Next Page: 10000

          Associate Director, Legal & Governance (Investment Team) - AIA Hong Kong and Macau      Cache   Translate Page      
Salary: Salary negotiable, 7 yr of exp, posted on 04 Dec 2018 02:17:00
          Senior Manager, Finance (Investment Team) - AIA Hong Kong and Macau      Cache   Translate Page      
Salary: Salary negotiable, 8 yr of exp, posted on 04 Dec 2018 02:17:00
          Alexis Tam sublinha “excelência dos cuidados médicos” em Macau      Cache   Translate Page      
No primeiro dia de apresentação das Linhas de Acção Governativa (LAG) para os Assuntos Sociais e Cultura, o secretário Alexis Tam indicou que, para 2019, estão previstos 8,5 mil milhões de patacas para o sistema de saúde, um valor “astronómico”, que permite contratar pessoal, custear despesas médicas, encurtar tempos de espera e criar uma “boa […]
          Kaifong lançam serviço para encontrar pessoas perdidas com demência      Cache   Translate Page      
As pessoas com demência têm um novo serviço para as ajudar a regressar a casa quando estiverem perdidas. Este relógio, desenvolvido pela União Geral das Associações dos Moradores de Macau (Kaifong), foi ontem apresentado numa sessão destinada a assinalar o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência. TEXTO: Catarina Vila Nova A União Geral das Associações […]
          Possibilidade de contratação de motoristas no exterior em estudo      Cache   Translate Page      
A Comissão de Desenvolvimento de Talentos vai realizar um estudo sobre a procura e a oferta de motoristas profissionais em Macau. Segundo Sou Chio Fai, secretário-geral desta comissão, o estudo deverá estar pronto no próximo ano. Em marcha estão outros dois estudos: um sobre a competitividade dos recursos humanos e outro sobre o envelhecimento da […]
          Trabalhadores não-residentes podem ser “elemento prejudicial à segurança interna”, alega Song Pek Kei      Cache   Translate Page      
A deputada Song Pek Kei disse na passada sexta-feira, durante o debate das Linhas de Acção Governativa (LAG) para o próximo ano da tutela da Segurança, que os trabalhadores não-residentes “podem ser um elemento prejudicial à segurança interna” de Macau e que, além disso, “muitos não desempenham bem os seus trabalhos”. “Actualmente, há cerca de […]
          Centros de avaliação pediátrica e de apoio à demência em funcionamento a partir 15 Dezembro      Cache   Translate Page      
O Centro de Avaliação Conjunta Pediátrica será transferido para o Centro de Saúde da Ilha Verde a 15 de Dezembro e, no mesmo dia, será inaugurado o Centro de Apoio à Demência. As decisões foram anunciadas na sexta-feira. Em Macau, anualmente, nascem à volta de sete mil bebés, dos quais cerca de 6% a 8% […]
          Ponte “psicológica” une Macau e Hong Kong à China comunista, mas uso é “pouco”      Cache   Translate Page      
Para além de visar a integração económica, a Ponte do Delta tem um simbolismo político, refere Zhang Lei, que viajou milhares de quilómetros, desde o Nordeste da China, para atravessar a ponte. “Tem um efeito psicológico: une os três lugares”, assinala Wei Dongqing, um dos responsáveis pelo projecto, que liga Macau e Hong Kong ao […]
          Voting Continues For The 2018 BroadwayWorld Cabaret Awards! 54 SINGS Leads Best Variety Show/Recurring Series!      Cache   Translate Page      

Voting for the BroadwayWorld Cabaret Awards is open! The BWW Cabaret Awards honor exemplary performers and productions in New York from November 1, 2017 to October 31, 2018. Nominees in all categories excluding Special Event - Solo and Special Event - Multiple needed to have performed all or the majority of their shows (at least two of three shows) during this eligibility period.

Check out the current standings, and make sure your voice is heard by voting below!

This marks the first year of the Best Burlesque Show or Act, Best Drag Artist or Impersonator, Best Major Recording, and Best Revue/Group Show categories. Additionally, all previously-gendered categories, including Best Show, have been combined. These changes changes and additions are meant to reflect the diverse and ever-changing landscape of the industry and give recognition to local performers who have not previously been eligible.

Nominations were both reader-submitted and chosen by BWW Cabaret's editing and reviewing staff to best represent and honor the wide range of talent New York's cabaret scene has to offer. After the nomination period ended on October 31, the list was proofed for eligibility and errors.

Voting will run through December 31, 2018, and winners will be announced in January!

If you haven't voted yet, click here to vote! If you have voted already, tell your friends.

Here are the current standings for Cabaret:

Best Burlesque Show or Act
Company XIV 34%
The Pink Room Burlesque 28%
Le Scandal 15%

Best Debut Show
Tim Cahill - IT'S ABOUT TIM(E)! - Don't Tell Mama, Pangea 22%
Sierra Rein - RUNNING IN PLACE - The Laurie Beechman Theatre 21%
Margo Brown - MARGO SINGS MERCER - Don't Tell Mama 17%

Best Director
Robbie Rozelle - BEING GREEN, Melissa Errico SINGS SONDHEIM - Various 19%
Jeff Harnar - MARGO SINGS MERCER, MY SHIP: SONGS FROM 1941 - Various 16%
Sondra Lee - #SONDHEIMMONTAGE - Various 14%

Best Drag Artist or Impersonator
Rick Skye 27%
Randy Roberts 20%
Jackie Cox 18%

Best Duo Show
Christine Ebersole and Billy Stritch - SNOWFALL - Birdland 30%
Jane Lynch and Kate Flannery - TWO LOST SOULS - Cafe Carlyle 21%
KT Sullivan and Jeff Harnar - #SONDHEIMMONTAGE - The Laurie Beechman Theatre 19%

Best Jazz Vocalist
Veronica Swift 18%
Gabrielle Stravelli 17%
Michelle Dowdy 16%

Best Major Recording
Jessica Vosk - WILD AND FREE 48%
Carole J. Bufford - ALL BY MYSELF 14%
Marissa Mulder - TWO TICKETS LEFT 10%

Best Musical Comedy or Alt Cabaret Show
Justin Vivian Bond - BOYS IN THE TREES - Joe's Pub 28%
Justin Sayre - Justin Sayre'S GAY-B-C'S: A BRIEF HISTORY OF GAY CULTURE IN 5 PARTS - Joe's Pub 23%
Lady Rizo - LADY, LADY, LADY - Joe's Pub 22%

Best Musical Director
Bobby Peaco - TIGHT PANTS AND TEARS OF JOY - Various 25%
Tracy Stark - BACK WHEN WE WERE BEAUTIFUL, ON PURPOSE - Various 16%
Tedd Firth - MARGO SINGS MERCER, CONFOUND ME: SONGS IN SEARCH OF SOMETHING - Various 13%

Best Revue/Group Show
Various - INTO THE WOODS IN CONCERT - The Laurie Beechman Theatre 36%
Various - THE Jonathan Larson PROJECT - Feinstein's/54 Below 21%
Various - STEPHANIE'S CHILD - The Green Room 42 15%

Best Show
Michael Kirk Lane - GLASS HALF FULL - Don't Tell Mama 17%
Meg Flather - BACK WHEN WE WERE BEAUTIFUL - Don't Tell Mama 15%
Jeff Macauley - WHERE DID THE GENTLEMAN GO? : THE SONGS OF BOBBY TROUP AND THE LIFE OF SCOTTY BOWERS - Pangea 13%

Best Show, Celebrity
Jessica Vosk - BEING GREEN - Feinstein's/54 Below 27%
Alan Cumming - LEGAL IMMIGRANT - Cafe Carlyle, Joe's Pub 21%
Marilyn Maye - 90 AT LAST! - Feinstein's/54 Below 19%

Best Special Event (Multiple)
WAITRESS SINGS Sara Bareilles - The Green Room 42 35%
BERNSTEIN: 100 YEARS - A CENTENNIAL SHOW - The Green Room 42 24%
ONCE ON THIS ISLAND SINGS AHRENS & FLAHERTY - Feinstein's/54 Below 14%

Best Special Event (Solo)
Maureen McGovern - A 45TH ANNIVERSARY 'POSEIDON ADVENTURE' PAJAMA PARTY - Birdland 33%
Robbie Rozelle - BUSTIN' OUT ON PRIDE WEEKEND - Feinstein's/54 Below 16%
Molly Pope - LIVE AT Carnegie Hall AT The Duplex - The Duplex 14%

Best Tribute Show
Helane Blumfield - TIGHT PANTS AND TEARS OF JOY: MY LOVE AFFAIR WITH Tom Jones AND Neil Diamond - The Laurie Beechman Theatre 25%
Ann Hampton Callaway - THE Linda Ronstadt SONGBOOK - Feinstein's/54 Below 23%
Judy Collins - A LOVE LETTER TO Stephen Sondheim - Cafe Carlyle, Joe's Pub 17%

Best Variety Show or Recurring Series
54 SINGS - Feinstein's/54 Below 27%
Jim Caruso'S CAST PARTY - Birdland 18%
BROADWAY SESSIONS - The Laurie Beechman Theatre 17%

Best Vocalist
Natalie Douglas 16%
Carole J. Bufford 12%
Michael Kirk Lane 11%

Give the gift of Broadway to your friends and loved ones this holiday season with BroadwayHD! The revolutionary streaming platform offers subscribers unlimited on-demand access to over 250+ Broadway & West End productions, concerts and one-of-a-kind specials. From Cats to Cirque du Soleil, Gypsy and PUFFS, there is something for every theatre lover to enjoy. Watch your favourites over and over again from the comfort of your own couch. For more information on Broadway anytime, anywhere, head over to BroadwayHD.com


          El malware para AutoCAD está en el centro de una campaña de espionaje industrial para robar planos que valen oro      Cache   Translate Page      

El malware para AutoCAD está en el centro de una campaña de espionaje industrial para robar planos que valen oro#source%3Dgooglier%2Ecom#https%3A%2F%2Fgooglier%2Ecom%2Fpage%2F%2F10000

AutoCAD es sin duda uno de los programas de modelado y diseño asistido por ordenador más conocidos y usados desde hace más de 30 años. Si bien es un software especializado usado principalmente por ingenieros y arquitectos, el valor de lo que se produce con él es bastante importante y se ha convertido en un gran objetivo del espionaje industrial.

