tava chorando... Sniff sniff...
A-CA-BOU o choro instantaneamente.... 
Olhei pelo buraco assim da minha mão, ela tava fazendo uma cara tipo nada, bocó... Tipo: olhaaa o que eu tô fazendo com ela!
Foi aí,  que eu entendi que eu tinha achado um canal de conexão e ela "captou" que o choro dela, estava me fazendo chorar... E isso ela entendia!
E assim vamos, escrevendo nosso manual particular de educação da Nina... Diferente. <3
Otima semana pra todos!

          Ufes recebe 24 novos estudantes estrangeiros      Cache   Translate Page      

A Secretaria de Relações Internacionais (SRI) da Ufes recepcionou  24 novos estudantes estrangeiros. Os novos estudantes são provenientes do Chile, Bolívia, Cabo Verde, Benim, Colômbia, Equador, Estados Unidos, Guiné Bissau, Honduras, Itália, Paraguai, Peru, Venezuela, Portugal, República Democrática do Congo e Senegal e estão matriculados nos diversos cursos de graduação e pós-graduação da Universidade para o primeiro semestre deste ano.

A cerimônia de boas-vindas foi realizada no Gabinete da Reitoria, nesta segunda-feira, 11. Na ocasião, os novos estudantes receberam informações sobre o funcionamento e a estrutura administrativa e acadêmica da Universidade, das bibliotecas e dos restaurantes universitários; bolsas de estudos; conta bancária; passaporte; cursos de português para estrangeiros; passe escolar; e os auxílios oferecidos pela Ufes aos estudantes.

Para apoiar a chegada dos novos alunos, a SRI conta ainda com voluntários que participam do Programa Anjos na Ufes. São estudantes de graduação e de pós-graduação, docentes e servidores técnico-administrativos que ajudam os estrangeiros com informações para facilitar sua instalação na cidade.

Internacionalização

A SRI é o setor da Ufes responsável por formular a política de internacionalização da universidade e promover a sua atuação internacional. Entre as suas atribuições estão o de induzir e consolidar a internacionalização na Universidade como estratégia de crescimento institucional e de qualificação das atividades acadêmicas; assessorar as diversas unidades acadêmicas da Instituição na implementação da cooperação internacional; apoiar docentes, pesquisadores e alunos de instituições estrangeiras em atividades na Ufes; e promover ativamente ações com o objetivo de dar maior visibilidade à Ufes no cenário internacional. 

 

Texto e foto: Jorge Medina
Edição: Thereza Marinho

 

Categoria: 
Manchete

          Atendente de Pizzaria 12 x 36 - Shopping - Manoella Dalledonne - Curitiba, PR      Cache   Translate Page      
Ensino médio completo, disponibilidade de horário para trabalhar em shopping, habilidade para lidar com público, *experiência prévia com atendimento a pessoas,... R$ 1.260 por mês
De Indeed - Thu, 21 Feb 2019 17:43:26 GMT - Visualizar todas as empregos: Curitiba, PR
          FHM #110: Neymar, o ponto de virada esta chegando       Cache   Translate Page      
     

               Olá pessoal 

          O tema de hoje é falar do nome mais proeminente da seleção e do futebol Brasileiro nos anos 10 deste século, Neymar que é o talento que fez o início de muitos craques e jogou na Barcelona como fez Ronaldo, Romário, Rivaldo; Entretanto chega no ponto da carreira que divide o sucesso ou o fracasso na curta carreira de jogador, tendo tendências a estar nas páginas de fofocas e celebridades, eis o momento de decidir se chegará ao estrelato máximo ou vivera uma vida de popstar.
   
          Os dois caminhos que esperam Neymar são o êxito com a volta por cima com a Copa do Mundo e um reconhecimento individual ou a queda na zona de conforto que fará jogar dentro da sua qualidade mas sem chegar ao ápice com bons contratos e polêmicas envolvendo mais sua vida pessoal que o próprio futebol. Tendo alcançado os 27, tem a decisão dos últimos 10, 12 anos de carreira que é se tornar o ídolo Brasileiro ou viver sua vida estigmatizado por ser uma promessa que ficou abaixo do esperado em nível mundial. 

         O ponto mais alto da escala do futebol, a bola de ouro que consagrou muitos craques e a competição de seleções mais forte do mundo, a copa do mundo, tudo isso pode ser de Neymar contanto que se disponha a focar a sua vida em jogar bola e ter uma seriedade que não fez até aqui, a irreverência dentro de campo é fundamental mas fora é um problema. O potencial de drible e decisão, protagonismo geral dele é muito grande mas a questão mental de assumir um papel que pesa nas costas de com ou sem faixa ser o capitão moral de um time e isso resultar em respeito que naturalmente traria o Status de Melhor do Mundo. 

          A parte mais baixa aponta o futuro onde a descida do seu futebol ocorre em paralelo com a vida desregrada que já leva. Conformando-se com o fato de não chegar ao Melhor do Mundo e se eximindo de culpas do seu Staff e sua, por não liderar uma seleção Brasileira até a um título mundial, as consequências serão claras no sentido de criar uma sensação de frustração no seu público e talvez aumentar a rejeição que não afetará o craque mundial que é mas o status histórico de jogador brasileiro que falhou, o primeiro depois de Ronaldo a ser uma decepção por todas as expectativas que se criou no começo da carreira. 

          Descobrir o que passa na cabeça do Jogador é impossível, a primeira geração hiper profissional com assessoria e tecnologias tem uma espécie de apatia que se vende muito mal com o símbolo Neymar mas reflete em outros jogadores que não se expõem ou apenas por rede social que pouco opinam sobre as coisas banais ou sérias da vida cotidiana. O craque do PSG tem o problema de não saber o limite entre a vida de Popstar/Celebridade e de super atleta da realidade de hoje, de fato parece um menino de periferia que não sabe lidar com o mundo que ele se adentrou e isso seja o grande X da questão. 

Confira nossas redes sociais
FB: Facebook.com/2cabecasviajantes
TW: Twitter.com/Blog_2cabecas
IG: Instagram.com/2cabecasviajantes 

        É isso, pessoal 
       Até a próxima 

  
          Samurai Miyoshi #36: Estratégias para além da batalha       Cache   Translate Page      
          

                Olá pessoal

             O tema de hoje é estratégia, usadas em batalha mas de significado para além disso como são os livros atemporais de tática que refletem como nos posicionarmos frente a vida. O Zen em algumas das suas vertentes trata de conceitos que vem da guerra porém aplicáveis a jogos mentais que facilitam a nossas decisões cotidiana, o processo de reflexão faz parte da vida de qualquer um.

     
            Bem vindo a mais uma sessão no Dojo

     Vamos falar de estratégia, os campos de batalhas refletem as melhores ideias e os melhores homens treinados, usando das melhores posições para obter vantagem e por consequências vencer a guerra. Temos o famoso "Arte da Guerra" de Sun Tzu e seus conceitos que se adequam até hoje. 

     O guerreiro que sobrevive tem uma vida após as batalhas, e todo o conhecimento que adquire treinando, lutando tem seu valor para enfrentar as dificuldades diárias como metáforas e alegorias para outras situações como o sofrimento de uma família, dilemas sociais e questões de sacrifício pessoal, é preciso pensar em alternativas e pontos perdidos e recuperáveis dentro da vida pessoal. 

     Os efeitos para além de um golpe decisivo ou posicionamento efetivo, tudo pode ser adaptado para uma outro contexto, problemas no mundo real podem ser solucionados com um mapa mental do problema e as saídas do labirinto, condições do momento e valores de perdas e ganhos fazem parte da equação e depois de toda reflexão, talvez uma solução. 

     Vencemos e perdemos batalhas na nossa vida o tempo todo, o importante é saber lidar com isso usando da estratégia de guerra ou caminhos menos tradicionais. Siga seu coração, tenha uma mentalidade forte e vencerá mais que perderás. 

      
dia 15/02 - Ano do Porco


 侍三好
 
  Confira nossas redes sociais
FB: Facebook.com/2cabecasviajantes 
TW: Twitter.com/blog_2cabecas 

      
 
          Resenhas 2 cabeças: Manchester a beira mar (2016)       Cache   Translate Page      
         

           Olá pessoal 

            Retomando mais uma tradição, temos a volta das resenhas de filmes para esse ano de 2019, com uma mudança de proposta de uma escrita a quatro mãos. Esse texto não vai ser pensado por 2 pessoas por falta de logística mas em Março teremos Your Name com a ajuda de uma amiga que adora o filme, este mês teremos uma resenha do filme de 2016 "Manchester a Beira Mar" que deu o Oscar de Melhor ator para o Casey Affleck, 

Resenha: 


         A jornada de um homem quebrado

                                                                    por Erick Miyoshi 
           

         A primeira vista, o filme "Manchester a beira mar" é mais um drama familiar mas tem algo que te deixa incomodado: o protagonista e sua construção que te faz ter vários sentimentos ao longo da produção, passa da repulsa a empatia com o personagem sem carisma que sempre esta no centro da tela. O que dizer de Lee Chandler(Casey Affleck) que trabalha como faz tudo e a morte do seu irmão faz retornar para sua cidade de origem, lá enfrenta muito mais que um luto, um regresso forçado que apresenta seu sobrinho adolescente e conviver com um lugar que tem uma carga trágica que nenhum homem deveria ter que carregar. A vida cotidiana de alguém que vive para esquecer dos seus próprios demônios e como existem pessoas que de fato não saem do passado, continuam a andar mas sem parte de sua alma e humanidade que ficam na tragédia que habita a sua mente. 

        O entorno desta família disfuncional tem uma atmosfera misteriosa: um casal de amigos, a vida social do garoto, uma ex mulher com o seu filho, pessoas do passado e figurantes; Lee e o Garoto Patrick(Lucas Hedges) vivem uma trajetória de dor silenciosa que passa pelo modo depressivo que o seu tio toma as atitudes com frieza e automação e a cobrança por uma ligação emocional que não se tem. O longa trabalha todos esses sentimentos sem sair da zona de conforto, o ritmo é lento com tom de repetição para demonstrar que certa monotonia faz parte da vida cinza que se leva em Manchester - Boston, o que leva a construções de choques pessoais quase como pequenas explosões silenciosas de raiva, arrependimento e medo no protagonista que tem que lidar com isso.  O sentimento de algo implícito faz que lentamente a história caminhe para o segredo escondido através de momentos até a a chegada da verdade. 

        Falando da parte mais técnica, é um filme escrito e dirigido por Kenneth Lonergan, a construção de uma cidade fria com uma fotografia com tons em Branco e cinza que significam o clima natural e pessoal que envolve a vida dos moradores. O cenário que se apresenta é a normalidade e o que se esconde por baixo dos panos de falas discretas que a chegada de Lee consegue reviver fantasmas de uma cidade e o momento que não se apresenta mais soluções apenas silenciar o fato notório e público. Isso valeu o Oscar de Melhor Roteiro Original, um trabalho muito interessante do diretor e roteirista. 

         O filme se passa num clima calmo, retratando momentos comuns para muitos de nós como a vida solitária do protagonista, a juventude típica de Patrick e a preocupação externa de quem vê uma relação complexa. A noção que esta não é uma história dramática de um final feliz, narra um período que coisas aconteceram e que afetou as pessoas envolvidas, levando a decisões que são pragmáticas e que nem todos possam entender. 

         O longa é um verdadeiro retrato de vida real com decisões reais, aponta as consequências de um homem quebrado pelo álcool, a depressão e a tragédia que não superou os seus problemas. A expectativa de recuperação e o símbolo de uma família unida se desconstrói com os acordos finais que são práticos para amarrar uma jornada de desconfortos e sentimentos conflitantes que envolvem passado e presente simbolizado por crianças. 

   Confira mais sobre o filme no IMDB: https://www.imdb.com/title/tt4034228/
   Assista no Amazon Prime : https://www.amazon.com/dp/B01M3X9T06


    Confira nossas redes sociais: 

FB: Facebook.com/2cabecasviajantes 
Tw: Twitter.com/blog_2cabecas 

         É isso,  Amante da sétima arte 
         Até a próxima 



        
          Crônica da semana: Tragédias anunciadas e a tristeza que não passa       Cache   Translate Page      
     
          Olá pessoal 

         O tema dessa semana reflete a situação que vem se arrastando desde o meio de janeiro, as tragédias ambientais, sociais e que causam impacto emocional num povo inteiro, chegando a um ponto que o Incêndio no Ninho do Urubu, CT do Flamengo, vitimando 10 jovens no inédito acidente de segurança em propriedades de clubes de Futebol conhecidos. Por trás de toda dor que faz com que nós não conseguimos finalmente voltar ao ritmo de começo de ano, temos um problema que é o clima de que essa tristeza que não passa e a sensação que uma nova tragédia pode pintar no próximo plantão do jornal. 

       Vamos por partes, o início desse ciclo das tragédias se dá em Brumadinho - MG, o rompimento a 14 dias fizeram a atenção de todo o Brasil se virar de novo para a questão de mineração e fazendo uma lembrança a Mariana. As pessoas se surpreenderam com o grande fato que tirou atenção ao governo e colocou por dias em uma população arrasada com os mortos que falam de um desleixo/despreparo de uma Companhia em nome de lucro. No final, o roteiro de sempre com tristeza, esquecimento, discursos vazios e heróis de mídia que daqui uns dia ninguém lembra. 
         Os bombeiros de minas e de todo o país fazem o possível e impossível na lama e que o serviço não acabou só porque o repórter não esteja lá. O que não te dizem é que os salários destes "Heróis" da TV de Brumadinho, o corpo de bombeiros local, não esta sendo pago e vão receber o 13° parcelado pela falta de dinheiro da prefeitura. Entender que o sentimento que fica lá será o mesmo de Mariana, vai ser triste pois quando o holofote for embora mais ninguém mais vai ajudar os bombeiros, quem ficou vivo ou morto na ruptura da barragem. 

        O que falar do Estado do Rio que em plena quarta feira viu a cidade virar do avesso, o motivo de sempre que foi a chuva que causou os acidente geográficos, quedas de arvores e destruição. Algumas vidas se perderam e uma "chuva" de discurso óbvios de números de áreas de riscos, ajudas que nunca chegam, propostas vazias; O processo de uma cidade que não sabe lidar consigo mesma pois o Rio sempre foi a terra das favelas, ocupações em morros e isso se tornou marca e junto com a integração com a natureza. Exatamente os mesmos elementos que complicaram a vida do carioca e custaram vidas com os deslizamentos de terra. 

        Ainda falando de terras cariocas, a noticia que esta na introdução que é o Incêndio dentro do CT do Flamengo, os módulos que alojavam os jogadores da base que pegou fogo por motivo a ser esclarecido. A tragédia chegou ao futebol com o fogo que matou sonhos e abriu uma ferida sobre responsabilidade e segurança dentro do time de maior torcida do Rio e talvez do Brasil para nós lembrar que o descaso uma hora tem seu preço. O clube tinha 30 multas referentes a falta de alvará do local que deveria ser um estacionamento e não um alojamento.

         A tristeza que fica é a somatória de uma enxurrada com um incêndio em menos de 72 horas no Rio, junto a lama que levou toda a economia e meio ambiente de brumadinho. O ponto é que todas elas são tragédias anunciadas: na falta de ação de um governo do Rio e MG tanto quanto de um clube que trata sua base com economia e gastando milhões com os profissionais revelam um problema gigante em agir. O fato que fica é a nuvem de tristeza que se instalou por semanas seguinte é a consequência de um país que não se leva a sério ou as suas próprias leis. 

        Aos mortos, um desejo de paz para onde eles estiverem. Aos vivos, forças para viver mais um dia com tanto caos por vir e aos culpados, talvez uma punição nos faça se livrar dos problemas de barragem, de urbanismo ou de estrutura do futebol porque se continuarmos a lavar as mãos toda vez que há uma tragédia e depois não se muda absolutamente nada, daqui a pouco temos outro Brumadinho, dia de prejuízos no Rio e o um novo incêndio em qualquer outro clube menor ou maior do Brasil. 

       Confira nossas redes sociais:
       Facebook.com/2cabecasviajantes 
       Twitter: @blog_2cabecas 

       É isso, pessoal 
       Até a próxima 

      


          ¡Cuidado! WhatsApp ya comenzó a suspender cuentas      Cache   Translate Page      

La aplicación de mensajería instantánea más usada a nivel mundial, ha comenzado a dar de baja muchas cuentas debido a la piratería, y es que en el mercado de aplicaciones abundan aquellas que tienen prácticas ilegales.

Como parte de un proceso de regulación WhatsApp ha comenzado a dar de baja las cuentas que fueron creadas por versiones no oficiales como WhatsApp Plus y GB WhatsApp, debido a que son desarrolladas por terceros y violentan las condiciones del servicio.

Otro punto importante que destacó la aplicación por medio de un comunicado de prensa, es que el uso de estas aplicaciones móviles, les hace imposible validar las prácticas de seguridad, por lo que estas cuentas han comenzado a recibir un mensaje que dicta: “Tú número de teléfono está suspendido de WhatsApp. Contacta con Soporte para recibir ayuda”.

Lo bueno del caso es que no es una suspensión definitiva, pues te da la oportunidad de descargar la versión oficial y conservar tus antiguos mensajes, siempre y cuando hayas hecho algunas copias de seguridad.


           Cavalos contribuem com a segurança pública no Amazonas       Cache   Translate Page      
Manaus - Com grande inteligência e capacidade física, os animais têm se mostrado indispensáveis em diversas funções sociais. De condutores de pessoas sem visão ao trabalho policial, eles conquistaram espaço e fazem a diferença. No Amazonas, os cavalos têm contribuído com a segurança pública, auxiliando policiais militares no patrulhamento das ruas e também no desenvolvimento de atividades sociais, como a equoterapia direcionada a crianças com deficiência.Essas atividades são realizadas pela Polícia Militar do Amazonas, por meio do Regimento de Policiamento Montado "Coronel Bentes" (RPMon), formado por 54 policiais cavaleiros e 24 cavalos. Para que os animais executem com precisão as tarefas, tanto às relacionadas à segurança pública, quanto à atividade de equoterapia, os animais são capacitados diariamente no Comando de Policiamento Especializado (CPE), no bairro Dom Pedro, zona centro-oeste de Manaus. Os animais aprendem, entre outras técnicas, a lidar com barulho e aglomeração de pessoas e permanecerem calmos. Antes de cada dia de trabalho, os cavalos passam por cerca de duas horas por várias experiências que simulam o ambiente diário de patrulhamento, superando obstáculos, ambientes com fogos, barulho etc. “O animal pode até se assustar com um foguete, mas ele será sempre dominado, sem prejuízo a saúde dele, do cavaleiro e da população”, explicou o comandante do CPE, o major D. Muniz, ressaltando que os militares que se tornam cavaleiros também passam por um treinamento específico. Ele explica que o curso de policiamento montado tem duração de três meses. Treinamento Os animais são treinados para participarem do patrulhamento em grandes eventos, como partidas esportivas, shows, exposições e grandes aglomerações. Os cavalos são altos, medem acima de 1,75 metros e pesam até 800 quilos. Em serviço, eles e os policiais são capazes de controlar distúrbios civis que eventualmente ocorram nas áreas patrulhadas. “Com a altura privilegiada, o militar montado a cavalo consegue ter uma visão ampla do que realmente está acontecendo e, assim, age com assertividade. A presença dos cavalos é preventiva e desfaz aglomerações de pessoas, além de ajudar no controle e movimento da população. Uma situação na qual militares a pé teriam mais dificuldade. Os cavalos são dóceis e ficam sob o domínio dos cavaleiros”, explicou o explicou o comandante. Como funciona o patrulhamento montado - Os animais são lançados em turnos diários, sendo que quatro cavalos saem para o patrulhamento a cada dia. Atualmente, existem 24 animais no patrulhamento montado do Amazonas. “Hoje, o nosso regimento conta com 54 policiais montados na nossa unidade existente. Nós trabalhamos diariamente com a modalidade, o processo de policiamento montado a cavalo, em todas as áreas da cidade de Manaus. O nosso trabalho é um policiamento preventivo, focado principalmente nas áreas com um grande fluxo de pessoas, como o centro da cidade, o calçadão da Ponta Negra e demais áreas onde nós temos praças esportivas, onde há aglomerações de pessoas”, comentou o comandante. Higienização e tratamento veterinário Nem tudo é só trabalho. Os animais também recebem um tratamento especial com médicos veterinários durante a higienização e também recebem banhos terapêuticos.“Nossos animais recebem, diariamente, tratamento no nosso Centro de Veterinária. Nós temos médicos veterinários, auxiliares veterinários e ferregeadores, além dos policiais que se dedicam inteiramente aos cavalos, cuidando deles com atenção especial”, comenta o major D. Muniz. A higienização é feita nos animais conforme a escala de trabalho. “O banho ideal para o animal seria de 15 em 15 dias, para a gente manter uma pelagem bem limpa e bonita. A limpeza do animal inclui escovação e rasqueamento. Diariamente, nós passamos a rasqueadeira e a escova, para tirar o pelo morto e impurezas”, explica o sargento Presley. A rasqueadura e a escovação diária nos animais também agem como uma massagem terapêutica. “Toda vez que passamos a escova, eles se sentem muito bem porque é como se você estivesse fazendo uma massagem no dorso dele”, afirma o sargento.Projetos sociais – A Polícia Militar do Amazonas, por meio do Regimento de Policiamento Montado (RPMon) “Coronel Bentes”, também promove a prática de ações sociais no Núcleo de Equoterapia, desenvolvido pela unidade de polícia especializada.A equoterapia é um método terapêutico e educacional que utiliza o cavalo dentro de uma abordagem interdisciplinar nas áreas de saúde, educação e equitação, buscando o desenvolvimento biopsicossocial de pessoas com deficiência.O Núcleo de Equoterapia atende atualmente 58 praticantes, entre crianças, jovens e adultos.O atendimento é realizado uma vez por semana, com duração de 30 minutos. Dentre os beneficiados pela equoterapia da Cavalaria estão pessoas com paralisia cerebral, autismo, hiperatividade, deficiência auditiva e síndromes de Down, de Asperg e de West.Para participar da terapia com os animais, é preciso preencher alguns requisitos, conforme explica a chefe do Núcleo de Equoterapia da Cavalaria, a 1ª tenente Daiane Veras. “Nós temos pré-requisitos para fazer a equoterapia. Em primeiro lugar, a criança tem que ter uma pré-autorização do médico, atestando que ela está apta. Isso é concedido geralmente por um neurologista". Há dois anos, o pequeno Adam Yacub, 6 anos, participa da equoterapia. Além da postura, ele melhorou progressivamente a autoconfiança. “Ele melhorou na coragem dele, ficou mais sociável e mais alegre. Ele vem com felicidade para fazer a equoterapia”, comemora Mohamed Yacub, pai do menino.Para a psicóloga da Equoterapia, Maria Eulália Campos, a interação com os animais é benéfica em diversos sentidos, gerando ganhos nas relações sociais e físicas desses pacientes. “A autoconfiança do Adam melhorou muito. Quando ele monta no cavalo, consegue ver o mundo de igual para igual”, exemplificou. O Núcleo de Equoterapia, hoje em dia, tem uma lista de espera de aproximadamente 300 pessoas para o ingresso no programa social da Polícia Militar do Estado do Amazonas.*Com informações da assessoriaLeia mais:Ministério prorroga prazo de permanência da Força Nacional no AmazonasDiretor da Força Nacional de Segurança Pública faz inspeção em ManausPM esteve presente em 26 bandas nesta terça de Carnaval em Manaus
          A Crise da Macroeconomia      Cache   Translate Page      


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por André Lara Resende 

A teoria macroeconômica está em crise. A realidade, sobretudo a partir da crise financeira de 2008 nos países desenvolvidos, mostrou-se flagrantemente incompatível com a teoria convencionalmente aceita. O arcabouço conceitual que sustenta as políticas macroeconômicas está prestes a ruir. O questionamento da ortodoxia começou com alguns focos de inconformismo na academia. Só depois de muita resistência e controvérsia, extravasou os limites das escolas. Embora ainda não tenha chegado ao Brasil, sempre a reboque, nos países desenvolvidos, sobretudo nos Estados Unidos, já está na política e na mídia.
A nova macroeconomia que começa a ser delineada é capaz de explicar fenômenos incompatíveis com o antigo paradigma. É o caso, por exemplo, da renitente inflação abaixo das metas nas economias avançadas, mesmo depois de um inusitado aumento da base monetária. Permite compreender como é possível que a economia japonesa carregue uma dívida pública acima de 200% do PIB, com juros próximos de zero, sem qualquer dificuldade para o seu refinanciamento.

Ajuda a explicar o rápido crescimento da economia chinesa, liderado por um extraordinário nível de investimento público e com alto endividamento. Em relação à economia brasileira, dá uma resposta à pergunta que, há mais de duas décadas, causa perplexidade: como explicar que o país seja incapaz de crescer de forma sustentada e continue estagnado, sem ganhos de produtividade, há mais de três décadas?
Em artigo recente, “Consenso e Contrassenso: Dívida, Déficit e Previdência”, que circula como texto para discussão do Iepe/Casa das Garças, procuro ligar alguns pontos que podem vir a consolidar um novo paradigma macroeconômico. Como foi escrito com o objetivo de embasar a argumentação na literatura econômica, pode exigir do leitor conhecimentos específicos e ser mais técnico do que seria desejável. Por isso volto ao tema, de forma menos técnica, para dar ideia desse novo arcabouço macroeconômico e de suas implicações para a realidade brasileira. As conclusões são surpreendentes, muitas vezes contraintuitivas, irão provocar controvérsia e correm risco de ser politicamente mal interpretadas.
Não tenho a intenção, nem seria possível, responder às inúmeras dúvidas e perguntas que irão, inevitavelmente, assolar o leitor. Ao fazer um resumo esquemático das teses que compõem as bases de um novo paradigma macroeconômico, pretendo apenas estimular o leitor a refletir e a procurar se informar sobre a verdadeira revolução que está em curso na macroeconomia. É da mais alta relevância para compreender as razões da estagnação da economia brasileira. Na literatura econômica fala-se numa armadilha da renda média, constituída por forças que impediriam, uma vez superado o subdesenvolvimento, que se chegue finalmente ao Primeiro Mundo. Há razões para crer que não se trata de uma armadilha objetiva, mas sim conceitual.
Pilares de um novo paradigma
O primeiro pilar do novo paradigma macroeconômico, a sua pedra angular, é a compreensão de que moeda fiduciária contemporânea é essencialmente uma unidade de conta. Assim como o litro é uma unidade de volume, a moeda é uma unidade de valor. O valor total da moeda na economia é o placar da riqueza nacional. Como todo placar, a moeda acompanha a evolução da atividade econômica e da riqueza. No jargão da economia, diz-se que a moeda é endógena, criada e destruída à medida que a atividade econômica e a riqueza financeira se expandem ou se contraem. A moeda é essencialmente uma unidade de referência para a contabilização de ativos e passivos. Sua expansão ou contração é consequência, e não causa, do nível da atividade econômica. Esta é a tese que defendo no meu livro “Juros, Moeda e Ortodoxia”, de 2017.
Moeda e impostos são indissociáveis. A moeda é um título de dívida do Estado que serve para cancelar dívidas tributárias. Como todos os agentes na economia têm ativos e passivos com o Estado, a moeda se transforma na unidade de contabilização de todos os demais ativos e passivos na economia. A aceitação da moeda decorre do fato de que ela pode ser usada para quitar impostos.
O segundo pilar é um corolário do primeiro: dado que a moeda é uma unidade de conta, um índice oficial de ativos e passivos, o governo que a emite não tem restrição financeira. O Estado nacional que controla a sua moeda não tem necessidade de levantar fundos para se financiar, pois ao efetuar pagamentos, automática e obrigatoriamente, cria moeda, assim como ao receber pagamentos, também de maneira automática e obrigatória, destrói moeda.
Como não precisa respeitar uma restrição financeira, a única razão macroeconômica para o governo cobrar impostos é reduzir a despesa do setor privado e abrir espaço para os seus gastos, sem pressionar a capacidade de oferta da economia. O governo não tem restrição financeira, mas é obrigado a respeitar a restrição da realidade, sob pena de pressionar a capacidade instalada, provocar desequilíbrios internos e externos e criar pressões inflacionárias.
O terceiro pilar é a constatação de que o Banco Central fixa a taxa de juros básica da economia, que determina o custo da dívida pública. Desde os anos 1990, sabe-se que os bancos centrais não controlam a quantidade de moeda, nenhum dos chamados “agregados monetários”, mas sim a taxa de juros. O principal instrumento de que dispõe o Banco Central para o controle da demanda agregada é a taxa básica de juros.
O quarto pilar é a constatação de que uma taxa de juros da dívida inferior à taxa de crescimento da economia tem duas implicações importantes. A primeira é que a relação dívida/PIB irá decrescer a partir do momento em que o déficit primário – aquele que exclui os juros da dívida – for eliminado, sem necessidade de qualquer aumento da carga tributária. Portanto, se a taxa de juros, controlada pelo Banco Central, for fixada sempre abaixo da taxa de crescimento, a dívida pública irá decrescer, sem custo fiscal, a partir do momento em que o déficit primário for eliminado.
Este é um resultado trivial e mais robusto do que parece, pois independe do nível atingido pela relação dívida/PIB, da magnitude dos déficits e da extensão do período em que há déficits. A segunda implicação, tecnicamente mais sofisticada, é que será possível aumentar o bem-estar de todos em relação ao equilíbrio competitivo através do endividamento público. Em termos técnicos, diz-se que o equilíbrio competitivo não é eficiente no sentido de Pareto.
Sobre esses quatro pilares, acrescenta-se o que foi aprendido sobre a inflação nas últimas três décadas. Ao contrário do que se acreditou por muito tempo, a moeda não provoca inflação. Inflação é essencialmente questão de expectativas, porque expectativas de inflação provocam inflação. As expectativas se formam das maneiras mais diversas, dependem das circunstâncias, e os economistas não têm ideias precisas sobre como são formadas. A pressão excessiva da demanda agregada sobre a capacidade instalada cria expectativas de inflação, mas não é condição necessária para a existência de expectativas inflacionárias. Alguns preços, como salários, câmbio e taxas de juros, funcionam como sinalizadores para a formação das expectativas. Se o banco central tiver credibilidade, as metas anunciadas para a inflação também serão um sinalizador importante. Uma vez ancoradas, as expectativas são muito estáveis. A inflação tende a ficar onde sempre esteve. Por isso é tão difícil, como sempre se soube, reduzir uma inflação que está acima da desejada. Depois da grande crise financeira de 2008, ficou claro que é igualmente difícil elevar uma inflação abaixo da desejada.
Novas ideias, antigas raízes
Embora grande parte das teses do novo paradigma contradigam o consenso econômico-financeiro, elas não são novas. Têm raízes em ideias esquecidas, submersas pela força das ideias estabelecidas e insistentemente repetidas. A tese de que a moeda é essencialmente uma unidade de conta, cuja aceitação deriva da possibilidade de usá-la para pagar impostos, é de 1905. Foi originalmente formulada pelo economista alemão Georg F. Knapp, no livro “The State Theory of Money”. Ficou conhecida como “cartalismo” e foi retomada recentemente pelos proponentes da chamada moderna teoria monetária, MMT em inglês.
Já a tese de que o governo que emite a sua própria moeda não tem restrição financeira, portanto não precisa equilibrar receitas e despesas, é de 1943. Seu autor, Abba Lerner, foi um economista que, como Clarice Lispector, nasceu na Bessarábia, estudou na Inglaterra e deu contribuições de grande relevância para os mais diversos campos da teoria econômica. No ensaio “Functional Finance and the Federal Debt”, Lerner enuncia os princípios que devem guiar o governo no desenho da política fiscal. Segundo ele, os déficits fiscais podem e devem sempre ser usados para garantir o pleno emprego e estimular o crescimento.
A primeira prescrição de Lerner, a sua “primeira lei da finanças funcionais”, é macroeconômica: o governo deve sempre usar a política fiscal para manter a economia no pleno emprego e estimular o crescimento. A única preocupação em relação à aplicação dessa prescrição deve ser com os limites da capacidade de oferta da economia, que não podem ser ultrapassados, sob pena de provocar desequilíbrios internos e externos e criar pressões inflacionárias. A segunda prescrição, ou a segunda “lei das finanças funcionais”, é microeconômica: os impostos e os gastos do governo devem ser avaliados segundo uma análise objetiva de custos e benefícios, nunca sob o prisma financeiro.
Todo banqueiro central com alguma experiência prática na condução da política monetária sabe que o banco central controla efetivamente a taxa de juros básica da economia. Os mais atualizados sabem ainda que, desde que não haja pressão sobre a capacidade de oferta, é possível criar qualquer quantidade de moeda remunerada sem provocar inflação. Trata-se de um poder tão extraordinário, que convém a todos, para evitar pressões políticas espúrias, continuar a sustentar a ficção de que o banco central deve controlar, e que efetivamente controla, a quantidade de moeda.
Já o fato de que o governo – que emite a sua própria moeda – não está submetido a qualquer restrição financeira, é bem menos compreendido. Talvez porque seja profundamente contraintuitivo, dado que todo e qualquer outro agente, as empresas, as famílias, os governos estaduais e municipais, estão obrigados a respeitar o equilíbrio entre receitas e despesas, sob pena de se tornar inadimplentes.
Quando se compreende a proposição que a moeda é um índice da riqueza na economia, que sua expansão não provoca inflação e o seu corolário, que governo que a emite não tem restrição financeira, há uma mudança de Gestalt.
A compreensão da lógica da especificidade dos governos que emitem sua moeda provoca uma sensação de epifania, que subverte todo o raciocínio macroeconômico convencional. Toda mudança de percepção que desconstrói princípios estabelecidos é inicialmente perturbadora, mas uma vez incorporada, abre as portas para o avanço do conhecimento. Como observou o Prêmio Nobel de Física, gênio inconteste, Richard Feynman, num artigo de 1955, “O Valor da Ciência”, o conhecimento pode tanto ser a chave do paraíso, como a dos portões do inferno. É fundamental que essa mudança de percepção seja corretamente interpretada para a formulação de políticas. Assim como Ivan Karamazov concluiu que se Deus não existe, tudo é permitido, de forma menos angustiada e mais afoita, não faltarão políticos para concluir que se o governo não tem restrição financeira, tudo é permitido.
Do ponto de vista macroeconômico, se o governo gastar mais do que retira da economia via impostos, estará aumentando a demanda agregada. Quando a economia estiver perto do pleno emprego, corre o risco de causar desequilíbrios e provocar pressões inflacionárias. Do ponto de vista microeconômico, a política fiscal tem impactos alocativos e redistributivos importantes. Embora o governo não esteja sempre obrigado a equilibrar receitas e despesas, a composição de suas despesas e de suas receitas, a forma como o governo conduz a política fiscal, é da mais alta importância para o bom funcionamento da economia e o bem-estar da sociedade. A preocupação dos formuladores de políticas públicas não deve ser o de viabilizar o financiamento dos gastos, mas sim a qualidade, tanto das despesas como das receitas do governo. A decisão de como tributar e gastar não deve levar em consideração o equilíbrio entre receitas e despesas, mas sim o objetivo de aumentar a produtividade e equidade. Por isso, é fundamental não confundir a inexistência de restrição financeira com a supressão da noção de custo de oportunidade. O governo continua obrigado a avaliar custos e benefícios microeconômicos de seus gastos. Um governo que equilibra o seu orçamento, mas gasta mal e tributa muito, é incomparavelmente mais prejudicial do que um governo deficitário, mas que gasta bem e tributa de forma eficiente e equânime, sobretudo quando a economia está aquém do pleno emprego.
É possível argumentar que seria melhor não desmontar a ficção de que os gastos públicos são financiados pelos impostos, pelo “o seu, o meu, o nosso dinheiro”, para criar uma resistência da sociedade às pressões espúrias por gastos públicos. Afinal, pressões políticas, populistas e demagógicas, por mais gastos nunca hão de faltar. O problema é que quando se adota um raciocínio torto, ainda que com a melhor das intenções, chega-se a conclusões necessariamente equivocadas.
Uma armadilha brasileira
Desde o início dos anos 1990, a taxa real de juros foi sempre muito superior à taxa de crescimento da economia. Só entre 2007 e 2014 a taxa real de juros ficou apenas ligeiramente acima da taxa de crescimento. A partir de 2015, quando a economia entrou na mais grave recessão de sua história, com queda acumulada em três anos de quase 10% da renda per capita, a taxa real de juros voltou a ser muito mais alta do que a taxa de crescimento. A economia cresceu apenas 1,1% ao ano em 2017 e 2018. Hoje, com a renda per capita ainda 5% abaixo do nível de 2014, com o desemprego acima de 12% e grande capacidade ociosa, a taxa real de juros ainda é mais do dobro da taxa de crescimento. Como não poderia deixar de ser, a relação dívida/PIB tem crescido e se aproxima de níveis considerados insustentáveis pelo consenso macro-financeiro.
O diagnóstico não depende do arcabouço macroeconômico adotado, é claro e irrefutável: as contas públicas estão em desequilíbrio crescente e a relação dívida/PIB vai continuar a crescer e superar os 100% em poucos anos. Já o desenho das políticas a serem adotadas para sair da situação em que nos encontramos é completamente diferente caso se adote a visão macroeconômica convencional ou um novo paradigma. O velho consenso exige o corte a despesas, a venda de ativos estatais, a reforma da Previdência e o aumento dos impostos, para reverter o déficit público e estabilizar a relação dívida/PIB. É o roteiro do governo Bolsonaro sob a liderança do ministro Paulo Guedes. A partir de um novo paradigma, compreende-se que o equívoco vem de longe.
A inflação brasileira tem origem na pressão excessiva sobre a capacidade instalada, durante as três décadas de 1950 a 1980 de esforço desenvolvimentista. Foi agravada pelo choque do petróleo na primeira metade da década de 1970, quando adquiriu uma dinâmica própria, alimentada pela indexação e pelas expectativas desancoradas. Altas taxas de inflação crônica têm uma forte inércia, não podem ser revertidas apenas através do controle da demanda agregada, com objetivo de provocar desemprego e capacidade ociosa. Para quebrar a inércia é preciso um mecanismo de coordenação das expectativas. No Plano Real, esse mecanismo foi a URV, uma unidade de conta sem existência física, corrigida diariamente pela inflação corrente. A URV foi uma unidade de conta oficial virtual, com poder aquisitivo estável, uma moeda plena na acepção Cartalista, que viabilizou estabilização da inflação brasileira.
Quando a URV foi introduzida, a economia não crescia, havia desemprego e capacidade ociosa. A causa da inflação não era mais o gasto público nem o excesso de demanda. Quando se compreende que o governo emissor não tem restrição financeira, fica claro que não havia necessidade de equilibrar as contas públicas para garantir a estabilidade da moeda. A criação do Fundo de Estabilização Social e posteriormente a aprovação da Lei de Responsabilidade Fiscal, apenas satisfizeram as exigências do consenso macroeconômico e financeiro da época.
Como se acreditava na necessidade de equilíbrio financeiro do governo, para garantir a consolidação da estabilização, a carga tributária foi sistematicamente elevada. Chegou a 36% da renda, comparável às das mais altas entre as economias desenvolvidas. Durante os governos do PT, opção demagógica pelo aumento dos gastos com pessoal e por grandes obras, turbinadas pela corrupção e sem qualquer avaliação de custo e benefícios, combinada com a ortodoxia do Banco Central, aprofundou o desequilíbrio das contas públicas. O quadro foi agravado pela rápida queda do crescimento demográfico e do aumento da expectativa de vida, que tornou a Previdência crescentemente deficitária.
Uma vez feita a transição da URV para o Real, teria sido necessário manter uma âncora coordenadora das expectativas. Retrospectivamente, o correto teria sido adotar um regime de metas inflacionárias, para balizar as expectativas, que só veio a ser adotado no segundo governo FHC. A opção à época foi por dispensar um mecanismo coordenador das expectativas e confiar nas políticas monetária e fiscal contracionistas. Optou-se por combinar uma política de altíssimas taxas de juros com a austeridade fiscal. O resultado foram mais de duas décadas de crescimento desprezível, colapso dos investimentos públicos, uma infraestrutura subdimensionada e anacrônica, Estados e municípios estrangulados, incapazes de prover os serviços básicos de segurança, saneamento, saúde e educação. Mas como não vale a pena chorar sobre o leite derramado, passemos a políticas a serem adotadas para sair da armadilha em que nos encontramos, com base no novo arcabouço conceitual macroeconômico.
Reformas voltadas para o futuro
Comecemos pela questão que ocupa as manchetes, a reforma da Previdência. Sim, é preciso uma reforma da Previdência, não porque ela seja deficitária, mas porque ela é corporativista e injusta e porque o aumento da expectativa de vida exige a revisão da idade mínima. O déficit do sistema previdenciário, como todo déficit público, não precisa ser eliminado se a taxa de juros for inferior à taxa de crescimento. Como estamos com alto desemprego, significativamente abaixo da plena utilização da capacidade instalada e com expectativas de inflação ancoradas, o objetivo primordial das “reformas” deve ser estimular o investimento e a produtividade.
Em paralelo à reforma da Previdência, deve-se fazer uma profunda reforma fiscal segundo os preceitos das finanças funcionais de Abba Lerner. O objetivo da reforma tributária não deve ser maximizar a arrecadação, mas sim o de simplificar, desburocratizar, reduzir o custo de cumprir as obrigações tributárias, para estimular os investimentos e facilitar a inciativa privada. Enquanto não houver pressão excessiva sobre a oferta e sinais de desequilíbrio externo, a carga tributária deve ser significativamente menor.
A taxa básica de juros deveria ser reduzida, acompanhada do anúncio de que, a partir de agora, seria sempre fixada abaixo da taxa nominal de crescimento da renda. Simultaneamente, deveria-se promover a modernização do sistema monetário, substituindo as LFTs e as chamadas Operações Compromissadas, que hoje representam metade da dívida pública, por depósitos remunerados no Banco Central. Adicionalmente, seria dado acesso direto ao público, não apenas aos bancos comerciais, às reservas remuneradas no Banco Central. A modernização do sistema, com redução de custos e grandes ganhos de eficiência no sistema de pagamentos, passaria ainda pela criação de uma moeda digital do Banco Central, que abriria o caminho para um governo digital e desburocratizado.
Para garantir a eficiência dos investimentos e o ganho de produtividade, deveria-se promover uma abertura comercial programada para integrar definitivamente a economia brasileira na economia mundial. O prazo de transição para a completa abertura comercial deveria ser pré-anunciado e de no máximo cinco anos.
Por fim, mas não menos importante, seria fundamental criar mecanismos eficientes, idealmente através da contratação de agências privadas independentes, para avaliação de custos e benefícios dos gastos públicos em todas as esferas do setor público. A política fiscal é da mais alta relevância para o bom funcionamento da economia e para o bem-estar da sociedade. Compreender que o governo não tem restrição financeira não implica compactuar com um Estado inchado, ineficiente e patrimonialista, que perde de vista os interesses do país. Ao contrário, redobra a responsabilidade e a exigência de mecanismos de controle e avaliação sobre a qualidade, os custos e os benefícios, dos serviços e dos investimentos públicos.
Estas linhas gerais de políticas, sugeridas pelo novo paradigma macroeconômico, correm o risco de desagradar a gregos e troianos. Não se encaixam, nem no populismo estatista da esquerda, nem no dogmatismo fiscalista da direita. Como observou, de maneira premonitória, Abba Lerner, em seu ensaio de 1943, os princípios das Finanças Funcionais são igualmente aplicáveis numa sociedade comunista, como numa sociedade fascista, como numa sociedade capitalista democrática. A diferença é que se os defensores do capitalismo democrático não os compreenderem e adotarem, não terão chance contra aqueles que vieram a adotá-los. No primeiro ensaio de “Juros, Moeda e Ortodoxia”, sustento que, durante o século XX, o liberalismo econômico perdeu a batalha pelos corações e pelas mentes dos brasileiros.
Embora a história tenha mostrado que seus defensores, desde Eugênio Gudin, estavam certos sobre os riscos do capitalismo de Estado, do corporativismo, do patrimonialismo e do fechamento da economia à competição, foram derrotados porque adotaram um dogmatismo monetário quantitativista equivocado. Tentaram combater a inflação promovendo um aperto da liquidez.
O resultado foi sempre o mesmo: recessão, desemprego e crise bancária. Expulsos do comando da economia pela reação da sociedade, seus defensores recolhiam-se para lamentar a demagogia dos políticos e a irracionalidade da população. Quase sete décadas depois de Gudin, os liberais voltam a comandar a economia. O apego a um fiscalismo dogmático e a um quantitativismo anacrônico pode levá-los, mais uma vez, a voltar para casa mais cedo do que se imagina.
André Lara Resende é Economista. Originalmente publicado no Valor Econômico em 08 de Março de 2019.

          WhatsApp indica que toda cuenta que no sea versión oficial será bloqueada      Cache   Translate Page      
WhatsApp anunció esta semana pasada que suspenderá temporalmente las cuentas de los intenautas que usen versiones "alteradas" del servicio, como 'WhatsApp Plus' y 'GB WhatsApp', ya que, según la empresa, estas aplicaciones violan las condiciones de uso.

"Si recibiste un mensaje dentro de la aplicación notificando que tu cuenta se encuentra 'suspendida temporalmente', significa que probablemente estás usando una versión de WhatsApp no autorizada, en lugar de la aplicación oficial", notificó la empresa.

Las versiones "modificadas" del servicio ofrecen algunas características especiales que la aplicación original no tiene, como, por ejemplo, la de configurar el diseño de las conversaciones o incluir más emojis.

"WhatsApp no avala el uso de estas aplicaciones de terceros, debido a que no es posible validar sus prácticas de seguridad", señaló la empresa, agregando que es necesario descargar la 'app' oficial para continuar usando el servicio, indica Informe21.

La compañía también recomendó hacer una copia de seguridad del historial de chats antes de instalar la versión original, y al mismo tiempo advirtó que no puede garantizar el éxito de la transferencia de datos "debido a que las aplicaciones no oficiales no son compatibles con WhatsApp".
          Artesanos de San Telmo: ¿el macrismo porteño opta por asumir el carácter fascista de su base social?      Cache   Translate Page      


¿Cuál es la lógica política a la que esta imagen responde?

La policía metropolitana conducida por Larreta ayer a la tarde irrumpe en la tradicional feria de artesanos de San Telmo, un paseo de la ciudad de tradición histórica, al cual concurren turistas tanto como habitantes de Buenos Aires. Es indudable que cuando este régimen de mierda se caiga, estas imágenes quedarán como emblemáticas del grado de oscurantismo y represión del que fue capaz la derecha que algunos interpretaron como moderna y democrática.

Pero cuesta entender la lógica por la que uno de estos desbordes represivos se produce, no contra militantes de izquierda, ni contra gremios u organizaciones sociales en protesta. No se trata de un piquete. Un domingo a la tarde en San Telmo no hay manera de interpretar que los artesanos interfieran el tránsito, que interrumpan el paso de los cualunquistas malhumorados. ¿A qué lógica responde entonces?

Uno podría pensar: es pura ideología, la derecha gorila odia a los artesanos, odia la existencia creativa y la socialidad en los espacios públicos, odia la libertad y la creatividad popular. El régimen está integrado por un grupo de burgueses ignorantes y prepotentes que tienen una formación de brokers, evasores, espías, esperan que sus padres se mueran para disputarse su herencia o incluso para despojarlos de sus bienes antes de que mueran. Es una brutalidad estructural.

Yo creo que el motivo, no contradictorio con el anterior, podría ser más banal: Larreta está bajando en su imagen de gobierno en un ritmo que acompaña al deterioro general del macrismo. Estas imágenes de brutalidad policial fidelizan a las hordas de gorilas que constituyen el núcleo duro de su base social que, a falta de alguna satisfacción positiva, quiere golpes y sangre catártica. Es un poco tortuoso: el facho que vota al macrismo se identifica mitad con el represor y mitad con la víctima (un pequeño burgués asustado tiende al fascismo, es víctima de estas políticas pero necesita ver que el castigo se descarga sobre otros). Larreta quiere consolidar a ese sector de los porteños. 

Pocas horas antes, en el cierre del carnaval de Avenida de Mayo, la murga de Boedo le mojó la oreja cuanto entró al corso lo más campante tocando la marcha peronista. Puede que lo de ayer sea la respuesta. Este desborde destinado a ser mostrado por los canales oficiales y atestiguado por los turistas es un mensaje para asegurarse que a la derecha no habrá ninguna fuerza política que le dispute la barbarie al macrismo.

Pregunta: ¿los porteños pueden asumir esa identidad cultural sin vergüenza?






          România-Bucureşti: Sisteme radar      Cache   Translate Page      
R.A. ROMATSA — Administrația Română a Serviciilor de Trafic Aerian RO1589932 Str. Ion Ionescu de la Brad nr. 10, sector 1 Bucureşti 013813 Adrian Cojoc +40 212083528 adrian.cojoc@romatsa.ro, petronela.dionise@romatsa.ro, gabriela.enache@romatsa.ro, magda.dinu@romatsa.ro, bogdan.tintar@romatsa.ro +40 212083564 www.romatsa.ro www.e-licitatie.ro Regie autonomă Activități aeroportuare Sistem detecție forfecarea vântului la Aeroportul Internațional „Henri Coandă" București 1 R.A. ROMATSA doreste achizitionarea unui sistem de monitorizare a profilului vertical al vântului și detecție a forfecării vântului pe pantele de coborâre/urcare iniţială aferente pistelor 08R, 08L, 26L și 26R ale AIHCB, bazat pe utilizarea tehnologiei Lidar Doppler, inclusiv lucrări construcţii montaj, structuri de susţinere, instalare, punere in funcţiune si şcolarizare personal tehnic si operational. Solicitarile de clarificari sau informatii suplimentare vor putea fi adresate în termenul prevazut în anuntul de participare, raspunsul autoritatii contractante la aceste solicitari va fi transmis cu 10 zile înainte de termenul stabilit pentru depunerea ofertelor. Se pot solicita clarificari cu 15 zile inainte de data limita de depunere a ofertelor/candidaturilor. 2285643.96 Aeroportul Internațional „Henri Coandă" București. R.A. ROMATSA doreste achizitionarea unui sistem de monitorizare a profilului vertical al vântului și detecție a forfecării vântului pe pantele de coborâre/urcare iniţială aferente pistelor 08R, 08L, 26L și 26R ale AIHCB, bazat pe utilizarea tehnologiei Lidar Doppler, inclusiv lucrări construcţii montaj, structuri de susţinere, instalare, punere in funcţiune si şcolarizare personal tehnic si operational. Autoritatea contractantă a luat în considerare 166 de funcţionalităţi tehnice obligatorii, care sunt absolut necesare pentru a avea un sistem performant, iar neîndepli [...] detalii pe www.e-licitatie.ro 50 50 038 Sistem detecție a forfecării vântului la Aeroportul Internațional „Henri Coandă" București 2019-02-27 1 1 Centrul Pentru Servicii de Radiocomunicații S.R.L. RO 5573351 Str. Poligrafiei nr. 3A București 013704 +40 213116850 sales@csr.ro +40 213116853 www.csr.ro 2300000 2285643.96 11 Furnizarea de produse /servicii conform ofertei depuse Consiliul Naţional de Soluţionare a Contestaţiilor Str. Stavropoleos nr. 6, sector 3 București 030084 +40 213104641 office@cnsc.ro +40 213104642 / +40 218900745 http://www.cnsc.ro Serviciul Juridic R.A. ROMATSA Str. Ion Ionescu de la Brad nr. 10, sector 1 București 013813 +40 212083187 berta.feroiu@romatsa.ro www.romatsa.ro 2019-03-08
          România-Slatina: Autobuze publice      Cache   Translate Page      
Municipiul Slatina 4394811 Str. Mihail Kogălniceanu nr. 1, județ Olt Slatina 230080 Daniela Moanță +40 249439377/ +40 249407002 achizitii_publice@primariaslatina.ro +40 249431708/ +40 249439336 www.primariaslatina.ro www.e-licitatie.ro www.e-licitatie.ro Mijloace de transport urban de călători 4394811201834 Obiectul principal al contractului îl constituie achiziționarea de mijloace de transport urban de călători în municipiul Slatina. Achiziția acestora se realizează pe loturi, astfel: — Lot 1 — Achizitionare 2 bucati mijloace de transport urban de călători cu un numar de minim 17 pasageri (din care 10 locuri pe scaune) + 1 spatiu pentru calatori în picioare + 1 spațiu pentru persoanele cu dizabilitati + 1 scaun sofer, — Lot 2 – Achizitionare 1 bucata mijloace de transport urban de călători cu un numar de minim 17 pasageri (din care 10 locuri pe scaune) + 1 spatiu pentru calatori în picioare + 1 spațiu pentru persoanele cu dizabilitati + 1 scaun sofer. Caracteristicile tehnice ale acestora sunt menţionate în caietul de sarcini care face parte integrantă din documentaţia de atribuire. Notă: numărul de zile până la care se pot solicita clarificări înainte de data limită de depunere a ofertelor: 20. În măsura în care solicitările de clarificări au fost adresate [...] detalii pe www.e-licitatie.ro 714285.72 2 Achizitionare 1(unu) mijloc de transport urban de călători-Lotul II 2 Municipiul Slatina, jud. Olt Achizitionare 1 bucata Mijloace de transport urban de călători de minim 17 pasageri (din care minim 10 locuri pe scaune) + spatiu pentru calatori în picioare + un spațiu pentru persoanele cu dizabilitati + 1 scaun sofer. Caracteristicile tehnice se regăsesc în caietul de sarcini ce face parte integrantă din documentația de atribuire. Componentă tehnică 15 Componentă tehnică 15 70 238095.24 90 Ofertele se depun în SEAP pentru fiecare lot în parte. Achizitionare 2 (doua) Mijloace de transport urban de călători- Lotul I 1 Municipiul Slatina, județul Olt Achiziționarea a două mijloace de transport urban de călători de minim 17 pasageri (din care minim 10 locuri pe scaune) + spatiu pentru calatori în picioare + un spațiu pentru persoanele cu dizabilitati + 1 scaun sofer. Caracteristicile tehnice se regăsesc în caietul de sarcini ce face parte integrantă din documentația de atribuire. Componentă tehnică 15 Componentă tehnică 15 70 476190.48 90 Ofertele se depun în SEAP pentru fiecare lot în parte. Cerința nr. 1. Operatorul economic (ofertant individual, membru al unei asocieri, subcontractant, susținător de terță parte) nu trebuie să se regăsească în situațiile prevăzute la art. 164, 166, 167 din Legea nr. 98/2016. Modalitatea de îndeplinire: Operatorii economici participanți la procedura de atribuire vor completa și prezenta inițial documentul DUAE cu informațiile aferente situației lor, ca primă dovadă a neîncadrării în situațiile de excludere și a îndeplinirii cerințelor de capacitate. (Documentul DUAE se va prezenta atât de ofertantul/ ofertanții asociat/asociați cât și de subcontractantul/subcontractanți și de terțul/terții susținător/ susținători, dacă este cazul). Ofertanții odată cu depunerea DUAE vor prezenta și angajamentul terțului/terților susținător/ susținători, acordul de asociere și/sau acordul de subcontractare, dacă este cazul. Documentele justificative care probează îndeplinirea celor asumate prin completarea documentului DUAE urmează a fi prezentate, la solicitarea autorității contractante, doar de către ofertantul clasat pe primul loc în clasamentul intermediar întocmit la finalizarea evaluării ofertelor, după aplicarea criteriului de atribuire. Aceste documente justificative sunt: — certificatul eliberat de Administrația Finanțelor Publice din care să rezulte lipsa datoriilor restante către bugetul de stat la momentul prezentării acestuia (va fi prezentat atât de ofertant (lider, asociat), subcontractanții propuși precum și de terțul susținător dacă este cazul), — certificatul eliberat de Autoritățile Publice Locale din care să rezulte lipsa datoriilor restante către bugetul local la momentul prezentării acestuia (va fi prezentat atât de ofertant (lider, asociat), subcontractanții propuși precum și de terțul susținător dacă este cazul), — cazierul judiciar al operatorului economic și al membrilor organului de administrare, de conducere sau de supraveghere al respectivului operator economic, sau a celor ce au putere de reprezentare, de decizie sau de control în cadrul acestuia, așa cum rezultă din certificatul constatator emis de ONRC/actul constitutiv (caierul judiciar va fi prezentat atât de subcontractanții propuși cât și de terțul susținător dacă este cazul). Notă: — se vor prezenta caziere judiciare pentru acționar sau asociat semnificativ respectiv persoana care exercită drepturi aferente unor acțiuni care, cumulate, reprezintă̆ cel puțin 10 % din capitalul social sau îi conferă̆ deținătorului cel puțin 10 % din totalul drepturilor de vot în adunarea generală. 1. - după caz, se vor prezenta documente prin care se demonstrează faptul că operatorul economic poate beneficia de derogările prevăzute la art. 166 alin. (2), art. 167 alin. (2), art. 171 din Legea 98/2016 privind achizițiile publice. Nota: 1) Autoritatea contractantă exclude din procedura de atribuire orice operator economic despre care are cunoștință că și-a încălcat obligațiile privind plata impozitelor, taxelor sau a contribuțiilor la bugetul general consolidat, iar acest lucru a fost stabilit printr-o hotărâre judecătorească sau decizie administrativă având caracter definitiv și obligatoriu în conformitate cu legea statului în care respectivul operator economic este înființat. Autoritatea contractantă exclude din procedura de atribuire un operator economic în cazul în care poate demonstra prin orice mijloace adecvate că respectivul operator economic și-a încălcat obligațiile privind plata impozitelor, taxelor sau a contribuțiilor la bugetul general consolidat. Operatorul economic nu este exclus din procedura de atribuire dacă, anterior deciziei de excludere, își îndeplinește obligațiile prin plata impozitelor, taxelor sau contribuțiilor la bugetul general consolidat datorate ori prin alte modalități de stingere a acestora sau beneficiază, în condițiile legii, de eșalonarea acestora ori de alte facilități în vederea plății acestora, inclusiv, după caz, a eventualelor dobânzi ori penalități de întârz... detalii pe www.e-licitatie.ro Cerința nr. 1: Ofertantul va face dovada că dispune de capacitatea economică și financiară necesară pentru a executa contractul de achiziție publică pentru ca autoritatea contractantă să poată fi protejată față de un eventual risc de neîndeplinire corespunzătoare a contractului, în conformitatea cu prevederile art. 175 alin. (1) și art. 175 alin. (2) lit. a) din Legea nr. 98/2016, astfel: Ofertantul (operator economic individual sau oricare membru al asocierii) trebuie să dovedească o medie a cifrei de afaceri generală pentru ultimele 3 exerciții financiare încheiate, respectiv 2017, 2016 și 2015 de cel puțin 950.000 RON pentru lotul 1. Ofertantul (operator economic individual sau oricare membru al asocierii) trebuie să dovedească o medie a cifrei de afaceri generală pentru ultimele 3 exerciții financiare încheiate, respectiv 2017, 2016 și 2015 de cel puțin 476.000 RON pentru lotul 2. Pentru conversia Lei/alta moneda, ofertanții vor utiliza cursul mediu de schimb anual al BNR corespunzător anilor pentru care face dovada îndeplinirii acestei cerințe de calificare, respectiv 2015, 2016, 2017. Pentru calculul cifrelor de afaceri exprimate în altă monedă decât lei se va folosi cursul mediu comunicat de către Banca Națională a României. In vederea îndeplinirii cerinței, ofertantul/ofertantul asociat/terțul susținător va/vor completa inițial documentul DUAE - Partea IV „Criteriile de selecție" - Secțiunea B "Capacitatea economică și financiară” cu nivelul mediei cifrei de afaceri pe anii 2015, 2016, 2017. În cazul asocierii mai multor ofertanți, cerința privind capacitatea financiară a ofertantului poate să fie îndeplinită prin cumul, de grupul de asociați. În conformitate cu prevederile art. 182, alin. (1) din Legea nr. 98/2016 și prevederile art. 48 alin (1), din H.G. nr.395/2016 capacitatea economică și financiară a ofertantului poate fi susținută, pentru îndeplinirea contractului și de o altă persoană (terț/terți susținători). În cazul în care ofertantul își demonstrează situația economică și financiară invocând și susținerea acordată de către o altă persoană, atunci acesta are obligația de a dovedi susținerea de care beneficiază, de regulă, prin prezentarea unui angajament ferm al persoanei respective, prin care aceasta confirmă faptul că va pune la dispoziția ofertantului resursele financiare invocate. Potrivit art. 183 din Legea nr. 98/2016, persoana care asigură susținerea financiară nu trebuie să se afle în situația care determină excluderea din procedura de atribuire, conform prevederilor art. 164, alt. 165 si art. 167 din Legea nr. 98/2016. Angajamentul ferm trebuie să reprezinte un instrument juridic care să asigure dreptul autorității contractante de a solicita, în mod legitim, îndeplinirea anumitor obligații de către persoana susținătoare, potrivit art. 182 alin. (3) din Legea 98/2016 și art. 48 din H.G. 395/2016. Conform prevederilor art. 184 din Legea nr.98/2016, prin angajamentul ferm, terțul/terții se va/vor angaja că va/vor răspunde în mod solidar cu ofertantul pentru executarea contractului de achiziție publică. Răspunderea solidară a terțului/terților susținător/susținători se va angaja sub condiția neîndeplinirii de către acesta/aceștia a obligațiilor de susținere asumate prin angajament. Documentele justificative care probează îndeplinirea cifrei de afaceri asumate prin completarea documentului DUAE se vor solicita de către autoritatea contractantă ofertantului clasat pe primul loc după finalizarea evaluării ofertelor. Documente relevante: Pentru ofertanții rezidenți și nerezidenți (în cazul în care publicarea acestor bilanțuri este prevăzută de legislația țării în care este stabilit ofertantul nerezident): bilanțurile contabile pe anii 2015, 2016, 2017/extrase de bilanț/raport de audit/raport al cenzorilor, după caz, sau orice alte documente echivalente. Bilanțurile se vor prezenta în copie, ștampilate și semnate ”conform cu originalul". Din aceste documente trebuie să rezulte mărimea cifrei de afaceri anuale medii. Nota 1: Pentru operatorii economici care nu au avut activitate în unul sau mai mulți din anii solicitați: 2015, 2016 sau 2017, cifra de afaceri se va lua în considerare în mod corespunzător. Nota 2: În cazul unei asocieri, aceasta cerința se demonstrează prin luarea în considerare a resurselor tuturor membrilor asocierii. Odată cu depunerea DUAE se va prezenta angajamentul terțului susținător (împreună cu documentele anexe la angajament, transmise acestora de către terț/terții susținători, din care rezultă modul efectiv in care se va materializa susținerea acestuia/acestora, urmând ca documentele justificative care probează cele asumate în angajament să fie solicitate doar ofertantul clasat pe locul I in clasamentul intermediar întocmit la finalizarea evaluării ofertelor la solicitarea autorității contractante. Operatorii economici nerezidenți (străini) vor prezenta copiile după orice documente/ certificate/doveditoare, însoțite de traducerea autorizată a acestora în limba romană. Informații privind asocierea: Orice operator economic are dreptul de a participa la procedura de atribuire în calitate de ofertant, individual ori în comun cu alți operatori economici, inclusiv în forme de asociere temporara, constituita în scopul participării la procedura de atribuire, subcontractant propus sau terț susținător, în condițiile prevăzute de Legea nr. 98/2016. Ofertantul va depune în SICAP acordul de asociere, scanat, odată cu DUAE depus de către fiecare asociat în parte. Informații privind partea din contract pe care operatorul economic are, eventual, intenția să o subcontracteze. În cazul în care ofertantul intenționează să subcontracteze o parte/părți din contract, documentul DUAE include și informații privind partea din contract care urmează a fi eventual subcontractată și va avea anexat acordul de subcontractare. Subcontractanții pe a căror capacități se bazează ofertantul trebuie să completeze, la rândul lor, documentul DUAE separat, incluzând toate informațiile menționate la art. 193, alin. (1) lit. a) din Legea nr.98/2016, precum și cele de la art. 193, alin. (1) lit. b) și c) din Legea nr.98/2016 care prezintă relevanță din perspectiva capacităților subcontractanților pe care se bazează ofertantul în cadrul procedurii de atribuire respective. În cazul subcontractanților pe a căror capacități ofertantul nu se bazează, documentul DUAE va conține numai informațiile menționate la art. 193 alin. (1) lit. a) din Legea nr.98/2016 privind achizițiile publice cu modificările și completările ulterioare. Subcontractanții pe a căror capacități ofertantul se bazează pentru demonstrarea îndeplinirii anumitor criterii de calificare și selecție sunt considerați și terți susținători, caz în care acordul de subcontractare reprezintă, în același timp, și angajamentul ferm. Cerința 1: Lista principalelor produse similare livrate: Ofertantul va face dovada experienței similare, în conformitatea cu prevederile art. 179, lit. b), din Legea nr. 98/2016, astfel: Operatorii economici (ofertant individual sau asociere de operatori economici) trebuie să dovedească că, în ultimii 3 ani au furnizat produse similare (produse similare comparabile cu cele care fac obiectul contractului) la nivelul a cel putin un contract sau la nivelul mai multor contracte, a caror valoare cumulată este de cel puțin 476.0000 RON pentru lotul 1. Operatorii economici (ofertant individual sau asociere de operatori economici) trebuie să dovedească că, în ultimii 3 ani au furnizat produse similare (produse similare comparabile cu cele care fac obiectul contractului) la nivelul a cel putin un contract sau la nivelul mai multor contracte, a caror valoare cumulată este de cel puțin 238.000 RON pentru lotul 2. Notă: - In vederea îndeplinirii cerinței de calificare se vor depune documente emise sau contrasemnate de către beneficiar. Documentele trebuie să fie datate, semnate în clar și fără prescurtări, din care să reiasă denumirea părților, denumirea contractului, obiect, valoare, perioada de derulare a contractului, procent îndeplinit etc. Cerința va fi considerată îndeplinită și în cazul în care operatorul economic prezintă contracte ce au ca obiect produse similare comparabile cu cele care fac obiectul contractului. - Pentru calculul prețului contractului exprimat în altă monedă decât Lei se va folosi cursul mediu comunicat de către Banca Națională a României, pentru anii în care au fost încheiate contractele respective, disponibil pe adresa www.bnr.ro. Notă: potrivit art.185 alin. (1) din Legea 98/2016 cu modificările și completările ulterioare, în cazul în care mai mulți operatori economici participă în comun la procedura de atribuire, îndeplinirea criteriilor privind capacitatea tehnică și profesională se demonstrează prin luarea în considerare a resurselor tuturor membrilor grupului, iar aceștia vor răspunde în mod solidar pentru furnizarea contractului de achiziție publică. Informații privind terții susținători Capacitatea tehnică și profesională a ofertantului poate fi susținută pentru îndeplinirea contractului de către unul sau mai mulți terți, în condițiile prevăzute de art.182 din Legea 98/2016. Ofertantul are dreptul, dacă este cazul, să invoce susținerea unui/unor terț/terți, inclusiv atunci când acea entitate are și rol de subcontractant și, să utilizeze capacitățile acestuia/acestora pentru a satisface cerința minimă, în ceea ce privește îndeplinirea criteriilor privind capacitatea tehnică și profesională, indiferent de natura relațiilor juridice existente între operatorul economic și terțul/terții respectiv/respectivi. În cazul în care ofertantul își demonstrează capacitatea tehnică și profesională invocând susținerea unui/unor terț/terți, atunci acesta are obligația de a dovedi autorității contractante că a luat toate măsurile necesare pentru a avea acces în orice moment la resursele necesare, prezentând un angajament în acest sens din partea terțului/terților. Odată cu angajamentul de susținere, ofertantul are obligația să prezinte documente transmise acestuia de către terțul/terții susținător/susținători, din care să rezulte modul efectiv prin care terțul/terții susținător/susținători va/vor asigura îndeplinirea propriului angajament de susținere, documente care se vor constitui anexe la respectivul angajament. În cazul în care contractantul întâmpină dificultăți pe parcursul executării contractului de achiziție publică, iar susținerea acordată de unul sau mai mulți terți vizează îndeplinirea criteriilor referitoare la capacitatea tehnică și profesională, autoritatea contractantă va solicita ofertantului ca prin actul încheiat cu terțul/terții susținător(i) să garanteze materializarea aspectelor ce fac obiectul respectivului angajament ferm. Prevederile contractuale dintre autoritatea contractantă și contractantul principal vor asigura că autoritatea contractantă poate aplica această obligație. În acest sens operatorul economic cesionează, cu titlu de garanție, în favoarea achizitorului, orice drept la despăgubire împotriva terțului/terților susținător(i) pentru nerespectarea obligațiilor asumate prin angajamentul ferm de susținere. (art.50 alin.2 din HG 395/2016). Operatorul economic și terțul/terții susținător/susținători vor răspunde în mod solidar pentru executarea contractului. Răspunderea solidară a terțului/terților susținător/susținători se va angaja sub condiția neîndeplinirii de către acesta/aceștia a obligațiilor de susținere asumate prin angajament. Terțul/terții nu trebuie să se încadreze în motivele de excludere prevăzute la art. 60, 164, 165 și 167 din Lege. În cazul depunerii unei oferte comune, în asociere, fiecare operator economic în parte, va completa și depune documentul DUAE, în care se vor include informațiile cu privire la modul de îndeplinire a cerințelor. Ofertantul (lider, asociat) va marca „Da” în propriul DUAE, Partea II: Informații referitoare la Operatorul Economic, Secțiunea A: Informații privind operatorul economic, la rubrica „Operatorul economic participă la procedura de achiziții publice împreună cu alții?” și va completa informațiile suplimentare solicitate în acest sens. La solicitarea autorității contractante, doar ofertantul clasat pe primul loc, în clasamentul intermediar întocmit la finalizarea evaluării ofertelor, va prezenta documentele justificative care probează îndeplinirea cerințelor solicitate. Ofertantul va completa documentul DUAE, Partea II "Informații referitoare la operatorul economic", secțiunea D "Informații privind subcontractanții pe ale căror capacități operatorul economic nu se bazează". De asemenea, fiecare subcontractant va completa un document DUAE separat care să cuprindă informațiile solicitate în Partea II "Informații referitoare la operatorul economic", secțiunea A "Informații privind operatorul economic" și B "Informații privind reprezentanții operatorului economic", partea III "Motive de excludere". Dacă prin subcontractare nu se îndeplinește o cerință de calificare, atunci acesta va prezenta documentul DUAE doar în scopul demonstrării neîncadrării în motivele de excludere. Subcontractanții pe a căror capacități ofertantul se bazează pentru demonstrarea îndeplinirii anumitor criterii de calificare și selecție sunt considerați și terți susținători, caz în care acordul de subcontractare reprezintă, în același timp, și angajamentul ferm. Operatorul economic clasat pe primul loc după aplicarea criteriului de atribuire asupra ofertelor admisibile va face dovada îndeplinirii cerințelor de calificare prin subcontractanți, prin prezentarea de documente justificative ale acestora, la solicitarea autorității contractante. Acordul de subcontractare, va fi depus prin mijloace electronice împreună cu oferta și documentul DUAE, fiind semnat de reprezentantul împuternicit al subcontractantului, cu semnătura electronică extinsă, bazată pe un certificat calificat, eliberat de un furnizor de servicii de certificare acreditat în condițiile legii. Autoritatea contractantă poate respinge subcontractantul propus dacă acesta nu îndeplinește cerințele de calificare privind capacitatea sau se încadrează printre motive de excludere și solicită ofertantului o singură dată – înlocuirea acestuia și prezentarea unui alt subcontractant. Ca dovadă preliminară, ofertantul trebuie să completeze în documentul DUAE Partea IV: Criterii de selecție, Secțiunea C: Capacitatea tehnică și profesională rubrica "Pentru contractele de achiziție de bunuri: executarea de livrări de tipul specificat". În câmpul „descriere” al fiecărui contract prezentat ca experiență similară, va completa cel puțin următoarele informații: datele de identificare și obiectul contractului, caracteristicile produselor, informațiile deținute de ofertant și pe care le poate prezenta autorității contractante la solicitarea expresă a acesteia. Ofertantul trebuie să nominalizeze documentul/documentele așa cum există acesta/acestea sub formă de dovezi în evidențele sale. În câmpul „valoare” ofertantul va introduce valoarea contractului prezentat ca experiență similară exprimată în lei fără TVA. De asemenea va introduce data de început și data de sfârșit a produsului prezentat ca experiență similară. În câmpul „Beneficiari” va introduce denumirea beneficiarului serviciilor prestate, așa cum este acesta indicat în contractul prezentat în câmpul "Descriere", numele și coordonatele de contact ale beneficiarul nominalizat care a realizat acceptarea produselor ca fiind furnizate corespunzător și rolul operatorului economic ofertant în relația cu beneficiarul nominalizat (contractant individual, subcontractant sau membru al unei asocieri de operatori economici care au furnizat produsele în cadrul contractului pentru beneficiarul produselor), așa cum este definit acest rol în contractul nominalizat la câmpul „Descriere”. Documentele justificative care probează îndeplinirea cerinței vor fi prezentate, la solicitarea autorității contractante, doar de către ofertantul clasat pe primul loc în clasamentul intermediar întocmit la finalizarea evaluării ofertelor, după aplicarea criteriului de atribuire. Documentele prin care operatorii economici pot îndeplini cerința privind experiența similară (așa cum prevede art.12 alin.6 din Instrucțiunea ANAP nr.2/2017) sunt următoarele, fără a se limita la, enumerarea nefiind cumulativă: - copii ale unor părţi relevante ale contractelor pe care le-au îndeplinit; - certificate de predare-primire; - recomandări; - procese-verbale de recepţie; - certificate constatatoare. Din aceste documente trebuie să reiasă: beneficiarul, valoarea, cantitatea, perioada și locul furnizării produselor. În cazul în care contractele invocate ca experiență similară conțin clauze de confidențialitate operatorul economic va prezenta paginile din contract și anexele acestuia care conțin referințele privind: părțile contractante, obiectul contractului, durata contractului, prețul contractului și valorile precum și semnăturile/ștampila părților. Operatorii economici nerezidenți vor prezenta copiile respective însoțite de traducerea autorizată a acestora în limba română. În cazul în care un operatorul economic prezintă pentru îndeplinirea cerinței de calificare contracte ce au fost executate într-o asociere, vor fi avute în vedere părțile/valorile prestate de operatorul economic. În situația în care operatorul economic a furnizat produsele în calitate de subcontractant în contractul prezentat drept experiență similară pentru antreprenorul general, va prezenta documente prin care antreprenorul general confirmă respectivele furnizări de produse, iar beneficiarul final al contractului atestă faptul că operatorul economic a avut calitatea de subcontractant. În cazul în care ofertantul demonstrează îndeplinirea criteriilor referitoare la capacitatea tehnică și profesională invocând susținerea unui terț, documentul DUAE prezentat va marca „DA” în Partea II: Informații referitoare la Operatorul Economic, Secțiunea C: Informații privind utilizarea capacităților altor entități. De asemenea va transmite angajamentul ferm de susținere din partea terțului/terților în ceea ce privește îndeplinirea criteriilor referitoare la capacitatea tehnică și/sau profesională, în funcție de relația dintre ofertant și entitatea ce acordă susținerea precum și caracteristicile și modalitatea de acordare a susținerii și separat un formular DUAE pentru Operatorul Economic/entitatea ale cărei capacități le utilizează, care să cuprindă informațiile solicitate în Partea I, Partea II (Secțiunile A și B), Partea III, Partea IV: Criterii de selecție, Secțiunea C: Capacitatea tehnică și profesională rubrica "Pentru contractele de achiziție de bunuri: executarea de livrări de tipul specificat", completat și semnat în mod corespunzător de Terțul Susținător. Prin angajamentul ferm, terțul/terții confirmă faptul că va/vor sprijini ofertantul în vederea îndeplinirii obligațiilor contractuale, fie prin precizarea modului în care va/vor interveni concret pentru a duce la îndeplinire respectivele obligații pentru care a acordat susținerea, fie prin indicarea resurselor financiare pe care le va pune la dispoziție ofertantului (descriind modul concret în care va realiza acest lucru). Conform prevederilor art.184 din Legea nr. 98/2016, prin angajamentul ferm, terțul/terții se va/vor angaja că va/vor răspunde în mod solidar cu ofertantul pentru executarea contractului de achiziție publică. Răspunderea solidară a terțului/terților susținător/susținători se va angaja sub condiția neîndeplinirii de către acesta/aceștia a obligațiilor de susținere asumate prin angajament. Autoritatea contractantă respinge terțul susținător propus dacă acesta se încadrează printre motivele de excludere și solicită ofertantului o singură dată înlocuirea acestuia și prezentarea unui alt terț, cu respectarea principiului tratamentului egal. 2019-04-17 15:00 2019-08-17 2019-04-17 15:00 In SEAP Pentru vizualizarea DA încărcate în SICAP, op.economici trebuie să aibă un program necesar vizualizării fișierelor semnate electronic. Reguli de comunicare si transmitere a datelor: solicitările de clarificări referitoare la DA se vor adresa în mod exclusiv în SICAP la secțiunea „Lista de clarificări, notificări și decizii”, iar răspunsurile la acestea vor fi publicate în SICAP la secțiunea „Lista de clarificări, notificări și decizii” din cadrul anunțului de participare, motiv pentru care operatorii economici vor lua toate măsurile ce se impun pentru a intra în posesia lor. Pt. transmiterea solicitărilor de clarificări privind DA, op. ec. transmit solicitările având în vedere termenele de răspuns ale autorității contractante prevăzute la art. 160–161 din Legea 98/2016. Pt. comunicările ulterioare depunerii ofertelor, comisia de evaluare va transmite solicitările de clarificare în legătură cu oferta la secțiunea „Lista de clarificări, notificări și decizii”. Comisia de evaluare va analiza documentul DUAE în corelație cu cerințele stabilite prin fișa de date a achiziției, va analiza și verifica fiecare ofertă din punct de vedere al elementelor tehnice propuse, iar ulterior din punct de vedere al aspectelor financiare pe care le implică. În urma finalizării fiecăreia dintre fazele de verificare, AC va introduce în SICAP rezultatul admis/respins si va deschide în SICAP sesiunea pentru prezentarea documentelor suport aferente documentului DUAE depus de ofertantul de pe primul loc în clasamentul intermediar întocmit la finalizarea evaluării ofertelor, acordând un termen de răspuns. Op. ec. vor transmite răspunsurile la clarificări și eventualele documente solicitate pe parcursul evaluării ofertelor prin intermediul SICAP la secțiunea „Lista de clarificări, notificări și decizii”, în format electronic, semnate cu semnătura electronică. Notă: în cazul în care există incertitudini sau neclarități în ceea ce privește anumite documente prezentate și în măsura în care aceste documente nu pot fi considerate edificatoare, AC are dreptul de a solicita documente menționate sau detalii, precizări, informații sau confirmări suplimentare atât de la ofertantul în cauză, cât și de la autoritățile competente care pot furniza informații în acest sens. Consiliul Național de Soluționare a Contestațiilor Str. Stavropoleos nr. 6, sector 3 București 030084 +40 213104641 office@cnsc.ro +40 213104642 / +40 218900745 http://www.cnsc.ro Eventualele contestatii se pot depune la Consiliul National de Solutionare a Contestatiilor si vor fi solutionate potrivit Legii 101/2016. Termenul de depunere al contestatiei: în conformitate cu art. 8 din Legea 101/2016. Municipiul Slatina — Serviciul Juridic Str. Mihail Kogălniceanu nr. 1, județul Olt Slatina 230080 +40 249407004 www.primariaslatina.ro 2019-03-07
          Trabajadores de Avance de Obras celebran hoy el aniversario 15 de su ente sindical      Cache   Translate Page      
El Sindicato de Trabajadores de Avance de Obras, cumple hoy 15 años de haberse constituido como una fuerza obrera dentro la Municipalidad y pese a ser el más joven de entes sindicales ediles, ha ganado fuerza y actualmente cuenta con más de un millar de afiliados, quienes esperan poder consolidar ...
          Google’s Self-Driving Spinoff Waymo Starts to Sell Its LiDAR Sensors      Cache   Translate Page      
Waymo, the self-driving subsidiary of Alphabet, will start selling its LiDAR sensor, joining the LiDAR business competition with other LiDAR producers including Velodyne LiDAR and Quanergy. Simon Verghese, Head of Lidar Team at Waymo, announced in a blog post that the company is going to sell Laser Bear Honeycomb, one of the LiDAR sensors Waymo developed for its self-driving vehicles to “select partners” – those who do not compete with Waymo in self-driving taxi business. Waymo has developed three types of sensors using short, mediu...
          El Congreso abre la puerta a modificar los decretos leyes del Gobierno de Sánchez en campaña electoral      Cache   Translate Page      
Un informe de los letrados del Congreso ha certificado que la Diputación Permanente de la Cámara puede convalidar los decretos leyes aprobados por el Gobierno de Pedro Sánchez, pero también ha abierto la puerta a modificarlos en plena campaña electoral, algo de lo que hasta ahora no había precedentes.
          CPF vira documento único para acessar informações do governo      Cache   Translate Page      