Explotando una característica en el programa de Autodesk, los cibercriminales están intentando robar diseños para puentes, edificios de fábricas y otros proyectos, ya sea con propósitos de espionaje industrial o para vender en el mercado negro por altas sumas de dinero.

Robando planos desde 2014

La firma de seguridad Forcepoint explica que se encuentran analizando actualmente una campaña de malware para AutoCAD destinada al robo de planos de empresas del sector energético. Y según los datos que ha recolectado la compañía parece haber estado activa desde el 2014.

Los ataques llegan a través de correos electrónicos de phishing que contienen documentos de diseño y planos, pero en el mismo directorio se incluyen archivos maliciosos de AutoCAD formateados en AutoLISP, o enlaces a sitios web desde los que las víctimas pudieran descargar los archivos ZIP por sí mismas, en caso de que los archivos "carnada" tuvieran que ser mayores que los límites de archivos adjuntos del correo electrónico estándar. Todo muy natural.

Autocad

Cuando la víctima abre el documento de diseño puede provocar que se ejecute un archivo AutoLISP sin querer. Aunque las versiones modernas de AutoCAD por defecto muestran una advertencia de que se ejecutará un script potencialmente inseguro, las advertencias pueden ignorarse o suprimirse por completo. Para que los archivos sean menos llamativos, los atacantes han establecido que sus propiedades se oculten en Windows y que sus contenidos se cifren.

Forcepoint dijo que esta campaña utilizó documentos de diseño ya robados de grandes proyectos como hoteles, fábricas e incluso el puente Hong Kong-Zhuhai-Macau como señuelos para seguir propagándose y adquirir más planos.

Planos y diseños legítimos con malware camuflado se usan como carnada para engañar a los usuarios y adquirir nuevos archivos

Este tipo de ataques no son nuevos, la mayoría del malware para AutoCAD ha explotado una característica básica de carga automática que permite a los usuarios crear sus propios scripts basados en AutoLISP y ejecutarlos en el inicio de la aplicación o al cargar los archivos del proyecto.

La parte interesante e importante aquí es el aspecto de ingeniería social, engañar al usuario para que abra un proyecto que aparentemente es legítimo puesto que ha sido robado antes, y esperar que el usuario lo ejecute y haga el resto del trabajo por los cibercriminales. Y como explica Forcepoint, su investigación apunta a que en la mayoría de los casos la apertura del archivo normalmente mostrará contenido legítimo (o al menos de apariencia legítima), pero también ejecutará los scripts maliciosos.

El valor de estos documentos, especialmente en el sector de la energía renovable es más alto que nunca, y por ello se ha convertido en un objetivo de los cibercriminales.

A pesar de esto, con simplemente prestar atención y llevar a cabo algunos pasos adicionales, la mayoría de los ataques basados en AutoCAD pueden ser mitigados. Es importante deshabilitar la carga automática desde fuentes no confiables, asegurándose de que siempre haya una advertencia emergente antes de que se ejecute cualquier módulo, y permitir la visibilidad de los archivos ocultos es fácil de lograr. Es algo que pueden controlarse a través de las entradas del registro, y es sumamente recomendado para los administradores de sistemas que apliquen esas medidas mediante políticas de grupo.


          Revance Therapeutics reaches licensing agreement with Fosun Pharmaceutical over botox formulation RT002      Cache   Translate Page      

Shares of Revance Therapeutics Inc. were up 1.9% in premarket trade Tuesday after the company announced it had entered an agreement with Shanghai Fosun Pharmaceutical Industrial Development Co. to give Fosun exclusive rights to develop and commercialize Revance's botulinum toxin formulation RT002 in mainland China, Hong Kong and Macau. Under the licensing agreement, Revance will receive an upfront payment of $30 million and is eligible to receive up to an additional $230.5 million in future development and sales milestone payments, as well as royalties on future net sales. Shares of Revance have fallen 42% in the year to date, while the iShares Nasdaq Biotechnology exchange traded fund has gained 3.3%. The SPDR S&P Biotech ETF, which includes smaller biotech companies, has fallen 0.3%, and the S&P 500 has advanced 4.4%.

Market Pulse Stories are Rapid-fire, short news bursts on stocks and markets as they move. Visit MarketWatch.com for more information on this news.


          Love, Cecil (2018)      Cache   Translate Page      

Movie: Love, Cecil Director: Lisa Immordino Vreeland Stars: Rupert Everett, David Bailey, Manolo Blahnik, Hamish Bowles, Susanna Brown, Leslie Caron, Peter Eyre, Philippe Garner, Ray Gurton, Nicky Haslam, David Hockney, Alastair Macaulay, Isaac Mizrahi, Robin Muir, Julie Andrews Release Date: June 29, 2018 Run Time: 1h 38min Genre: Documentary Lisa Immordino Vreeland directs this documentary […]

The post Love, Cecil (2018) appeared first on Putlocker Movies HD.


          FPGA Hardware Engineer      Cache   Translate Page      
VA-Roanoke, Job Description: MacAulay-Brown, Inc. (MacB) is searching for qualified candidates to contribute to a hardware engineering effort involving FPGA-based systems. This effort includes direct functional evaluation of hardware as well as contributing to the investigation, research, and development of new methods and techniques for evaluation, analysis, and verification of FPGA and ASIC digital designs.
          Programa socioambiental da Petrobras seleciona sete projetos do RN      Cache   Translate Page      


Sete projetos criados no Rio Grande do Norte foram escolhidos, por meio de seleção pública, pelo Programa Petrobras Socioambiental. A intenção era escolher iniciativas que contribuíssem para a conservação do meio ambiente, para a melhoria das condições de vida nas comunidades no entorno das operações da Petrobras e para o desenvolvimento local nas áreas onde ela atua.

A Seleção Pública foi de abrangência nacional. Contudo, para os projetos cuja linha de atuação prioritária fosse “Direitos da Criança e do Adolescente”, “Educação” ou “Esporte”, era obrigatório o atendimento a pelo menos uma das comunidades priorizadas para este processo de seleção pública, constantes na “Relação dos Municípios e Comunidades da área de Abrangência da Petrobras”.

Já para os projetos cuja linha de atuação prioritária seja “Água”, “Biodiversidade” ou “Florestas e Clima”, a restrição não foi aplicada.

Confira os vencedores do Rio Grande do Norte:

Projeto: Caiçaras – Educação ambiental, Economia Criativa e Desenvolvimento Sustentável
Instituição: Associação Multicultural Azulmata
Foco: Educação

Projeto: Cuidando da Ponta do Tubarão
Instituição: Comissão de Justiça e Paz de Macau
Foco: Educação

Projeto: Despertar – Semeando Cidadania
Instituição: Centro de Assessoria às Comunidades Rurais e Urbanas
Foco: Esporte

Projeto: Aves Migratórias do Nordeste
Instituição: Associação de Pesquisa e Preservação de Ecossistemas Aquáticos – AQUASIS
Foco: Biodiversidade
Em conjunto com os estados do CE e PI

Projeto: Bioágua Familiar II
Instituição: ATOS – Assessoria Consultoria e Capacitação Técnica Orientada Sustentável
Foco: Água

Projeto: Budiões
Instituto: Nautilus de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade
Foco: Biodiversidade
Em conjunto com os estados de AL, BA, ES, MA, PE e RJ

Projeto: Vale Sustentável
Instituição: Associação Norte-Rio-Grandense de Engenheiros Agrônomos – ANEA
Foco: Florestas e Clima





Curta nossa Página



          The muaythai Asian Championships are expanding.      Cache   Translate Page      
The muaythai Asian Championships kick off in Macau this week, with for the first time an team from the Oceania region joining the event. Last year an historic MoU was signed between the Olympic Council of Asia (OCA) and the Oceania National Olympic Committees (ONOC) for all sports to participate in Asian competitions. This is […]
          Teams arriving in Macau for the muaythai Asian Championships 2018      Cache   Translate Page      
Muaythai athletes from over thirty Asian countries are jetting into the beautiful city-state of Macau today, ready for the 2018 edition of the Asian championships. The local organising committee have worked hard with various government bodies, there is great support for the event as this is the first time the Asian Championships have come to […]
          "Kevin – Allein zu Haus": Macaulay Culkin kann noch den Text      Cache   Translate Page      
Früher Ruhm kann Segen und Fluch zugleich sein. Kaum jemand weiß das besser als Schauspieler Macaulay Culkin (38). Im Alter von nicht einmal zehn Jahren wurde er mit "Kevin – Allein zu Haus" weltberühmt. Die Fortsetzung "Kevin – Allein in New York" folgte zwei Jahre später. Nun, 28 Jahre später, erinnert sich Macaulay zurück – sogar an seinen Filmtext von damals, den er noch immer im Kopf hat.
           Video: Trailer for holiday classic 'Home Alone' starring Macaulay Culkin       Cache   Translate Page      
Trailer for holiday classic 'Home Alone' starring Macaulay Culkin and Joe Pesci. 'Home Alone' was written by John Hughes and directed by Chris Columbus.
          Macaulay Culkin bromea contando cómo ‘Mi Pobre Angelito’ lo ayudó con sus parejas      Cache   Translate Page      
Macaulay Culkin habló con Jimmy Fallon sobre las repeticiones de 'Mi Pobre Angelito' en la TV y cómo aprovecha esto.
          Assistant Manager, Capital Management - AIA Hong Kong and Macau      Cache   Translate Page      
Salary: Salary negotiable, 4 yr of exp, posted on 04 Dec 2018 09:27:00
          Electrical and Electronics Engineering, Other      Cache   Translate Page      
OH-Dayton, Job Description: Seeking technician to support the MacAulay-Brown, Inc. (MacB) team for our Air Force customers and MacB’s RF and Electronics Laboratory. Work location will be split between MacB’s Dayton office and Wright Patterson Air Force Base in Dayton Ohio. Duties will include, but not limited to: Aid Engineers in assembly and test of Digital and RF hardware for Radar, Seeker, and Electronic
          FPGA Hardware Engineer      Cache   Translate Page      
VA-Roanoke, Job Description: MacAulay-Brown, Inc. (MacB) is searching for qualified candidates to contribute to a hardware engineering effort involving FPGA-based systems. This effort includes direct functional evaluation of hardware as well as contributing to the investigation, research, and development of new methods and techniques for evaluation, analysis, and verification of FPGA and ASIC digital designs.
          Journeyman Test Program Manager      Cache   Translate Page      
OH-Dayton, MacAulay-Brown, Inc. (MacB), an Alion company, is looking for a Journeyman Test Resource Program Manager to support the F-22 Program Office at Wright-Patterson AFB OH. This person will: Provide program management support for F-22 Test Resources activities, to include, but not limited to, Windows XP migration, Common Range Integrated Instrumentation System (CRIIS) integration, and F-22 Training Sys
          Das zweite Gesicht      Cache   Translate Page      
Nach dem Tod seiner Mutter kommt der junge Mark (Elijah Wood) vorübergehend in die Obhut von Tante und Onkel, die mit ihren Kindern ein einsames Landhaus am Meer bewohnen. Dort lernt Mark seinen Cousin Henry (Macaulay Culkin) kennen und freundet sich schnell mit dem gleichaltrigen Jungen an. Doch Henry entpuppt sich als gefährlicher Zeitgenosse: Was als Mutproben und Streiche beginnt, artet bald in gefährliche Anschläge aus. Als Mark versucht, Henrys Eltern zu warnen, stößt er auf völligen ...
          Comment on Macaulay Culkin, navidad, Mi pobre angelito, Bunny Ears y Jimmy Fallon by Carolina Andrea Gutierrez      Cache   Translate Page      
La risa que tiene!! jejejjeje
          Health chief to attend Macau meeting      Cache   Translate Page      

Secretary for Food & Health Prof Sophia Chan will lead a delegation to Macau today to attend the 17th Joint Meeting of Senior Health Officials of the Mainland, Hong Kong & Macau to be held tomorrow.