Decreto 9.723/2019 foi publicado nesta terça-feira (12) no Diário Oficial da União (DOU).


Decreto de Bolsonaro torna CPF documento único

O decreto assinado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, institui o Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) “como instrumento suficiente e substitutivo da apresentação de outros documentos do cidadão no exercício de obrigações e direitos ou na obtenção de benefícios”.
As entidades da administração pública federal terão três meses para a adequação dos sistemas e procedimentos de atendimento ao cidadão e doze meses para consolidar os cadastros e as bases de dados a partir do número do CPF, informa o portal Terra.
Além da determinação sobre o CPF, o texto atualizado confirma a dispensa – já definida na lei – do reconhecimento de firma e da autenticação em documentos produzidos no País perante órgãos públicos.
O decreto ratifica também:
  • Carta de Serviços ao Usuário, que tem por objetivo informar os serviços prestados pelo órgão ou pela entidade do Poder Executivo federal;
  • Formas de acesso a serviços;
  • Compromissos e padrões de qualidade do atendimento ao público;
  • Serviços publicados no Portal de Serviços do Governo Federal.

Fonte  JcOnline



          Nova blitz da Oposição denuncia situação precária do Hospital Otávio de Freitas      Cache   Translate Page      
A Bancada de Oposição da Assembleia Legislativa de Pernambuco realizou nesta segunda-feira (11) mais uma blitz para acompanhar a situação da saúde pública do estado. Desta vez, o grupo visitou o Hospital Otávio de Freitas, no Recife, mais uma unidade de saúde onde foram encontrados diversos problemas no funcionamento e atendimento dos pacientes.

Nova blitz da Oposição denuncia situação precária do Hospital Otávio de Freitas


Participaram da visita o líder da oposição, deputado Marco Aurélio Meu Amigo (PRTB), e os deputados estaduais Antonio Coelho (DEM), Clarissa Tércio (PSC), João Paulo Costa (Avante) e William Brígido (PRB). “Vimos mais um capitulo da situação da saúde do nosso estado. Ratos, baratas, escorpiões e outros bichos dentro do hospital, pessoas misturadas com pacientes com tuberculose, e ainda por cima não existe lençol no hospital. As pessoas têm que trazer o seu de casa para se cobrir”, detalhou Marco Aurélio.

O deputado Antonio Coelho se solidarizou com os profissionais, muitos dos quais com salários atrasados. “Além da emergência superlotada, vimos pessoas que estão lá há mais de duas semanas, sem o devido tratamento e ainda a espera de cirurgia. Não tem heroísmo suficiente para lidar com essa situação, principalmente quando a gente vê profissionais com salários atrasados há quase três meses sem receber. A situação de Pernambuco é muito diferente da propaganda do governo do estado”, afirmou.
Para o deputado João Paulo Costa, o quadro do Otávio de Freitas se assemelha ao de outras unidades já visitadas pela oposição, como os hospitais Getúlio Vargas e Agamenon Magalhães. “Infelizmente, a situação que encontramos no Otávio de Freitas só confirma o problema recorrente na saúde pública do nosso Estado. Além da superlotação, o HOF sofre com uma série de problemas estruturais em vários setores, como infiltração. Por isso, vamos continuar atentos às deficiências e cobrar por melhorias ao governo do Estado”, ressaltou Costa.
A deputada Clarissa Tércio definiu o cenário como “assustador”. “A cada visita que fazemos aos hospitais da rede estadual, a situação fica ainda pior. A gente vai assistindo de perto o terror que cada um dos pacientes passa nos corredores e nas salas, é um cenário lamentável”, afirmou. “Entrei em uma sala, com 19 macas que pertencem a ambulâncias. Ou seja, existem 19 ambulâncias paradas por falta de maca. Esse é um dos muitos problemas. Apenas uma cadeira de banho, e em péssimo estado, para todos os pacientes tomem banho”, completou William Brígido.



Fonte Blog do Elielson



          Proponen huelga en la Primaria los días 9, 10 y 11 de abril      Cache   Translate Page      
Con las tres sociedades científicas de Medicina Familiar y Comunitaria gallegas, el consejo gallego de colegios médicos y la Asociación Galega de Pediatría de Atención Primaria en contra del borrador de medidas para la remodelación del primer nivel asistencial presentado por la Consellería y con el diálogo roto desde este martes con los jefes de servicio de centros de salud del área de Vigo dimitidos el horizonte en la sanidad se complica. La Coordinadora Galega de Atención Primaria, en una reunión celebrada en la sede del colegio médico en Santiago, con presencia de varias de las sociedades científicas mencionadas, de la Asociación Galega para a Defensa da Sanidade Pública, el colectivo de trabajadores de PAC en huelga, representantes de los dimisionarios de Vigo o la organización de trabajadores Precarios, ha propuesto la convocatoria de tres días de huelga en los centros de salud y PAC ante la falta de respuestas satisfactorias ofrecidas a su juicio por la Consellería a los problemas planteados desde el sector. Como siguiente paso para consolidar la propuesta en una convocatoria firme de huelga, programada para los días 9, 10 y 11 de abril, la Coordinadora solicitará encuentros con los sindicatos representados en la mesa sectorial (muchos de los cuales están ya integrados en la Plataforma SOS Sanidade Pública, presente a su vez en la reunión en el colegio médico). La Coordinadora insiste en sus reivindicaciones, fundamentadas en la exigencia de un presupuesto suelo garantizado para la Atención Primaria que signifique al menos el 25% de la inversión global en el sistema de salud y la recuperación de las gerencias específicas como vía para garantizar la autonomía de gestión y la no subordinación del primer nivel asistencial a las estructuras hospitalarias.
          Las casas rurales gallegas también tendrán clasificación por estrellas      Cache   Translate Page      
El sistema de clasificación por estrellas de los hoteles se extenderá a las casas rurales en Galicia. La medida, anunciada esta tarde en el Parlamento por el conselleiro de Cultura y Turismo, Román Rodríguez, forma parte del plan de turismo rural que prepara la Xunta. El conselleiro se comprometió a llevar la estrategia de la Xunta para este sector a la Cámara gallega en «muy breve plazo de tiempo». Rodríguez compareció en el pleno para informar de los nuevos planes y medidas en materia de turismo. Resaltó que el año pasado llegaron a la Comunidad 4,8 millones de turistas lo que situó a 2018 «como el segundo mejor año de nuestra historia». El primero había sido el año anterior. Pese a la bajada, el conselleiro resaltó que el turismo en Galicia ha ganado en calidad. «Hay más estadías medias, más pernoctaciones y más internacionalización», resaltó Rodríguez. Entre otros datos, subrayó que el 60 por ciento de los turistas llegan ya fuera del periodo estival, o que el 65 por ciento de los peregrinos son extranjeros. Como reto para 2019, el conselleiro se fijó «consolidar las buenas cifras» para lo que el Ejecutivo autonómico, recordó, ha puesto ya algunas medidas en marcha. Citó tanto el plan de Modernización de Alojamientos Turísticos, dotado con 4 millones de euros, como el Galicia Sabe, para impulsar el turismo vinculado a la «tradición culinaria gallega». Entre los anuncios se refirió a la estrategia para el turismo rural del que sólo desveló que se promoverá el sistema de clasificación por estrellas a las casas rurales, para «mejorar la calidad de estos alojamientos». Xacobeo La preparación del Xacobeo 2021 centró buena parte de la intervención del conselleiro, en la que repasó las acciones de su departamento. Recordó las medidas fiscales para encontrar patrocinadores, la inversión de 15,6 millones prevista para acondicionar los diferentes caminos o la intensa agenda de contactos para lograr involucrar a toda la sociedad en la preparación del año Santo. Rodríguez desveló, además, que la iniciativa O Teu Xacobeo, abierta el pasado 14 de enero, ha recibido ya 653 propuestas de ayuntamientos, asociaciones y otras entidades. El conselleiro confió además en que tras las elecciones el nuevo Gobierno central se reúna con la Xunta para establecer un nuevo mapa de rutas aéreas que se complementen con la llegada del AVE a Galicia. Desde la oposición, se recriminó a la Xunta que apueste por la cantidad y no por la calidad del turismo. «Nos preocupa que no quieran ver más allá del monocultivo del Camino», censuró Noa Presas del BNG. «No hay más plan para el turismo de Galicia que traer más y más peregrinos», coincidió Luca Chao, de En Marea. Desde el PSdeG, Pérez Seco criticó la escasez de las partidas del departamento de Turismo para hacer frente a todas sus competencias.
          Anova rechaza la idea de Podemos de postular a Beiras al Senado      Cache   Translate Page      
El regreso de Xosé Manuel Beiras a la primera línea de combate ha sido una hipótesis de corto recorrido. La idea surgió de Podemos. En plenas negociaciones para fraguar una coalición con Anova y Esquerda Unida para el 28-A, el pasado lunes los morados señalaron al histórico nacionalista como su baza para liderar una candidatura al Senado. Menos de 24 horas después, sin embargo, su nombre se ha caído abruptamente de las quinielas. Anova, el partido que fundó tras su salida del Bloque, salió ayer al paso para tumbar la propuesta: «En ningún momento se consideró la posibilidad de que Xosé Manuel Beiras fuera parte de ninguna candidatura al Senado. La unidad popular necesita de generosidad y acuerdos, no de ruido mediático», zanjó la organización a través de Twitter. Las conversaciones, pues, están abocadas a seguir hasta que las fuerzas que un día coincidieron bajo el paraguas de En Marea encuentren su fórmula electoral. En Podemos, fuentes consultadas por este diario aseguran que su apuesta por Beiras se explica en un intento de ofrecer a Anova un puesto con visibilidad para el ticket de las generales. Dado que los morados se han reservado para sí el número 1 de la lista al Congreso por La Coruña, con Antón Gómez-Reino, y que a Yolanda Díaz, de Izquierda Unida pero con ascendencia en Madrid, se le busca un puesto de salida, la organización pensó que Anova podría ver con buenos ojos el regreso de su fundador y de su indudable tirón político. A la vista está que el intento no ha dado resultado. De puertas para adentro, Anova prefiere no hacer declaraciones mientras las conversaciones están en marcha pero, de entrada, ahí está su dardo contra el «ruido mediático» alentado por Podemos en las últimas horas. Las listas al Congreso La clave está en encontrar un acuerdo que satisfaga a todas las partes. Sobre todo en el Congreso. En un momento en el que las expectativas electorales del rupturismo no son las de 2015 y 2016, los puestos de salida están prácticamente tasados. La incógnita principal está en saber qué lugar ocupará Yolanda Díaz en el cartel: si como cabeza de lista en alguna provincia, como Pontevedra, o incluso como integrante de la candidatura por Madrid. Sea como fuere, su papel como diputada en la última legislatura le dará mucha ventaja para tratar de revalidar escaño en una buena posición. En los últimos meses, ha cosechado elogios dentro del grupo parlamentario de Unidos-Podemos, que la considera artífice de acuerdos importantes con el Gobierno. En Lugo, Miguel Anxo Fernán-Vello, vinculado a Anova, repetirá con toda probabilidad como número uno. Más complicado se antojan las quinielas en Orense. Podemos ha propuesto a Ledicia Piñeiro, exconcejal de Ourense en Común en el Ayuntamiento, y ganadora de las primarias internas de la formación. Tendrá posibilidades si finalmente se mantiene el paso a un lado dado por David Bruzos, rival de Luís Villares en las primarias de EnMarea. Con todo, las tornas pueden cambiar de un momento a otro, especialmente si alguna de las tres patas de la mesa, ya sea Anova, Podemos o EU, se considera infrarrepresentada en la coalición. Otra de las cuestiones que está en el aire es el nombre que figurará en la papeleta. En las conversaciones se han valorado las posibilidades de Galicia en Común, Mareas en Común o Mareas Galegas, pero hasta el momento no hay nada cerrado. ¿Y el papel que jugarán los alcaldes? A esa pregunta también le falta una respuesta en firme. Solo Compostela Aberta se ha inclinado por dar libertad a sus inscritos ante la posibilidad de que haya dos papeletas rupturistas el 28-A. Desde Marea Atlántica, ayer el alcalde de La Coruña, Xulio Ferreiro, avisó de que no participará «activamente» en la campaña si no se logra la «unidad» de todas las siglas del espacio. Nada hay que pueda descartarse, pero mientras, se acerca la fecha límite para registrar las coaliciones (15 de marzo). En la En Marea liderada por Luís Villares, los candidatos de cada provincia ya tienen nombres y apellidos, después de que el pasado domingo finalizaran las votaciones de las primarias. Serán Iván Olmos (Orense), Ana Seijas (La Coruña), Iris Malvido (Pontevedra) y Cristina Pérez (Lugo).
          Maburro: apagón fue provocado por un “ataque electromagnético” orquestado desde Houston y Chicago      Cache   Translate Page      
El presidente de Venezuela, Nicolás Maduro, informó este martes (12.03.2019) que creó una comisión especial para investigar el "ciberataque” que habría causado el apagón masivo que desde el pasado jueves afecta a su país. Asimismo, anunció que pedirá el apoyo de la ONU y de sus aliados, entre ellos Rusia y China, para dar con los responsables del presunto ataque que botó el sistema eléctrico. "Voy a pedir el apoyo de la ONU, China, Rusia, Irán, Cuba, países de gran experiencia en la defensa de los ciberataques", dijo Maduro en una alocución transmitida en cadena obligatoria de radio y televisión. "Tenemos la victoria en nuestras manos, en la reposición del sistema eléctrico, ahora nos toca consolidar la victoria de la guerra eléctrica", añadió Maduro, sin descartar nuevos "sabotajes". Al frente de la comisión que investigará el presunto sabotaje estará la vicepresidenta ejecutiva, Delcy Rodríguez. El órgano, que responderá ante el presidente, también estará integrado por el fiscal general, Tarek Saab, y científicos locales. "Vamos a desgranar para que ustedes sepan cómo fue el ataque, hemos descubierto muchas cosas (...), ya yo sé muchas cosas, solo puedo decir que se dirigió desde Houston y desde Chicago, desde dos ciudades de Estados Unidos" con "nuevas armas de ataque electromagnético", añadió Maduro. Terrorismo y violación de los derechos humanos El gobernante socialista reiteró que el supuesto pirateo de los sistemas de Guri -principal hidroeléctrica del país- fue obra de Washington y la oposición venezolana, empleados a fondo para sacarlo del poder, y dijo tener pruebas "de que el sabotaje fue ordenado por el Pentágono y el Comando Sur” con el objetivo de "desatar un conflicto civil”, lo que denunció como "terrorismo y una grave violación de los derechos humanos”. "Solo por la ambición de poder político (de los opositores), de la ambición imperialista de Estados Unidos de ponerle las manos al petróleo, la ambición de Donald Trump de sumar Venezuela a su riqueza”, remarcó. Venezuela sufrió hace 5 días un masivo apagón que dejó a oscuras todo el territorio, y que aún no ha logrado ser superado del todo. La oposición afirma que el problema se suscitó por la falta de inversiones y la corrupción.
           Comentário em E as aulas de Religião e Moral, deputado Bruno Vitorino? Também têm que parar? por Ricardo Almeida       Cache   Translate Page      
Claro que não! A religião é algo criada por humanos e para humanos. Por muito que os beatos chorem, a bíblia (assim como o corão e demais textos "divinos") foram escritos por humanos e como tal são o resultado da sua imaginação. Não se sabe bem por quem mas a beleza do conceito de fé é tornar tal facto irrelevante. Logo, por definição, esta é opcional e subjectiva. Daí que volta e meia apareçam "convertidos", que é basicamente malta que decidiu mudar de fábula favorita. O facto de o fazerem sem qualquer problema ou penalização diz mais sobre a irrelevância e a natureza imaginária da religião que outra coisa. Por outro lado, ao contrário da religião, as pessoas não escolhem a sua orientação sexual, também ao contrário do que os religiosos acreditam (que estranho). É algo que acontece. Pode ser biológico, pode ser social ou quiçá até uma combinação de ambos, mas o que é certo é que, tal como a raça e o sexo, é algo que nascemos com e há que lidar com isso de forma natural. É exactamente a naturalidade que se vê no espectro de orientações sexuais face à artificialidade religiosa que torna estes dois conceitos incomparáveis. Ridículo é as escolas contarem com uma disciplina, ainda que opcional, para cobrir uma necessidade fictícia enquanto mantém os alunos alegremente ignorantes face à realidade, que em alguns casos até é a deles.
                Cache   Translate Page      
"Desde que fique bem entendido que ser paciente é questão de opção e treino. Opção porque decidimos abrir ou não espaço para o que desperta impaciência. Aquele colega de trabalho que é meio devagar para achar um arquivo no computador, ou que raciocina meio segundo mais lento que você, pode, ou não, ser o motivo da sua impaciência ¿ depende de como você reage à maneira de ele ser. Há pessoas com estrutura de personalidade não reativa e reativa. Há quem não se abale por pouca coisa e disponha de uma grande reserva de paciência dentro delas. Outras são predispostas à reação automática, na base do toma lá, dá cá. "A atitude da mente reativa deixa as pessoas impacientes", afirma a psicóloga Bel César. Alguém age de maneira que o incomoda, sua resposta imediata é a defesa, o ataque, a irritação. Em suma, a impaciência. O segredo é saber como lidar com o processo reativo."

Vida Simples - Paciência
          ANALISTA FUNCIONAL - Irium - Alicante, España      Cache   Translate Page      
Buscamos Analista Funcional/ Negocio Senior para participar en diferentes proyectos en ALICANTE. Funciones: Actuar de enlace entre los usuarios de negocio y el equipo de desarrollo. Capturar las necesidades de negocio. Especificar y modelar los requerimientos Generar la documentación de análisis funcional Validar requerimientos funcionales Identificar y gestionar riesgos detectados a nivel de negocio. Proporcionar soporte al equipo de desarrollo y QA ...
          El año 2011 marca el fin del "Fin de la Historia"      Cache   Translate Page      
Cuando el sistema obliga a la gente común a transformarse en revolucionarios, sabes que te encuentras al borde mismo de la historia.  

Escrito por Jerome E Roos y Traducido por Nicolás Caitán (Occupy Uruguay). Original version in English here. Tradução em português aqui.
Las revoluciones Tunecina y Egipcia. La Primavera Árabe. El default de Grecia que se avecina. La ruptura cada vez más probable de la eurozona. La segunda ola de la crisis financiera global. El regreso con venganza de la crítica sistémica del capitalismo. El llamado rotundo a nivel mundial por la democracia real. Las dramáticas manifestaciones contra la austeridad, la desigualdad y el neoliberalismo en España, Grecia, Chile e Israel. Los disturbios en Atenas, Londres y Roma. La ocupación de Wall Street y la propagación del movimiento a lo largo de los EE.UU. Las protestas en masivas de millones de personas en 1000 ciudades y 80 países el 15 de octubre. Incluso la muerte de Muammar Gaddafi.

Todo esto apunta en la dirección de una verdad simple pero inequívoca: el 2011 marca el Fin del Fin de la Historia. Más allá del horizonte plano de la democracia liberal y del capitalismo global, los acontecimientos de este año no sólo han abierto un nuevo capítulo en la saga del desarrollo de la humanidad, sino que han sentado las bases mismas de una interminable procesión de los capítulos más allá de esto. Lo que se está destrozando no es tanto el sistema democrático capitalista como tal, sino más bien la creencia utópica de que este sistema es la única manera de organizar la vida social en la eterna búsqueda de la libertad, la igualdad y la felicidad.

Hace casi veinte años, tras el colapso total de la Unión Soviética y el descrédito definitivo del comunismo de Estado, el politólogo norteamericano Francis Fukuyama conjeturó que “podríamos estar presenciando … no sólo el fin de la Guerra Fría, o el paso de un determinado período de la historia de la posguerra, sino el fin de la historia como tal: es decir, el punto final de la evolución ideológica de la humanidad y la universalización de la democracia occidental liberal como forma final de gobierno humano.” Dos décadas después de la publicación de El Fin de la Historia y al Útimo Hombre (The End of History and the Last Man), la tesis de Fukuyama parece más tambaleante que nunca.

Esto no es repetir el cliché sin fin de la izquierda de que el neoliberalismo está muerto – como Slavoj Žižek ha señalado, la ideología ya ha muerto dos muertes, primero como tragedia después de los ataques terroristas del 9/11, y después como farsa tras la caída financiera mundial de 2008 – sino más bien señalar que el neoliberalismo, como tal, por fin ha sido revelado por lo que siempre fue: una ideología zombie envuelta en torno a la cara de la humanidad, al igual que el calamar vampiro famoso Matt Taibbi, “despiadadamente empujando su embudo sangriento en todo lo que huele a dinero.”

El Emperador Neoliberal No Tiene Ropa
Mientras que 2001 y 2008 marcaron respectivamente, la muerte política y económica del neoliberalismo, 2011 marca el Fin del Fin de la Historia. Recién ahora le queda claro a la gente del mundo que, durante los últimos veinte años hemos simplemente vivido una mentira. De hecho, el consenso popular implícito que una vez legitimó el capitalismo democrático, ahora parece estar desentrañando rápidamente el esquema Ponzi financiero que sustentó la ilusión de su superioridad moral. Después de veinte años de estancamiento de los salarios, el rápido aumento de la desigualdad, el desempleo juvenil galopante y la alienación social generalizada, el estallido de la burbuja crediticia global por fin ha dejado al descubierto la esencia desnuda del sistema.

El capitalismo democrático de libre mercado no es lo que nos dijeron que era: como los últimos años lo han ampliamente demostrado, no es ni libre ni democrático. Se han librado guerras en nombre de las grandes petroleras a pesar de una abrumadora oposición popular. Se han hecho reducciones de impuestos en nombre de los grandes capitales a pesar de un enorme déficit presupuestario. Y ahora, bancos defectuosos están siendo rescatados y recortes draconianos del presupuesto impulsados en nombre de las Grandes Finanzas, a pesar de una abrumadora oposición popular y la evidencia incontrovertible de que esto sólo empeorara el déficit. El sistema ha dejado de tener sentido. Sus contradicciones internas se lo están comiendo desde dentro. Y la humanidad está finalmente despertando a esta realidad.

Así que hoy, una generación entera de jóvenes, privados de esperanza y oportunidad, se está levantando para disputar la absurda noción de que esta desastrosa situación, de alguna manera constituye la culminación de la “evolución ideológica de la humanidad.” ¿Es esto realmente lo mejor que podemos hacer? ¿Es este el nuevo orden utópico que Fukuyama previó cuando  denunció la victoria eterna de la democracia liberal y del capitalismo global sobre sus enemigos invisibles? Con los bancos en quiebra, Estados en quiebra y la deuda privada fuera de control, el mundo ideal de Fukuyama sin duda ha comenzado a parecer mucho más endeble ahora que el consumo desmedido alimentado por el crédito que lo sustenta se estrelló de cabeza en su propia e inevitable finalidad.

La magia se ha ido. El hechizo está roto. Y lo que los pueblos del mundo están tratando de dejar en claro a aquellos que están en el poder es que sabemosSabemos que el sistema está podrido en su núcleo. Sabemos que sus presuntos éxitos no soportan al escrutinio. Sabemos que la mayoría de sus grandes logros – desde los mercados de capital globales hasta la moneda única europea – fueron construidos sobre arenas movedizas financieras e institucionales. Ysabemos que toda la maldita cosa está a punto de derrumbarse como un castillo de naipes. De Tahrir a Times Square, de Madrid a Madison, de Santiago de Syntagma, sabemos que el emperador neoliberal  no tiene ropa.

Gaddafi y Fukuyama: del lado equivocado de la historia

Una de las descripciones más gráficas del Fin del Fin de la Historia es la sangrienta muerte de Muammar Gaddafi. Mientras que los escépticos tienen toda la razón de estar disgustados por la campaña imperial de la OTAN en Libia, muchos en la izquierda todavía no aprecian el enorme simbolismo detrás de la caída del Hermano Líder. Gaddafi, en cierto modo, era la encarnación definitiva del Fin de la Historia. Habiendo llegado al poder como un revolucionario socialista pan-árabe a finales de 1960, terminó como uno de los capitalistas más exitosos del mundo. Mientras que él continuó lamentando retóricamente los males del imperialismo occidental, parecía más que dispuesto a ofrecer el botín de su país a los mismos poderes neo-coloniales a los que tan ávidamente ridiculizó.

De acuerdo con un informe de 2008 que se publicó en Financial Times, Gadafi “ensalzó las virtudes de las reformas capitalistas”. Tratando a Libia como su empresa familiar, acogió a las grandes compañías petroleras, repartiendo contratos lucrativos a empresas occidentales como Eni y Shell. A continuación, dejó que las ganancias se acumularan en su fondo privado “soberano” de riqueza, mientras que alistó a Wall Street para reciclar el surplus de su capital para obtener ganancias adicionales. En el proceso, mientras que el pueblo libio se mantuvo paralizado por un subdesarrollo crónico, Gaddafi desvió  $168 billones de las riquezas de la nación en el extranjero. No es de extrañar que Occidente de pronto estuviera tan feliz de ser su amigo.

Sin embargo, lo que es más revelador acerca de Gaddafi no es su repentina conversión del libertador socialista al capitalista opresor, ni su estrecha relación con el establishment neoliberal de Occidente. Lo que es más revelador es su conexión personal con Francis Fukuyama. Ya en 2006-2008, Fukuyama fue parte de un grupo selecto de líderes intelectuales del mundo los que fueron reclutados – y generosamente remunerados – por Monitor Group, una firma de relaciones públicas con sede en E.E.U.U. asesorada por ex-directores del MI6 y de la CIA, para ayudar a pulir la imagen de Gadafi en Occidente, como parte de una ofensiva masiva diseñada para ayudar a legitimar la incursión de Libia en el Fin de la Historia. De acuerdo con documentos secretos filtrados por ex-funcionarios libios, “Fukuyama hizo dos visitas a Libia (del 14 al 17 de agosto de 2006 y del 12 al 14 enero de 2007).”

Fukuyama dio una conferencia en el Centro Griego del Libro en Trípoli y dio una clase sobre Libia en la Universidad Johns Hopkins. También ofreció una conferencia, titulada “Mis conversaciones con el líder”, que marcó “la primera vez en que el Libro Verde ha sido una lectura obligada para los estudiantes de una de las escuelas de política pública líder en el mundo.” Aparentemente, no sólo nosotros, sino el propio Fukuyama cree en Gaddafi como la encarnación del Fin de la Historia. Su derrocamiento, por lo tanto, incluso si nunca hubiera tenido éxito sin el poder militar de Occidente imperial, socava por completo la tesis de Fukuyama. Después de todo, si había llegado verdaderamente el Fin de la Historia, ¿cómo podría el autor de esta tesis terminar tan descaradamente él mismo en el lado equivocado de la historia?

El Colapso de la Zona Euro como el Fin del Fin

Pero Gaddafi no fue el único “error” histórico de Fukuyama . En respuesta a las acusaciones de que el Fin de la Historia fue un argumento puramente americocentrista, en 2007 Fukuyama escribió un artículo para The Guardian afirmando retroactivamente que “El Fin de la Historia nunca estuvo vinculado a un modelo específicamente estadounidense de organización social o política … Yo creo que la Unión Europea refleja con mayor precisión que los Estados Unidos comtemporáneo cómo se verá el mundo al final de la historia.” A juzgar por el destino de la Unión Europea, irónicamente resulta que Fukuyama, terminó teniendo razón de manera equivocada.

Como el New York Times publicó el otro día, “el euro fue un proyecto político destinado a unir a Europa tras el colapso soviético en una esfera de prosperidad colectiva que conduciría a un mayor federalismo. En cambio, el euro parece estar separando a Europa … (hay) una tensión en el sistema político y una duda acerca de las instituciones democráticas que no habíamos experimentado desde la caída de la Unión Soviética.” La profunda integración económica de Europa, en plena consonancia con la filosofía del Fin de  la Historia, produjo una situación tan tendiente a la crisis que el futuro de la economía mundial ahora depende de la suerte de un único Estado miembro de la UE – uno que sólo representa el 2 por ciento del PBI total de la UE: Grecia.

Pero Grecia es sólo el canario en la mina de carbón. Es un síntoma, no la causa de la crisis de Europa. Cuando Grecia declare el default, sólo será cuestión de tiempo antes de que los inversores pierdan la fe en Italia y España. Ambos son considerados demasiado grandes como para quebrar – pero también demasiado grandes como para ser salvados. El fondo de rescate europeo no es lo suficientemente grande como para salvarlos, y Alemania y Francia están atrapados en un callejón sin salida sobre la forma en cómo agrandarlo. Al mismo tiempo, el insolvente sistema bancario de Europa está al borde del colapso. Un default griego llevará   innumerables bancos a la quiebra, obligando a los gobiernos núcleo a repartir rescates masivos una vez más. Esto, a su vez, agravará aún más sus niveles de deuda soberana y por lo tanto sus calificaciones crediticias, llevando la crisis de la deuda “Griega” directo al corazón del capitalismo europeo.

El resultado en otras palabras, es que no hay manera fácil de salir de esta crisis – ni siquiera los tan alabados eurobonos, como Martin Wolf ha señalado recientemente para Financial Times. El euro, ese gran proyecto de la élite que estaba destinado a ser el pináculo de la integración europea, está vacilando. En este proceso, las instituciones post-ideológicas tecnocráticas de la UE han perdido los últimos vestigios de la legitimidad que les quedaba. El edificio se cae a pedazos, y francamente, nuestros líderes no tienen ni idea de qué hacer al respecto. La crisis de Europa, al final del día, es la crisis del mundo. Y está lejos de ser una crisis meramente económica: en el fondo, estamos frente a lo que Joseph Stiglitz ha llamado la crisis ideológica del capitalismo. Esto está obviamente muy lejos de ser el “punto final de la evolución ideológica de la humanidad”.

La Crisis del Capitalismo y el Retorno de lo Reprimido

Por lo tanto no es de extrañar, que el 2011 haya sido testigo del regreso – con venganza – de la crítica sistémica del capitalismo. En las últimas semanas, publicaciones pro libre mercado como el Wall Street Journal, Financial Times, Business InsiderFortune han admitido que en realidad Karl Marx podría haber estado en lo cierto acerca de la tendencia del capitalismo a la autodestrucción. La razón de este repentino resurgimiento de la crítica marxista de la economía política es doble: primero, la naciente comprensión entre las élites de que estamos entrando en un espiral hacia otra Gran Depresión. Y en segundo lugar, la represión sistemática de la imaginación radical que el mundo post-ideológico de Fukuyama ha provocado.

En este sentido, se puede dibujar una línea directa desde el eslogan de Margaret Thatcher, “no hay alternativa” (there is no alternative), a la respuesta de la política neoliberal sobre la crisis financiera. Mientras que los banqueros se han repartido bonos suntuosos, al resto de la población se le dice que simplemente no hay alternativa a las medidasdraconianas de austeridad. La narrativa ideológica es el misma en todas partes: “todos estamos juntos en esto, todos tenemos que apretarnos el cinturón”, pero en realidad el mensaje implícito es: “no se atrevan a imaginar una alternativa.” Sin embargo, como Matt Taibbi señaló recientemente, un impuesto pequeño del 0,1 por ciento sobre todas las operaciones en acciones y bonos y un impuesto de un 0,01 por ciento en todas las operaciones de derivados (derivatives), podría pagar la totalidad de los rescates financieros de los EE.UU., tornando el “necesario” apretarse el cinturón, innecesario. Esa es una alternativa creíble. ¿Por qué no se está discutiendo?

En 2009, Fukuyama publicó un artículo en Newsweek con el título triunfador “La historia todavía está acabada“, en el que afirmaba que, a pesar del hecho de que “la crisis comenzó en Wall Street -el corazón del capitalismo global – … la legitimidad del sistema global puede haber sido golpeada, [pero] no se rompió.” Dos años más tarde hubiese podido observar las quemas de las calles de Londres, Roma y Atenas; la ocupación pacífica de Wall Street, Puerta del Sol, Syntagma, y cientos de otras plazas en todo el mundo, el día mundial sin precedentes del 15 de octubre, con protestas en casi 1.000 ciudades en más de 80 países. Testigos de la ira. La frustración. La indignación. Es aquí. La legitimidad se está rompiendo. Fukuyama, al parecer, estaba festejando demasiado pronto.

En un sentido freudiano, estamos presenciando el retorno de lo reprimido. Si desde hace dos décadas se le dice a la gente que no hay alternativa al mundo en que viven, y si en el ínterin se le quitan sus ingresos, sus derechos, sus servicios públicos, y sus últimos rastros de dignidad, se  puede esperar que la represión psicológica del potencial revolucionario se manifieste de alguna u otra forma, tarde o temprano. Si se reprime una ideología coherente de emancipación de las masas, como el Fin de la Historia tuvo la intención de hacer, se termina literalmente con los disturbios incoherentes y a-políticos de Londres. En este sentido, lo más importante que las revoluciones de Túnez y Egipto han hecho fue ayudar a recordarle a la humanidad que en realidad hay una alternativa al status quo – que existe un “afuera” al capitalismo global sin restricciones.

El levantamiento de los Indignados y la Crisis de la Democracia
Las revoluciones árabes dieron coraje a los jóvenes alienados de Europa y América para comenzar a soñar de nuevo, para reclamar su imaginación radical de cara a una de las mayores crisis de legitimación en la historia de la democracia liberal. A medida que una conciencia crítica se abre paso de nuevo en el discurso dominante, la hegemonía cultural del neoliberalismo se encuentra en peligro nuevamente. Los primeros signos de esta conciencia crítica emergente comenzaron a aparecer en Madrid el 15 de mayo. Unos días más tarde, la BBC informó que una manifestación al estilo Egipcio estaba creciendo en España. Durante el próximo par de semanas, cientos de miles de personas de todas las clases sociales se manifestaron por la noche en todo el país a medida que el movimiento indignados se extendía portoda Europa.

El 17 de septiembre, el movimiento español 15-M culminó en un día de acción global contra los bancos y la ocupación de Wall Street, solicitada por la revista anti-consumista canadiense Adbusters. La protesta de Wall Street ayudó posteriormente a catalizar el próximo día mundial de acción, solicitado por los manifestantes españoles para el 15 de octubre. Bajo el lema “Unidos por el cambio global”, la resistencia global creció en proporciones verdaderamente sin precedentes, con protestas simultáneas en 1.000 ciudades en más de 80 países. Con su declaración ingenua de que “la legitimidad del sistema global no se rompió,” Fukuyama una vez más se encuentra del lado equivocado de la historia.

Después de todo, si la democracia liberal es realmente la culminación de la evolución ideológica humana, ¿cómo es que millones de personas están saliendo a las calles en todo el mundo demandando algo diferente? Si la democracia representativa es la misma cima, ¿por qué estos jóvenes cantan “no nos representan”, y ¿por qué claman por una verdadera democracia en su lugar? Como los movimientos de masas en Israel y Chile lo demuestran, el fenómeno no puede reducirse solo a la crisis, incluso sus economías en auge no pudieron detener la marea de indignación que inundó sus calles. La verdad, el problema va mucho más allá. Como a los indignados les gusta cantar, “no es la crisis, es el sistema.”

Zygmunt Bauman pone el dedo en el meollo del problema: mientras que la política se ha mantenido a nivel nacional, el poder se ha evaporado en los flujos globales. El cambio tecnológico y las reformas neoliberales han conspirado para crear una situación en la que gobiernos elegidos democráticamente ya no tienen el poder de transformar sus promesas en políticas. Nos encontramos con una situación donde el voto no es acerca de qué políticas nuestros gobiernos deben poner en práctica, sino más bien acerca de quién debe poner en práctica las políticas exigidas por el sector financiero. Llamar a esto democracia parece absurdo. El aumento de la indignación no es más que la realización colectiva de que la democracia representativa liberal, bajo las condiciones de una  profunda integración económica, no es realmente liberal o representativa en absoluto. El Fin de la Historia, en lugar de consolidar la democracia como la forma final de gobierno humano, la ha debilitado por completo.

El Borde de la Historia y el Retorno de la Política Contestataria
El Fin del Fin de la Historia no es lo mismo que el fin del neoliberalismo. Como vimos anteriormente, las ideologías zombi tienen su manera de vagar más allá de su fecha de caducidad. Mientras que haya capitalistas (o aspirantes a capitalistas), siempre habrá una forma u otra de la filosofía capitalista. El Fin del Fin de la Historia no es tanto acerca de la erradicación de la visión individualista del mundo del capitalismo, lo cual es imposible sin recurrir al tipo de tácticas de Estado represivas que estamos tratando de superar, sino más bien acerca del regreso de la acción política contestataria como la característica definitoria de la vida social. En otras palabras, el Fin del Fin de la Historia no es tanto acerca de la superación de la lucha política como de la constatación de que por definición, no podemos superarnunca la lucha política. Mientras haya injusticia, habrá lucha – y puesto que siempre habrá injusticia, siempre habrá lucha.

El Fin de la Historia, por lo tanto, no es ni posible ni deseable. El anhelo de una fase final de desarrollo institucional e ideológico, en el que los desacuerdos y conflictos han sido desterrados del reino de la realidad social, o es puramente totalitario o puramente utópico. Mientras que ciertos anhelos utópicos pueden servirnos de inspiración para elevarnos  a estadios cada vez más altos como especie, siempre debemos recordar que ningún orden social se da para siempre. Nuestra utopía siempre debe seguir siendo el deseo espiritual que nos impulsa a la acción, pero debemos aceptar el hecho de que nunca podrá convertirse en una realidad. La historia simplemente nunca termina. Como el neo-gramsciano Stephen Gill dijo, “la historia está siempre en elaboración, en una interacción compleja y dialéctica entre la acción (agency), estructura, conciencia y acción (action).” O, como el Subcomandante Marcos dijo de manera un poco más poética, “la lucha es como un círculo: se puede empezar en cualquier lugar, pero nunca se detiene.”

En un excelente artículo de opinión publicado días pasados en The Guardian, Jonathan Jones miró una imagen deOccupy Wall Street e hizo una observación sorprendente:
Esta es una fotografía de un punto de inflexión en la historia, no porque el movimiento Occupy necesariamente tendrá éxito (lo que sea que el éxito pueda ser), sino porque se ha puesto de manifiesto las posibilidades de cambios profundos en el debate en un mundo que hasta hace poco parecía estar de acuerdo acerca de los fundamentos económicos. Occupy Wall Street y el movimiento global que está inspirando pueden aún probar ser una llamada eficaz para el cambio, o pasar como una nube de verano. Ese no es el punto. Ni siquiera importa si la protesta es correcta o incorrecta. Lo que importa es que el capitalismo sin restricciones, una fuerza para el dinamismo económico que parecía inexpugnable, más allá del reproche o la reforma, un monstruo al que hemos aprendido a estar agradecidos, de repente encuentra su fealdad ampliamente comentada, expuesta entre las luces de Times Square. El Emperador de la economía no tiene ropa.
“Este es un momento increíble”, continúa. “Pellízcate tu mismo”. El 2011, con todas sus crisis y revoluciones, marca lo que Slavoj Zizek en su discurso en  Zuccotti Park, llamó “el despertar de un sueño que se está convirtiendo en una pesadilla.” Esto marca el regreso de la política contestataria. Y, como tal, marca el Fin del Fin de la Historia. No es que la historia se haya detenido alguna vez – simplemente nos confundimos por un tiempo por el colapso del archi-enemigo del capitalismo , y pensamos que así había sido. Pero el hecho de que la historia todavía se está haciendo queda capturado en los titulares de los diarios, en las poderosas fotografías, y en las palabras de una simple mujer de clase media en Grecia durante la huelga de 48 horas en octubre: “Nunca he sido de izquierda “, dijo, “pero nos han empujado a convertirnos en extremistas.” Cuando el sistema obliga a la gente común a transformarse en revolucionarios, sabes que no te encuentras en el Fin de la Historia. Te encuentras al borde mismo de ésta.
          Tecnología y gestión de datos, claves de la alta empleabilidad en publicidad      Cache   Translate Page      
En la era de la cuarta revolución industrial, de los dispositivos móviles y de las “cosas conectadas” (IoT), los datos -y en especial los concernientes a los de los usuarios- se están convirtiendo progresivamente en el oro del siglo XXI. El dato es ahora una unidad de información tan valiosa como necesaria para multitud de sectores - retail, banca y seguros, turismo, sanidad, marketing digital y publicidad- incluso la comunicación política comienza a consolidar nuevos modelos de aproximación a los potenciales votantes para influir en su decisión de voto. Todo ello gracias a los datos que les permiten conocer mejor a los ciudadanos y a sus demandas.
          Youth Global Newsletter OWOS      Cache   Translate Page      

Edición 114 - 10 de marzo 2019
Nota inspirada ...
En 2016 un Satsang llevó a cabo en la presencia divina en California, EE.UU.. Cuando una familia pasando por tiempos diffcult solicita orientación,

Esto es lo que dijo Swami:


Usted hermanos y hermanas tiene que pensar igual. Usted tiene que pensar en los demás, no se trata de ti mismo. La familia no se trata de pensar en sí mismo como un individuo. Desde el primer movimiento 'individual' a la 'familia', donde se cree que el uno del otro. Sólo si todos empezar a tomar en cuenta los puntos de vista y opiniones de los demás va a encontrar una solución. Si hay cuatro caballos enjaezados a un carro y todo lo que tiran en direcciones diferentes, se moverá el carro? Todos ellos tienen que ir en la misma dirección. Así, en primer lugar, usted debe pensar en los demás y luego pensar en lo que quiere Dios - entonces usted va a encontrar una solución, inmediatamente. Porque todo el mundo está pensando de manera diferente, todo el mundo está pensando sólo en ellos mismos, no le es posible llegar a una conclusión. La solución está en sus manos.
servicio de Actualizaciones
Annapoorna aparece en la EEB
Plataforma Sammaan
Sri Sathya Sai Annapoorna Confianza aparece ahora en la EEB Sammaan * plataforma, que es una iniciativa de la Confederación de la Industria India (CII), la encefalopatía espongiforme bovina (Bombay Stock Exchange) y el Instituto Indio de Asuntos Corporativos (IICA).

La entrada de Annapoorna en la EEB Sammaan puede ser visto en:


* Sammaan es una plataforma que es la primera de su tipo que sirve de puente entre las empresas y la rendición de cuentas ONG (Organización no gubernamental). Con más de 20 lakh ONG registradas en la India, las empresas de hoy en día les resulta cada vez más difícil de navegar por el mundo de la responsabilidad social empresarial (RSE). No tienen ninguna manera de validar la legitimidad de las ONG o entendimiento limitado de cómo se están utilizando sus fondos. Con Sammaan, que ahora pueden escoger de ONG verificadas, hacer uso de los informes periódicos y obtener la certificación para Sammaan por sus contribuciones en materia de RSE.
Mejorar la nutrición de los niños escolares Gobierno de Karnataka
Pronto, los niños de las escuelas de gobierno y centros concertados en el estado de Karnataka pueden disfrutar de sabrosos, así como la leche más nutritiva proporcionada por el Sri Sathya Sai Annapoorna Trust. El Departamento de educación primaria y secundaria es el pensamiento de la fortificación de la leche suministrada a las escuelas bajo el esquema de Ksheera Bhagya del Gobierno del Estado, con una mezcla en polvo de la salud. La iniciativa se puso en marcha de forma experimental en algunas escuelas en dos Taluks de Chikkaballapur Distrito para estudiar los beneficios.
Annapoorna desayuno Lanzamiento en Sirsilla Distrito en Telangana
Annapoorna se complace en anunciar el lanzamiento del programa de desayuno gratis para los niños en edad escolar pertenecientes a escuelas primarias y secundarias en el pueblo de Thadur que viene en el distrito Sirsilla en Telangana.
Cerca de 120 niños recibirán el desayuno sólido, además de añadir a la presencia de Annapoorna en el estado de Telangana.
Annapoorna desayuno Lanzamiento en otras escuelas en el Distrito Siddipet
Annapoorna puso en marcha el Programa de Desayuno gratis para los niños en edad escolar pertenecientes a tres escuelas más en Siddipet en Telangana.
Cerca de 240 niños a través de tres escuelas que comprenden de 42 niños que estudian en MPUPS (Mandal primaria y primaria superior) de Adavi Bhramannapalli Thanda, 131 niños de MPUPS Chityal, y 65 niños que estudian en PS (Primaria) Kurmawada se beneficiarán de desayuno diario sólida!
Desayuno lanzamiento del programa en Sri Surat Escuela Sarwajanik en Jamshedpur
Como un gran regalo con motivo del Día de San Valentín, un día celebrado por compartir el amor con todos y cada uno, el equipo Annapoorna puso en marcha el programa de desayuno para los más pequeños ángeles que estudian en la Escuela Sarwajanik Sri Surat en Jamshedpur!
 
Cerca de 130 niños necesitados que estudian desde la guardería hasta la clase 6 en el por encima de dicha escuela ubicada en Bistupur en Jamshedpur en el estado de Jharkhand recibido Poha y laddus para su desayuno en el día del lanzamiento del programa de desayuno el 14 de febrero el año 2019.
La reconstrucción de la fortuna de una familia
Annapoorna es muy feliz de compartir una historia real de amor desinteresado que reconstruye la vida de una familia entera que estaban en ruinas. Los voluntarios Annapoorna de Kannur, además de nutrir la vida de más de 500 a los escolares a través del Programa de Desayuno Annapoorna en el distrito de Kannur, han reavivado las esperanzas de una familia necesitada con su servicio desinteresado notable!
El amor de mano en el estómago
El equipo juvenil llegó a los escalones de una pequeña escuela ocupada en Pettah, Colombo, que estaba lleno de la energía de más de 70 niños. Fueron recibidos con aplausos y gritos excitados, así como aparejos energéticos, como los niños con cariño los reconocieron y estaban muy dispuestos a participar en la deliciosa comida casera.
De Amor, al Amor
Hospitales y su relación con la fe es a menudo tangente. El esfuerzo de los médicos y el personal junto con la gracia de la divina es lo que asegura el tratamiento correcto y oportuno de los enfermos y el enfermo, ya sea desde una pequeña pocas semanas de edad del niño a un anciano a punto 90. El Hospital del Cáncer en Maharagama destaca como testimonio de esto, como padres, familiares y amigos rezan colectivamente a la Divinidad ser las manos que tratan y el toque que sana.
Oriente Medio Actividades Para Seva
de febrero de 2019
Los jóvenes de la región de Oriente Medio tratar de alcanzar el estado de desinterés por la constante participación en diversas actividades de servicio como compartidos a continuación. El grupo es también muy activa en la organización y asistencia a las sesiones y Satsangs Bhajan sobre una base regular. Estas sesiones han rejuvenecido el grupo de sumergirse en un buen trabajo y por lo tanto más transformarse en mejores a las personas.

Las obras de construcción Seva

Los jóvenes de la región con amor que sea un punto para llegar a los hermanos menos afortunados que trabajan en las obras de construcción cada fin de semana y servirlas con verduras crudas, frutas, zumos, galletas y así sucesivamente. Estos trabajadores se siente tan al descubierto cuando hay tanto amor mostrado por estos jóvenes que no tienen nada que se esperan de regreso!
Oportunidad Seva con el consulado de la India
Los jóvenes fueron abordados por el Consulado de la India para ayudar a unos obreros que estaban atrapados varados en un campo sin las necesidades básicas como comida, agua y electricidad. El grupo entró en acción mediante la organización de los servicios básicos para estos cuatrocientos obreros y los distribuyó en el campamento. Las caras de alegría llena de aquellos trabajadores llenaron los corazones de los jóvenes!
Empoderamiento de la Mujer
Las mujeres del grupo de jóvenes han estado visitando un campo de damas para motivar y capacitar a las mujeres, dándoles clases de yoga, sesiones de rompecabezas de la diversión y sesiones de meditación. Las damas se sienten muy conectados con estos jóvenes y están dispuestos a compartir cualquier problema personal que tienen, ya que sienten una cercanía con estas hermanas Sai.
Espiritualidad para el desarrollo personal
El grupo de jóvenes es muy activo en la organización y asistencia alas sesiones y Satsangs Bhajan sobre una base regular. Estas sesiones han rejuvenecido el grupo de sumergirse en más buen trabajo y por lo tanto transformarse en mejores personas!
Real Dove guardería y Nursery Lekki, Lagos

TRADUCCION NO OFICIAL


#source%3Dgooglier%2Ecom#https%3A%2F%2Fgooglier%2Ecom%2Fpage%2F%2F10000
          Confirman que el ARA San Juan sufrió una implosión y se hundió más de 900 metros      Cache   Translate Page      

ARA San Juan - desaparación

El director general de Material de la Armada argentina, el contralmirante David Burden, afirmó ante el Senado que el submarino ARA San Juan se hundió debido a una implosión que sufrió a 920 metros de profundidad.

 

"Definitivamente hubo una implosión", aseguró Burden al brindar testimonio ante la Comisión Bicameral que investiga lo sucedido con el navío, de acuerdo a un comunicado del Senado.

 

A esa conclusión llegó el fabricante alemán de la embarcación siniestrada, Thyssen Nordseewerke, según le transmitió en una visita que realizó el contraalmirante el pasado 1 y 2 de diciembre a los talleres de la empresa, en la ciudad de Emden (noroeste), junto con el capitán de navío y submarinista Marcelo Flamini.

 

ARA San Juan, que desapareció en el Atlántico Sur el 15 de noviembre de 2017 cuando se dirigía a su base naval en la ciudad balnearia de Mar del Plata, se halla en la actualidad "en un área de escombros de 70 por 75 metros" a una profundidad de 920 metros, de acuerdo con el informe de Burden.

 

Al comenzar su última travesía desde Ushuaia, el submarino "estaba bien", hasta que el ingreso de agua de mar por el sistema de tuberías hasta las situadas en la proa del barco provocó "un cortocircuito con incendio de humo, sin llama", agregó el contralmirante.

 

Burden dijo que esa fue la conclusión a la que se llevó en los talleres de Thyssen Nordseewerke, fabricante del submarino San Juan, en la ciudad de Emden (Alemania), adonde viajó el 1 y 2 de diciembre pasado junto al submarinista capitán de navío Marcelo Flamini, para establecer la situación estructural del buque tras el hundimiento.

 

Burden dijo además que cuando inició la última travesía marina el submarino “estaba bien”, que siempre confió en las decisiones que adoptaban los comandantes de los buques y el jefe de la fuerza de submarinos, y aprovechó su contacto con los legisladores para mostrarles un gráfico en el que se veía claramente el sistema de tuberías por el que se cree que habría ingresado agua de mar hasta las baterías de proa provocando ”un cortocircuito con incendio de humo, sin llama”.

 

Ante la comisión del Senado también se presentó contralmirante retirado Rafael Pietro, ex comandante de la Flota de Mar al momento de la desaparición del ARA San Juan, quien recordó que el 22 de noviembre de 2018 se comenzó a hablar de “una posible implosión” en el marco de una videoconferencia del entonces comandante de Alistamiento y Adiestramiento, contralmirante Luis López Mazzeo, “con el comandante del Comando Sur de Estados Unidos”, Kurt Tidd.

 

Durante las tareas de búsqueda del submarino, "jamás hubo una disidencia con el comando ruso, de Estados Unidos y británico respecto de qué se hacía" para hallarlo, afirmó Pietro en su presentación. La comisión bicameral, que se constituyó por el plazo de un año para investigar el siniestro que sufrió el buque, solicitó una prórroga de su vigencia hasta el próximo 31 de julio, petición que deberán validar las autoridades de ambas cámaras legislativas.


          România-Bucureşti: Servicii poştale şi de curierat      Cache   Translate Page      
Autoritatea Rutieră Română 12059648 Bulevardul Dinicu Golescu nr. 38 Bucureşti 010873 Constanța Florentina Florea +40 213182100 achizitii@arr.ro +40 213122114 www.arr.ro www.e-licitatie.ro www.e-licitatie.ro Servicii poștale și de curierat rapid intern și internațional 1205964820192 Autoritatea contractanta va incheia un acord-cadru pe o perioada de 36 de luni calendaristice, cu un singur operator economic, atribuind ulterior contracte subsecvente de prestare de „Servicii poștale și de curierat rapid intern și internațional” pentru cantitatile stabilite de catre autoritatea contractanta. Fiecare contract subsecvent va fi incheiat pe o perioada de 12 luni, in limita bugetului alocat pentru aceasta achizitie. Autoritatea contractantă va răspunde în mod clar și complet solicitărilor de clarificări/informații suplimentare în legătură cu documentația de atribuire în a 10-a zi înainte de data limită de depunere a ofertelor. Termenul până la care se transmit solicitările de clarificări este de 15 zile înainte de data limită de depunere a ofertelor. La sediul central A.R.R., la sediile Agentiilor teritoriale A.R.R. si terti (persoane fizice sau juridice). — acordul-cadru se va incheia cu un singur operator economic, — contractele subsecvente se vor atribui fara reluarea competitiei, — durata acordului-cadru este de 36 luni. Serviciile prestate vor fi cele solicitate prin caietul de sarcini, conform contractelor subsecvente acordului-cadru, care vor fi incheiate pe durata valabilitatii acestuia si in limita cantitatilor si valorii estimate. Cantitate minimă expediții tur estimată pe perioada derulării acordului-cadru — 234 000. Cantitate minimă expediții ramburs estimată pe perioada derulării acordului-cadru — 27 108. Cantitate minimă expediții retur estimată pe perioada derulării acordului-cadru — 54 000. Cantitate minimă kilometri adiționali estimați pe perioada derulării acordului-cadru — 540 000. Cantitate minimă kilograme adiționale estimate pe perioada derulării acordului-cadru — 21 600. Cantitate maximă expediții tur estimată pe perioada derulării acordului-cadru — 270 000. Cantitate maximă expediții ramburs estimată pe perioada derulării acordului-cadru — 28 800. Cantitate maximă expediții retur estimată pe perioada derulării acordului-cadru — 54 360. Cantitate maximă kilometri adiționali estimați pe perioada derulării acordului-cadru — 572 940. Cantitate maximă kilograme adiționale estimate pe perioada derulării acordului-cadru — 25 200. 36 Cerinta nr. 1. Neîncadrarea în prevederile art. 164 din Legea nr. 98/2016 privind achizitiile publice. Ofertanții, terții susținători și subcontractanții nu trebuie să se regăsească în situațiile prevăzute la art. 164, 165, 167 din Legea nr. 98/2016 privind achizițiile publice. Cerinta nr. 2. Neîncadrarea în prevederile art. 165 din Legea nr. 98/2016 privind achizitiile publice. Ofertanții, terții susținători și subcontractanții nu trebuie să se regăsească în situațiile prevăzute la art. 164, 165, 167 din Legea nr. 98/2016 privind achizițiile publice. Cerinta nr. 3. Neîncadrarea în prevederile art. 167 din Legea nr. 98/2016 privind achizitiile publice. Ofertanții, terții susținători și subcontractanții nu trebuie să se regăsească în situațiile prevăzute la art. 164, 165, 167 din Legea nr. 98/2016 privind achizițiile publice. Cerinta nr. 4. Declaratie pe propria raspundere privind neîncadrarea în prevederile art. 60 din Legea nr. 98/2016 privind achizitiile publice — completare. Persoanele care detin functii de decizie din cadrul autoritatii contractante în ceea ce priveste organizarea, derularea si finalizarea procedurii de atribuire sunt: 1) Aurelia Surulescu — director general; 2) Mihaela Trebea — director DE; 3) Lucian Lambru — director general adj. D.J.A.; 4) Cristian Anton — director D.J.P.R.I.; 5) Mirela Nițu — director D.L.A.; 6) Constanta Florentina Florea — sef SAP. Ofertanții, terții susținători și subcontractanții nu trebuie să se regăsească în situațiile prevăzute la art. 60 din Legea nr. 98/2016. Această declarație se va prezenta odata cu DUAE de către toți operatorii economici. Cerinta nr. 5. Certificat de atestare fiscala privind modul de indeplinire a obligatiilor de plata a impozitelor, taxelor, contributiilor si a altor venituri datorate bugetului general consolidat al statului, eliberat de organul fiscal abilitat din care sa rezulte ca ofertantul nu inregistreaza datorii restante la momentul prezentării documentelor. Documentul se va depune de catre ofertanti in oricare din formele original/copie legalizata/copie lizibila, cu mentiunea „conform cu originalul”. Pentru persoanele juridice straine se solicita prezentarea documentului echivalent eliberat de organismul competent din tara de origine, in oricare din formele original/copie legalizata/copie certificata pe proprie raspundere, de reprezentantul legal al ofertantului, pentru conformitatea cu originalul — in varianta tradusa de un traducator autorizat, in limba romana. Cerinta nr. 6. Certificat de atestare fiscala privind impozite, taxe locale si alte venituri la bugetul local, eliberat de organul fiscal abilitat din care sa rezulte ca ofertantul nu inregistreaza datorii restante la momentul prezentării documentelor. Documentul se va depune, de catre ofertanti, in oricare din formele original/copie legalizata/copie lizibila cu mentiunea „conform cu originalul”. Pentru persoanele juridice straine se solicita prezentarea documentului echivalent eliberat de organismul competent din tara de origine, in oricare din formele original/copie legalizata/copie certificata pe proprie raspundere de reprezentantul legal al ofertantului, pentru conformitatea cu originalul — in varianta tradusa de un traducator autorizat, in limba romana. Cerinta nr. 7. Cazierul judiciar al operatorului economic și al membrilor organului de administrare, de conducere sau de supraveghere al respectivului operator economic sau al celor ce au putere de reprezentare, de decizie sau de control în cadrul acestuia, așa cum rezultă din certificatul constatator emis de ONRC/actul constitutiv; după caz, documente prin care se demonstrează faptul ca operatorul economic poate beneficia de derogările prevăzute la art. 166 alin. (2), art. 167 alin. (2), art. 171 din Legea 98/2016 privind achizițiile publice. Alte documente edificatoare, după caz. Notă: (a) se va completa Documentul Unic de Achiziții European — DUAE conform art. 193 din Legea nr. 98/2016, (b) autor [...] detalii pe www.e-licitatie.ro Cerinta nr. 1 — cifra de afaceri. Ofertantul trebuie sa demonstreze ca a realizat o cifra de afaceri anuala de cel puțin 1 200 000,00 RON. Cifra de afaceri globala se va demonstra pentru ultimi 3 ani (2016, 2017 si 2018). În situatia în care ofertantul a fost înfiintat sau si-a început activitatea economica de mai putin de 3 ani se va lua în considerare prezentarea informatiilor corespunzatoare perioadei efective de activitate. Neîndeplinirea acestei cerinte atrage excluderea ofertantului de la procedura privind atribuirea contractului. Ofertantii care trebuie sa efectueze conversia altor monede decât RON în euro vor utiliza cursurile de schimb medii anuale stabilite de catre BNR (pentru anii 2016, 2017 si 2018). 1) Se va completa Documentul Unic de Achizitii European (DUAE), urmand ca documentul justificativ sa fie prezentat doar doar de catre ofertantul clasat pe locul 1 in clasamentul intocmit la finalizarea evaluarii ofertelor, astfel: (a) declaratii sau extrase bancare corespunzatoare, (b) prezentarea situatiilor financiare sau a extraselor din situatiile financiare, în cazul în care publicarea situatiilor financiare este prevazuta de legislatia tarii în care este stabilit operatorul economic; 2) În cazul în care, din motive obiective si justificate, operatorul economic nu este în masura sa prezinte una sau mai multe dintre informatiile si documentele prevazute la alin. (1), operatorul economic este autorizat sa faca dovada situatiei sale economice si financiare prin orice alt document pe care autoritatea contractanta îl considera adecvat; 3) În situatia în care ofertantul a fost înfiintat sau si-a început activitatea economica de mai putin de 3 ani, se va lua în considerare prezentarea informatiilor corespunzatoare perioadei efective de activitate. Cerinta nr. 1. Experienta similara — lista principalelor prestări de servicii în ultimii 3 ani (calculati anterior termenului limita de depunere a ofertelor). Demonstraţi că aţi mai prestat servicii poștale și de curierat rapid intern și internațional. Ofertantii vor prezenta unul/mai multe documente relevante (certificate constatatoare, recomandări, procese-verbale de receptie, alte documente). Documentele prezentate în acest sens vor purta mentiunea „conform cu originalul” si stampila operatorului economic. Documentele încheiate în alte limbi decât limba româna se vor prezenta în copie, însotite de traduceri autorizate în limba româna. În cazul în care exista incertitudini sau neclaritati în ceea ce priveste anumite documente prezentate, autoritatea contractanta îsi rezerva dreptul de a solicita detalii, precizari sau confirmari suplimentare atât de la ofertantul în cauza, cât si de la autoritatile competente care pot furniza informatii în acest sens. În situatia în care ofertantul a fost înfiintat sau si-a început activitatea economica de mai putin de 3 ani, se va lua în considerare prezentarea informatiilor corespunzatoare perioadei efective de activitate. Subcontractare. Se va completa Documentul Unic de Achizitii European (DUAE), urmand ca documentele justificative sa fie prezentate doar de catre ofertantul clasat pe locul 1 in clasamentul intermediar intocmit la finalizarea evaluarii ofertelor la solicitarea autorității contractante. Se va prezenta câte un formular DUAE separat pentru fiecare dintre respectivii subcontractanți, completat și semnat în mod corespunzător de către fiecare dintre aceștia. Subcontractanții precizează în DUAE informațiile aferente criteriilor de calificare pe care le îndeplinesc, menționând numărul și data contractului/acordului de subcontractare pentru partea propusă pentru subcontractare. Dacă prin subcontractant nu se îndeplinește o cerință de calificare, atunci acesta va prezenta DUAE doar în scopul demonstrării neîncadrării în motivele de excludere. Operatorul economic clasat pe primul loc după aplicarea criteriului de atribuire asupra ofertelor admisibile va face dovada îndeplinirii cerințelor de calificare prin subcontractanți prin prezentarea de documente justificative ale acestora, la solicitarea AC. 2019-04-09 15:00 2019-07-09 2019-04-09 15:00 In SEAP. (a) nicio oferta nu poate fi retrasa dupa data limita de depunere precizata in anuntul de participare, sub sanctiunea excluderii acestuia la procedura pentru atribuirea contractului de achizitie publica si a pierderii garantiei de participare. Comisia de evaluare, cu acceptul operatorului economic, corecteaza erorile aritmetice si remediaza viciile de forma ale documentelor si ofertelor prezentate de catre acesta [art. 134 alin. (10) din HG 395/2016]. Daca operatorul economic modifica oferta dupa deschidere sau nu accepta remedierea viciilor sau corectia erorilor, aceasta va fi considerata neconforma [art. 134 alin. (11) din HG 395/2016], (b) În cazul asocierii mai multor operatori economici cu scopul de a depune oferta comuna, îndeplinirea cerintelor privind situatia personala a ofertantului, capacitatea de exercitare a activitatii profesionale si standardele de asigurare a calitatii trebuie sa fie îndeplinite de fiecare asociat în parte, iar cerinta privind capacitatea tehnica si/sau profesionala trebuie sa fie îndeplinita prin cumul de grupul de asociati. Se va prezenta acordul de asociere din care vor rezulta cel putin urmatoarele: faptul ca asociatii sunt responsabili solidar si nelimitat de executarea contractului, nominalizarea liderului asociatiei, comunicarile si platile se vor face de liderul asociatiei, (c) În cazul în care nu se specifica în cadrul prezentei Fise de date a achizitiei modul de prezentare a documentelor, acestea pot fi prezentate în oricare din urmatoarele forme: original, copie legalizata sau copie lizibila cu mentiunea „conform cu originalul”, (d) Documentele emise într-o limba straina vor fi însotite de traduceri în limba româna efectuate de un traducator autorizat, (e) Fiecare document va fi semnat de reprezentantul legal al ofertantului. În cazul în care acestea sunt semnate de o alta persoana, aceasta va prezenta o împuternicire, (f) Toate documentele vor avea, pe lânga semnatura, mentionat în clar numele, prenumele si functia semnatarului. În conformitate cu prevederile art. 215 alin. (4) din Legea 98/2016, vă aducem în vedere următoarele: „Oferta este considerată inacceptabilă dacă nu îndeplineşte condiţiile de formă aferente elaborării şi prezentării acesteia, precum şi cerinţele de calificare şi selecţie prevăzute în documentele achiziţiei.” În conformitate cu prevederile art. 60 din HG 395/2016, vă aducem în vedere următoarele: 1) Operatorul economic are obligaţia de a transmite oferta şi DUAE în format electronic şi numai până la data şi ora-limită de depunere a ofertelor prevăzute în anunţul de participare; 2) Valoarea totală a propunerii financiare se criptează în SEAP; 3) Toate documentele de fundamentare a valorii prevăzute la alin. (2) se depun prin mijloace electronice, fiind încărcate într-o secţiune dedicată a portalului SEAP, iar conţinutul acestora este vizibil comisiei de evaluare după decriptarea propunerii financiare; 4) Documentele prevăzute la alin. (1) vor fi semnate cu semnătură electronică extinsă, bazată pe un certificat calificat, eliberat de un furnizor de servicii de certificare acreditat în condiţiile legii şi încărcate în SEAP în secţiunile specifice disponibile în sistemul informatic şi numai de către operatorii economici înregistraţi. În conformitate cu prevederile art. 125 din HG 395/2016, vă aducem în vedere următoarele: „Riscurile transmiterii ofertei, inclusiv forţa majoră sau cazul fortuit, cad în sarcina operatorului economic care transmite respectiva oferta.” DUAE completat cu informațiile aferente operatorului economic participant la procedura de atribuire, propunerea tehnică și propunerea financiară vor fi transmise în format electronic/prin mijloace electronice. Documentul Unic de Achizitii European se va putea accesa in vederea completarii de catre operatorii economici interesati la adresa: https://ec.europa.eu/growth/tools-databases/espd/filter Autoritatea contractantă acceptă numai ofertele depuse online în SEAP. Adresa la care se depune oferta este www.e-licitatie.ro Consiliul Național de Soluționare a Contestațiilor Str. Stavropoleos nr. 6, sector 3 Bucureşti 030084 +40 213104641 office@cnsc.ro +40 213104642 / +40 218900745 http://www.cnsc.ro Termenele limita de exercitare a cailor de atac sunt cele prevazute la art. 6, coroborat cu art. 8 din Legea nr. 101 din 19 mai 2016. Direcţia Juridică, Petiții și Relații Internaționale Bulevardul Dinicu Golescu nr. 38, sector 1 București 010873 +40 213121519 arutiera@arr.ro +40 213121081 www.arr.ro 2019-03-08
          Roman Reigns fala sobre o retorno do The Shield      Cache   Translate Page      
Roman Reigns conversou na última segunda-feira (11) com a revista Variety e admitiu que estava nervoso para voltar aos ringues no Fastlane de domingo (10).