 

Organised by the Macao Special Administrative Region Government, the meeting provides a platform for senior medical and health officials and experts of the three places to share experiences and exchange views on medical and public health issues.

 

Prof Chan will speak at the opening ceremony, which will be followed by a discussion on co-operation on health in the Guangdong-Hong Kong-Macao Greater Bay Area, healthcare technology and innovation, medical assistance programmes, and drug management.

 

During the meeting, a tripartite co-operation agreement on emergency response to public health issues will be signed, while the Food & Health Bureau will also sign an agreement on medical and health co-operation with the National Health Commission.

 

During Prof Chan's absence, Under Secretary for Food & Health Dr Chui Tak-yi will be Acting Secretary.

 


          Armelle Le Bigot-Macaux: 1000 szó képekben (*88) - Jelenlegi ára: 500 Ft      Cache   Translate Page      
Armelle Le Bigot-Macaux: 1000 szó képekben
A megrendelt könyvek a rendelést követően átvehetők budapesti antikváriumunkban a bolt nyitvatartási idejében, vagy kiszállítjuk Önnek a Szállítási és garanciális fül alatt részletezett feltételek mellett.
Armelle Le Bigot-Macaux: 1000 szó képekben (*88)
Jelenlegi ára: 500 Ft
Az aukció vége: 2018-12-25 13:44
          VÍDEO: Chuva causa estragos em 40 minutos de temporal: 'Nunca vi isso', diz prefeito de Milagres-BA.      Cache   Translate Page      

As chuvas que caíram em Milagres, no Vale do Jiquiriçá, nesta segunda-feira (3) causaram estragos em várias ruas da cidade. As precipitações ainda continuam nesta terça-feira (4). Segundo o prefeito Cézar Rotondando Machado, o temporal desta segunda começou por volta das 16h e após 40 minutos várias ruas já estavam alagadas. 
Trechos como a entrada da cidade, na BR-116, a Cascalheira e a avenida do hospital ficaram deterioradas. “Olha, não tem rua da cidade que não foi afetada. Em uma hora de chuva foi um arraso total. Eu nunca tinha visto isso antes, mesmo nascido e criado aqui”, disse o gestor ao Bahia Notícias. 


Nesta terça, a Defesa Civil do Município faz um relatório para averiguar o estado das vias locais. Um decreto de emergência devido às chuvas pode ser homologado nos próximos dias, como disse o prefeito. “Seria cômico se não fosse trágico, mas eu estava preparado para um decreto de emergência pela seca, e vou acabar fazendo um pelos estragos da chuva”, lamentou. Cézar afirmou ainda que vai pedir ajuda aos governos estadual e federal para ajudar na recuperação da cidade. Vídeo abaixo:


          Não queremos ser servos da China / A era dourada da China em Portugal      Cache   Translate Page      



Não queremos ser servos da China
O deslumbramento "pragmático" pelos bons negócios pode ser o caminho mais curto para a servidão – e esse é um risco real nas relações de Portugal com a China.

VICENTE JORGE SILVA
2 de Dezembro de 2018, 7:00

Portugal prepara-se para receber na próxima semana em visita oficial o Presidente chinês, Xi Jinping, enquanto crescem os sinais de que poderemos vir a ser a principal porta de entrada da China na Europa (apenas a Finlândia nos ultrapassa neste momento). E, a propósito disso, multiplicam-se as análises e projecções económicas, em geral muito optimistas, sobre o papel que poderemos desempenhar como aliados da segunda maior potência económica à escala global, com um ímpeto capaz de a colocar na liderança já em 2030.

Sintomaticamente, a secretária de Estado do Turismo lançou um desafio sem rodeios ao maior grupo tecnológico chinês, Alibaba, correspondendo à operação de charme encenada há dias por aquele grupo em Portugal: "…por favor, usem-nos, como porta de entrada, como cobaias, para testar a forma de entrarem na Europa". Não há aqui lugar para subtilezas ou precauções que, pelo menos, nos salvem a face do desejo de querer ser, à viva força, o cavalo de Tróia da China na União Europeia. Aliás, as considerações de ordem meramente económica – em que assumimos o papel de pequeno e alegre satélite do expansionismo chinês – predominam sobre quaisquer outras, nomeadamente as de carácter político. De política é, de resto, o que não se fala de todo nas duas páginas que o Expresso de ontem consagra ao investimento chinês em Portugal. Entrevistado por aquele semanário, Peter Williamson, professor de gestão em Cambridge, tem mesmo uma afirmação lapidar: "Portugueses são pragmáticos como os chineses".

É esse pragmatismo que nos leva a varrer para debaixo do tapete quaisquer considerações "irritantes" que possam comprometer a auspiciosa lua-de-mel luso-chinesa. Ora a China não é um país qualquer e as relações de força de um pequeno país como Portugal com a segunda (e, a breve prazo, primeira) economia do globo são, desde logo, profundamente desequilibradas e desiguais, condicionando de modo radical a soberania portuguesa. Acresce ainda este factor decisivo: a China é uma implacável ditadura de partido único, que se tem vindo a tornar cada vez mais repressiva de quaisquer formas de dissidência sob o reinado (ou, mais precisamente, o império) de Xi Jinping. Aliás, a grande "originalidade" chinesa é a de mostrar a compatibilidade de um regime político totalitário com o mais desbragado sistema capitalista (enquadrado, claro, pela hierarquia do Partido Comunista).

Lembram-se de O Fim da História, de Francis Fukuyama? Aí se preconizava, depois da queda do muro de Berlim, o inelutável casamento, em todas as latitudes e para além dos regimes vigentes, entre o mercado livre capitalista e a democracia liberal. Pois bem, foi o seu contrário que acabou por triunfar, pelo menos na China. E quanto mais o capitalismo chinês se expandiu e internacionalizou, mais a ordem política sob a tutela de um partido único – e comunista! – se tornou monolítica e opressiva. Quer então isto dizer que é impossível qualquer pragmatismo no plano dos negócios entre Portugal e a China? Não, certamente, mas desde que se tenha a perfeita noção das relações de força entre o gigantismo chinês e a pequenez portuguesa – ou que a tentação traiçoeira dos bons negócios não subverta a liberdade e a soberania de quem se encontra mais exposto à condição de "cobaia" ou de servo, como é o nosso caso.

O deslumbramento "pragmático" pelos bons negócios pode ser o caminho mais curto para a servidão – e esse é um risco real nas relações de Portugal com a China. A expansão da rede desses negócios, já implantados em áreas nucleares como a energia, a banca, os transportes, os seguros ou a saúde, para outros domínios mais directamente expostos à interferência política (como os media), tem de preservar o bem mais precioso entre todos: a democracia.


A era dourada da China em Portugal
Portugal pretende permanecer um membro activo da UE e da NATO ao mesmo tempo que se torna “o porta-aviões do investimento chinês na Europa”?

PHILIPPE LE CORRE
4 de Dezembro de 2018, 6:57

Ao contrário da Rainha Isabel II em 2015, o Presidente da República português não acolherá o seu homólogo chinês, Xi Jinping, a bordo de uma carruagem dourada, quando este aterrar hoje em solo português para a sua visita de Estado. Ainda assim, o país encontrou maneira de estender à China uma passadeira (pincelada com tons de ouro) de acesso expedito à Europa.

Poucos dias depois de a União Europeia ter finalizado o esboço de um mecanismo de escrutínio ao investimento de países terceiros nos Estados-membros, Portugal recebe Xi Jinping para reforçar a cooperação entre os dois países. Ao abrir as portas ao espaço Schengen a mais de 4000 cidadãos chineses com a emissão de “vistos gold” como contrapartida de vários investimentos em território nacional, Lisboa sabe que, sendo o quarto maior recipiente de investimento chinês na UE, desempenha um papel central na estratégia geoeconómica europeia da China e, como tal, está sob o olhar atento de Bruxelas.

Ainda que Portugal não seja caso isolado, já que existem iniciativas semelhantes ao programa luso de “vistos gold” noutros países europeus, várias entidades, como a Transparência Internacional, já apelaram “à suspensão do programa” até que “todos os efeitos sejam avaliados de forma isenta” e “um debate real [tenha lugar] na opinião pública”.

Até agora, qualquer proposta legislativa em tal sentido foi rejeitada, mas o actual contexto político português terá levado o Partido Socialista a considerar novas medidas. A 16 de Novembro, a bancada socialista apresentou uma proposta de alteração ao Orçamento do Estado de 2019, em que sugere que qualquer requerente de um “visto gold” seja obrigado a providenciar aos serviços competentes em Portugal o seu número de identificação fiscal e residência fiscal na jurisdição de origem. Não há nada que me leve a crer que esta iniciativa será rejeitada pelo Parlamento – mas será esta proposta suficiente para assegurar a tão desejada transparência do mecanismo dos “vistos gold”? Provavelmente não.