"Eu acho que muito disso foi nervosismo", disse Reigns. "Nada te prepara para os ringues como o próprio ringue. Eu tive algumas sessões de treinamento muito boas, alguns ótimos treinos, mas nada é igual a como estar naquele ringue na frente da multidão. Eu estava muito nervoso... mas depois eu me senti bem."

"É um momento único para nós. Crescemos como artistas e jovens para sermos capazes de lidar com uma divisão onde estaremos separados. ... mas foi legal poder deixar isso de lado depois de ficar fora por cinco meses e entreter os fãs. Pareceu adequado voltar e ter o apoio daqueles caras mais uma vez."
          Copter-3.6.7 released!      Cache   Translate Page      

I also have found that the Lidar Lite, v2 doesn’t work in PWM in 3.6.7 Chibios. I’m following.
Has this issue been acknowledged? Has anyone had success with the V2 Lidar-Lite on i2c?
Back in the day i2c was trouble with Lidar-Lite, if that was worked out, perhaps I could just reinstall to the i2c? This worked in a stable manner previously, I hate to mess with success, but I need to be able to move into the future!


          Vicent Soler: ‘Una eficaz gestión de los fondos europeos actúa como un factor de cohesión y fomenta la innovación y la competitividad’      Cache   Translate Page      

El conseller de Hacienda y Modelo Económico, Vicent Soler, ha destacado la “enorme importancia de la gestión eficaz de los fondos europeos para conseguir que la convergencia de las regiones europeas sea real”. Soler ha asegurado además que Europa debe volver a tomar la iniciativa para consolidar su apuesta inicial, marcada por valores de progreso, […]

La entrada Vicent Soler: ‘Una eficaz gestión de los fondos europeos actúa como un factor de cohesión y fomenta la innovación y la competitividad’ aparece primero en Valencia Noticias.


          ENGENHEIRO DE PRODUTO - AUTOMOTIVO - Grupo Selpe - Extrema, MG      Cache   Translate Page      
Fornecer suporte técnico aos clientes OEM e Intercompany -Validar Estatística de Qualidade - PPM e plano de ação;...
De Grupo Selpe - Wed, 13 Mar 2019 13:35:55 GMT - Visualizar todas as empregos: Extrema, MG
          O mais importante princípio do treinamento.      Cache   Translate Page      
Qualidade no treino fator muito importante.
Para se obter melhoras de condicionamento físico, seja abaixar seu tempo em uma determinada distância ou mesmo correr percursos mais longos, você terá que se esforçar em algumas sessões de treinamento. Segundo (GALLOWAY 2009), os exercícios cansam os músculos, estimulam seu fortalecimento e seu funcionamento mais eficiente. Com tudo sem descanso suficiente e adequado os músculos são levados a exaustão ou lesão. O esforço deve ser equilibrado com descanso em quantidade e qualidade suficientes para uma evolução adequada.

Corridas difíceis ou longas sempre precisam ser seguidas por diversos dias mais leves em que o ritmo e distância são reduzidos. Além disso você precisa reservar semanas de descanso em seu programa: a cada duas ou três semanas defende Galloway você deveria automaticamente reduzir a quilometragem total, o que dá aos músculos o tempo extra para se restabelecerem.

Melhoras se baseiam na qualidade de seu trabalho de velocidade e na extensão de sua corrida longa. Ao descansar 1 dia e depois correr mais leve entre esses 2 dias de qualidade, você irá se recuperar, reconstruir-se melhor e reduzir os riscos de lesões. 

Erros comuns que levam a lesões:

* aumentar quilometragem semana após semana.

* fazer corridas diárias rápidas demais

* não descansar o suficiente

Erros comuns levam a lesões.

O que acontece quando o músculo está super estressado?

Os músculos em geral, são capazes de desempenhar a quantidade de trabalho a que estavam acostumados durante os 7 a 14 dias anteriores. Seu treino o fez desenvolver até certo nível de condicionamento. Se você insistir além desse limite, você cansa as células musculares que fazem o verdadeiro trabalho. As células forçadas além de usa capacidades são danificadas com fendas ou lacerações em suas membranas. As mitocôndrias presentes dentro das células incham e o glicogênio armazenados se esgota.

O dia leve : São necessárias em média ( isso vaira entre indivíduos) 48 horas para que o dano relacionado ao treino seja reparado. Com o descanso adequado cada célula é programada para se reconstruir  mais fortemente de modo que possa lidar com uma pressão maior na próxima vez. As paredes da célula se tornam mais fortes, as mitocôndrias aumentam em tamanho e número para processar mais energia, os vasos sanguíneos  e artérias se fortificam, e ao longo dos meses mais capilares são produzidos para melhorar a distribuição de nutrientes e a retirada de resíduos.

A semana leve: O segundo conceito importante de repouso é que leva cerca de 21 dias para os músculos se adaptarem ao estresse quando você está em um programa de treinamento mais exigente. Depois de  aproximadamente 11 dias você  sentirá mais forte, pois os músculos já se adaptaram à metade do estresse provável. Então surge uma grande tentação em pensar que você está pronto para aumentar o estresse novamente, porém seu corpo não está pronto suficiente. Depois de três semanas, ele teoricamente terá se adaptado e estará pronto para a nova carga.




Galloway descobriu que reduzindo o estresse na segunda ou terceira semana de treino, diminuindo em 30% - 50% a quilometragem o corpo se recupera mais rápido e fica pronto para novos desafios. Isso permite que fibras rompidas se restabeleçam , que os músculos descansem  e se recuperem para o novo desafio.

Desta forma percebemos que muito mais que correr cada dia mais longe e mais rápido a boa quantidade e qualidade do descanso são fundamentais para o desenvolvimento na corrida.


Descanso deve ter quantidade e qualidade.




Jeff Galloway

Fonte: Manual de Corrida: lições essenciais para correr co saúde e atingir melhor desempenho / Jeff Galloway; tradução
Henriette Scholtze; revisão técnica Miguel sarkis. -- São Paulo: Editora Gente, 2009.





          Como a Corrida pode mudar sua vida: Relatos      Cache   Translate Page      
Cada vez mais pessoas participam de provas de corrida.

Correr se tornou muito popular e com esse crescimento rápido se tornou uma modalidade esportiva muito praticada nos últimos 5 anos cresceu 50% na cidade de São Paulo o número de eventos. Ouvimos muitas críticas sobre a ocorrência de lesões e que a corrida faz mal ao organismo, vejo isso como um grito de desespero de muitos que vem perdendo clientes para essa modalidade. Quem pretende começar a correr venho aqui deixar um recado, correr é mais do que somente perder peso, ficar sarado, correr não vai fazer você perder massa muscular, precisamos de músculos eficientes para correr, sua bunda não vai cair, são inúmeros as ameaças que temos que lidar diariamente com esse marketing negativo. Porém como corredor à 23 anos deixo aqui meu relato e de alguns alunos que neste ano de 2016 se beneficiaram da prática da corrida com orientação correta, digo isso pois essas pessoas que vem pagando caro com lesões na corrida na sua grande maioria são pessoas que treinam sem orientação, sem fazer fortalecimento específico, e corroboram com esse marketing preconceituoso em relação a corrida. Segue abaixo o relato de alguns alunos do Clube 12 km nesse ano de 2016:

“Correr me deu um sentido na vida, quando adolescente não tinha objetivos na vida e a corrida abriu meus horizontes, me tornei um ser humano que agora tinha um sonho um objetivo. Aprendi a ouvir meu corpo, a me alimentar melhor, hoje após 23 anos de prática não penso em parar, muita coisa mudou o corpo se recupera mais lentamente e isso levo em conta, os tempos não mais importam e sim estar em movimento, dificilmente fico doente, são raras as vezes que isso ocorre, e pretendo correr até o fim da minha vida”.
                                                                                                                                      Luciano Andrade

“Meu interesse pela corrida foi despertado pela necessidade de sair do sedentarismo e para isso precisava encontrar uma atividade física que eu realmente gostasse. Meu inicio de treinamento foi realmente com acompanhamento profissional e me senti segura com a assessoria do prof. Luciano e do David... O inicio não é fácil. o corpo dói. Precisa de perseverança... Mas terminar o treino e extremamente gratificante. Minha expectativa nesse momento e aumentar a distancia de corrida. Conseguir dar uma volta no parque do Ingá.  Correndo, sem caminhar.  A receita e perseverar! Não faltar no treino, mesmo que dê preguiça,  cansaço e dor muscular... A receita é treinar! Também melhorar alimentação.  Ingerir mais frutas legumes e verduras.  Cortar os doces e refrigerantes.  Estou no clube faz uns 60 dias.  Já perdi 8 kg e já corro 5 km”
                                                                                                                                             Renata Hirata

“Minha esposa já corria no Clube 12 km e demorei um pouco para iniciar nessa atividade, nesse período de dois anos que estou na corrida já se foram vinte e três quilos e em setembro desse ano completei minha primeira meia maratona, ou seja, 21 km em Foz do Iguaçu e reconheço que toda a diferença está em se treinar com boa orientação. A receita é ter força de vontade e nunca desistir dos seus objetivos”

                                                                                                                                      Fernando Altafini

“ Comecei na corrida aos poucos, em 2015 tive uma lesão no joelho que me afastou da prática por uns meses ao retornar com o auxílio do Professor que me deu coragem de voltar pois tinha receio de me machucar pequei mais firme nos treinos, dieta e fortalecimento, em um desafio em minha academia que participei, marcava pontos ao treinar com orientação e assim em três meses consegui eliminar onze quilos de gordura e correr de forma mais tranquila e segura, a meta agora é continuar os treinos para correr 10 km em abril e eliminar ainda mais um pouco de peso .”
                                                                                                                                                  Beth Aoki

Corro a quinze anos desses  três anos de treino orientado, estou correndo mais e melhor do que corria a dez ou quinze anos. Com quarenta e dois anos de idade completei uma maratona, mantendo-se bem do início ao fim e com uma recuperação muito rápida e sem qualquer incômodo. Há quinze anos, quando comecei a participar de provas, corria dez e até 21 quilômetros, porém com sofrimento, pois treinava sem orientação.
                                                                                                                                           Clodimar Dias

Comecei a correr a oito anos na esteira da academia e logo fui para as ruas, lá fiz muitos amigos e hoje sob a orientação do Professor Luciano venho obtendo meus melhores resultados, além de nunca me lesionar coleciono nesse ano de 2016, oito troféus sendo sete na categoria geral e um na categoria por idade. Cuido da minha alimentação e fortalecimento específico com minha personal. A corrida é para mim algo que sempre me proporcionou bem estar sem contar um excelente exercício para mente, hoje  minha expectativa é manter meu corpo saudável.
                                                                                                                                                Jane Souza

Comecei na corrida como um complemento a academia e hoje tenho um foco de melhora de resultados, estou no clube 12 km a pouco tempo a já senti muita diferença no treino orientado, com as planilhas senti uma melhora substancial em meus resultados, que sozinha não teria obtido, meus melhores tempos são nos 10 km T = 46.09 primeiro lugar na prova Paraná Running. Nos 21 km tenho 1h 40 min. obtendo segundo lugar na meia de Londrina e meu primeiro pódio geral se deu na Prova Teresinha Guilhermina onde fiquei em 3° Com 34 minutos para os 8 km
                                                                                                                                        Camila Carolina

Posso dizer que a corrida hoje é fundamental na minha vida, meu ponto de equilíbrio, com ela tenho a saúde física, mental e força para enfrentar os desafios da vida.Atualmente, nesse desafio de limites, busca de autoconhecimento e um pouco de audácia, pretendo estrear em ultra maratona (patagônia run 70 km). Essa busca faz com que eu mantenha o foco e disciplina para seguir com os treinamentos.
                                                                                                                                                                       Lucia Machado


Muitos são os motivos e metas que levam as pessoas a correrem e estabelecerem desafios cada vez maiores, correndo nos tornamos seres humanos integrais, conquistamos saúde física e mental, nos aproximamos de Deus, precisamos dele e de sua força para conquistar objetivos realistas e cada vez maiores. Um 2017 com muitas conquistas para todos nós. E que você que ainda não corre, não se apegue nesse marketing negativo, tente começar a correr, como você viu em alguns relatos não é fácil porém muito prazeroso após de adquirir a corrida como hábito de vida.




























Luciano Andrade
Diretor Técnico Clube 12 km.

          CORRENDO NO FRIO      Cache   Translate Page      
Homeostasia significa equilíbrio, nosso organismo trabalha o tempo todo para se manter dessa forma todos os fatores externos que tentam alterar essa homeostasia como frio, calor exercícios , alimentação produzem alterações internas que devem ser observadas e tomadas medidas para que esse processo de desequilíbrio não seja muito danoso.
Agora nesses meses começamos a lidar com as baixas temperaturas e o que isso causa em nosso organismo, é saudável fazer exercícios e quais vestimentas podemos utilizar várias são as alterações e dúvidas. Entre as alterações que ocorrem no nosso organismo em dias mais frios estão os tremores e diminuição da frequência cardíaca e da pressão arterial.
O organismo humano é homeotérmico, ou seja, mantém a temperatura do seu corpo regulada entre 36 e 37,5 graus, seja inverno ou verão. "Nós controlamos a nossa temperatura independente do que esta acontecendo no ambiente. Se está muito frio, nosso corpo sofre alterações para que volte a temperatura estável do corpo. No tempo quente, a gente sua mais para tentar resfriar o corpo e manter a temperatura. Já no frio suamos menos para não perder temperatura", explica Alexandre Galvão da Silva, fisiologista do exercício e professor-pesquisador do Laboratório de Fisiologia do Exercício Físico e Saúde da Faculdade de Educação Física da Universidade Santa Cecília (Unisanta).
Entre as alterações que ocorrem no nosso organismo em dias mais frios estão os tremores e diminuição da frequência cardíaca e da pressão arterial. "Tudo isso ocorre com o intuito de manter a temperatura interna do corpo estável. Para que ocorra diminuição da perda de água ocorre uma vasoconstrição (contração) das artérias, então chega menos sangue nas extremidades (mãos e pés), por isso sentimos mais frios nessas regiões, para que órgãos vitais internos, como coração e pulmões, fiquem aquecidos", afirma o fisiologista.
Ainda segundo o professor-pesquisador, a falta de hidratação no corpo pode deixar as pessoas mais propensas a ficar com a pele e lábios ressecados. "Mesmo que não sinta necessidade de tomar água, ingerir de 1,5 litros a 2 litros é essencial".
Para a prática de exercícios principalmente ao ar livre como a corrida o ideal é realizar um pré aquecimento com uma caminhada de 10 minutos alongar e começar a corrida em um ritmo mais lento para que a temperatura de trabalho do músculo seja atingida de forma segura sem riscos de estiramentos. Realizar atividades contínuas evitar intervalos muito longos para que a temperatura corporal não baixe muito. As vezes em um treino muito intenso uma redução de ritmo pode provocar um congelamento de suor levando o indivíduo a um hipertermia que é um estado patológico de temperatura interna inferior a 35° que se não combatida pode levar a morte.
Os sintomas de hipotermia leve incluem:
  • Temperatura corporal entre 33 e 35ºC;
  • Tremores;
  • Pés e mãos frios;
  • Dormência nos braços e pernas;
  • Perda de destreza;
  • Cansaço.
Os sintomas de hipotermia moderada podem ser:
  • Temperatura corporal entre 30 e 33 ºC;
  • Tremores violentos e incontroláveis;
  • Discurso lento e tremido;
  • Respiração mais lenta e fraca do que o normal;
  • Pulsação fraca;
  • Dificuldade em controlar os movimentos do corpo;
  • Falta de atenção;
  • Perda de memória ou sonolência.
Os sintomas de hipotermia grave ou severa incluem:
  • Temperatura corporal abaixo de 30ºC;
  • Perda do controle dos membros inferiores e superiores;
  • Perda dos sentidos;
  • Respiração superficial, podendo até parar;
  • Pulsação irregular ou até mesmo inexistente;
  • Pupilas dilatadas.

Para atividades ao ar livre usar roupas de frio tecnológicas com diversas camadas e corta ventos para impedir o congelamento, proteger bem as extremidades com toucas e luvas, Nada de roupas muito quentes tipo lãs que podem provocar uma elevação muito grande da temperatura interna.

O importante é se proteger do frio, porém sem deixar de fazer seu exercício diário por causa da baixa temperatura que às vezes pode ser desmotivante, garanto que aquela corridinha no frio vai lhe trazer muito mais benefícios pós treino, fica mais fácil até para tomar aquele banho quentinho.




          Izquierda Unida y Podemos, juntos a las elecciones municipales de Hoyo de Manzanares      Cache   Translate Page      
Las organizaciones Izquierda Unida y el Círculo de Podemos de Hoyo de Manzanares han llegado a un acuerdo para concurrir como coalición a las elecciones municipales que tendrán lugar el domingo 26 de mayo de 2019, bajo el nombre de Izquierda Unida-Podemos.
“La colaboración de ambas organizaciones busca hacer de nuestro pueblo un lugar vivo, solidario y sostenible, así como consolidar el voto de izquierda y de progreso”, según han comentado en nota de prensa.
María Jesús Cimadevilla, actual concejal de Izquierda Unida, encabezará la candidatura, acompañada por Bernardo Martínez de Albornoz y Vanilda Moreira, ambos también de Izquierda Unida, y por Carlos Aguado, Paz Prada y Sabino Samplón de Podemos. Matilde Tenorio y José Ramón Mendoza cerrarán la lista en los puestos doce y trece, respectivamente.
En las fotos, de izquierda a derecha, los primeros cuatro de la lista: María Jesús Cimadevilla, Bernardo Martínez de Albornoz, Vanilda Moreira y Carlos Aguado.
          Quanergy and Athena offer LiDAR tech to the Indian market      Cache   Translate Page      
LiDAR manufacturer expands availability to cater for innovative smart sensing solutions.
          Reuniões: como elas matam as boas ideias      Cache   Translate Page      

Publicado na Super Interessante

Colegas chatos, discussões bestas, tempo perdido. Você detesta as reuniões do seu trabalho? A maioria das pessoas odeia. Com motivo: estudos mostram que elas não são eficientes e têm o poder de deixar as pessoas mais burras. Veja por que é assim, e o que pode ser feito para transformar as reuniões em algo mais útil – e até divertido.

Você se prepara, faz a lição de casa, respira fundo e senta à mesa. Seu chefe e a equipe já estão lá, mas aquele colega atrasadinho não – e o grupo espera meia hora por ele. Você está irritado porque desperdiçou um tempo precioso, mas sabe que o pior está apenas começando. Um após o outro, os personagens típicos de reunião se apresentam. O tagarela, o puxador de tapetes, o despreparado, o oportunista, o indeciso, o bajulador. Todo mundo fala, fala, fala por horas e horas, batendo cabeça e girando em falso até que, por mero cansaço, uma ideia qualquer é eleita a vencedora. Acabou a reunião. E você, no meio desse turbilhão de bobagens, não conseguiu nem se explicar direito – ou, se conseguiu, ninguém deu muita bola. A coisa é tão grave que, nas empresas em que a confirmação por e-mail em uma reunião inclui automaticamente aquele evento na agenda pessoal, muitos funcionários inventam compromissos nos horários em que precisam trabalhar de verdade – e assim a agenda fica travada, evitando mais perdas de tempo com conversas em grupo que não levam a lugar nenhum. Mas se todo mundo odeia reuniões e sabe que elas são um problema, por que fazemos tantas? Não existe mesmo uma alternativa melhor, ou um jeito de torná-las mais produtivas?

Talvez as reuniões da sua empresa não sejam exatamente desse jeito. Mas provavelmente elas têm alguma semelhança com o cenário descrito acima. Tanto é que, numa pesquisa feita com 2 mil executivos brasileiros, 69% disseram que odeiam reuniões. E estamos falando de executivos, que são especialistas em fazer reuniões; entre os demais cargos, a ojeriza tende a ser maior ainda. “Se você conversar com qualquer pessoa, aleatoriamente, ela vai dizer duas coisas: que ganha mal e perde muito tempo em reunião”, afirma Marcos Minoru, professor de administração de empresas na Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado (Fecap). A mesma pesquisa constatou que 70% das reuniões não chegam a lugar nenhum, e uma empresa média, de 100 funcionários, desperdiça R$ 500 mil anuais com o tempo perdido nelas. Ou seja: além de você estar sofrendo na reunião, o seu patrão está jogando R$ 5 mil fora.

Mas espera aí. Reunir várias pessoas para debater um problema não deveria ser a melhor forma de resolvê-lo? Deveria, mas na prática acaba não sendo. E o problema está justamente no estilo moderno de fazer reunião: o chamado brainstorming, onde todos os presentes podem opinar sobre todos os assuntos em debate. É a maneira mais democrática de fazer reunião, e a mais comum hoje em dia. Ela foi inventada pelo publicitário americano Alex Osborn, que passou 20 anos estudando os mecanismos do trabalho e, em 1953, publicou o livro Applied Imagination, onde apresentou o termo brainstorming e o conceito de reunião livre, onde todo mundo pode falar. Para Osborn, o importante era criar um ambiente descontraído, que gerasse muitas ideias. Em meio ao turbilhão de propostas bestas, fatalmente surgiriam algumas geniais. A quantidade levaria à qualidade. “Era uma tentativa de acabar com os bloqueios psicológicos que poderiam barrar a apresentação de sugestões”, diz a psicóloga americana Linda Spears-Bunton. E as reuniões democráticas ganharam o mundo. Mas não deram certo. “Hoje sabemos que apenas uma em cada quatro reuniões de brainstorming gera resultado concreto”, afirma Linda.

Como sabemos? É que um estudo publicado neste ano aponta que as pessoas são mais inteligentes, e tomam melhores decisões, quando estão sozinhas. Psicólogos da Universidade de Haifa, em Israel, apresentaram uma bateria de perguntas e problemas para que voluntários resolvessem. Metade dos voluntários trabalhava sozinha. A outra metade se reunia em grupos. Resultado: os solitários sempre foram melhor do que os grupos. Acertaram mais respostas e propuseram soluções mais pertinentes. “Não há dúvida de que o pensamento solitário é mais produtivo”, diz o psicólogo Asher Koriat, autor da pesquisa. Segundo ele, isso acontece por dois motivos. O primeiro é que, durante as reuniões, os indivíduos mais extrovertidos sempre acabam dominando o debate – e colocando os mais tímidos para escanteio. E os extrovertidos não são necessariamente mais competentes. Mas são mais persuasivos, e conseguem convencer o grupo das maiores bobagens. O outro motivo é que, quando uma pessoa pensa sozinha, consegue exercer mais senso crítico e não se distrai com a interação social.

Isso significa que devemos acabar com as reuniões, então? Não. Koriat propõe um meio termo. “O intercâmbio de ideias deveria envolver menos pessoas, e só acontecer depois que cada profissional tivesse feito a respectiva lição de casa”, afirma. “Quando o brainstorming acontece no começo de um projeto, a chance de uma bobagem dita com estilo se tornar regra, e atrapalhar todo o processo dali para a frente, é muito grande.”

Como na escolinha
A falta de objetividade nas reuniões de trabalho é cultural. Lembra dos seus trabalhos de escola? A professora passava uma tarefa em grupo e um dos alunos convidava os outros para se reunir na casa dele. Cada um chegava numa hora, a maioria dos colegas não estava a fim de nada, e sempre aparecia a mãe do dono (ou dona) da casa para conferir se todo mundo estava se comportando ou oferecer um lanche. Alguém sempre sugeria deixar para depois e aproveitar a tarde para jogar bola. Claro que todo mundo voltava para casa sem que o trabalho estivesse pronto. “Se você aborda um desconhecido na rua, é porque quer uma informação objetiva, como a direção de uma rua ou que horas são. Mas organizamos reuniões sem saber exatamente qual problema queremos solucionar. É como se o simples fato de todos sentarem ao redor de uma mesa fosse resolver tudo”, diz Adrian Furnham, psicólogo especializado em gestão empresarial e professor da University College London. “Parece que muitas vezes a sala onde a conversa vai acontecer e a comida que vai ser servida é mais importante do que o assunto que vai ser tratado.” Vai dizer que você nunca sugeriu que o trabalho da escola fosse feito na casa onde o lanche era mais gostoso? “Fazemos a mesma coisa na fase adulta, só que com terno e gravata e ganhando dinheiro para isso”, afirma o consultor empresarial Christian Barbosa, autor do livro Estou em Reunião e organizador da pesquisa com 2 mil executivos que citamos no início desta reportagem. Ou seja: nas reuniões, agimos como crianças.

E, sempre é bom lembrar, como bichos também. No fundo, a vida profissional não é assim tão diferente da dinâmica social enfrentada por lobos e macacos, com disputas e demonstrações de poder. “Da mesma forma que os lobos arrepiam os pelos e arreganham os dentes para mostrar força, os executivos convocam reuniões para reforçar sua posição de poder”, diz Linda Spears-Bunton. Preste atenção àquele chefe que vive marcando reuniões: no fundo, ele precisa dessas demonstrações públicas de controle sobre o grupo. Não é uma falha de caráter. É uma tendência natural. Mas pode ser contornada.

Scott Snair, autor de livros de negócios como Chega de Reunião, sugere que cada problema seja delegado a uma única pessoa, e ela responda a um só chefe. “Por mais antiquada que possa parecer, a hierarquia tem suas vantagens. A pessoa sabe claramente a quem se reporta, e o chefe se dedica a avaliar propostas concretas, sem a necessidade de ficar fazendo questionamentos só para manter seu status”, diz Snair. Algo parecido com isso acontece na Apple, por exemplo, onde cada questão é atribuída a um Directly Responsible Individual (Indivíduo Diretamente Responsável), que tem a palavra final sobre a discussão.

Até pela velocidade com que têm de desenvolver novos produtos, são justamente as empresas de tecnologia as mais empenhadas em acabar com as reuniões chatas. E a primeira estratégia é fazer reuniões mais curtas – e mais frequentes. Uma pesquisa feita em 6 mil companhias dessa área constatou que, em quase 80% delas, as reuniões são diárias e duram no máximo 15 minutos. “Assim conseguimos identificar os ‘enrolões’. O grupo se automonitora e ninguém fica parado”, diz Heber Mantovani, diretor da empresa de software e-comBR. Também virou moda usar objetos para evitar que as pessoas falem demais. Numa divisão da Microsoft, por exemplo, as reuniões contam com a participação de Ralph – uma galinha de borracha que a pessoa precisa segurar enquanto está falando. E algumas reuniões são propositalmente agendadas nas escadarias da empresa, onde não há aquecimento (calefação). A ideia é que, como estão com frio, as pessoas sejam objetivas. Dá resultado: as reuniões na escadaria costumam durar no máximo dez minutos.

No Facebook, o truque é marcar as reuniões logo antes da hora do almoço. “Isso motiva as pessoas a falar menos”, disse o engenheiro Mark Tonkelowitz ao Wall Street Journal. Na empresa de softwares Hashrocket, nos EUA, as reuniões usam uma bola de cinco quilos – quem fala deve segurar o objeto. Na brasileira Locaweb, que presta serviços de tecnologia, as reuniões diárias são feitas com a equipe em pé. Quem está falando segura uma bola de basquete, e a duração do encontro é cronometrada. “Com essas reuniões rápidas, conseguimos encurtar em 30% o tempo de desenvolvimento de um software”, diz Luis Carlos dos Anjos, gerente de marketing da empresa.

Vale tudo para manter o foco. Até apelar para pequenos truques. “Certa vez, em uma empresa, o presidente contratou um garçom para entrar na sala durante uma reunião importante”, conta Sérgio Coffoni, da consultoria de recursos humanos Hay Group. Quando o garçom ia servir o café, perguntava baixinho para cada participante o que ele achava do assunto que estava sendo debatido. Era uma maneira de fazer as pessoas pararem de viajar e prestarem atenção à reunião.

Mas e se tudo isso falhar, e você perceber que está preso em mais uma reunião torturante e interminável? “Dê um jeito de se ocupar, sem parecer que está distraído, ou participe ativamente”, diz o psicólogo alemão Ulrike Nett, autor de estudos sobre tédio em reuniões. Segundo ele, você pode se distrair e viajar à vontade quanto o assunto não for da sua alçada. Basta fazer cara de quem está prestando atenção – e ouvir por alto o que está sendo dito, para não ser pego de surpresa. A outra estratégia é se engajar: porque se você participa, a reunião passa mais rápido, e você pode apresentar informações e opiniões coerentes para resolver o debate e encerrar a reunião. Ou, no mínimo, se divertir com ela.

***

Sala de guerra
Os tipos mais comuns nas reuniões – e como você pode lidar com eles

O revoltado
Está insatisfeito com a empresa e quer angariar companheiros de luta. Faz pose de irritado e reclama de praticamente tudo.

Como lidar: Ignore o sujeito. Não tome as dores dele. Se você der corda, ele irá tumultuar a reunião – e acabará reclamando até de você.

O puxa-saco
Não tem ideias próprias e fica quieto até que o chefe abre a boca. Aí, começa a concordar com todos os argumentos dele.

Como lidar: Elogie a ideia do seu chefe e estimule o puxa-saco a desenvolvê-la. Ele não vai conseguir – e se enforcará com a própria corda.

O puxador de tapete
Em vez de propor coisas novas, parece mais interessado em detonar todas as sugestões que você está dando.

Como lidar: Responda com dados e argumentos objetivos. Se isso não for possível, mude de assunto.

O tímido
Costuma ter boas sugestões, mas não abre a boca. Quando vira centro das atenções, fica vermelho e balbucia argumentos que ninguém entende.

Como lidar: Ajude-o a desenvolver a própria ideia. Se você for o tímido, lembre-se de que é apenas uma reunião.

O humorista
Fica interrompendo a reunião com piadinhas – que já contou trocentas vezes e não têm a menor graça.

Como lidar: Continue o que estava dizendo. Se você pedir para o sujeito calar a boca, ficará com fama de mal-humorado.

O tagarela
Fala sobre o que sabe e o que não sabe, tem opinião sobre tudo. Monopoliza as discussões e se acha o dono da verdade.

Como lidar: Evite bater de frente com ele – isso só fará o sujeito falar ainda mais. Dirija-se aos demais participantes para mudar o rumo da conversa.

O workaholic
Trabalha muito e conhece tudo da empresa, mas tem pouca paciência com a opinião dos outros. Pode ser grosseiro.

Como lidar: Tenha paciência, principalmente se ele estiver certo. Se ele for indelicado com você, rebata com bom humor.


          Team Leader - KRP GEO SOLUTION - Loyla College, Tamil Nadu      Cache   Translate Page      
Hydro vectorization and Hydro flattening. LiDAR data classifications (DTM &amp; DSM feature classification).... ₹20,000 - ₹25,000 a month
From Indeed - Tue, 12 Mar 2019 09:07:26 GMT - View all Loyla College, Tamil Nadu jobs
          Senior Lidar Executive - KRP GEO SOLUTION - Loyla College, Tamil Nadu      Cache   Translate Page      
Hydro vectorization and Hydro flattening. LiDAR data classifications (DTM &amp; DSM feature classification).... ₹15,000 - ₹22,000 a month
From Indeed - Tue, 11 Dec 2018 06:11:19 GMT - View all Loyla College, Tamil Nadu jobs
          "Temos o poder de andar sobrenaturalmente sobre as águas", diz apóstolo      Cache   Translate Page      
O apóstolo Estevam Hernandes ministrou na ceia de dezembro, realizada neste sábado, 4 de dezembro, no pavilhão amarelo da Expo Center Norte, em São Paulo. Como base no texto de Mateus 14, Ele ministrou sobre ‘‘Como andar sobrenaturalmente sobre as águas’’.


‘‘Quando alguém ultrapassa os limites daquilo que é natural, ele venceu uma barreira. Nós temos andado sobre as águas. Todos os dias, nosso trabalho, nossa vida, tem sido dedicada a Deus. Não recuamos um milímetro diante de adversidades, traições e ingratidões. Muitas vezes sofrendo em nosso corpo a injustiça. Mas algo sobrenatural nos faz ir além, nos impulsiona, há uma dimensão que somente os que andam com Deus podem estar’’, afirmou.

‘‘Quem não tem Deus vai para um caminho de depressão, mas os que esperam no Senhor renovam as suas forças, recebem essa capacidade de ir além. A vontade de Deus é que possamos invadir o sobrenatural’’, disse ele.

O apóstolo falou que quando Moisés chegou com o povo de Israel a Mara, as águas não podia ser bebidas. Mas Deus mandou Moisés colocar um galho nas águas e elas se transformaram em águas potáveis. ‘‘Isso aconteceu logo depois da murmuração do povo. Como aquele povo não haviam aprendido andar no sobrenatural, eles não puderam desfrutar o milagre. Eles não entendiam que Deus poderia dar coisas superiores. Eles beberam aquelas águas, mas não desfrutaram das águas da vida.’’

Ele falou ainda de Números 20.11, quando o povo pressionou Moisés e Arão também por falta d’água. ‘‘E Deus disse a Moisés para que falasse à Rocha, mas ele bate na Rocha. A água sai, mas o milagre também foi obtido pela murmuração. Eles morreram no deserto por causa da murmuração. O Senhor disse que aquela geração não entraria na Terra Prometida. Todos morreram no deserto porque não souberam andar no sobrenatural.’’

‘‘O que isso tem a ver com andar sobre as águas? Estes são milagres sobrenaturais que envolviam águas, mas o povo manteve seu coração fechado. Pedro, no entanto, experimenta uma dimensão das realizações do Senhor. Ele foi o primeiro apóstolo e o único a andar sobre as águas. Temos que caminhar nesta dimensão sobrenatural, nós não morreremos no deserto.’’

‘’Deus vai tirar do caminho aqueles que acham que podem brincar com Deus, que querem invalidar o poder desta Palavra. Não posso dizer que teoricamente Pedro andou sobre as águas! Temos que acreditar que Deus é Deus! Temos que crer que Deus pode fazer o impossível. Deus está esperando que se manifestem os que crêem. Se Ele encontrar fé, o milagre vai acontecer!’’, afirmou o apóstolo.

Como fazer para ter a experiência de Pedro?

1. No meio da aflição, temos que ouvir uma voz diferente (Ap 15). ‘‘As ovelhas ouvem a voz das muitas águas. Pedro, em meio à tempestade, ouviu a voz do Senhor Jesus. Quando ouço a voz do Senhor, sei que posso vencer o impossível!’’

2. Você não vai ficar no deserto, que representa luta. ‘‘Quanto mais o barco balançar, maior será o livramento. Não morreremos no deserto, vamos chegar à terra da promessa. A carne nos faz morrer no deserto, ela quer te ver acabado. Mas o Espírito está te dizendo que não vai permitir que você afunde!’’.

3. Você vai andar no lugar onde você nunca teve vitória! ‘‘A Terra de Canaã não era para os incrédulos. Era uma terra da derrota, do impossível, local que jamais poderiam imaginar tomar posse. Mas Deus está dizendo que seus pés vão andar onde humanamente você não poderia andar. Os seus pés vão andar em vitória!’’.

Com a bênção do Senhor, temos a autoridade para transformar situações, porque fomos batizados com o sobrenatural, disse ele. ‘‘Nós temos o poder transformador. Pedro teve graça e ele se transformou em um grande apóstolo. Você tem poder de transformar suas quedas num futuro glorioso. Temos o poder de transformar gentios em homens cheios do Espírito Santo de Deus! A Igreja vai transformar o Brasil!’’.



Texto – Pra Cláudia Pires
          "Vamos Orar pelo Chile"      Cache   Translate Page      
Chile tem mais de 140 tremores secundários em 48 horas
Fonte: BBC Brasil

Dezenas de tremores secundários vêm sacudindo o Chile desde o grande terremoto de magnitude 8,8 registrado na madrugada de sábado.
Segundo os dados da agência geológica americana (USGS, na sigla em inglês), que monitora abalos sísmicos em todo o planeta, entre as 3h34 de sábado (mesmo horário de Brasília), quando foi registrado o primeiro e mais forte tremor, até as 7h desta segunda-feira, foram 148 terremotos de magnitude superior a 4,5 – oito desses tiveram magnitude superior a 6.
A grande maioria desses tremores secundários tiveram epicentros nas regiões de Maule e Bío Bío, as mais afetadas pelo primeiro tremor, no sábado, mas também houve registros de tremores com epicentros nas regiões próximas de Valparaíso, Araucanía, Libertador General Bernardo O´Higgins e na região metropolitana de Santiago.
O total de mortes confirmadas em consequência do terremoto de sábado chegou a 711, mas a presidente Michelle Bachelet disse que esse número deve aumentar ainda, devido ao grande número de pessoas ainda desaparecidas.
Equipes de resgate ainda tentam retirar dos escombros dezenas de pessoas presas sob edifícios que ruíram na cidade de Concepción, a segunda maior do país e o centro urbano mais próximo do epicentro do terremoto (90 quilômetros).
Muitos moradores da região passaram sua segunda noite ao ar livre, com temor de retornar às suas casas danificadas pelo tremor.
Ajuda
As autoridades chilenas prometeram o envio de ajuda para milhares de pessoas que ficaram desabrigadas nas cidades costeiras mais atingidas pelo terremoto e por tsunamis gerados pelo tremor.
Após uma reunião do Comitê de Emergência no domingo, Bachelet anunciou os detalhes de um plano de ação para enfrentar a devastação causada pelo terremoto do sábado.
Entre as medidas está a imposição de um toque de recolher às regiões de Maule e Bío Bío, declaradas como zonas de catástrofe.
Também foi anunciado o envio de 10 mil militares para auxiliar a polícia de Concepción, na região de Bío Bío, a evitar saques.

Compare a foto tirada em 23 de fevereiro, antes do terremoto, com uma feita no dia 27.

“Estamos diante de uma catástrofe de magnitude tão inimaginável que pedirá um gigantesco esforço”, afirmou Bachelet, que também se reuniu na noite deste domingo com o presidente eleito, Sebastián Piñera, que toma posse no dia 11.
Após a reunião de uma hora com Bachelet, Piñera reuniu seu próprio futuro gabinete para discutir os trabalhos de reconstrução que deverão assumir a partir da próxima semana.
“Conversamos com a presidente sobre a forma de enfrentar esta emergência, porque a partir do terremoto, e nos dias que se seguem, há demandas muito urgentes”, afirmou Piñera.
Alimentos
Michelle Bachelet também anunciou o início imediato da distribuição gratuita de alimentos de primeira necessidade nas áreas mais devastadas pelo terremoto, entre elas Concepción.
Apesar da reabertura de estradas e do aeroporto de Santiago, os grandes danos ainda estão impedindo os trabalhos das equipes de resgate e há muita dificuldade para se chegar aos que ainda estão soterrados nos escombros.
Cerca de 1,5 milhões de residências foram danificadas e, de acordo com Bachelet, cerca de 2 milhões de pessoas foram afetadas pelo terremoto. Foi o maior tremor registrado no país em 50 anos.
A companhia de avaliação de riscos americana Eqecat calculou que os prejuízos se situem entre US$ 15 bilhões e US$ 30 bilhões, equivalentes a algo entre 10% e 15% do Produto Interno Bruto (PIB) chileno.
Em cidades costeiras, como Talcahuano, perto de Concepción, tsunamis gerados pelo tremor destruíram instalações portuárias e a infraestrutura próxima do mar.
Na cidade costeira de Constitución, na região de Maule, também atingida por tsunamis, foram encontrados 350 corpos.
Em Curicó, a 180 km ao sul de Santiago, cerca de 90% do centro histórico da cidade foi destruído.
Saúde
O comitê liderado por Bachelet concluiu que o setor de saúde é o que, no momento, requer medidas mais urgentes.
Para lidar com as emergências no país, a presidente informou que vai usar toda a rede pública de saúde para atender pacientes em situação crítica, enquanto continuam os transportes de hospitais destruídos ou fechados nas áreas mais atingidas até outros centros de assistência que estão funcionando.



"Vamos buscar soluções distintas, como hospitais de campanha, mas também vamos adaptar locais que permitam a implementação de soluções no médio prazo", afirmou Bachelet.
O comitê também determinou o envio de cerca de 400 urbanistas para as ruas das áreas afetadas pelo terremoto para avaliar a situação dos prédios. Entre estes prédios haveria muitos que não apresentam problemas visíveis, mas poderiam ter problemas estruturais graves.


          Ciudadanos plantea impedir la ampliación por decreto de los permisos de paternidad       Cache   Translate Page      

Ciudadanos plantea impedir la tramitación de las medidas en materia de igualdad que aprobó el Gobierno y que se tienen que convalidar en el Congreso. El partido de Albert Rivera ha anunciado este miércoles que ha solicitado un informe sobre la constitucionalidad del decreto ley que iguala los permisos de paternidad y maternidad. En su opinión, el Ejecutivo de Pedro Sánchez pretende modificar una ley orgánica haciendo uso de un instrumento jurídico que, a su juicio, no lo permite. Además, la Diputación Permanente podrá enmendar los decretos.

El representante de Ciudadanos en la Mesa de la Diputación Permanente, Ignacio Prendes, ha anunciado que su grupo ha pedido un informe a los letrados de la Cámara porque el decreto de igualdad, que recoge entre otras medidas la equiparación de los permisos entre progenitores, modifica una ley orgánica. Según Ciudadanos, esa figura legislativa no puede modificar una norma de ese rango.

"Tenemos muchas dudas de que esto sea posible y no sea inconstitucional. No creemos que se pueda modificar una ley orgánica", ha asegurado al finalizar la reunión de la Mesa. Prendes ha recordado que "existe una sentencia del Tribunal Constitucional que declaró inconstitucionales varios artículos diciendo que un decreto ley no puede modificar materias de una ley orgánica".

El PSOE acusa a Ciudadanos de "rayar la prevaricación"

Sin embargo, fuentes socialistas se muestran convencidas de que el decreto de igualdad laboral cumple con la Constitución porque modifica una ley pero no los aspectos orgánicos de la misma. "La ley orgánica 3/2007 no es orgánica en su totalidad. Solo una parte. Lo que se modifica con el decreto ley es la parte no orgánica", explican esas fuentes. Esa ley de igualdad de 2007 tiene como aspectos orgánicos, por ejemplo, la paridad en las listas electorales. 

El número dos del Grupo Socialista, Rafael Simancas, ha cargado duramente contra Ciudadanos, a quien ha acusado de "rayar la prevaricación" al intentar que un decreto no se tramite en el Congreso. "La Constitución en artículo 78 y en el 86 deja clarísimo que los reales decretos se tienen que someter a la convalidación del Congreso y no hacerlo es caer en delito de prevaricación", ha advertido el dirigente socialista, que ha asegurado que los argumentos de Ignacio Prendes son "excusas": "No es verdad que haya precepto orgánico alguno que esté incluido en el decreto de igualdad", ha dicho sobre la modificación legislativa. Además, ha explicado que los letrados de la Cámara ya se lo han dicho de forma "verbal" a los representantes de la Mesa en la reunión de este miércoles. 

La resolución de este nuevo conflicto parlamentario se producirá previsiblemente este jueves, cuando la Mesa del Congreso se reunirá de nuevo para abordar el informe que Ciudadanos ha solicitado a los letrados. Los servicios jurídicos del Congreso tendrán que determinar si el decreto ley que el Gobierno aprobó hace ya diez días cumple con la normativa o, si como sostienen los de Rivera, pretende legislar con esa figura más allá de lo que ésta le permite.

Ciudadanos considera que la Mesa del Congreso puede impedir la convalidación del decreto si los letrados consideran que vulnera la legislación al modificar una ley orgánica. El PSOE sostiene que el decreto debe tramitarse en cualquier caso y que debe ser "el pueblo español representado en la Diputación Permanente" el que se pronuncie. "Quien establece la constitucionalidad es el Tribunal Constitucional", ha rematado Simancas. 

El Congreso podrá enmendar los decretos de Sánchez

En la reunión de este miércoles, la Mesa ha visto, además, el informe de los letrados que solicitó la presidenta, Ana Pastor, sobre cómo se deben tramitar los decretos ley que el Gobierno ha aprobado una vez que las Cortes están disueltas y es la Diputación Permanente la que se hace cargo de la actividad de la Cámara. 

La conclusión es que ese órgano interino puede convalidar los decretos y después tramitarlos como proyectos de ley –esto es que los grupos puedan hacer cambios al texto– si así lo decide una mayoría parlamentaria. Los plazos para la tramitación –que incluiría también al Senado– los irían disponiendo las Mesas de ambas Cámaras con una fecha tope: el 20 de mayo, un día antes de que se constituyan las nuevas Cortes tras las elecciones generales. El Senado puede oponerse al proyecto de ley o enmendarlo. En caso de que lo vete, el texto vuelve al Congreso, que debe aprobarlo por mayoría absoluta. 

Por ahora, los cuatro decretos que ha aprobado el Gobierno desde que Pedro Sánchez anunció la convocatoria de elecciones para el 28 de abril –igualdad laboral, vivienda, medidas de contingencia para hacer frente a un Brexit sin acuerdo y medidas sociales como la recuperación del subsidio para parados mayores de 52 años– están en riesgo. Ni ERC, ni PDeCAT ni PNV garantizan su apoyo y critican la actitud del Gobierno de legislar hasta el último minuto porque consideran que se trata de propaganda electoral. 


          Welcome to the Flood Zone: March 2019      Cache   Translate Page      
Topics addressed in this issue include:

In the News: "Feds Issue Final Rule Changes on Nation's Flood Insurance Program" and "FEMA's Panel of Flood Experts Unable to Meet as Losses Mount"
NFIP Guidance: Coastal Barrier Resources System - 2019 Changes
Resources: "What is LiDAR?", "Using LiDAR for Map Amendments" and "How Stormwater Affects Your Rivers"
Real Estate Corner: "3 Ways Real Estate Developers Can Stay Ahead of Climate Change" and "How Sea Level Rise, Flooding Are Affecting N.H.'s Seacoast Real Estate"
History Corner: "The Raging Blizzard That Killed Mr. and Mrs. Tarbox in 1819"

Read full text: https://madmimi.com/s/70dccd
          Casado pide a Vox que no se presente en provincias pequeñas para no beneficiar al PSOE      Cache   Translate Page      

El líder del PP, Pablo Casado, ha pedido a los «partidos nuevos» que hagan una «reflexión» sobre si conviene que concurran o no en las circunscripciones pequeñas en las elecciones generales de abril, ya que, según ha dicho, eso hará que se «divida el voto» del centro-derecha y, por lo tanto, salga beneficiado el PSOE y Podemos.

Así se ha pronunciado en un acto en Zaragoza con afiliados del PP, donde ha puesto en valor que el Partido Aragonés (PAR) haya tomado la decisión «responsable» de no presentarse a las generales —concurrió con el PP en las de 2015 y las de 2016— para que no haya «dispersión del voto constitucionalista». A su entender, «es algo digno de agradecer».

«Lo que tengo que decir es que ojalá otros partidos también hicieran este análisis de responsabilidad y es pensar que en aquellas convocatorias electorales en las que no van a tener representación en algunas circunscripciones, si merece la pena dividir el voto para que algunos escaños pasen al PSOE y a Podemos», ha manifestado.

En este punto, ha explicado que hay provincias «de menos de seis escaños», que suponen «casi la tercera parte del Congreso», en las que los últimos escaños de esas circunscripciones («unos 20») «basculan entre el PP, el PSOE o Podemos».

Por eso, ha insistido en que «la reflexión que hay que hacer es si merece la pena» que «partidos nuevos», en alusión a Vox, vayan a permitir una fragmentación del voto constitucionalista en esas provincias, de forma que esos escaños vayan a «engrosar las filas de la izquierda radical, en manos de Torra, los independentistas y los batasunos».

Acuerdo «para romper España»

Además, ha destacado que ERC y Bildu han llegado a un acuerdo ante las generales para «tener grupo parlamentario propio y unido» tras las generales. Según ha dicho, los independentistas «se ponen de acuerdo para romper España» y los constitucionalistas están «fragmentando el voto».

A su entender, hay votantes que creen que ahora también podrán sumar como ocurrió en las elecciones andaluzas de diciembre. «No de dan cuenta de que en Andalucía las provincias tenían más de diez escaños», ha apostillado, para insistir en lo que puede pasar el 28 de abril en provincias de tres, cuatro y cinco diputados.

«Lo dejo en esa reflexión y tendrán que contestar algunos partidos sobre si esto es algo positivo para su electorado o si a lo mejor se dan cuenta que su electorado va a empezar a pensar que es mejor concentrar el voto en las generales para no tener otro Gobierno "frankenstein" o "sanchestein"», ha avisado.

Casado ha asegurado que el PP ha cumplido con lo que ha prometido y está tendiendo «la mano» a otras fuerzas, a las que respeta «mucho» porque defienden la Constitución y la unidad de España. «Pero que quizás se conviertan en los mejores aliados de una dispersión del voto que pudiera, según las encuestas, revalidar el Gobierno más letal de la historia reciente de España», ha concluido.


          Pedaços de mim #4 - Eu, nos dias de hoje      Cache   Translate Page      
Quando fechas os olhos, pensas em ti, na tua própria existência e fazes um flashback mental da tua vida até aos dias de hoje (se nunca fizeram isso, experimentem. Tirem um bocadinho do vosso tempo, fechem os olhos e concentrem-se na vossa pessoa) o que mudavas? O que farias de diferente? O que terias feito da mesma forma? E o que decididamente terias riscado da tua memória e dos teus acontecimentos passados?
Pessoalmente e até ao momento presente, quando faço esse rewiew, mudava uma coisa. Tinha feito uma coisa que eu queria muito, mesmo muito e que na altura não tive a coragem de levar avante. Não a vou mencionar aqui por ser demasiado pessoal, mas é o meu único ponto de dor na alma até aos dias de hoje. Pequeno ponto, por sinal e que raramente penso nele, mas de vez em quando dá o ar de sua graça e inunda-me os pensamentos. Entrei nos trinta. Já vivi tanto. E vivi tão pouco ainda. Tenho uma união muito grande com os meus mais chegados. Somos um núcleo pequeno, mas uma família grande. Não estamos juntos todos os dias, mas quando um de nós está mal, no mesmo instante a notícia espalha-se e ficamos todos a saber uns dos outros. Quer do lado paterno, quer do materno. Não sou enfermeira, como pensei que seria. Fui uma quase-enfermeira. Tal como o meu pai. Genes, será? O amor tem destas coisas. Enamoramo-nos, sempre fomos duas pessoas cheias de sonhos e objetivos e isso sobrepôs-se ao desejo de continuar os estudos. Não me arrependo. Gosto das escolhas que fiz. Em criança fui feliz. Em jovem essa felicidade continuou. Quando casei aumentou. E quando tive o meu filho transbordou e ultrapassou tudo o que conhecia até então. Considero-me uma sortuda. A vida tem-me corrido bem e as minhas escolhas teem sido acertadas. Talvez porque passo por um processo em pensamento de objetivos e planos. E posteriormente é que passo à ação. Sou uma pessoa  razão-coração. Se por um lado tento ter os pés bem assentes e tenho um lado racional muito presente. Ao mesmo tempo sou sonhos e coração e quando dou por mim ando lá no alto a flutuar e a sonhar com tanta, tanta coisa. Não sei se é bom ou mau. Mas esta sou eu.

Se mudava alguma coisa na minha personalidade e até nas minhas escolhas e no meu percurso até ao presente? Claro que sim, quem não? Mas o importante mesmo é sabermos lidar connosco mesmos e com o meio envolvente e conseguirmos estar de bem com a vida... Sorrir para a vida e sermos gratos. Se assim for... mais tarde ou mais cedo, ela sorri de volta! Quero acreditar que sim.


          Olá! Voltei...      Cache   Translate Page      
...Quase um ano depois do último post, achei que seria uma boa fase para regressar a este meu cantinho e às receitas habituais. Esta pausa não foi premeditada, simplesmente aconteceu, mas acho que precisava disto para me focar noutras coisas que precisavam da minha atenção.

Muitas coisas aconteceram na minha vida desde então. Mudei de casa. Tive 30 dias para encontrar um novo sítio para morar. Tenho ainda metade da minha vida encaixotada. Daqui a um ano nova mudança de morada. Fiquei sem máquina fotográfica. O meu telemóvel avariou. Comprei um telemóvel melhorzito para tirar umas fotos. Continuo a cozinhar todos os dias. Não tiro fotos ao que cozinho. Tenho feito menos receitas doces. Não faço um pudim à mais de 4 meses. A minha ansiedade atingiu os píncaros. Comecei a praticar exercício regular para ajudar na minha ansiedade. Tem resultado. Fiz trails. Participei em São Silvestres. Corri sozinha. Corri acompanhada. Fiz amigos. Pensava que já estava velha demais para fazer novos amigos. Descobri que afinal, não. Mantive alguns. Eliminei outros. Continuo com o mesmo peso. Não engordo e não emagreço. Há dias em que me olho ao espelho e não gosto do que vejo. As rugas apareceram e não saem. Dizem que é de me estar sempre a rir. Sinto-me quase todos os dias uma adolescente cheia de sonhos. Mas olho para as responsabilidades em cima dos meus ombros e percebo que não. Uns dias sinto-me super feliz e super realizada. Noutros sinto-me miserável e de costas voltadas para a vida. Nuns dias agradeço por tudo o que de bom tem sido a minha vida e a dos meus. Noutros choro porque ainda me sinto incompleta. O meu filho esta semana faz seis anos. Já poderia ter outro de três. Foi melhor assim. Somos só os três em casa. Não sei se alguma vez seremos quatro. Ou cinco. As voltas que a vida dá. Somos felizes. Mas cheios de imperfeições. A nossa casa é barulhenta. Dizem que o amor faz barulho, mas não incomoda. Afinal incomoda. Porque a minha vizinha veio cá a casa queixar-se. Conheço cada vez mais pedacinhos do meu país. Um país pequeno mas com tanto para descobrir. Não viajei para fora. Mas tenho uma lista de países a visitar antes de morrer. E de restaurantes a visitar antes de morrer. E de milhentas experiências que quero vivenciar antes de morrer. Tenho tanto para fazer antes de morrer. Não perdi ninguém que me é chegado. Mas fui uma vez à capela mortuária. Continuo a não saber lidar com a morte. Continuo a não saber o que dizer nessas situações. Continuo a fingir que não existe. Mas existe. E espreita. E um dia calha-me a mim e aos meus. Não estou preparada. Vou continuar a assobiar para o ar. Pode ser que ela se esqueça de mim. O meu jeito para a escrita não melhorou. Mas gosto disto. Do blog. Do que acrescenta à minha vida. Da interacção. Da partilha. As minhas receitas continuam básicas. Às vezes os meus queixam-se da minha comida. Está insossa. Está salgada. Devia ter cozinhado mais tempo. Não gostam do aspecto. Não é a comida perfeita. Mas eu não sou perfeita. A minha vida não é perfeita. E não é, que afinal, isto tem graça é ser assim mesmo?

          I don't say enough nice things about Ars Technica -- AV Edition       Cache   Translate Page      
This recent piece is a must read for anyone following this story byTimothy B. Lee

Tesla is clinging to an old conventional wisdom

In 2014, the same year Tesla started shipping the first generation of Autopilot hardware, the Society of Automotive Engineers published a five-level taxonomy of autonomous driving systems that envisioned driver-assistance systems (known as "level 2" in SAE jargon) gradually morphing into fully autonomous systems that could operate without human supervision (levels 4 and 5).
But the last five years have seen a dramatic shift in industry thinking. Most companies now see driver assistance and full self-driving as distinct markets.

No company has done more to change industry thinking here than Google, whose self-driving project was spun off as Waymo in 2016. Around 2012, Google engineers developed a highway driving system and let some rank-and-file Googlers test it out. Drivers were warned that the system was not yet fully autonomous, and they were instructed to keep their eyes on the road at all times.
But the self-driving team found that users started to trust the system way too quickly. In-car cameras showed users "napping, putting on makeup and fiddling with their phones." And that created a big safety risk.

"It's hard to take over, because they have lost contextual awareness," Waymo CEO John Krafcik said in 2017.

So Google scrapped plans for a highway driver assistance product and decided to pursue a different kind of gradualism: a taxi service that would initially be limited to the Phoenix metropolitan area. Phoenix has wide, well-marked streets, and snow and ice are rare. So bringing a self-driving service to Phoenix should be significantly easier than developing a car with self-driving capabilities that work in every part of the country and all weather conditions.

This approach has some other advantages, too. Self-driving cars benefit from high-resolution maps. Gathering map data in a single metro area is easier than trying to map the whole world all at once.
Self-driving cars also benefit from lidar sensors, and the best ones cost thousands—if not tens of thousands—of dollars each. That's too expensive for an upgrade to a customer-owned vehicle. But the economics are more viable for a driverless taxi service, since the self-driving system replaces an expensive human taxi driver.

Over the last three years, most other companies working on self-driving technology have followed Waymo's lead. GM bought a startup called Cruise in 2016 and put it to work developing an autonomous taxi service in San Francisco. Ford made a similar bet on Argo AI in 2017—the company is now developing autonomous taxi services in Miami and Washington DC.
Volkswagen and Hyundai have deals with Aurora—a startup co-founded by Chris Urmson, the former leader of the Google self-driving project—to develop fully autonomous taxi services. Technology companies like Uber and Zoox are planning to introduce autonomous taxi services.

Tesla’s business model locks it into the old approach

Tesla, meanwhile, has stubbornly pushed forward with its original strategy. For more than two years, Tesla charged customers $3,000 or more for a "full self-driving" package. But progress has been slow. And that has put Tesla in a bind. Abandoning the old strategy would likely require refunding customers who paid for the Full Self-Driving package—which would be both embarrassing and expensive.

Instead, Tesla's solution has been to move the "full self-driving" goal posts.

"We already have full self-driving capability on highways," Musk said during a January earnings call. "So from highway on-ramp to highway exit, including passing cars and going from one highway interchange to another, full self-driving capability is there."
Obviously, this statement comes with a big asterisk: the driver still has to supervise the car to make sure it doesn't crash.

          Conheça as 6 Carreiras para os entusiastas das energias renováveis      Cache   Translate Page      

A energia renovável não é o futuro – é agora mesmo. Todos os dias, pessoas de todo o mundo estão fazendo um esforço sincero para reduzir sua dependência de fontes de energia que estão prejudicando o meio ambiente. Tornou-se mais acessível para fazer a troca, e o proprietário médio ou líder de negócios está sempre procurando maneiras de tornar o mundo um pouco mais verde. Se você compartilha a paixão, poderá facilmente transformar essa paixão em uma carreira.

 

1. Contratante / Eletricista

Tornar-se um empreiteiro é uma das maneiras mais fáceis de se envolver em energia verde. As pessoas precisam de seus painéis solares instalados e alguém tem que sair e fazer o trabalho. Você também pode fornecer serviços complementares, como melhor isolamento ou janelas especiais que mantêm as necessidades de aquecimento e resfriamento ao mínimo. Como empreiteiro, você pode atender às necessidades de energia renovável e eficiência energética.

 

Agora que as pessoas estão mudando de fontes de energia, alguém precisa ser capaz de equipar edifícios para utilizá-los completamente. A energia solar e eólica não funciona bem com a fiação antiga. Essas fontes de energia precisam de  eletricistas especializados para instalar os novos caminhos para abastecer essas casas e empresas.

 

2. Engenharia Verde

A engenharia verde é um campo amplo. Esses engenheiros ajudam a projetar coisas como turbinas eólicas e painéis solares que são econômicos e altamente eficientes. Eles podem trabalhar em qualquer setor onde as coisas precisam ser construídas e alimentadas. Quase todos os setores, da agricultura à manufatura, passando pelo desenvolvimento comercial e imobiliário, se beneficiarão da ajuda de um engenheiro verde.

 

Engenharia ambiental inclui engenheiros que usam química, biologia e ciência do solo, juntamente com princípios de engenharia para desenvolver soluções que abordam problemas ambientais. Nem todos os engenheiros ambientais têm diplomas nesta área – na verdade, muitas vagas de emprego incluem cursos de engenharia geotécnica ou de engenharia civil como pré-requisitos.

 

Uma área interessante da engenharia ambiental é a engenharia de biocombustíveis. Espera-se que os biocombustíveis mudem nossas vidas drasticamente quando se tornarem difundidos e começarem a abastecer nossos carros e jatos, ou a aquecer nossas casas. Engenheiros de biocombustíveis executam trabalhos focados na atualização de processos e equipamentos necessários para lidar com biocombustíveis.

 

3. Agricultura Sustentável

Muitas indústrias dependem de biocombustíveis para preencher lacunas de energia. Os biocombustíveis são freqüentemente derivados de coisas como milho, soja e até subprodutos de cana-de-açúcar. Até o estrume pode ser usado para criar biocombustível. Os agricultores têm um trabalho muito importante em ajudar o meio ambiente . Algumas das linhas de carreira mais interessantes na agricultura sustentável incluem agronomia (com foco em métodos científicos para a produção de culturas de campo), ciência do solo, horticultura, ciência animal e agricultura orgânica. Na verdade, as práticas de agricultura orgânica que mantêm a produtividade do solo e protegem o meio ambiente são muito procuradas hoje e especialistas que sabem como limitar o uso de fertilizantes sintéticos e pesticidas – em geral com diploma em ciência ambiental ou agrícola – podem encontrar vários empregos oportunista.

Outra área interessante é a biotecnologia verde. Biotecnologia refere-se ao uso industrial de organismos vivos (ou partes de organismos vivos) para produzir alimentos, drogas ou outros produtos. A biotecnologia verde (também chamada de biotecnologia vegetal) é um campo em rápida expansão que visa melhorar a produção e a produção de culturas graças a alternativas ecológicas (biocombustíveis, bio-fertilizantes e bio-pesticidas).

 

4. Consultor Ambiental

Ser um consultor ambiental se aplica a mais do que apenas energia renovável – afeta todos os aspectos dos esforços de uma empresa para se tornar ambientalmente amigável. As organizações que tentam reduzir seu impacto ambiental contratam consultores para avaliar o que estão fazendo e encontrar maneiras de reduzir os danos que podem estar causando. Você pode ajudar a converter empresas sujas em limpas.

 

Um consultor ambiental geralmente trabalha em uma base contratual para clientes do setor privado e público, abordando questões como a poluição da água, a qualidade do ar e a contaminação do solo. Um consultor ambiental tem o conhecimento científico e o conhecimento técnico para realizar pesquisas de campo e de escritório, realizar avaliações ambientais e assessorar empresas em diversos assuntos. Por exemplo, se uma empresa considera comprar um pedaço de terra para desenvolvimento, o consultor pode avaliar o terreno antes da compra e coletar dados relevantes para pesquisar ainda mais esse site em particular.

 

5. Mecânico

A energia renovável está tendo um impacto significativo na indústria automotiva. Carros que são altamente eficientes em combustível são construídos completamente diferente dos carros de gerações passadas. Veículos de entrega ainda maiores estão sendo aprimorados para eficiência. À medida que os veículos elétricos se tornam mais difundidos, você pode ter certeza de que a demanda por profissionais que saibam como manter e consertar esses carros também aumentará. Embora grande parte do trabalho de manutenção e reparo de rotina possa ser realizado por trabalhadores de reparos regulares, os sistemas elétricos e o sistema de tração exigem trabalhadores qualificados que estejam familiarizados com veículos elétricos. Além disso, reparar ou instalar baterias de veículos elétricos são tarefas que exigem treinamento também .

 

6. Arquitetura e Design

O advento da energia solar e eólica mudou a forma como nos aproximamos do design de novos edifícios e estruturas. Com o projeto de paixão de Elon Musk de desenvolver o telhado solar começando a sacudir a forma como os desenvolvedores estão se aproximando do processo de design, é um momento empolgante para embarcar. Arquitetos e designers de todos os tipos precisarão se adaptar.