Aos olhos de Pequim, Portugal não é apenas um país europeu de dimensão intermédia que acolhe o líder supremo chinês para uma visita de Estado. Desde 2004, o país tem desenvolvido uma “parceria estratégica” com a República Popular da China.

A crise financeira, que assolou o país entre 2008 e 2013, serviu como catalisador para a ofensiva chinesa, já que Lisboa, sob condições definidas pela troika, teve de privatizar diversos activos que até aí pertenciam ao Estado português. À data de hoje, o investimento directo estrangeiro da China atinge um total de 12 mil milhões de euros, abarcando sectores desde a energia (Galp, REN, EDP) aos transportes (TAP), passando também pela área dos seguros (Fidelidade), saúde (Grupo Luz Saúde), serviços financeiros, imobiliário e meios de comunicação social – um investimento cujo crescimento não parece abrandar.

Um exemplo disso é a oferta de compra da EDP pela empresa detida pelo Estado chinês, China Three Gorges, que actualmente controla 23,3% do capital – gradualmente adquirido desde o resgate financeiro ao país em 2011. Possuindo a EDP várias subsidiárias no sector das renováveis em Espanha, no Brasil e nos Estados Unidos (para além de receber subsídios do Estado português), não é surpresa para ninguém que esta OPA tenha gerado dúvidas quer no contexto europeu, quer no contexto americano. Enquanto a autoridade da concorrência brasileira já deu luz verde à operação, o actual embaixador dos Estados Unidos em Portugal, George Glass, criticou o acordo, ao considerar que “ter um outro país a controlar parte de infra-estrutura fundamental” portuguesa, como a rede eléctrica, é “um caminho perigoso”.

Importa, por isso, perguntar: por que razão é que outros países receiam a iniciativa chinesa em Portugal mais do que a própria opinião pública e classe política portuguesas? O que é que impede um debate público alargado sobre este tema, como sucede na Grécia, Polónia e República Checa, indo para além das restritas e habituais elites portuguesas?

O facto de a ligação com Pequim ser sistematicamente definida como um caso de sucesso, nos vários quadrantes, constitui certamente um factor de especial importância. O ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, referiu no mês passado que o “investimento Chinês tem sido significativo nos últimos anos e é bem-vindo” – especialmente no quadro de crescimento económico luso. Se tal não bastasse, em 2017, o executivo português flexibilizou um artigo do Código de Valores Mobiliários, demovendo uma barreira relativa à imputação conjunta de direitos de voto de accionistas de empresas que têm relações entre si – facilitando assim o caminho à China Three Gorges e à congénere chinesa CNIC (que detêm mais de 28% da EDP actualmente) num cenário de uma eventual OPA.

Para além disso, e em preparação para a chegada do Presidente Xi a Lisboa, um número de iniciativas bilaterais têm sido apresentadas pelo Governo. O recente anúncio da construção do StarLab, um novo laboratório tecnológico em Matosinhos e Peniche, financiado conjuntamente por Portugal e pela China e a inaugurar antes de Março de 2019, com objectivo de promover a construção de microssatélites e a observação dos oceanos, comprova esse reforço das relações luso-chinesas.

Como indiciado em Outubro pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, a elaboração de um memorando de entendimento entre os dois países esteve também em curso, incluindo cinco novos projectos de cooperação sobre os quais se esperam novos desenvolvimentos durante a visita. Entre os vários activos estratégicos de Portugal, o porto de Sines – um de muitos portos europeus que a China pretende adquirir – é uma potencial plataforma de colaboração, já que permitiria a Pequim ligar a rota terrestre e a rota marítima da sua iniciativa Belt and Road – um projecto que já recebeu apoio inequívoco de vários ministros do executivo português.

Significará tudo isto que Portugal pretende permanecer um membro activo da União Europeia e da NATO, ao mesmo tempo que se torna “o porta-aviões do investimento chinês na Europa”? De acordo com um estudo da Carnegie, 90% dos cidadãos vêem a UE como o vínculo institucional mais importante para o país nos dias de hoje, mas a diferença entre a importância relativa dos EUA e da China tem reduzido de forma bastante substancial em comparação à última década.

Sob o argumento de que os dois países têm 500 anos de conhecimento mútuo, incluindo uma transferência bem sucedida da soberania de Macau, o executivo português acredita que a parceria com a China continuará a prosperar, apesar do cepticismo internacional e da visão ocidental que Portugal sempre advocou.

Num momento em que a UE necessita de maior coesão e solidariedade do que nunca, estas duas dimensões pesam na balança dos decisores políticos portugueses ao se ponderar um eventual apoio ou oposição a iniciativas comunitárias que apertem o controlo ao investimento chinês. Aqueles que têm, hoje, os olhos postos em Portugal questionam-se sobre em que medida irá esta visita de Estado influenciar o futuro das relações bilaterais entre as duas nações. Com sorte, não será aquele que possui o ouro que ditará as regras.

(revisão e adaptação para português por Carlos Teixeira, estudante de Políticas Públicas na Universidade de Harvard)


          În 2012 ar fi cheltuit lunar 6.000 de dolari pe heroină. Cum arată acum actorul din „Singur Acasă”      Cache   Translate Page      
Dacă în perioada 2012-2013, fanii își făceau griji că actorul Macaulay Culkin, celebru datorită rolului Kevin McCallister din seria „Singur Acasă”, este la un pas de moarte, astăzi acesta arată mai bine ca niciodată. Dovadă stă cel mai recent interviu acordat de actor, lui Jimmy Fallon.
          Prediksi Skor Real Madrid VS Melilla 6 Desember 2018 | Coppa Del Rey      Cache   Translate Page      

Prediksi Skor Real Madrid VS Melilla 6 Desember 2018 | Coppa Del Rey | Bursa Taruhan Real Madrid VS Melilla,Head To Head Real Madrid VS Melilla,Line up Real Madrid VS Melilla,Prediksi Bola Real Madrid VS Melilla,Prediksi Pertandingan Real Madrid VS Melilla,Prediksi Real Madrid VS Melilla,Prediksi Skor Real Madrid VS Melilla,Real Madrid VS Melilla,Coppa Del Rey,Prediksi […]

View and Vote


          Prediksi Skor Villarreal Vs Almeria 6 Desember 2018 | Coppa Del Rey      Cache   Translate Page      

Prediksi Skor Villarreal Vs Almeria 6 Desember 2018 | Coppa Del Rey | Bursa Taruhan Villarreal Vs Almeria,Head To Head Villarreal Vs Almeria,Line up Villarreal Vs Almeria,Prediksi Bola Villarreal Vs Almeria,Prediksi Pertandingan Villarreal Vs Almeria,Prediksi Villarreal Vs Almeria,Prediksi Skor Villarreal Vs Almeria,Villarreal Vs Almeria,Coppa Del Rey,Prediksi Bola Parlay.

View and Vote


          GRUPO FOLCLÓRICO VERDE MINHO PARTICIPA NAS CELEBRAÇÕES DO ANO NOVO CHINÊS QUE SE REALIZAM NO PRÓXIMO ANO      Cache   Translate Page      

O Grupo Folclórico Verde Minho vai no próximo ano, a convite da Embaixada da República Popular da China, participar uma vez mais, nas celebrações do Ano Novo Chinês que estão previstas se realizarem em Lisboa no dia 10 de Fevereiro.

DSCF8052

As celebrações do próximo ano terão maior escala e importância uma vez que nesse ano se comemora o 40º aniversário do estabelecimento das relações diplomáticas entre Portugal e a República Popular da China e ainda o 20º aniversário da transferência da administração de Macau.

O Porco de Terra é o animal e o elemento do Ano Novo Chinês 2019. O Porco é o animal do zodíaco cuja energia vai ser prevalecente durante 2019, juntamente com a Terra, o elemento do ano.

O calendário chinês rege-se pelos ciclos lunares em conjugação com a posição do sol, iniciando-se na noite de lua nova mais próxima do dia em que o sol passa pelo décimo grau de Aquário. As representações dos doze animais do horóscopo a que correspondem os anos no calendário chinês possuem a sua origem na lenda segundo a qual, os doze animais se apresentaram a Buda, correspondendo ao seu chamamento.

Ascende a mais de vinte mil o número de chineses que vivem em Portugal, oriundos principalmente da província de Cantão em virtude da sua proximidade com Macau, constituindo uma comunidade pacífica e trabalhadora, dedicada sobretudo ao comércio e com uma presença considerável na nossa região.

DSCF8087

DSCF8144


          Macau Grand Prix likely to keep old F3 cars after Florsch crash      Cache   Translate Page      
The Macau Grand Prix is edging closer to sticking with the former generation of Formula 3 cars in the wake of Sophia Florsch's massive accident in the 2018 race
          UBS now sees Macau gross gaming revenue declining in 2019      Cache   Translate Page      
UBS now sees Macau gross gaming revenue declining in 2019
More
          Macaulay Culkin wants to change his name because it’s too Irish      Cache   Translate Page      
Home Alone star Macaulay Culkin has revealed he is fed up of his birth-given name.

          El malware para AutoCAD está en el centro de una campaña de espionaje industrial para robar planos que valen oro      Cache   Translate Page      

El malware para AutoCAD está en el centro de una campaña de espionaje industrial para robar planos que valen oro#source%3Dgooglier%2Ecom#https%3A%2F%2Fgooglier%2Ecom%2Fpage%2F%2F10000

AutoCAD es sin duda uno de los programas de modelado y diseño asistido por ordenador más conocidos y usados desde hace más de 30 años. Si bien es un software especializado usado principalmente por ingenieros y arquitectos, el valor de lo que se produce con él es bastante importante y se ha convertido en un gran objetivo del espionaje industrial.

Explotando una característica en el programa de Autodesk, los cibercriminales están intentando robar diseños para puentes, edificios de fábricas y otros proyectos, ya sea con propósitos de espionaje industrial o para vender en el mercado negro por altas sumas de dinero.

Robando planos desde 2014

La firma de seguridad Forcepoint explica que se encuentran analizando actualmente una campaña de malware para AutoCAD destinada al robo de planos de empresas del sector energético. Y según los datos que ha recolectado la compañía parece haber estado activa desde el 2014.

Los ataques llegan a través de correos electrónicos de phishing que contienen documentos de diseño y planos, pero en el mismo directorio se incluyen archivos maliciosos de AutoCAD formateados en AutoLISP, o enlaces a sitios web desde los que las víctimas pudieran descargar los archivos ZIP por sí mismas, en caso de que los archivos "carnada" tuvieran que ser mayores que los límites de archivos adjuntos del correo electrónico estándar. Todo muy natural.

Autocad

Cuando la víctima abre el documento de diseño puede provocar que se ejecute un archivo AutoLISP sin querer. Aunque las versiones modernas de AutoCAD por defecto muestran una advertencia de que se ejecutará un script potencialmente inseguro, las advertencias pueden ignorarse o suprimirse por completo. Para que los archivos sean menos llamativos, los atacantes han establecido que sus propiedades se oculten en Windows y que sus contenidos se cifren.

Forcepoint dijo que esta campaña utilizó documentos de diseño ya robados de grandes proyectos como hoteles, fábricas e incluso el puente Hong Kong-Zhuhai-Macau como señuelos para seguir propagándose y adquirir más planos.

Planos y diseños legítimos con malware camuflado se usan como carnada para engañar a los usuarios y adquirir nuevos archivos

Este tipo de ataques no son nuevos, la mayoría del malware para AutoCAD ha explotado una característica básica de carga automática que permite a los usuarios crear sus propios scripts basados en AutoLISP y ejecutarlos en el inicio de la aplicación o al cargar los archivos del proyecto.

La parte interesante e importante aquí es el aspecto de ingeniería social, engañar al usuario para que abra un proyecto que aparentemente es legítimo puesto que ha sido robado antes, y esperar que el usuario lo ejecute y haga el resto del trabajo por los cibercriminales. Y como explica Forcepoint, su investigación apunta a que en la mayoría de los casos la apertura del archivo normalmente mostrará contenido legítimo (o al menos de apariencia legítima), pero también ejecutará los scripts maliciosos.

El valor de estos documentos, especialmente en el sector de la energía renovable es más alto que nunca, y por ello se ha convertido en un objetivo de los cibercriminales.

A pesar de esto, con simplemente prestar atención y llevar a cabo algunos pasos adicionales, la mayoría de los ataques basados en AutoCAD pueden ser mitigados. Es importante deshabilitar la carga automática desde fuentes no confiables, asegurándose de que siempre haya una advertencia emergente antes de que se ejecute cualquier módulo, y permitir la visibilidad de los archivos ocultos es fácil de lograr. Es algo que pueden controlarse a través de las entradas del registro, y es sumamente recomendado para los administradores de sistemas que apliquen esas medidas mediante políticas de grupo.

También te recomendamos

#CienciaenelParlamento o cómo Twitter puede crear una cultura política científica

Cuidado con los PDFs que descargas, puede ser un malware que se apodera de tu email, Facebook y Twitter

La botnet más grande del mundo puede enviarte un mail con ransomware que cifra Windows y rompe las opciones de recuperación

-
La noticia El malware para AutoCAD está en el centro de una campaña de espionaje industrial para robar planos que valen oro fue publicada originalmente en Genbeta por Gabriela González .


          Alexis Tam diz que investimento no ensino é para “fazer Macau prosperar através da educação”      Cache   Translate Page      
O secretário para os Assuntos Sociais e Cultura fez ontem um balanço sobre o sector do ensino, afirmando que a sua tutela quer fazer “Macau prosperar através da educação”. Alexis Tam defendeu que a aposta na educação é superior em Macau do que em países da OCDE. Para 2019, o ensino não superior conta com […]
          Centro cultural de envergadura previsto para a zona A de novos aterros      Cache   Translate Page      
O secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, Alexis Tam, anunciou ontem que, “no futuro, Macau vai ter um plano de um centro cultural de grande envergadura”. Alexis Tam, assegurou que os novos aterros há espaço para vários equipamentos culturais, incluindo um “centro cultural de grande envergadura”. No segundo dia de debate com os deputados […]
          Faltam talentos nas áreas técnico-profissionais, Governo aposta em quadros bilingues      Cache   Translate Page      
O coordenador da Comissão de Desenvolvimento de Talentos, Sou Chio Fai, afirmou ontem, durante o debate das LAG relativo aos Assuntos Sociais e Cultura, que em Macau “mais de 90 por cento tem acesso à universidade” e que “o mercado do ensino técnico-profissional é muito pequeno”. Neste sector, o coordenador deu como exemplo um concurso profissional em […]
          Corpo de Bombeiros realiza simulacro de incêndio na Torre de Macau      Cache   Translate Page      
O Corpo de Bombeiros (CB) realizou na manhã de ontem um simulacro de incêndio e evacuação em conjunto com a Torre de Macau. O exercício, diz o CB em comunicado, teve como objectivo testar a capacidade de resposta, coordenação e comunicação entre os bombeiros e a Torre de Macau em caso de um incidente do […]
          Vigésimo aniversário da RAEM impulsiona aumentos orçamentais em vários organismos      Cache   Translate Page      
O Instituto Cultural e o Instituto do Desporto vão ver os seus orçamentos aumentados no próximo ano para renovarem, respectivamente, o Centro Cultural e o Museu de Arte e o Macau Dome. Estes são apenas dois itens do orçamento para 2019 justificados com o 20º aniversário da RAEM, a celebrar-se no próximo ano. TEXTO: Catarina […]
          HK to connect and excel      Cache   Translate Page      

Over the past 18 years, the Federation of Hong Kong Business Associations Worldwide has excelled in helping to connect overseas entrepreneurs with Hong Kong. Indeed, the Federation’s mission is closely aligned with the Government’s theme of Connect & Excel - in other words, how connecting with Hong Kong can help people and businesses excel in our region.

 

For those of you on a return visit to Hong Kong, I am sure you have noticed how rapidly our city is evolving. Indeed, we take pride in our ability to adapt and keep pace with the latest innovations and developments in the global economy.

 

Let me first give you a snapshot of Hong Kong’s current economic situation. Our economy remains strong. Latest figures show that the real GDP growth in the third quarter this year is 2.9%. This marks the eighth consecutive quarter of growth above the trend growth rate of 2.7% per annum in the past decade. Our full-year GDP for 2018 is forecast to be 3.2%.

 

The inflation rate is moderate at 2.8% in the third quarter of 2018, and unemployment remains at a record-low 2.8%. Also worth noting is that our exports still grew 5% in the third quarter compared to the same period last year.

 

These figures underscore the robustness of our economy. However, uncertainties in the global situation and outlook are cause for concern, not least the trade dispute between China and the US. To address the possible impact, we have launched a number of measures to help businesses, in particular small and medium-sized enterprises, that may be affected. We have enhanced our various funding schemes to assist them in developing new export markets, and strengthened the export credit insurance provided to exporters. We have also improved our loan guarantee scheme to make it easier and cheaper for SMEs to borrow from the banks. Given the increasing interdependence of the global economy, we shall continue to monitor the global economic situation very carefully, and implement timely countermeasures as appropriate.

 

Coming in from the Hong Kong International Airport, I am sure the Hong Kong-Zhuhai-Macao Bridge has caught your eye. Yes, it is open. The other major cross-boundary transport infrastructure, the Hong Kong section of the Guangzhou-Shenzhen-Hong Kong Express Rail Link, is operating as well. The Express Rail Link connects Hong Kong to the over 25,000-kilometre high-speed train network on the Mainland, while the Hong Kong-Zhuhai-Macao Bridge conveniently connects Hong Kong to cities on the west bank of the Pearl River Delta. These two mega projects are expected to create growth opportunities for various industries, not least tourism, trade, logistics, and financial and professional services.

 

Financial services is one of our key competitive strengths. Over the past 11 months, we have introduced a number of initiatives to further enhance our competitiveness.

 

On listing regime, since April this year, we have allowed high-growth and innovative companies with weighted voting rights structures, as well as pre-revenue biotech companies, to list on the Main Board of the Hong Kong Stock Exchange. We are confident that the new listing regime will meet the needs of the new economy, thereby further enhancing the attractiveness and competitiveness of Hong Kong’s listing platform to issuers from different jurisdictions.

 

On bond market, we have introduced a three-year pilot bond grant scheme to subsidise bond issuance costs of up to $2.5 million per case for eligible enterprises issuing bonds in Hong Kong for the first time.

 

Furthermore, riding on the accelerating global demand for green financial products, we have introduced a Green Bond Grant Scheme and will soon launch a Government Green Bond Programme with a borrowing limit set at $100 billion to jump-start Hong Kong as a green finance hub. In fact, for the first half of this year, we have already attracted 15 issues of Green Bond in Hong Kong raising an aggregate amount of US$8 billion.

 

On fund management, we have been working very hard to attract more funds of various types to base and develop their business in Hong Kong. To achieve this, we have launched new fund structures and provide profit tax exemption of 100% to attract certain fund managers to Hong Kong, particularly those who are not familiar with the trust law to choose Hong Kong to base their operations. Indeed, we are working to make further legislative amendments to provide a more favourable operating and tax environment to the fund industry to make Hong Kong the private equity hub in Asia.

 

We are also developing Hong Kong as a global business hub attracting enterprises to establish their regional headquarters or corporate treasury centres here.

 

On government-to-government level, we will continue to expand our network of free trade agreements, investment agreements and avoidance of double taxation agreements with economies around the world. In June this year, Hong Kong and Georgia signed an FTA (Free Trade Agreement), thereby expanding the FTA network into the Caucasus region. We also have just completed negotiations with Australia on a comprehensive FTA plus investment agreement. We are also exploring an FTA with the Pacific Alliance, comprising Chile, Colombia, Mexico and Peru and intend to seek accession to the Regional Comprehensive Economic Partnership after completion of negotiations by ASEAN (Association of Southeast Asian Nations) and other relevant economies. We are also exploring with the UK options for forging closer economic ties, including possibly an FTA in the future. The whole idea of expanding this FTA, apart from expanding our export market, is to make Hong Kong a better place to be the regional headquarters of overseas companies.

 

To step up our presence in the international arena, we are expanding the network of our Economic & Trade Offices (ETO). This will help to strengthen ties with strategic markets, tap business opportunities and boost direct investment into Hong Kong. Discussions with the Government of the United Arab Emirates on a new ETO in Dubai are progressing well, and we expect to have the ETO set up soon - our first ETO in the Middle East. Meanwhile, in Thailand, a new Bangkok ETO is expected to commence operation early next year. It will be our third ETO in the ASEAN region after Jakarta and Singapore. Together with the ASEAN-Hong Kong FTA coming into full force in early 2019, we anticipate a much closer relationship with the ASEAN Economic Community.