 

Há muitas opções de carreira no design verde: arquitetos, paisagistas e urbanistas fazem parte de uma força profissional crescente que visa tornar os espaços onde vivemos e trabalhamos mais ecologicamente corretos.

https://clickpetroleo.com.br/conheca-as-6-carreiras-para-os-entusiastas-das-energias-renovaveis/

 

Atenciosamente

 

Alexandre Kellermann

 


          El Congreso abre la puerta a modificar los decretos leyes de Sánchez en campaña electoral      Cache   Translate Page      
Según los servicios jurídicos, la Diputación Permanente no sólo está capacitada para convalidar los decretos leyes sino que también podrá tramitarlos como proyectos de ley, permitiendo que puedan ser modificados en el Congreso o en el Senado...
          designboom Announces The Design Prize 2019 Nominees, Opens Voting for Social Impact Award      Cache   Translate Page      

Web magazine designboom has officially announced the nominees for all ten categories of THE DESIGN PRIZE 2019. This year marks the third edition of the Milan-based award program, which will help kick off the Milan Design Week festivities beginning next month. The annual program, held in partnership with Triennale Milano and Italian energy company Edison, "recognizes both the extraordinary achievements and little sparks of beauty and delight that have emerged over the past 12 months." Some of the key categories for the prize include "Communication," "Experimentation," "Best Designer," and "Social Impact," the latter of which is open for online voting starting today. Out of the 900 submissions for the socially conscious accolade, THE DESIGN PRIZE has shortlisted three nominees for the public to choose between in order to crown the winner. Read about each project below and visit designboom's website to learn more and cast a vote in the competition by March 24. Ocean Cleanup by Boyan Slat (NL) Described as "the world’s first ocean cleanup system," Boyan Slat's Ocean Cleanup utilizes a 2,000-foot-long plastic tube that is being tested on the water surface in the North Pacific. The technology intends to catch and concentrate plastic, and is estimated to be able to remove half of the Great Pacific garbage patch in five years compared to the thousands of years that conventional methods, such as vessels and nets, could take. However, while the vessel is not currently efficiently collecting garbage, the final design has been revised and is expected to be "close to making it work." Warka Water by Arturo Vittori (ITALY/ USA) Arturo Vittori's Warka Water aims to help bring portable water to Ethiopia, Haiti, Togo and Cameroon, an alternative to collecting drinking water from the river which may be full of pollutants. The concept will source water from the air through a specially constructed vessel that uses different materials depending on the environmental conditions. It also employs a unique structural concept that is meant to easily integrate into the lives of local villagers. Forensic Architecture, Centre for Research Architecture at the Goldsmiths University of London (UK) Forensic Architecture, an independent multidisciplinary research group, uses new architectural and media technologies to investigate "cases of state violence and violations of human rights around the world." The firm draws upon research from site visits, lidar scanning, photogrammetry and ground-penetrating radar to put together digitally-enhanced evidence files that help entities such as international prosecutors and political and environmental justice groups. Keep scrolling below to see the full list of nominees for all 10 categories of THE DESIGN PRIZE 2019. For more in design, read about the leaked pricing for Virgil Abloh’s upcoming “MARKERAD” collection with IKEA. SOCIAL IMPACT - Ocean Cleanup, Boyan Slat (NL) - Warka Water, Arturo Vittori (ITALY /US) - Forensic Architecture, The Centre for Research Architecture, Goldsmiths, University of London (UK) DISTRIBUTION - Apple Store in Milan, Foster and Partners (ITALY / UK) - JINS (JAPAN) - Nomad, Giorgio Pace and Nicolas Bellavance-Lecompte (ITALY / CANADA) COMMUNICATION - Virgil Abloh for Off-White™ and Louis Vuitton (USA) - Gucci, Campagna Gucci SS18 Hallucination (ITALY) - Hermes exhibition at the Museo Permanente in Milan and Gingle Games at Maison Hermès, Ginza store in Tokyo (FRANCE) IN THE ARTISTIC REALM - On Air by Tomas Saraceno at Palais de Tokyo in Paris (ARGENTINA) - Digital Art Museum in Tokyo by Teamlab (JAPAN) - Ethera by Edoardo Tresoldi at Coachella Valley Music and Arts Festival (ITALY) EXHIBITION - V&A Dundee, Kengo Kuma (JAPAN/ UK) - Night Fever at Vitra Design Museum, Konstantin Grcic (GERMANY) - Freeing Architecture at Fondation Cartier, Junya Ishigami (JAPAN / FRANCE) EXPERIMENTATION - Formafantasma (ITALY) - Max Lamb (UK) - Michael Young (HK, CHINA / UK) DESIGN CURATOR & DESIGN CRITIC - Fun House Snarkitecture on show in Washington D.C by Maria Cristina Didero (ITALY) - Hans Ulrich Obrist, Serpentine Galleries' artistic director and Interview Marathon in Chicago (CH) - Manifesta 12, Andrés Jaque,Ippolito Pestellini Laparelli, Bregtje van der Haak, Mirjan Varadinis in Palermo (ITALY) BEST DESIGN NEWCOMER - Sabine Marcelis (NL) - Erez Nevi Pana (ISRAEL) - New York Sunshine (USA) BEST DESIGNER - Michael Anastassiades (GREECE) - Nendo (JAPAN) - Patricia Urquiola (SPAIN / ITALY) LIFETIME ACHIEVEMENT - Michele De Lucchi (ITALY) - Jasper Morrison (UK) - Philippe Starck (FRANCE)

Read more at HYPEBEAST


          Casado pide a Vox que no se presente en las provincias pequeñas      Cache   Translate Page      
Pablo Casado

El líder del PP, Pablo Casado, ha pedido a los "partidos nuevos" que hagan una "reflexión" sobre si conviene que concurran o no en las circunscripciones pequeñas en las elecciones generales de abril, ya que, según ha dicho, eso hará que se "divida el voto" del centro-derecha y, por lo tanto, salga beneficiado el PSOE y Podemos.

Así se ha pronunciado en un acto en Zaragoza con afiliados del PP, donde ha puesto en valor que el Partido Aragonés (PAR) haya tomado la decisión "responsable" de no presentarse a las generales --concurrió con el PP en las de 2015 y las de 2016-- para que no haya "dispersión del voto constitucionalista". A su entender, "es algo digno de agradecer".

"Lo que tengo que decir es que ojalá otros partidos también hicieran este análisis de responsabilidad y es pensar que en aquellas convocatorias electorales en las que no van a tener representación en algunas circunscripciones, si merece la pena dividir el voto para que algunos escaños pasen al PSOE y a Podemos", ha manifestado.

En este punto, ha explicado que hay provincias "de menos de seis escaños", que suponen "casi la tercera parte del Congreso", en las que los últimos escaños de esas circunscripciones ("unos 20") "basculan entre el PP, el PSOE o Podemos".

Por eso, ha insistido en que "la reflexión que hay que hacer es si merece la pena" que "partidos nuevos", en alusión a Vox, vayan a permitir una fragmentación del voto constitucionalista en esas provincias, de forma que esos escaños vayan a "engrosar las filas de la izquierda radical, en manos de Torra, los independentistas y los batasunos".

"Fragmentando el voto"

Además, ha destacado que ERC y Bildu han llegado a un acuerdo ante las generales para "tener grupo parlamentario propio y unido" tras las generales. Según ha dicho, los independentistas "se ponen de acuerdo para romper España" y los constitucionalistas están "fragmentando el voto".

A su entender, hay votantes que creen que ahora también podrán sumar como ocurrió en las elecciones andaluzas de diciembre. "No de dan cuenta de que en Andalucía las provincias tenían más de diez años", ha apostillado, para insistir en lo que puede pasar el 28 de abril en provincias de tres, cuatro y cinco escaños.

A Santiago Abascal le obsesiona tu móvil

"Lo dejo en esa reflexión y tendrán que contestar algunos partidos sobre si esto es algo positivo para su electorado o si a lo mejor se dan cuenta que su electorado va a empezar a pensar que es mejor concentrar el voto en las generales para o tener otro Gobierno franknstein o sanchestein", ha avisado.

Casado ha asegurado que el PP ha cumplido con lo que ha prometido y está tendiendo "la mano" a otras fuerzas, a las que respeta "mucho" porque defienden la Constitución y la unidad de España. "Pero que quizás se conviertan en los mejores aliados de una dispersión del voto que pudiera, según las encuestas, revalidar el Gobierno más letal de la historia reciente de España", ha concluido.


          Anticipo: el banco digital más grande de Brasil llega a la Argentina y hablan de "bomba" para el mercado fintech      Cache   Translate Page      

Se trata de Nubank, que rápidamente se convirtió en el sexto emisor de tarjetas del mercado brasileño. Promete una competencia agresiva en el sector

La industria fintech en Argentina vive su momento de esplendor.

Con más de 130 empresas, un crecimiento de 110% y transacciones por u$s6.000 millones el año pasado, este sector -al que muchos conocen como el de bancos 100% digitales-, se prepara para seguir por este sendero alcista durante 2019.

Una de las razones de este repunte exponencial tiene que ver con el terreno fértil que esta actividad tiene para florecer: sólo el 48% de los argentinos está bancarizado. En otras palabras, una de cada dos personas son potenciales clientes que podrían sumarse a sus carteras.

Pero hay más, de los que sí lo están, una gran mayoría (70%) no utiliza servicios financieros con frecuencia, revelan fuentes del sector. Es decir, cobran su sueldo en una cuenta, pero rápidamente extraen sus fondos y no poseen ni siquiera una tarjeta de crédito.


Ante este escenario, no sorprende que empresas internacionales pongan la mira en el país y aprovechen el "boom fintech". Y una de ellas es nada menos que un "peso pesado" regional que, tras su rotundo éxito en Brasil, ultima detalles para su desembarco en la Argentina.

Su arribo será una verdadera "bomba" para el sector, ya que desplegará una propuesta agresiva que hará crecer la grieta entre los bancos tradicionales y digitales. Si bien los players de ambos bandos hablan de "complementariedad", lo cierto es que será una competencia más feroz.

En apenas unos días, según pudo confirmar iProUP, comenzará a operar un gigante cuyo crecimiento en el país vecino ya permite anticipar que se convertirá en el próximo unicornio de América Latina. Es decir, su valor de mercado superará los u$s1.000 millones. Y claro está, será una de las fintech más potentes de Argentina.

Va por todo

La estrategia para el desembarco en el país fue planeada minuciosamente. Nada quedó librado al azar.

Así, Nubank, el banco digital más grande fuera de Asia, promete "patear" el tablero fintech local. Según pudo saber iProUP, Rafael Soto, hasta hace poco CTO de Wenance (Chieff Tecnology Officer), será el encargado de comandarla.

Por ahora, el silencio forma parte del plan de la compañia: la orden que llegó de San Pablo es la de no hablar todavía con la prensa. En tanto, Desde la Cámara Argentina Fintech, en tanto, señalaron a este medio que no han mantenido "ningún contacto formal".

iProUP se comunicó con Kaszek Ventures, el fondo más importante de América Latina, creado por los ex Mercado Libre Hernán Kazah y Nicolás Szekasy. No sólo tienen a Nubank dentro de su portfolio, sino que además Szekasy es miembro del directorio de la fintech.

"No comments, lo único que podemos decir es no comments", remarcaron ante la insistencia de iProUP, en el marco del impulso que le darán al arribo de Nubank a la Argentina.

Las fuentes consultadas creen que seguirán la estrategia de expansión que ya desplegaron con NotCo, la alimenticia chilena que produce alimentos clonados con "inteligencia artificial" y que también llegará con sus productos a las góndolas de Jumbo en estas tierras.

En cuanto a Nubank, contará con el apoyo de la china Tencent –la quinta tecnológica más grande del planeta, por delante de Facebook– que desembolsó la friolera de u$s180 millones para quedarse con una parte de Nubank.

Esta inversión, la primera del holding asiático en Latinoamérica, disparó la valuación de mercado de Nubank hasta los u$s4.000 millones. Y forma parte de su plan de extender sus tentáculos en la región ante el crecimiento de varias startups tecnológicas.

Ante el silencio de los protagonistas, las fuentes consultadas señalan que, efectivamente, Soto ya no forma parte del equipo de Wenance, una de las fintech locales con mayor crecimiento y cartera de productos, que incluso incursionó en el mercado europeo.

Por lo pronto, Nubank está poniendo en en regla sus papeles para operar en el país. Como muestra, ya registró el dominio de Internet nubank.com.ar el 29 de enero, con la razón social "S.A. Nu Pagamentos" (similar a la que usa en Brasil) y la Clave de Identificación (CDI) número 50-87442707-9. Este conjunto de cifras es una especie de CUIT para extranjeros, necesario para dar de alta la dirección web en Nic.ar.

Si bien, como toda financiera de base tecnológica, competirá contra los bancos tradicionales, se prevé que el golpe más fuerte lo dará directamente sobre el mundo fintech.

"Un crédito como el que otorga la fintech Afluenta tiene un costo financiero muy alto, superior al 105%, contra el 80% anual del Banco Nación. En muchos casos bajo el pretexto de la inclusión financiera te 'matan' con la tasa", apunta un banquero a iProUP. Es por ello que el arribo de Nubank tornará más competitiva no sólo a la banca digital sino también a la tradicional.

Si se toma como referencia lo sucedido en Brasil, tardó muy pocos años en escalar al "top 6" como emisor de tarjetas de crédito, superando a entidades histróricas. ¿Cómo hizo? pateó el tablero saliendo a ofrecer con su "tarjeta morada" tasas más bajas que las vigentes en el mercado.

El éxito ha sido total: hasta hay lista de espera para ser cliente del banco digital. Con una apuesta agresiva, la Mastercard de Nubank proporciona en tierras verdeamarelhas una financiación que arranca en los 2,5% mensual, lo que llevó a las principales entidades de Brasil a tener que reducir el costo del dinero prestado.

Pero hay más, a los asalariados que tienen tan solo unos días dinero ocioso en sus cuentas, les abona una tasa, algo similar a lo hecho por Wilobank o Mercado Pago en Argentina.

Competencia feroz
Además de Nubank, este año llegarán otros bancos digitales, al tiempo que se irán consolidando los existentes. En este marco de competencia, los "tradicionales" comenzaron a ofrecer ventajas para evitar la fuga de clientes hacia los nuevos jugadores.

Entre los online, el lanzamiento más fuerte será el de Openbank, del Santander, que en España ya cuenta con un millón de clientes. Tal como diera cuenta iProUP, la operación estará en manos de Federico Procaccini, ex CEO de Google Argentina. Se espera que haga su debut en junio.

"Openbank es parte del proceso de transformación digital que vive Santander. Ofrecerá un día a día más simple, optimizará procesos internos y mejorará la experiencia de los clientes", indican desde la empresa a iProUP.

Ofrecerá caja de ahorro, tarjetas de créditos, préstamos e inversiones, entre otros servicios, que se lanzarán de manera escalonada a medida que vaya rodando Openbank.

Otro de los que utlima detalles para su debut es Rebanking, de Grupo Transatlántica, que lo hará de la mano de American Express, que también hará su incursión en el segmento fintech.

"Rebanking está pensado como una 'compañía de producto' que ofrece el servicio adecuado a la necesidad de cada persona", explica a iProUP Stefano Angeli, CEO de la entidad digital.

Propone otorgar beneficios a partir del comportamiento del cliente, gracias a una herramienta que combina información pública con la incidencia de su comportamiento financiero.

Naranja es otra de las que apostará fuertemente al segmento: entró en la comunidad digital con productos y servicios –propios y de terceros– para consolidar herramientas de cobro y alianzas que apunten a facilitar la vida cotidiana.

"No vamos a dejar de ser Naranja por incorporar una capa mucho más digital. Tenemos que basarnos en nuestro ADN, que son las personas", adelanta Gustavo Fazzio, director de Servicios Financieros de Naranja, a iProUP.

Hoy, cuenta con poco más de 1,1 millones de usuarios digitales activos por mes. También ofrece la App Naranja, un botón de pago para sitios de ecommerce y Naranja Pos, para que tiendas y profesionales acepten tarjetas de crédito.

Por el lado de los jugadores que ya están en la cancha aparece Wilobank, liderado por Eduardo Eurnekian, de Aeropuertos Argentina 2000 y Corporación América y Guillermo Francos, exdirector del Bapro. Ya acumula 26.000 clientes y espera terminar 2019 con 150.000.

"Vimos un espacio muy grande de inclusión, que no sólo tiene que ver con las nuevas generaciones como los millennials, sino también con quienes no encuentran en la banca la respuesta adecuada", afirma Francos a iProUP.

De esta forma, ofrece a los no bancarizados préstamos, tarjetas de créditos y cuentas en pesos y dólares, entre otros productos, además de la posibilidad de ingresar a operar por Internet en cualquier momento.

Otro de los que ya está operando es Brubank, de Juan Bruchou, expresidente del Citi, quien también propone una plataforma 100% digital y móvil. Ofrece a los interesados una caja de ahorro -en pesos y dólares-, plazo fijo, préstamo personal y la posibilidad de efectuar transferencias a cualquier banco tradicional.

Pero si hay algo en lo que quiere diferenciarse es en la buena experiencia de sus usuarios que, al fin y al cabo, serán lo que decidan el éxito de su plan de negocios. Así, se lanza al mercado junto con una tarjeta Visa contactless. Además, permite "cuotificar" las compras realizadas con débito.

Los bancos tradicionales también están desplegando su arsenal para no perder terreno ante las fintech. Y así lo seguirán haciendo, más aun ante la llegada de Nubank.

Uno de ellos es el Galicia: su producto Move ya cuenta con 120.000 usuarios. Ofrece el programa de fidelización Quiero! que permite acumular puntos a través de las compras con tarjeta.

ICBC también dice presente en la contienda. Para ello, ha potenciado su programa de beneficios ICBC Club, que se unificó recientemente con ICBC Store, su portal de ecommerce, para la compra de productos y el canje de puntos entre más de 20.000 artículos.

Por su parte, Itaú puso en marcha su plataforma web "Abrí tu cuenta", una solución integral a nivel regional que permite la apertura de una cuenta de forma 100% digital desde cualquier dispositivo móvil en cinco minutos.

De esta forma, sólo hay que completar información personal, subir una selfie y la foto del DNI. Luego, la entidad propone hasta cuatro conjuntos de productos según el perfil de cada cliente.

Entre los públicos, Banco Nación está en un proceso de expansión a través de la instalación de distintas Unidades de Negocios para aumentar la cobertura geográfica, fomentar el desarrollo financiero, facilitar el acceso a quienes recurren a sucursales tradicionales e incrementar la presencia institucional en centros urbanos con dependencias tecnológicas.

En cuanto a los programas de millas, Aerolíneas Argentinas relanzó su plan AR Plus, remplazando el acuerdo de exclusividad que poseía con el Galicia, para sumarse también a los de las tarjetas de Macro, Hipotecario, Nación, Provincia y Credicoop.

Latam tampoco se quedó atrás: se unió al BBVA Banco Francés para sumar los puntos de su programa de fidelización que promete mayores beneficios en pasajes aéreos.

Nubank sigue desarrollando su estrategia en silencio, pero promete hacer mucho ruido en el terreno fintech en los próximos días ante una fuerte competencia de los bancos digitales locales para consolidarse en el mercado. Para muchos, lo de ahora es la calma que antecede a la tormenta.

Fuente: https://www.iproup.com/mundo-fintech/3305-cuenta-transferencia-banco-digital-Nubank-llega-a-la-Argentina-cuantas-fintech-hay-en-Argentina

          ANALISTA FUNCIONAL - Irium - Alicante, España      Cache   Translate Page      
Buscamos Analista Funcional/ Negocio Senior para participar en diferentes proyectos en ALICANTE. Funciones: Actuar de enlace entre los usuarios de negocio y el equipo de desarrollo. Capturar las necesidades de negocio. Especificar y modelar los requerimientos Generar la documentación de análisis funcional Validar requerimientos funcionales Identificar y gestionar riesgos detectados a nivel de negocio. Proporcionar soporte al equipo de desarrollo y QA ...
          GNT estreia primeiro reality show de dança nesta sexta-feira      Cache   Translate Page      
Divulgação GNT
No dia 15 de março, às 22h30, estreia no GNT o “Me Deixa Dançar”, novo reality cheio de ritmo que, sob o comando de Justin Neto e Lore Improta, chega para agitar a programação. Na atração, 13 participantes - de diferentes níveis, idades e tipos corporais -, que amam dançar e não conseguem ficar parados, vão disputar o prêmio final de 15 mil reais, ao longo de 10 episódios. “Estamos muito animados para essa estreia, a galera vai amar o programa. Nos jogamos de cabeça e procuramos trazer nossa experiência com a dança de maneira alegre, pra cima, descontraída”, conta Justin. Produzido pela Moonshot Pictures, esse é o primeiro reality de dança do GNT.

A competição começa quando os participantes são surpreendidos por um grupo de dança convidado que apresenta o estilo musical do dia, inspira e dá dicas sobre o ritmo. É no quadro ‘Me Impressiona’ que os dançarinos mostram seus conhecimentos e os mentores Justin e Lore formam seus times – que mudam a cada episódio. “Eu acho que o que o programa tem de mais legal é a diversidade. Diversidade dos participantes, a personalidade de cada um, como eles veem a dança, cada um com seu jeitinho. A gente teve que aprender a lidar com cada um deles de uma forma especial”, revela Lore.

Em seguida, com os “Dream Teams” formados, eles partem para os ensaios. É durante a tão aguardada apresentação que os grupos se enfrentam em coreografias animadas e cheias de energia. O jurado convidado do episódio fica responsável por avaliar as performances individuais e decidir quem continua na disputa e quem “sai de cena”. “O 'Me Deixa Dançar' é um programa muito alegre, para cima, e que vai trazer a dança como uma maneira de você se superar, de você melhorar como pessoa, como ser humano, como forma de você ver a dança de maneira mais plural. A dança é para todo mundo, pra você se divertir, sentir bem, leve, saudável”, diz Justin. “O público pode esperar um programa de muita energia, muita dança, muita história de vida e que vai, com certeza, contagiar todo mundo que estiver assistindo”, completa Lore. 

Após a exibição na TV, o passo a passo de algumas das coreografias também estará disponível no YouTube do GNT.

O assinante do GNT ainda pode acessar toda a programação do canal no Globosat Play. O serviço de TV Everywhere disponibiliza os conteúdos dos canais Globosat sem custo extra – na SmartTV, no computador ou em aplicativos para celulares e tablets. Os conteúdos também podem ser assistidos através dos serviços sob demanda das operadoras: Net NOW, Vivo Play, e Oi Fibra.

          Los letrados del Congreso avalan que se puedan cambiar los decretos del Gobierno con las Cortes disueltas      Cache   Translate Page      
Un informe de los letrados del Congreso ha certificado que la Diputación Permanente de la Cámara puede convalidar los decretos leyes aprobados por el Gobierno de Pedro Sánchez, pero también ha abierto la puerta a modificarlos en plena campaña electoral, algo de lo que hasta ahora no había precedentes.
          TELECINE - Destaques da programação de 12 a 17 de março      Cache   Translate Page      
Love Simon - Imagem/Divulgação 
Conheça os destaques da programação dos canais TELECINE de 12 a 17 de março. O drama "Com Amor, Simon", é a superestreia da semana do Telecine Premium, no dia 16 de março ás 22hrs.

Após o Carnaval…FELIZ 2019!

O Carnaval passou e o Telecine vem garantir uma programação para animar este ano que finalmente "começou"! Com as estreias disponíveis no Telecine Play, os destaques da semana vão desde uma Superstreia com muito amor a um especial de aniversário de uma atriz expoente do cinema francês!

A Superstreia da semana traz "Com Amor, Simon", no dia 16, às 22h, no Telecine Premium. O filme apresenta os dilemas do jovem, enquanto ele passa pelas intempéries da adolescência e busca sua própria identidade. Para quem é super fã de Arnold Schwarzenegger, pode reclinar a poltrona porque o especial com filmes do bonitão começa na terça-feira, dia 12, a partir das 18h15, no Telecine Fun. Na quarta, o Telecine Action coloca Will Smith no centro de uma grande confusão e um segredo de Estado, em "Inimigo do Estado", às 12h20.

Já na quinta-feira, com a semana chegando pertinho do fim, "Os Mercenários 3" entra em cena e espalha adrenalina e bom humor, no Telecine Pipoca, às 23h35. Na sexta, dia 15, às 22h, "Rota De Fuga", vai deixar os nervos à flor da pele em uma operação de resgate que parece, a princípio, impossível de dar certo. No sábado, para esquentar as comemorações do aniversário da lendária atriz francesa Isabelle Huppert, a partir das 16h40, o Telecine Cult apresenta uma seleção das melhores produções da diva. E para encerrar o domingo com aquela dose extra de bom humor e já recarregar as baterias para a semana, Cacau Protásio é uma das responsáveis por uma "farofada" hilária típica daquele feriadão na praia com a família e amigos, em "Os Farofeiros", às 18h05, no Telecine Pipoca.  

Se o ano está só começando, essa programação é para aproveitar de balde (de pipoca)!

SUPERESTREIA

Com Amor, Simon
(Love, Simon)
16.03

Simon Spier (Nick Robinson) é um jovem de 17 anos que vivencia as descobertas típicas da adolescência. A busca pela própria identidade faz com que ele comece a trocar mensagens virtuais anônimas com um aluno da escola de codinome Blue. Das confidências em conversas diárias, surge uma paixão que fará com que Simon descubra quem ele realmente é.

SERVIÇO:
Com Amor, Simon
Direção: Greg Berlanti
Elenco: Nick Robinson, Keiynan Lonsdale, Katherine Langford, Jennifer Garner, Josh Duhamel, Miles Heizer
EUA, 2018, Drama, 107 min.
Dia 16/3, sábado, às 22h, no Telecine Premium.  
Link no Telecine Play: Aqui
 
SEMANA DE 12 A 17 DE MARÇO

DIA 12 (TERÇA)

ESPECIAL ARNOLD SCHWARZENEGGER NO TELECINE FUN  
Terça-feira, dia 12, a partir das 18h15

JUNIOR
No Telecine Fun, terça-feira, dia 12, às 18h15

Arnold Schwarzenegger está grávido. Em Junior, ele é Alex. Ao lado do amigo e parceiro Larry, Danny DeVito, ele é um cientista que produz uma substância revolucionária para a gravidez. Ao serem proibidos de continuar com as pesquisas, Larry resolve virar cobaia da fórmula. Grávido, Alex terá que disfarçar para não chamar atenção das autoridades. Indicado ao Oscar de Melhor Canção Original.

Direção: Ivan Reitman  
Elenco:  Arnold Schwarzenegger, Danny DeVito, Emma Thompson
EUA, 1994. Comédia /  Comédia Romântica. 109 min.
Link no Telecine Play: Aqui

UM HERÓI DE BRINQUEDO
(Jingle All The Way)
No Telecine Fun, terça-feira, dia 12, às 20h20

Howard (Arnold Schwarzenegger) é um pai que tem decepcionado seu filho. Para tentar se redimir, promete um brinquedo que ele quer muito. Porém, às vésperas do Natal, o brinquedo está esgotado em todas as lojas. Determinado a cumprir a promessa, ele não mede esforços para conseguir o presente.

Direção: Brian Levant
Elenco: Arnold Schwarzenegger, Sinbad, Rita Wilson
EUA, 1996. Comédia /  Comédia Família. 84 min.
Link no Telecine Play: Aqui

IRMÃOS GÊMEOS
(Twins)
Estreia no Telecine Fun, terça-feira, dia 12, às 22h

Arnold Schwarzenegger e Danny DeVito são irmãos gêmeos. Enquanto o primeiro, Julius, é alto, loiro e calmo, o segundo, Vicent, é baixinho, moreno e estressado. Separados ao nascer, depois de serem gerados a partir de um estudo genético, os gêmeos vão aprender na marra a conviver como irmãos.

Direção: Ivan Reitman  
Elenco: Arnold Schwarzenegger, Danny DeVito, Kelly Preston
EUA, 1988. Comédia /  Comédia Cult. 104 min.
Link no Telecine Play: Aqui

DIA 13 (QUARTA)

INIMIGO DO ESTADO
(Enemy of The State)
No Telecine Action, quarta-feira, dia 13, às 12h20

Robert é um advogado que sem querer recebe provas de um assassinato político. Ele passa a ser vigiado constantemente e precisa desvendar a conspiração na qual foi envolvido se deseja sobreviver.

Direção: Tony Scott
Elenco: Will Smith, Gene Hackman, Jon Voight
EUA, 1998. Ação / Ação Suspense. 129 min.
Link no Telecine Play:  Aqui

DIA 14 (QUINTA)

OS MERCENÁRIOS 3
(The Expendables 3)
No Telecine Pipoca, quinta-feira, dia 14, às 23h35

Barney (Sylvester Stallone) e seu time resgatam Doc, que estava preso. Depois de encontrarem com Caesar (Terry Crews), eles reencontram Conrad (Mel Gibson), co-fundador do grupo, que, com a ajuda de Trench (Arnold Schwarzenegger) ameaçam destruí-los. Barney contará com um membro da CIA (Harrison Ford) e um ex-militar da Espanha (Antonio Banderas) para completar a missão.

Direção: Patrick Hughes
Elenco: Sylvester Stallone, Jason Statham, Jet Li
EUA, 2014. Ação / Ação Comédia. 119 min.
Link no Telecine Play: Aqui

DIA 15 (SEXTA)

ROTA DE FUGA 2
(Escape Plan 2: Hades)
Estreia no Telecine Premium, sexta-feira, dia 15, às 22h

Ray Breslin, especialista em escapar das mais complexas prisões do mundo, tem uma nova tarefa: resgatar seu amigo Shu Ren, preso no presídio Hades. Ao lado de velhos e novos amigos, Ray vai tentar se infiltrar no local que, literalmente, se transforma periodicamente, deixando tudo mais difícil.

Direção: Steven C. Miller
Elenco: Sylvester Stallone, Dave Bautista, Xiaoming Huang, 50 Cent
CH, EUA, 2018. Ação / Ação Suspense. 94 min.
Link no Telecine Play: Aqui

DIA 16 (SÁBADO)

ESPECIAL ANIVERSÁRIO ISABELLE HUPPERT NO TELECINE CULT
Sábado, dia 16, a partir das 16h40

UMA RELAÇÃO DELICADA
(Abus Des Faiblesse)
No Telecine Cult, sábado, dia 16, às 16h40

Após sofrer um derrame, a cineasta Maud precisa aprender a lidar com os novos limites de seu corpo. Sentindo-se só, ela decide chamar para seu próximo filme um ator que vê em uma entrevista na televisão. Com o tempo, os dois desenvolvem uma conturbada relação de dependência e manipulação.

Direção: Catherine Breillat
Elenco: Isabelle Huppert, Kool Shen, Laurence Ursino
ALE, BEL, FRA, 2013. Drama / Drama Baseado em Histórias Reais. 103 min.
Link no Telecine Play: Aqui

O VALE DO AMOR
(Valley Of Love)
No Telecine Cult, sábado, dia 16, às 18h35

Isabelle (Isabelle Huppert) e Gérard (Gérard Depardieu) são um casal divorciado que perdeu o único filho, Michael. Em luto, eles recebem uma carta dele seis meses após seu suicídio pedindo para que se encontrem em Death Valley, na Califórnia. A viagem faz com que eles reavaliem lembranças do passado. Indicado a Palma de Ouro no Festival de Cannes.

Direção: Guillaume Nicloux
Elenco: Isabelle Huppert, Gérard Depardieu, Dan Warner
BEL, FRA, 2015. Drama / Drama Independente. 103 min.
Link no Telecine Play: Aqui

SOUVENIR
No Telecine Cult, sábado, dia 16, às 20h20

Trabalhando em uma fábrica de patê, Laura (Isabelle Huppert) é uma cantora que teve sua fama nos anos 70 e agora vive no anonimato tendo sido esquecida pelo público. Quando Jean, um jovem colega de trabalho descobre quem ela foi, os dois se apaixonam e juntos tentam reacender a carreira da cantora.

Direção: Bavo Defurne
Elenco: Isabelle Huppert, Kévin Azaïs, Johan Leysen
BEL, FRA, LUX, 2016. Drama / Drama Romântico. 90 min.
Link no Telecine Play: Aqui

ELLE
No Telecine Cult, sábado, dia 16, às 22h

Michèle (Isabelle Huppert) é uma bem-sucedida mulher de meia-idade que mora sozinha. Um dia, um homem mascarado entra em sua casa e a violenta. Ela não presta queixas à polícia e continua sendo ameaçada. Em meio a um clima de tensão, Michèle se vê desconfiando de todos à sua volta. Indicado ao Oscar de Melhor Atriz.

Direção: Paul Verhoeven
Elenco: Isabelle Huppert, Laurent Lafitte, Anne Consigny, Charles Berling
ALE, BEL, FRA, 2016. Drama / Drama Policial. 128 min.
Link no Telecine Play:  Aqui

A PROFESSORA DE PIANO
(La Pianiste)
No Telecine Cult, sábado, dia 16, às 00h20

A pianista Erika Kohut tem 40 anos e ainda vive com sua mãe, que tem forte domínio sobre ela. Reprimida sexualmente, ela passa seu tempo assistindo a filmes eróticos e observando casais em busca de prazer. Quando Walter faz audição para ser seu aluno, uma atração obsessiva surge entre os dois.

Direção: Michael Haneke
Elenco: Isabelle Huppert, Benoît Magimel, Annie Girardot
ALE, FRA, AUS, 2001. Drama / Drama Suspense. 130 min.
Link no Telecine Play: Aqui

DIA 17 (DOMINGO)

OS FAROFEIROS
No Telecine Pipoca, domingo, dia 17, às 18h05

Os colegas de trabalho Alexandre (Antônio Fragoso), Lima (Maurício Manfrini), Rocha (Charles Paraventi) e Diguinho (Nilton Bicudo) decidem passar o feriadão com suas famílias em uma casa de praia. Mas, ao chegarem na casa eles descobrem que ela está caindo aos pedaços e em pouco tempo a convivência entre eles se torna complicada.

Direção: Roberto Santucci
Elenco: Cacau Protásio, Mauricio Manfrini, Danielle Winits, Antônio Fragoso, Charles Paraventi, Aline Riscado
BRA, 2018. Nacional. 103 min.
Link no Telecine Play: Aqui

          ASUS Republic of Gamers apresenta o Zephyrus S      Cache   Translate Page      
ASUS Republic of Gamers apresenta o Zephyrus S

A ASUS Republic of Gamers (ROG) acaba de anunciar o lançamento em Portugal do Zephyrus S GX701, um portátil ultrafino que leva os jogos hardcore ao próximo nível com a nova placa gráfica NVIDIA® GeForce RTX™ 2080 com design Max-Q e processador Intel® Core™ i7 de 8ª Geração. O Zephyrus S GX701 possui um monitor de 17 polegadas com uma taxa de refrescamento de 144Hz e com molduras super finas. Este portátil inclui ainda a tecnologia NVIDIA G-SYNC™ e Optimus™. O ecrã com certificação PANTONE® é ideal para jogos imersivos e para criação de conteúdo profissional.

Apesar do grande aumento de desempenho e do ecrã muito maior deste novo modelo, o Zephyrus S GX701 mantém um perfil incrivelmente fino e um chassi surpreendentemente compacto. É mais imersivo, mais poderoso e mais versátil do que qualquer Zephyrus lançado anteriormente, sem sacrificar a portabilidade que define esta linha.

Alimentar uma taxa de refrescamento de 144hz de uma forma permanentemente estável nos jogos atuais exige muito de uma placa gráfica poderosa, pelo que o Zephyrus S GX701 vem equipado com a GeForce RTX 2080 com design Max-Q de forma a assegurar o melhor desempenho em jogo. Esta GPU, com base na nova arquitetura NVIDIA Turing™ e na revolucionária plataforma RTX, consegue fazer ray tracing em tempo real, inteligência artificial e sombreamento programável.

Um processador potente permite ao Zephyrus S GX701 lidar com qualquer tarefa com confiança. O processador Intel Core i7-8750H da 8ª geração possui seis núcleos e 12 threads com uma frequência de relógio em Turbo de 4.1GHz. Este modelo tem amplos recursos para aplicações exigentes, como edição de vídeo e renderização 3D, multitasking exigente, como misturar jogos com streaming, gravação e conversa de voz em canais distintos. Dispõe de 24 GB de memória principal DDR4-2666 e mais 8 GB de VRAM GDDR6 dedicados para a gráfica. O armazenamento super rápido é fornecido por um SSD NVMe de 1 TB de capacidade e quatro faixas de largura de banda PCI Express® 3.0.