 

On innovation and technology, we are making substantial investments and are working closely with neighbouring cities such as Shenzhen. In the past two years’ Budget and Policy Address, we have already committed over $100 billion. Some are being spent, and some are to support the initiatives to come. Also, works for the Hong Kong-Shenzhen Innovation & Technology Park at the Lok Ma Chau Loop are progressing according to schedule.

 

We have allocated, for example, $10 billion to build two clusters in the Science Park, one on artificial intelligence and robotics, while the other is healthcare technology. We have launched the Technology Talent Scheme and updated our Talent List to make it easier for foreign tech gurus and professionals to come to Hong Kong to work. Also, we have been implementing a number of schemes to provide funding and technical support to startups and tech companies. Indeed, another $10 billion has been given to the Science Park - about 30% of it is to build additional infrastructure and the remaining $7 billion is for them to tailor-make specific incentive packages to attract foreign tech companies to come to Hong Kong. We have also started a fund to work with venture capitalists to co-invest in startups and tech companies.

 

We welcome multinational corporations to leverage on Hong Kong’s platform and set up their regional treasury centres here. We are providing 50% profits tax reduction to help make this happen.

 

The Guangdong-Hong Kong-Macao Greater Bay Area development is rapidly taking shape. For the information of our guests from overseas, this area covers some 56,000 sq km with a combined population of about 70 million - larger than that of the Tokyo and San Francisco Bay Areas combined. Covering nine major cities in Guangdong Province, plus the Special Administrative Regions of Hong Kong and Macau, the Greater Bay Area generates an aggregate GDP of around US$1.5 trillion, which is slightly larger than that of Australia and is comparable to Korea. And it is the most affluent region on the Mainland. It is right on our doorstep, brought even closer to Hong Kong by the Hong Kong-Zhuhai-Macao Bridge and the high-speed rail link. The Greater Bay Area offers tremendous opportunities for Hong Kong businesses and businesses that partner with Hong Kong.

 

As you can see, we are investing boldly in Hong Kong’s future, but what really gives our city its unique competitive edge is the “one country, two systems” arrangement. Since the establishment of the Hong Kong Special Administrative Region in 1997, we have continued to operate as a separate customs territory with our own financial, tax and legal systems. After 21 years, the enduring success of “one country, two systems” is clear. The US-based Heritage Foundation has ranked Hong Kong as the world’s freest economy for 24 years in a row; the Swiss-based International Institute for Management Development rates Hong Kong as the second most competitive economy globally. The World Bank lifted Hong Kong to the fourth place in its latest Ease of Doing Business Report, and the World Economic Forum places Hong Kong top in Asia for judicial independence.

 

I must also mention that a new report by PricewaterhouseCoopers and the World Bank finds Hong Kong to have the most business-friendly tax system in the world - profits tax of 8.25% on the first $2 million of profits of corporations and 16.5% thereafter; salaries tax capped at 15%. No inheritance tax, no capital gains tax, no GST or VAT. That's what we call business-friendly!

 

Ladies and gentlemen, I have mentioned just a few of the initiatives that will continue to strengthen Hong Kong’s attractiveness to overseas investors and entrepreneurs. By diversifying our economy, boosting cross-border connectivity and promoting I&T as a driver for growth, we can withstand current and future economic headwinds and capture new opportunities arising from the Greater Bay Area development and the Belt & Road Initiative.

 

Some of you may wonder, given the current global uncertainties arising from the Sino-US trade conflict and others, whether we still have the resources to implement counter measures and to continue to invest in the future. Let me assure you, the fiscal position of the Hong Kong Special Administrative Region Government is very strong. We have an accumulated surplus of over $1.1 trillion, not to mention about $600 billion in the Exchange Fund. We have the financial capacity to invest in our future, to grow our economy further, to continue to improve the living of our people, and to allow us to tackle economic headwinds ahead.

 

Financial Secretary Paul Chan gave these remarks at the 19th Hong Kong Forum luncheon on December 5.


          Lý do quan chức Trung Quốc tự tử ngày càng nhiều      Cache   Translate Page      

Các số liệu thống kê cho thấy tỷ lệ các quan chức Trung Quốc tự tìm đến cái chết ngày càng tăng trong bối cảnh Bắc Kinh siết chặt chiến dịch bài trừ nạn tham nhũng theo chỉ đạo của Chủ tịch Tập Cận Bình.

Chủ tịch Trung Quốc Tập Cận Bình. (Ảnh: Reuters)


Ngay sau khi lên nắm quyền cách đây gần 6 năm, Chủ tịch Tập Cận Bình đã phát động chiến dịch chống tham nhũng chưa từng có tiền lệ. Kể từ đó đến nay, gần như ngày nào cũng xuất hiện thông tin các quan chức chính phủ hoặc đảng bị bắt giữ hoặc bỏ tù vì cáo buộc tham nhũng tại Trung Quốc.

Với hơn 1 triệu quan chức bị xử phạt, Chủ tịch Tập Cận Bình đã gặt hái được kết quả đáng kể trong chiến dịch bài trừ tệ nạn tham nhũng tại Trung Quốc, từ đó đạt được mục tiêu đầu tiên trong 3 mục tiêu đề ra nhằm đảm bảo các quan chức nước này “không dám, không thể và không muốn tham nhũng”.

Tuy vậy, một xu hướng đáng báo động mới đã nổi lên trong khoảng thời gian diễn ra chiến dịch chống tham nhũng tại Trung Quốc. Trong những năm gần đây, ngày càng nhiều quan chức Trung Quốc, từ trung ương tới địa phương, qua đời trong bối cảnh mà truyền thông nhà nước mô tả là “những cái chết bất thường”, trong đó phần lớn được cho là tự tử.

Zheng Xiaosong - lãnh đạo văn phòng liên lạc của Trung Quốc tại Macau (Ảnh: Xinhua)

Chỉ tính riêng trong tháng 11, đã có ít nhất 6 quan chức địa phương tại Trung Quốc được cho là đã tự tử, trong đó có một quan chức phụ trách an ninh xã hội tại thành phố Wafangdian, tỉnh Liêu Ninh. Người này đã nhảy từ trên văn phòng của mình xuống đất và tử vong. Ngoài ra, một quan chức phụ trách tài chính tại Shifang, tỉnh Tứ Xuyên, một quan chức phụ trách chính quyền điện tử tại tỉnh Hắc Long Giang và một phó thị trưởng thành phố Hohhot thuộc Nội Mông đều treo cổ tự tử trong văn phòng.

Hồi tháng trước, Zheng Xiaosong, lãnh đạo văn phòng liên lạc của Trung Quốc tại Macau, người có cấp bậc tương đương với chức bộ trưởng trong chính quyền Trung Quốc, đã nhảy lầu tự tử. Vụ việc đã gây chấn động khắp Macau, Hong Kong và Bắc Kinh do ông Zheng là người có chức vụ cao và tầm ảnh hưởng lớn. Các nhà chức trách Trung Quốc nói rằng ông Zheng mắc chứng trầm cảm, tuy nhiên nhiều người quen biết quan chức này đều khẳng định ông là một người hướng ngoại và hoạt náo.

Tuy dữ liệu hoàn chỉnh chưa được công bố, nhưng truyền thông Trung Quốc đưa tin trong khoảng thời gian từ năm 2009-2016, ít nhất 243 quan chức Trung Quốc đã tự tìm đến cái chết, trong đó chủ yếu xảy ra sau chiến dịch chống tham nhũng hồi năm 2013.


Nguyên nhân tự tử

Trước khi tự tử, tướng Zhang Yang (ảnh) từng là một trong những quan chức quyền lực nhất của quân đội Trung Quốc. (Ảnh: Reuters)



Mặc dù chứng trầm cảm thường được công bố là nguyên nhân chính dẫn đến những cái chết bất thường của các quan chức Trung Quốc (tỷ lệ khoảng 50%), song giới phân tích và truyền thông nhận định hiện tượng này có liên quan tới chiến dịch chống tham nhũng.

Mặc dù có nhiều vụ việc các nhà chức trách Trung Quốc không công bố lý do khiến các quan chức tự tử, song cũng có những trường hợp cho thấy họ tự tìm đến cái chết sau khi bị điều tra vì cáo buộc tham nhũng. Một ví dụ điển hình nhất hồi năm ngoái là trường hợp của Zhang Yang, người từng là một trong những tướng quyền lực nhất tại Trung Quốc.

Trước khi qua đời vào tháng 11 năm ngoái, ông Yang từng là thành viên của Quân ủy Trung ương Trung Quốc, cơ quan chỉ huy cấp cao nhất của quân đội Trung Quốc, và là chủ nhiệm Tổng cục Chính trị. Ông Zhang bị phát hiện treo cổ tại nhà sau khi bị quản thúc vì cuộc điều tra tham nhũng.

Truyền thông nhà nước Trung Quốc cho rằng một số quan chức tự kết liễu đời mình để bảo vệ những tài sản bất chính cũng như các thành viên trong gia đình, ngoài ra cũng để tránh liên lụy tới đồng nghiệp hay cấp trên.

Vào ngày 1/11, phó thị trưởng kiêm giám đốc công an Hohhot, Nội Mông, ông Li Zhibin, đã treo cổ tại văn phòng, chỉ một ngày sau khi một đồng nghiệp của ông là phó giám đốc công an tại Nội Mông bị bắt vì cáo buộc tham nhũng.

Li Zhibin - giám đốc công an Hohhot, vùng Nội Mông (Ảnh: Reuters)



Sự gia tăng đáng kể số vụ quan chức tự tử đã gióng hồi chuông cảnh báo tới các nhà chức trách. Theo đó, chính quyền Trung Quốc đã tăng cường các cuộc nghiên cứu và tiến hành các biện pháp phòng ngừa, bao gồm tư vấn tâm lý.

Năm ngoái, một đơn vị nghiên cứu từ Đại học Henan đã công bố báo cáo chi tiết về các vụ tử tự của quan chức Trung Quốc dựa trên các thông tin từ truyền thông trong khoảng thời gian từ năm 2013 - 2015. Báo cáo cho thấy, trong số 81 vụ tử tự được chọn làm mẫu, hơn 50% trường hợp nhảy lầu, 23,4% treo cổ và 7,4% chết đuối. Về nguyên nhân, trầm cảm được xác định là phổ biến nhất với tỷ lệ 33,3%, tiếp đó là các cuộc điều tra tham nhũng với tỷ lệ 8,7% và các vấn đề về sức khỏe chiếm 8,7%.

Đối với các quan chức Trung Quốc, việc thừa nhận mắc các vấn đề về thần kinh có thể bị coi là sức khỏe yếu và cản trở đáng kể con đường thăng tiến sự nghiệp. Đài truyền hình trung ương Trung Quốc hồi tháng 11 từng đưa tin các căn bệnh liên quan tới thần kinh, bao gồm trầm cảm, rất phổ biến trong giới quan chức nước này do áp lực công việc và thời gian làm việc kéo dài.

Kể từ năm 2013, chiến dịch chống tham nhũng của ông Tập Cận Bình đã chấm dứt cuộc sống “xa hoa” của giới quan chức. Thay vào đó, họ phải xử lý cả “núi” công việc cũng như các cuộc họp. Nhiều người cũng sống trong tâm trạng lo lắng rằng họ có thể trở thành mục tiêu tiếp theo trong chiến dịch chống tham nhũng. Đây là những lý do khiến nhiều quan chức Trung Quốc ngày càng trầm cảm và gặp các vấn đề về sức khỏe.

Tuy vậy, những “mảng tối” trên vẫn không làm giảm sức hút của các cuộc thi tuyển công chức tại Trung Quốc. Hồi tháng 10, hơn 1,2 triệu thí sinh đã đăng ký thi tuyển công chức thường niên để giành lấy14.500 vị trí. Sự ổn định và những bổng lộc như chế độ lương hưu hay chăm sóc sức khỏe tốt hơn là những lý do hấp dẫn, thu hút nhiều sinh viên tốt nghiệp từ các trường đại học đăng ký thi công chức tại Trung Quốc.

Thành Đạt

Theo SCMP



https://dantri.com.vn/the-gioi/ly-do-quan-chuc-trung-quoc-tu-tu-ngay-cang-nhieu-20181203233627197.htm

          PETROBRAS ANUNCIA INJEÇÃO DE R$ 180 MI EM PROJETOS SOCIOAMBIENTAIS, INCLUINDO RN      Cache   Translate Page      

A Petrobras divulgou nesta segunda-feira, 3, a lista de projetos escolhidos pela seleção pública que prevê investimento de R$ 180 milhões até 2021. Os projetos selecionados têm campo de atuação em 21 estados, abrangendo mais de 300 municípios em todas as cinco regiões do país. A lista com os projetos selecionados está disponível no site: www.petrobras.com.br/socioambiental. No Rio Grande do Norte são 7 projetos selecionados que envolvem diretamente 14 cidades.

“A seleção pública foi um processo transparente, com ampla participação da sociedade, no qual agregamos as visões de diversos públicos. Como resultado, iremos patrocinar excelentes projetos que irão contribuir de forma significativa para a preservação ambiental e para a melhoria das condições de vida das comunidades onde atuamos”, afirma Beatriz Espinosa, gerente executiva de Responsabilidade Social da Petrobras.

Os projetos têm foco em uma das seis linhas definidas previamente no edital de seleção: biodiversidade, floresta e clima, água, educação, esporte, direitos da criança e do adolescente. Além destas linhas, foram valorizadas as propostas que abrangessem também temas como respeito aos Direitos Humanos e combate à discriminação (equidade de gênero, igualdade racial e inclusão de pessoas com deficiência); promoção da ética, integridade e transparência; disseminação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável; desenvolvimento e difusão da ciência e tecnologia e promoção de medidas ecoeficientes.
Iniciada em maio, esta edição da seleção pública para o Programa Petrobras Socioambiental contou com 1.699 inscrições. Após uma triagem técnica, os projetos foram selecionados por uma comissão integrada por especialistas da Petrobras, do terceiro setor, do poder público, da comunidade científica e acadêmica e da imprensa especializada nas áreas social e ambiental. Um comitê deliberativo formado por outros representantes dos mesmos setores definiu os contemplados.

PROJETOS NO RIO GRANDE DO NORTE
– Projeto Vale Sustentável (Açu, Guamaré, Carnaubais, Alto do Rodrigues)
– Projeto Budiões (Maxaranguape, Rio do Fogo, Touros)
– Bioágua Familiar II (Alto do Rodrigues, Upanema – RN, Serra do Mel, Governador Dix-Sept Rosado, Carnaubais, Mossoró)
– Cuidando da Ponta do Tubarão (Lagoa d`Anta, Macau, Carnaubais, Guamaré, Alto do Rodrigues)
– CAIÇARAS: Educação ambiental, Economia Criativa e Desenvolvimento Sustentável nas Comunidades Caiçaras /Zona Leste da Cidade do Natal/RN (Natal)
– Aves Migratórias do Nordeste (estadual)
– Projeto Despertar – Semeando Cidadania (Governador Dix-Sept Rosado)


          Up To 50% Off Sale @ NET-A-PORTER Macau SAR Of China      Cache   Translate Page      

          Cum arată acum actorul din „Singur acasă”. În 2013, era dependent de droguri și cheltuia câte 6.000 de dolari pe lună pentru heroină      Cache   Translate Page      

În vremea sărbătorilor de iarnă, toată lumea își amintește de celebra serie de filme „Singur acasă”. Macauley Culkin, actorul devenit celebru grație acelui rol, a trecut prin momente dificile. Prin 2013, el era dependent de droguri și existau zvonuri că investea și câte 6.000 de dolari lunar pentru heroină. În vârstă de 38 de ani, […]

Post-ul Cum arată acum actorul din „Singur acasă”. În 2013, era dependent de droguri și cheltuia câte 6.000 de dolari pe lună pentru heroină apare prima dată în Libertatea.ro.


          PONTE DE LIMA APRESENTA EM FESTIVAL "JARDINS DO FIM DO MUNDO"      Cache   Translate Page      

Festival Internacional de Jardins de Ponte de Lima 2019 “Jardins do Fim do Mundo”

A 15ª edição do “Festival Internacional de Jardins de Ponte de Lima já arrancou. O júri do Festival já escolheu os 11 jardins, num universo de 27 propostas recebidas de vários pontos do Mundo, que vão fazer-se representar neste vento, entre os meses de maio e outubro de 2019.

FestivalInternacionalJardins_SusanaMatos

Sob o tema “Jardins do Fim do Mundo”, o júri reuniu, avaliou e selecionou criações provenientes de Portugal, Espanha, Áustria, República Checa, Itália, Alemanha, Brasil, Argentina e China.

O evento, distinguindo internacionalmente em 2013 com o título Garden Tourism awards, no “North American Garden Tourism Conference”, em Toronto, Canadá, e em 2017 com a distinção “Europe for Festivals, Festivals for Europe”- EFFE Label 2017-2018, aposta na revitalização dos espaços urbanos, a preservação do ambiente e promove as boas práticas do uso dos jardins.

O Festival Internacional de Jardins é autossustentável, visto que consegue manter a essência de preservar o ambiente, utilizando os materiais usados nas edições anteriores. Os novos jardins juntar-se-ão ao jardim mais votado da edição 2018, “O Jardim de Microclimas” da Holanda.

Confira as propostas selecionadas pelo júri para a 15ª edição do Festival Internacional de Jardins:

  • Jardim da Amizade – Alunos do 8º ano da Escola Portuguesa de Macau, Prof. Andreia Ramos e Prof. Maria Madureira – Macau/China
  • Forgotten Paradise – estudantes da University of Natural Resouces and Life Sciences, Vienna (Boku) – Reiden Ertzeod, Edward Jeffrey, Oda Halseth e o Professor Roland Wueck – Austria
  • Behind the Reflection – Petr Slovak e Michaela Bockova – República Checa
  • Mirabilia – Marco Fosella e Mario Pedron – Itália
  • Utopia| Metamorphosis| Dystopia – Anika Slawski e Janine Tuchsen – Alemanha
  • Astrolabium – Fabio A.da Silveira – Brasil
  • Antiquum et aeternum – Balantium, António Varela – Espanha
  • Vertigem (ir)reversível – Fernando Ferreira – Portugal
  • Fin del Mundo, Princípio de Todo - Dina Cerutti, Luciana Curvino, Bárbara Del Fabro e Raquel Zbrun – Argentina
  • Jardim de Ilusões – Acácio de Carvalho e António José de Carvalho – Portugal
  • Endless – Leonardo Paladini, Margherita Lacopetti, Sara Langella, Yuri Lencioni, Valentina Marfia, Maila Palmerini, Alive Pardini, Gerardo Mottoça – Liceo Artistico e Musicale “A.Passaglia” Lucca – Itália

Como já é habitual, durante a seleção das criações para o próximo ano, o júri lança o tema para o ano seguinte. Em 2020, o Festival Internacional de Jardins de Ponte de Lima terá como tema “As religiões nos Jardins”.

FestivalInternacionalJardins_MiguelCosta


          Carro de advogado colide com poste na entrada de Macau      Cache   Translate Page      
Um carro colidiu com um poste na manhã desta quarta-feira (05), próximo ao Moinho de Sal, na entrada de Macau. De acordo com informações nas redes sociais, o acidente aconteceu por volta das 8h30. Com a força da batida, o poste chegou a ser arrancado do lugar e provocou a falta energia em Macau por […]
          "Home Alone"-ster laat fans zijn nieuwe tweede naam kiezen      Cache   Translate Page      

Acteur Macaulay Culkin laat weer van zich horen. Op zijn website BunnyEars.com heeft de Amerikaan een poll geplaatst waar mensen een tweede naam voor hem kunnen kiezen.



          A China e o país inibido      Cache   Translate Page      

1_china_jt_essay.jpg

Em 2005 o primeiro-ministro chinês Wen Jiabao visitou Portugal. José Socrates, então recente primeiro-ministro, incentivou o visitante a usar Portugal como intermediário nas crescentes relações sino-"palop". Na época eu trabalhava na área da "cooperação" (ajuda pública ao desenvolvimento) e muito me chocaram aquelas declarações do ainda relativamente desconhecido Sócrates (não se perspectivava tamanho descalabro),  por razões subjectivas e objectivas.