A ROG criou o primeiro portátil para jogos capaz de ser alimentado por entrada DC ou USB Type-C™ (USB-C™), e o Zephyrus S GX701 possui a mesma tecnologia. Com suporte para USB Power Delivery, este portátil pode lidar com o trabalho diário alimentado por um adaptador Type-C de 65W que é muito menor que o adaptador AC necessário para um desempenho de alto nível em jogos. A porta Type-C também permite acionar um monitor externo via DisplayPort 1.4. Juntamente com a saída HDMI 2.0b, o Zephyrus S GX701 pode suportar dois monitores externos 4K a 60Hz.

O mais recente módulo Wi-Fi gigabit Wi-Fi 5 (802.11ac) da Intel com 2x2 MU-MIMO permite que o Zephyrus S GX701 ofereça uma taxa de transferência sem fios mais rápida quando combinado com routers compatíveis, como o ROG Rapture GT-AC5300. Manter-se online é fácil graças à ROG RangeBoost, uma tecnologia sem fios patenteada que analisa constantemente o desempenho de rede e alterna automaticamente entre dois pares de antenas para manter o melhor sinal. A amplificação inteligente expande a gama de frequências das colunas de 2,5 W integradas para que possam produzir um som mais alto com menos distorção. A maioria dos utilizadores irá optar por utilizar os seus auscultadores preferidos através do conector de áudio de 3,5 mm ou de uma das portas USB. O Zephyrus S GX701 pode simular som surround para dispositivos stereo como auscultadores, DACs USB e headsets VR. Possui recursos de áudio projetados especificamente para transmissão e gravação, incluindo estabilização automática de volume e cancelamento de ruído.

O Zephyrus S GX701 é compatível com a maioria das malas e mochilas para portátil convencionais, graças à sua moldura ultrafina, permite que o enorme ecrã de 17,3 polegadas se encaixe num corpo de apenas 15,7 polegadas de largura. É o portátil de jogos de 17 polegadas mais compacto e, com apenas 18,7 mm, é também o mais fino.

O desempenho varia constantemente, dependendo do jogo e do que está a acontecer no ecrã. A maioria dos monitores é atualizado a uma taxa constante, o que cria problemas quando o número de frames debitados pela placa gráfica não está sincronizada com o refrescamento do ecrã. Porém, o Zephyrus S GX701 usa a tecnologia NVIDIA G-SYNC para compensar, sincronizando a taxa de atualização da exibição com a taxa de frames da placa gráfica para eliminar o rasgo visual que perturba a imersão.

Embora a G-SYNC ofereça a melhor experiência de jogo, requer que a GPU permaneça ativa o tempo todo, o que aumenta o consumo de energia e diminui a vida útil da bateria. Se isto não representa um problema quando o portátil está conectado a uma fonte de energia, é potencialmente problemático quando se trabalha com energia da bateria. A tecnologia NVIDIA Optimus é a solução, tirando partido da placa gráfica integrada na CPU fazendo um uso mais eficiente de energia e só ativa a GPU dedicada quando é necessária para jogos e outras tarefas com uso intensivo de gráficos.

Os engenheiros da ASUS desenvolveram um switch exclusivo para a GPU que permite aos utilizadores alternar entre os modos G-SYNC e Optimus. Com alguns cliques e uma reinicialização, o Zephyrus S GX701 passa de uma central de jogos com gráficos potentes a uma força de trabalho de produtividade com maior autonomia da bateria.

Desde o Zephyrus original, a ASUS trabalha em estreita colaboração com os fornecedores de ecrãs para ampliar os limites dos monitores de portáteis para jogos. Grande parte dessa colaboração tem sido na procura de otimizar o desempenho, e é por isso que o ecrã que integra o Zephyrus S GX701 chega a uns super suaves 144Hz. Além disso, o tempo de resposta de 3ms GTG torna a imagem especialmente nítida em velocidade, seja alinhando alvos num jogo de tiro rápido ou a navegar rapidamente pelas páginas da Web na área de trabalho.

Esta exibição não é perfeita apenas para jogar os mais recentes, mas para o trabalho de conteúdo criativo em que as cores precisas são críticas. O ecrã é cuidadosamente ajustado na fábrica para garantir que cada um responde aos rigorosos requisitos de certificação de cores PANTONE, que garante precisão e uniformidade. A tecnologia ProArt™ TruColor garante uma precisão de cores melhor do que a maioria dos ecrãs de mesa.

Os chassis ultraleves deixam pouco espaço para o fluxo de ar, o que torna a refrigeração do CPU e GPU incrivelmente difícil. Para evitar comprometer o desempenho, o inovador Sistema Aerodinâmico Ativo (AAS) expõe uma grande abertura quando a tampa é levantada para aumentar o fluxo de ar em comparação com os modelos tradicionais. Este extrai ainda ar adicional através de aberturas acima do teclado, e duas ventoinhas impulsionam-no através de quatro dissipadores de calor e de aberturas de saída flanqueando os cantos traseiros para garantir que o Zephyrus S GX701 funciona bem em todas as condições.
A poeira e outras partículas são inevitavelmente sugadas pelas ventoinhas do portátil, mas o sistema de arrefecimento com limpeza automática ajuda a evitar a acumulação no interior. Cada ventoinha possui um túnel anti-poeira especial que captura partículas e as direciona para fora da parte traseira do chassi, evitando a acumulação nas placas do dissipador de calor que poderiam reduzir o desempenho e a estabilidade ao longo do tempo.

As velocidades das ventoinhas são controladas por um algoritmo inteligente que responde automaticamente às mudanças de temperatura. Os utilizadores podem escolher entre três perfis habilmente ajustados por meio de um conveniente atalho de teclado para se adaptar rapidamente a diferentes cenários de utilização. Com as velocidades de ventilação mais altas, o modo Turbo é o melhor para um desempenho máximo. O modo balanceado otimiza o desempenho e a refrigeração para reduzir os níveis de ruído para jogos casuais, enquanto o modo Silencioso vai ainda mais longe, levando a acústica a níveis inaudíveis para uma experiencia de trabalho e entretenimento melhorada.

O inovador teclado melhora o arrefecimento deixando mais espaço para as ventoinhas, mas também afasta as mãos dos utilizadores das regiões mais quentes ao redor da CPU e da GPU. As temperaturas da superfície do teclado são muito mais baixas do que nos designs tradicionais, especialmente depois de horas de jogo intenso.

Cada tecla é iluminada por um LED RGB independente capaz de produzir uma luz brilhante no brilho máximo. Os utilizadores podem personalizar facilmente a intensidade e configurar cores e efeitos para se adequar a diferentes cenários, como identificar teclas importantes para jogos específicos e escolher uma aparência mais subtil para trabalhos profissionais.

A iluminação estende-se para o touchpad à direita, transformando-se num teclado numérico com o toque de um botão, e para o regulador de volume integrado, que fica ao alcance da mão esquerda do utilizador. Habitual em teclados para jogos de desktop como o ROG Strix Flare, o regulador de volume facilita os ajustes rápidos. O brilho da luz de fundo muda automaticamente com base no volume.
Com o Aura Sync, é fácil coordenar cores e efeitos RGB com periféricos compatíveis, como o rato ROG Gladius II Origin e o headset ROG Delta. A iluminação sincronizada pode tornar a configuração de jogos muito mais coesa e profissional, e requer apenas alguns cliques no software intuitivo Armory Crate.

As molduras finas que contornam o ecrã deixam pouco espaço para uma webcam integrada, pelo que a equipa de I&D da ASUS analisaram como os jogadores realmente usam as webcams e decidiram criar um módulo externo que oferece uma melhor experiência geral. A câmara externa ROG GC21 capta imagens FHD nítidas a 60 fps, dobrando a velocidade das webcams convencionais sem sacrificar a resolução.
A ROG GC21 pode ser colocada na parte superior do monitor para um ângulo convencional ou usar a base de alumínio para montá-la numa mesa ou prateleira. Um design dobrável inteligente reduz a câmara ao tamanho de uma pen, pelo que facilmente cabe no bolso ou numa bolsa juntamente com o cabo USB incluído.

Diretamente na caixa do Zephyrus S GX701, para além de algumas surpresas vamos encontrar uma mala de transporte, um headset Cerberus e um Rato Gladius II para que a experiência de jogo seja ainda mais completa.

Disponibilidade e preço

O ROG Zephyrus S GX701 está disponível em Portugal pelo preço recomendado de 3699.99 €.


          Em cerimônia, Campos Neto defende manutenção de inflação baixa e pede BC autônomo      Cache   Translate Page      
Novo presidente do Banco Central já assumiu a função, mas cerimônia de transmissão de cargo ocorreu somente nesta quarta. Na próxima semana, ele comanda sua primeira reunião do Copom, que define os juros básicos da economia, atualmente na mínima de 6,5% ao ano. O novo presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, que assumiu o cargo no fim de fevereiro, afirmou nesta quarta-feira (13) que buscará manter a inflação baixa e controlada, e continuar aprimorando os mecanismos de comunicação com a sociedade. A principal missão da autoridade monetária, pelo sistema atual, é o controle da inflação, tendo por base o sistema de metas. Quando as estimativas para a inflação estão em linha com as metas, o BC reduz os juros; quando estão acima da trajtetória esperada, a taxa Selic é elevada. Atualmente, os juros básicos da economia estão em 6,5% ao ano, na mínima histórica. Na próxima semana, Campos Neto comanda sua primeira reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), colegiado que define a taxa Selic, e a expectativa do mercado é de nova manutenção dos juros neste patamar. Além da permanência da inflação baixa, o novo chefe do Banco Central também afirmou que buscará manter um financeiro sólido e eficiente, com um mercado de capitais maior, mais democrático, com a participação de mais pessoas e empresas. Segundo ele, "ter a autonomia do BC registrada na lei, ajudando a reduzir o risco Brasil e a aumentar o crescimento de longo prazo" também é uma das metas. "Acreditamos que um BC autônomo estaria melhor preparado para consolidar os ganhos", acrescentou. A autonomia da instituição, se implementada, diminuiria, de acordo com analistas, a possibilidade de ingerência política nas decisões sobre a taxa básica de juros, a Selic, e na supervisão do sistema financeiro - o que contribuiria para reduzir a curva de juros futuros, com impacto nas taxas bancárias. O tema está sendo debatido no Congresso Nacional. O economista, que é neto do economista Roberto Campos, expoente do pensamento liberal e defensor do Estado minimalista no país, também quer "reduzir o papel do governo, hoje um grande ator no sistema financeiro". Para ele, é importante "tornar o mercado mais aberto para os estrangeiros, com uma eventual moeda conversível".
          Apoya SEDAGRO proyectos productivos de acuicultores      Cache   Translate Page      

REDACCIÓN  Para consolidar la acuicultura mexiquense, principalmente de los municipios de Amanalco, Donato Guerra, Ixtapan del Oro, Valle de Bravo y Villa de Allende, durante 2018 se destinó un millón 810 mil pesos para apoyar a 11 proyectos productivos destinados a esta actividad. “El interés de nuestro Gobernador Alfredo Del Mazo Maza es apoyar a los acuicultores mexiquenses para mantener nuestro primer lugar nacional entre los 15 estados sin litoral. “Es por ello que tan sólo en esta región del Estado de México durante 2018 se han impulsado 11 proyectos productivos con una aportación gubernamental de un millón 810 mil pesos beneficiando a productores de Amanalco, Donato Guerra, Ixtapan del Oro, Valle de Bravo y Villa de Allende”, explicó el titular de la Secretaría de Desarrollo Agropecuario (Sedagro), Darío Zacarías Capuchino. Para seguir con este impulso, la Sedagro entregó equipamiento, remodelación y construcción de infraestructura para cuatro productores acuícolas mexiquenses. Con una aportación gubernamental de 976 mil 643 pesos del Programa de Concurrencia con las Entidades Federativas, Sedagro entregó Certificados de Terminación de Obra a productores de Amanalco, Donato Guerra e Ixtapan del Oro, quienes recibieron un módulo solar fotovoltaico autónomo, infraestructura para el cultivo de trucha arcoíris, construcción de bodegas, sanitarios y equipamiento. Cabe destacar que desde el inicio de la administración de Alfredo Del Mazo Maza, en el Estado de México la aportación gubernamental que se ha destinado para los acuicultores de la entidad supera los 19.7 millones de pesos, inversión que se destina al beneficio de 112 proyectos productivos de 43 municipios. Con estos beneficios se impacta positivamente en la vida de 773 familias en el Estado de México, se crean 470 empleos directos y a este trabajo se suma el beneficio de la entrega y siembra de organismos vivos de trucha arcoíris, rana toro, carpa y tilapia.

La entrada Apoya SEDAGRO proyectos productivos de acuicultores aparece primero en 8 Columnas.


          ANALISTA FUNCIONAL - Irium - Alicante, España      Cache   Translate Page      
Buscamos Analista Funcional/ Negocio Senior para participar en diferentes proyectos en ALICANTE. Funciones: Actuar de enlace entre los usuarios de negocio y el equipo de desarrollo. Capturar las necesidades de negocio. Especificar y modelar los requerimientos Generar la documentación de análisis funcional Validar requerimientos funcionales Identificar y gestionar riesgos detectados a nivel de negocio. Proporcionar soporte al equipo de desarrollo y QA ...
          ENFERMERAS, FISIOTERAPEUTAS Y TERAPEUTAS OCUPACIONALES. ESP. SST. - CODESS - San Andrés, Providencia y Santa Catalina, Departamento de Archipiélago de San Andrés      Cache   Translate Page      
Que tengan experiencia mínima de 1 año en realizar visitas al paciente, verificar estado de salud, en aplicación de cuestionario para validar el rol ocupacional... $2.300.000 al mes
De Indeed - Tue, 19 Feb 2019 13:20:01 GMT - Ver todos: empleos en San Andrés, Providencia y Santa Catalina, Departamento de Archipiélago de San Andrés
          Murillo defiende el trabajo serio del Gobierno en igualdad frente al "ruido"      Cache   Translate Page      
Naciones Unidas, 13 mar (EFE).- Frente al "ruido" y la "corrosión del lenguaje" en torno al feminismo, la secretaria de Estado de Igualdad, Soledad Murillo, reivindica el "trabajo serio" que está haciendo el Gobierno para consolidar derechos para las mujeres.
          El Gobierno defiende el trabajo serio de España en igualdad frente al "ruido"      Cache   Translate Page      
Naciones Unidas, 13 mar (EFE).- Frente al "ruido" y la "corrosión del lenguaje" en torno al feminismo, la secretaria de Estado de Igualdad de España, Soledad Murillo, reivindica el "trabajo serio" que está haciendo el Gobierno para consolidar derechos para las mujeres.
          El Gobierno Vasco promueve un proyecto cooperativo para la paz en Colombia       Cache   Translate Page      

El Gobierno Vasco apoya un proyecto cooperativo puesto en marcha por excombatientes de las FARC en Colombia con el fin de consolidar el proceso de paz en este país.
          Cantv toma los reportes de averías con las etiquetas #ReportaCantv y #ReportaMovilnet      Cache   Translate Page      
La empresa estatal de telecomunicaciones Cantv Movilnet habilitó las etiquetas #ReportaCantv y #ReportaMovilnet en Twitter para prestar atención especial a sus usuarios que permita validar el estatus de la operatividad de sus servicios de telefonía fija, móvil e Internet en las distintas localidades del país. “Ante el ataque al Sistema Eléctrico Nacional, Cantv-Movilnet invita a […]
          ENFERMERAS, FISIOTERAPEUTAS Y TERAPEUTAS OCUPACIONALES. ESP. SST. - CODESS - San Andrés, Providencia y Santa Catalina, Departamento de Archipiélago de San Andrés      Cache   Translate Page      
Que tengan experiencia mínima de 1 año en realizar visitas al paciente, verificar estado de salud, en aplicación de cuestionario para validar el rol ocupacional... $2.300.000 al mes
De Indeed - Tue, 19 Feb 2019 13:20:01 GMT - Ver todos: empleos en San Andrés, Providencia y Santa Catalina, Departamento de Archipiélago de San Andrés
          Bolsonaro precisa deixar claro que, para a Presidência, miliciano é bandido      Cache   Translate Page      
Foram encontradas 117 fuzis na casa de um amigo do PM reformado Ronnie Lessa,
 acusado de ser executor de Marielle Franco e Anderson Gomes.
Foto: Polícia Civil/RJ
O governo Jair Bolsonaro vai acabar sendo acusado de cúmplice de milícias.

E a razão não é a defesa apaixonada que o presidente, quando deputado federal, fazia desses grupos de bandidos oriundos das forças de segurança sob a justificativa de garantirem a ordem. Tampouco as homenagens prestadas a milicianos assassinos por seu filho 01, o senador Flávio Bolsonaro, quando este era deputado estadual. Ou a contratação para o gabinete deste, na Assembleia Legislativa do Rio, da mãe e da esposa do chefe de uma temida milícia. Ou a coincidência de sua casa ficar a poucos passos da residência do executor de Marielle Franco e a coincidência maior ainda de seu filho 04 ter, segundo a polícia, namorado a filha do miliciano – que também pode estar envolvido na maior apreensão de fuzis da história do Rio.

A cumplicidade se deve ao fato do presidente da República parecer fazer de conta que essas organizações não são um problema real, quando elas já controlam um território maior que o do tráfico de drogas no Rio de Janeiro e atuam por todo o país.

A informação sobre a extensão desse poder vem do deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ). Ele defendeu, nesta terça (12), a criação de uma CPI das Milícias na Câmara dos Deputados para identificar como elas interferem na política. Isso acontece na esteira da prisão do policial militar reformado Ronnie Lessa e o ex-PM Élcio Queiroz, acusados da morte da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes.

A despeito da pífia citação das milícias no pacote legislativo contra o crime organizado e a corrupção, encaminhado pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, ao Congresso Nacional, sugerindo inclui-las no rol de organizações criminosas, não há um plano para lidar com esses grupos – cujas relações e tentáculos infestam o Estado.
O problema é que, ao contrário do que ocorre com uma facção criminosa, uma milícia raramente vai para a porrada aberta com a polícia por razões óbvias. Não se combate milícia com ocupação de território e grandes operações policiais. O enfrentamento, portanto, envolve retirar seu poder econômico, o que inclui o uso intensivo de serviços de inteligência integrados, que possam identificar quem das forças de segurança está dentro dessas organizações.

Prova de como precisamos dessa integração é a imagem com 117 novos fuzis encontrados na periferia da capital carioca que teriam relação com o acusado de matar Marielle. Como chegaram ao Rio, ninguém sabe, ninguém viu.

Milícia e tráfico já vivem uma simbiose de métodos e territórios, tanto que – não raro – é difícil diferenciá-los. Mas tudo é tão escrachado e visível que vemos apoiadores de milicianos aparecem nas redes sociais e na política, chamando esses bandidos de heróis e pedindo a morte dos outros bandidos, os traficantes. O escracho é tão grande que se defende os métodos aplicados pelas milícias, de tortura e morte, de qualquer pessoa que seja contra a ocupação mafiosa dos bairros pobres. Ocupação que usa a torpe justificativa de estar garantindo "segurança" contra os criminosos quando são eles próprios representantes do crime.

Não à toa a milícia está onde o Estado não está presente na garantia de direitos fundamentais e de fiscalização, ela ocupa esse vácuo. O debate de segurança pública passa, portanto, por discutir para quem a cidade vai funcionar, com quem a cidade vai funcionar e pela radicalização de um processo de democracia. Chamando as próprias comunidades a participar das decisões sobre seu futuro e não impondo soluções de cima para baixo que não geram mudanças no longo prazo.

Com uma política corrupta no Rio de Janeiro seria estranho se parte da estrutura de policiamento também não fosse. Diante de indagações de como reduzir essa corrupção e atacar milícias formadas por policiais e militares, além de proteger os agentes de segurança honestos, garantindo sua integridade física e a de suas famílias, muitos políticos calam-se, mostrando que falta vontade, conhecimento e coragem. Ou sobra rabo preso.


          Comentário sobre Alemanha propõe porta-aviões europeu por Jacinto      Cache   Translate Page      
Peter, O percentual sobre o próprio PIB foi uma fórmula que tentou impor, a todos os países da Otan, um sacrifício econômico parecido (não igual ou equitativo). Claro, este sacrifício econômico nunca é ou foi equitativo: plena equidade seria e é impossível de se obter quando e tem em mente as discrepâncias econômicas que existiam na época de fundação da OTAN e que continuam a existir. 2% do PIB é muita coisa, mas para um país rico é mais fácil lidar com este sacrifício do que a um país pobre. É como aquela passagem bíblica que afirma que o sacrifício imposto pela caridade de um pobre é muito maior do que o sacrifício imposto pela caridade de rico, porque o rico, no fundo, não se sacrifica tanto quanto o pobre. A questão do subinvestimento da Alemanha em sua defesa - que é a mais relevante, justamente porque a Alemanha é o pais mais rico da Europa - tem origens no processo de reunificação alemã. Explico. Quando o processo de reunificação alemã estava sendo negociado entre URSS, EUA, UK, França e Alemanha, desde cedo ficou evidente que a Alemanha sairia do processo muito fortalecida: já naquela época (começo da década de 90) a Alemanha Ocidental era a maior economia da Europa. Com o acréscimo da população e do território da Alemanha Oriental era bastante seguro afirmar que a Alemanha se tornaria uma potência, senão hegemônica na Europa, ao menos, proeminente. O Mitterrand conhecia bem a história do Sec. XX da Europa porque ele mesmo foi participante do evento definidor daquele século - a 2ª Guerra Mundial - na condição de prisioneiro de guerra e agente da resistência. Temendo que a reunificação alemã tornasse a Alemanha exageradamente poderosa economicamente, ele intuiu que a única forma de impedir a proeminência alemã era conceber uma forma de integrar as economias europeias para que a pujança econômica alemã, ainda que indiretamente, fosse compartilhado pelos demais países da Europa. Para isso, a Alemanha teria de abrir mão da possibilidade de administrar sua própria moeda como qualquer país soberano faz. Foi assim que surgiu o Euro como moeda: uma imposição francesa como garantia que a economia da Alemanha não se tornaria exageradamente forte em relação aos seus vizinhos europeus. Por outro lado, além da questão econômica, havia também a preocupação em conter o poder militar alemão (que não traz boas recordações na Europa). Por isso, os demais países da OTAN não faziam muita questão de que a Alemanha cumprisse a cláusula de 2% - especialmente porque naquela época, a URSS - e a Rússia, sua sucessora - não eram mais uma real ameaça à Europa. Desta forma, havia equilíbrio militar e econômico na Europa, o que viabilizou sua integração (lembre-se: isso em meados dos anos 90). Mas a questão é que a realidade do mundo mudou: a Rússia ressurgiu como ameaça à Europa e, no oriente, a China construiu um poder bélico com o qual ela pretende desafiar o domínio militar americano naquela região. E se as coisas mudaram, a Europa precisa mudar também. Não é a questão de a Europa ser a "má da fita", mas de ela reconhecer que as coisas mudaram desde os anos 90 e que eles precisam acompanhar estas mudanças, justamente para que aquele antigo ditado francês continue fazendo sentido: plus ça change, plus c'est la même chose - quanto mais as coisas mudam, mais elas continuam as mesmas.
          Quanergy and Athena offer LiDAR tech to the Indian market      Cache   Translate Page      
LiDAR manufacturer expands availability to cater for innovative smart sensing solutions. - Source: optics.org


Next Page: 10000

Site Map 2018_01_14
Site Map 2018_01_15
Site Map 2018_01_16
Site Map 2018_01_17
Site Map 2018_01_18
Site Map 2018_01_19
Site Map 2018_01_20
Site Map 2018_01_21
Site Map 2018_01_22
Site Map 2018_01_23
Site Map 2018_01_24
Site Map 2018_01_25
Site Map 2018_01_26
Site Map 2018_01_27
Site Map 2018_01_28
Site Map 2018_01_29
Site Map 2018_01_30
Site Map 2018_01_31
Site Map 2018_02_01
Site Map 2018_02_02
Site Map 2018_02_03
Site Map 2018_02_04
Site Map 2018_02_05
Site Map 2018_02_06
Site Map 2018_02_07
Site Map 2018_02_08
Site Map 2018_02_09
Site Map 2018_02_10
Site Map 2018_02_11
Site Map 2018_02_12
Site Map 2018_02_13
Site Map 2018_02_14
Site Map 2018_02_15
Site Map 2018_02_15
Site Map 2018_02_16
Site Map 2018_02_17
Site Map 2018_02_18
Site Map 2018_02_19
Site Map 2018_02_20
Site Map 2018_02_21
Site Map 2018_02_22
Site Map 2018_02_23
Site Map 2018_02_24
Site Map 2018_02_25
Site Map 2018_02_26
Site Map 2018_02_27
Site Map 2018_02_28
Site Map 2018_03_01
Site Map 2018_03_02
Site Map 2018_03_03
Site Map 2018_03_04
Site Map 2018_03_05
Site Map 2018_03_06
Site Map 2018_03_07
Site Map 2018_03_08
Site Map 2018_03_09
Site Map 2018_03_10
Site Map 2018_03_11
Site Map 2018_03_12
Site Map 2018_03_13
Site Map 2018_03_14
Site Map 2018_03_15
Site Map 2018_03_16
Site Map 2018_03_17
Site Map 2018_03_18
Site Map 2018_03_19
Site Map 2018_03_20
Site Map 2018_03_21
Site Map 2018_03_22
Site Map 2018_03_23
Site Map 2018_03_24
Site Map 2018_03_25
Site Map 2018_03_26
Site Map 2018_03_27
Site Map 2018_03_28
Site Map 2018_03_29
Site Map 2018_03_30
Site Map 2018_03_31
Site Map 2018_04_01
Site Map 2018_04_02
Site Map 2018_04_03
Site Map 2018_04_04
Site Map 2018_04_05
Site Map 2018_04_06
Site Map 2018_04_07
Site Map 2018_04_08
Site Map 2018_04_09
Site Map 2018_04_10
Site Map 2018_04_11
Site Map 2018_04_12
Site Map 2018_04_13
Site Map 2018_04_14
Site Map 2018_04_15
Site Map 2018_04_16
Site Map 2018_04_17
Site Map 2018_04_18
Site Map 2018_04_19
Site Map 2018_04_20
Site Map 2018_04_21
Site Map 2018_04_22
Site Map 2018_04_23
Site Map 2018_04_24
Site Map 2018_04_25
Site Map 2018_04_26
Site Map 2018_04_27
Site Map 2018_04_28
Site Map 2018_04_29
Site Map 2018_04_30
Site Map 2018_05_01
Site Map 2018_05_02
Site Map 2018_05_03
Site Map 2018_05_04
Site Map 2018_05_05
Site Map 2018_05_06
Site Map 2018_05_07
Site Map 2018_05_08
Site Map 2018_05_09
Site Map 2018_05_15
Site Map 2018_05_16
Site Map 2018_05_17
Site Map 2018_05_18
Site Map 2018_05_19
Site Map 2018_05_20
Site Map 2018_05_21
Site Map 2018_05_22
Site Map 2018_05_23
Site Map 2018_05_24
Site Map 2018_05_25
Site Map 2018_05_26
Site Map 2018_05_27
Site Map 2018_05_28
Site Map 2018_05_29
Site Map 2018_05_30
Site Map 2018_05_31
Site Map 2018_06_01
Site Map 2018_06_02
Site Map 2018_06_03
Site Map 2018_06_04
Site Map 2018_06_05
Site Map 2018_06_06
Site Map 2018_06_07
Site Map 2018_06_08
Site Map 2018_06_09
Site Map 2018_06_10
Site Map 2018_06_11
Site Map 2018_06_12
Site Map 2018_06_13
Site Map 2018_06_14
Site Map 2018_06_15
Site Map 2018_06_16
Site Map 2018_06_17
Site Map 2018_06_18
Site Map 2018_06_19
Site Map 2018_06_20
Site Map 2018_06_21
Site Map 2018_06_22
Site Map 2018_06_23
Site Map 2018_06_24
Site Map 2018_06_25
Site Map 2018_06_26
Site Map 2018_06_27
Site Map 2018_06_28
Site Map 2018_06_29
Site Map 2018_06_30
Site Map 2018_07_01
Site Map 2018_07_02
Site Map 2018_07_03
Site Map 2018_07_04
Site Map 2018_07_05
Site Map 2018_07_06
Site Map 2018_07_07
Site Map 2018_07_08
Site Map 2018_07_09
Site Map 2018_07_10
Site Map 2018_07_11
Site Map 2018_07_12
Site Map 2018_07_13
Site Map 2018_07_14
Site Map 2018_07_15
Site Map 2018_07_16
Site Map 2018_07_17
Site Map 2018_07_18
Site Map 2018_07_19
Site Map 2018_07_20
Site Map 2018_07_21
Site Map 2018_07_22
Site Map 2018_07_23
Site Map 2018_07_24
Site Map 2018_07_25
Site Map 2018_07_26
Site Map 2018_07_27
Site Map 2018_07_28
Site Map 2018_07_29
Site Map 2018_07_30
Site Map 2018_07_31
Site Map 2018_08_01
Site Map 2018_08_02
Site Map 2018_08_03
Site Map 2018_08_04
Site Map 2018_08_05
Site Map 2018_08_06
Site Map 2018_08_07
Site Map 2018_08_08
Site Map 2018_08_09
Site Map 2018_08_10
Site Map 2018_08_11
Site Map 2018_08_12
Site Map 2018_08_13
Site Map 2018_08_15
Site Map 2018_08_16
Site Map 2018_08_17
Site Map 2018_08_18
Site Map 2018_08_19
Site Map 2018_08_20
Site Map 2018_08_21
Site Map 2018_08_22
Site Map 2018_08_23
Site Map 2018_08_24
Site Map 2018_08_25
Site Map 2018_08_26
Site Map 2018_08_27
Site Map 2018_08_28
Site Map 2018_08_29
Site Map 2018_08_30
Site Map 2018_08_31
Site Map 2018_09_01
Site Map 2018_09_02
Site Map 2018_09_03
Site Map 2018_09_04
Site Map 2018_09_05
Site Map 2018_09_06
Site Map 2018_09_07
Site Map 2018_09_08
Site Map 2018_09_09
Site Map 2018_09_10
Site Map 2018_09_11
Site Map 2018_09_12
Site Map 2018_09_13
Site Map 2018_09_14
Site Map 2018_09_15
Site Map 2018_09_16
Site Map 2018_09_17
Site Map 2018_09_18
Site Map 2018_09_19
Site Map 2018_09_20
Site Map 2018_09_21
Site Map 2018_09_23
Site Map 2018_09_24
Site Map 2018_09_25
Site Map 2018_09_26
Site Map 2018_09_27
Site Map 2018_09_28
Site Map 2018_09_29
Site Map 2018_09_30
Site Map 2018_10_01
Site Map 2018_10_02
Site Map 2018_10_03
Site Map 2018_10_04
Site Map 2018_10_05
Site Map 2018_10_06
Site Map 2018_10_07
Site Map 2018_10_08
Site Map 2018_10_09
Site Map 2018_10_10
Site Map 2018_10_11
Site Map 2018_10_12
Site Map 2018_10_13
Site Map 2018_10_14
Site Map 2018_10_15
Site Map 2018_10_16
Site Map 2018_10_17
Site Map 2018_10_18
Site Map 2018_10_19
Site Map 2018_10_20
Site Map 2018_10_21
Site Map 2018_10_22
Site Map 2018_10_23
Site Map 2018_10_24
Site Map 2018_10_25
Site Map 2018_10_26
Site Map 2018_10_27
Site Map 2018_10_28
Site Map 2018_10_29
Site Map 2018_10_30
Site Map 2018_10_31
Site Map 2018_11_01
Site Map 2018_11_02
Site Map 2018_11_03
Site Map 2018_11_04
Site Map 2018_11_05
Site Map 2018_11_06
Site Map 2018_11_07
Site Map 2018_11_08
Site Map 2018_11_09
Site Map 2018_11_10
Site Map 2018_11_11
Site Map 2018_11_12
Site Map 2018_11_13
Site Map 2018_11_14
Site Map 2018_11_15
Site Map 2018_11_16
Site Map 2018_11_17
Site Map 2018_11_18
Site Map 2018_11_19
Site Map 2018_11_20
Site Map 2018_11_21
Site Map 2018_11_22
Site Map 2018_11_23
Site Map 2018_11_24
Site Map 2018_11_25
Site Map 2018_11_26
Site Map 2018_11_27
Site Map 2018_11_28
Site Map 2018_11_29
Site Map 2018_11_30
Site Map 2018_12_01
Site Map 2018_12_02
Site Map 2018_12_03
Site Map 2018_12_04
Site Map 2018_12_05
Site Map 2018_12_06
Site Map 2018_12_07
Site Map 2018_12_08
Site Map 2018_12_09
Site Map 2018_12_10
Site Map 2018_12_11
Site Map 2018_12_12
Site Map 2018_12_13
Site Map 2018_12_14
Site Map 2018_12_15
Site Map 2018_12_16
Site Map 2018_12_17
Site Map 2018_12_18
Site Map 2018_12_19
Site Map 2018_12_20
Site Map 2018_12_21
Site Map 2018_12_22
Site Map 2018_12_23
Site Map 2018_12_24
Site Map 2018_12_25
Site Map 2018_12_26
Site Map 2018_12_27
Site Map 2018_12_28
Site Map 2018_12_29
Site Map 2018_12_30
Site Map 2018_12_31
Site Map 2019_01_01
Site Map 2019_01_02
Site Map 2019_01_03
Site Map 2019_01_04
Site Map 2019_01_06
Site Map 2019_01_07
Site Map 2019_01_08
Site Map 2019_01_09
Site Map 2019_01_11
Site Map 2019_01_12
Site Map 2019_01_13
Site Map 2019_01_14
Site Map 2019_01_15
Site Map 2019_01_16
Site Map 2019_01_17
Site Map 2019_01_18
Site Map 2019_01_19
Site Map 2019_01_20
Site Map 2019_01_21
Site Map 2019_01_22
Site Map 2019_01_23
Site Map 2019_01_24
Site Map 2019_01_25
Site Map 2019_01_26
Site Map 2019_01_27
Site Map 2019_01_28
Site Map 2019_01_29
Site Map 2019_01_30
Site Map 2019_01_31
Site Map 2019_02_01
Site Map 2019_02_02
Site Map 2019_02_03
Site Map 2019_02_04
Site Map 2019_02_05
Site Map 2019_02_06
Site Map 2019_02_07
Site Map 2019_02_08
Site Map 2019_02_09
Site Map 2019_02_10
Site Map 2019_02_11
Site Map 2019_02_12
Site Map 2019_02_13
Site Map 2019_02_14
Site Map 2019_02_15
Site Map 2019_02_16
Site Map 2019_02_17
Site Map 2019_02_18
Site Map 2019_02_19
Site Map 2019_02_20
Site Map 2019_02_21
Site Map 2019_02_22
Site Map 2019_02_23
Site Map 2019_02_24
Site Map 2019_02_25
Site Map 2019_02_26
Site Map 2019_02_27
Site Map 2019_02_28
Site Map 2019_03_01
Site Map 2019_03_02
Site Map 2019_03_03
Site Map 2019_03_04
Site Map 2019_03_05
Site Map 2019_03_06
Site Map 2019_03_07
Site Map 2019_03_08
Site Map 2019_03_09
Site Map 2019_03_10
Site Map 2019_03_11
Site Map 2019_03_12
Site Map 2019_03_13