 

As subjectivas eram algo óbvias. Qualquer pessoa da minha geração se poderá lembrar o que foi o governo de Macau nos últimos quinze anos de tutela portuguesa. A coabitação entre os governos de Cavaco Silva e as presidências de Soares e Sampaio - sendo a presidência da república a responsável por aquela região - significaram que Macau foi administrado, num período de grande crescimento infraestrutural, pelos quadros socialistas. E foi público que se o PSD (e não só) se conspurcou na gestão da inserção europeia, o PS saiu profundamente lesionado da "coisa macaense", no afã da "árvore das patacas". Infecção que levou para os governos de Guterres e que este, criticável político mas homem honrado, deixou transparecer com o rebuço retórico do"pântano" quando se demitiu. Por isso, quando em 2005 Sócrates ofereceu os préstimos do país, e da sua administração, para facilitar a extroversão africana da China tudo indiciava que o PS não fizera qualquer "julgamento ético" (como Augusto Santos Silva reduz agora a avaliação da política) do seu percurso recente. Como se veio a comprovar, tanto pelas más-práticas dos governantes como pelo apoio cúmplice da generalidade dos profissionais da palavra pública, jornalistas e académicos, durante o consulado socratista. E hoje.

 

Mas as razões objectivas eram ainda mais óbvias. Num breve texto de Dezembro de 2007 eu resmungava isso, ecoando várias conversas em Maputo. Desde finais de XX que a China hiper-desenvolvera as suas relações comerciais e políticas com os países africanos. Com propósitos e estratégias bem diversos dos da União Europeia, e de Portugal nas suas relações soluçantes com as antigas colónias. O evidente falhanço dos desenvolvimentos africanos (já elencado nos 1960s pelo nada pró-colonial René Dumont) conduzira, desde os 80s, a alterações nas formas de "cooperação" entre a UE (e de países aliados, como EUA, Canadá, Suíça ou Noruega) e África. Grosso modo subordinando doacções, ajuda técnica e empréstimos bonificados a uma "condicionalidade política". Ou seja, à aceitação de boas práticas estatais, de uma democratização assente na "boa governança" (tétrico jargão), do incremento e autonomização da "sociedade civil", da descentralização avessa à opacidade dos poderes, da protecção ecológica, no fundo ao chamado "desenvolvimento sustentável", crente que a democracia é desenvolvimento, uma ideia consagrada no Nobel da Economia então atribuído a Amartya Sen. Muitos criticam este paradigma, dizendo-o neoliberal, exportação do modelo "ocidental" e neo-colonial. Poderá também ser tudo isso, e com toda a certeza contém a defesa dos interesses dos países doadores ("ocidentais"), que é esse o princípio das relações internacionais. Mas também não era só isso, pois fruto de transformações demográficas, socioeconómicas e ideológicas nos países europeus, que haviam promovido genuínas preocupações ideológicas e técnicas de promover algo melhor do que vinha acontecendo no desenvolvimento africano, combater o malvado "afro-pessimismo" (o aggiornamento do racismo), e procurar a defesa do meio ambiente, triturado alhures.

 

A chegada dos interesses chineses tudo alterou. Neles inexiste qualquer intuito democratizador ou sensibilidade ecológica, ou objectivo desenvolvimentista - há uma preocupação na construção de infraestruturas viárias que promovam o comércio de matérias-primas (e a seu tempo de produtos industriais imensamente sub-remunerados) para a China, algo que as burguesias africanas vêm considerando "desenvolvimento". Estas enormes construções infraestruturais são entendidas localmente como "ofertas" (basta conversar em Maputo com a burguesia letrada para ouvir isso), quando são obras basto sobre-orçamentadas e sob empréstimos chineses, para além de muitas vezes serem de duvidosa urgência (caso exemplar é a recente ponte de Maputo, uma verdadeira excentricidade se sopesadas as necessidades infraestruturais do país, e uma total aberração se considerado o preço astronómico e sobredimensionado da obra). Ou seja, a China financia directamente a sua indústria, construindo em África através de empréstimos contraídos pelos poderes africanos; e indirectamente, através do estabelecimento das infraestruturas de aquisição de matérias-primas baratas.

 

Questões como o desenvolvimento tecnológico ou empresarial africano (a transferência de saberes) é de nula relevância, o desenvolvimento social é inconsiderado - e nesta área será importante discernir quais as concepções dominantes na China sobre "África" e os "africanos", principalmente se pensarmos no rolo auto-crítico que os europeus fazem sobre o "paternalismo" e o "racismo" com que as suas sociedades interagem com África e seus habitantes. O resultado destes últimos anos é tétrico: países africanos imensamente endividados, ainda que com diferentes conteúdos (países como a África do Sul - mas que outros? - têm alguma maior capacidade de resistência). Dívidas que têm penhores, os recursos naturais, que assim vão passando explicitamente para o manuseio chinês. A razia ecológica, em particular a desflorestação é quase incomensurável. E a corrupção das elites exponenciou-se, num verdadeiro sublinhar da velha definição marxista de "burguesia compradora". É um neo-colonialismo radical, um neo-colonialismo selvagem, para glosar a expressão "capitalismo selvagem". (Abaixo deixo um programa da Al-Jazeera, que não é a "Voz da América" nem qualquer "Canal de Bruxelas" sobre o assunto, para quem tiver interesse).  

 

Para qualquer tipo que tivesse dois dedos de testa e uns centímetros de conhecimento esta via era já óbvia em 2005. O poder português, o PS de Sócrates, preferiu a obtenção de migalhas - no seio do que agora se sabe serem interesses esconsos das articulações político-económicas: por exemplo, em 2006 noticiava o Público que o Espírito Santo ajudara a entrada chinesa no petróleo angolano (alguma ideia sobre a situação actual, é a pergunta sarcástica necessária). Ou seja, refutando a nossa inserção nas políticas desenvolvimentistas europeias (os célebres acordos de Lomé e Cotonou) e toda a retórica que acompanhara o estabelecimento da CPLP na década anterior. Nada disto importou, apenas a miragem de alguns ganhos como intermediário da entrada triunfal da política económica chinesa em África. E, ainda mais ridículo, com promessas de abertura do enorme mercado chinês aos produtos portugueses, pomposamente anunciada na imprensa aquando da visita do PM chinês em 2005: 13 anos passados seria interessante ver os dados reais dessa abertura, e o impacto na economia portuguesa. 

 

Alguns dirão que nada havia a fazer, que a dinâmica africana da China foi tão possante que uma pequena economia como Portugal nada poderia fazer em contrário, clamando assim a subordinação à "razão de Estado" e à obtenção de ganhos para o país. É uma paupérrima concepção de Estado e de mundo, bem como da política africana portuguesa. Mas mesmo que nesse registo rasteiro, de avaliação política sob estritos critérios de contabilidade nacional, será importante questionar: que ganhos económicos teve o país na sua extroversão para a China? E qual a situação das relações económicas com África, em particular com as duas grandes ex-colónias? E as relações políticas (catalépticas as com Moçambique, apesar da retórica do nosso PR, gélidas as com Angola, apesar do fogareiro agora aceso pelo PR angolano)? Outros, com mais memória, dirão que o governo de Sócrates teve o sucesso de conseguir realizar a cimeira Europa-África, em plena crise diplomática devido à oposição Reino Unido - Zimbabwe. Foi um facto, mas isso ter-se-á devido aos méritos da equipa do MNE da altura, Amado e Cravinho (este agora em rota para MNE do próximo governo). E deixa a pergunta fundamental: quais os benefícios reais obtidos, tanto para África como para Portugal, e já nem falo da política desenvolvimentista da UE? Ou seja, a sinofilia do governo português mostrou bem o quão de cabotagem era o seu rumo. Em termos internacionais. E em termos nacionais. Foi anunciado, de modo evidente, em 2005. Tornou-se evidente nos anos subsequentes.

 

Quinze anos depois se a situação das relações africanas com África é esta, também o é a relação de Portugal e de alguns países europeus. A influência chinesa está a crescer na Europa austral, de modo avassalador. Aqui não há matérias-primas, das quais a indústria chinesa necessita. Há os mercados, necessários à indústria e à finança. Mas o tipo de abordagem predatória será o mesmo. As sociedades europeias amortecerão o impacto socioeconómico de maneira mais protegida, mas o impacto desdemocratizador talvez seja mais sentido (não se está já a sentir). Não se trata de ser sinófobo, ou de clamar "Vêm aí os Chineses". Mas de perceber, passado este tempo e sendo explícito o que já era óbvio, que quando se vê um governante português como a actual Secretária de Estado do Turismo choramingar a um grupo económico chinês "…por favor, usem-nos, como porta de entrada, como cobaias, para testar a forma de entrarem na Europa" estamos no "grau zero" da política. E que as nossas elites políticas nada aprendem com a história recente. Os socialistas (e o bloco central por definição) na sua cabotagem, na busca de restos disponíveis. Os comunistas presos a uma patética solidariedade com um poder que de "comunista" tem o nome e a foice e o martelo - lembram-se as pessoas da sabujice do parlamento português ao recusar receber o Dalai Lama em 2001, por pressões chinesas, e do texto do velho dirigente comunista Aboim Inglez, esse que fora em tempos de conflito sino-soviético muito adversário da China, a esse respeito? Rezava assim: "Tivemos entre nós, uma semana, o sr. Kenzin Gyatso, mais conhecido pelo título do 14º Dalai Lama, numa das suas constantes itinerâncias pelo mundo, na condição de cabecilha do que resta da clique reaccionária e retrógrada tibetana, conluiada com o imperialismo para atacar a China pela via da mentira e do separatismo". À direita os liberais, cegos e sonâmbulos, a quererem crer que isto é o "mercado" - quando "isto" é o capitalismo de Estado, de que se falava sobre o bloco soviético, mas agora super-competente. E o BE sempre relativamente simpático com quaisquer laivos de "alterglobalização" (entenda-se, antiamericanismo) que surja no ocidente. 

 

Nenhum destes partidos,  nenhuma das fracções desta "burguesia compradora" portuguesa, se opõe ao verdadeiro imperialismo chinês, voraz que é. E os governantes pedem "por favor" para que os interesses chineses sejam mais céleres e intensivos na sua intervenção. É a mesma mediocridade, ininteligente, cleptocrática e anti-patriótica que reconhecemos em tantos dos poderes africanos. Sem qualquer projecto de país, plano ou estratégia de desenvolvimento. E depois, sabe-se lá porquê, dizem-se, ufanos, de "esquerda", símbolo do progressismo e desenvolvimentismo. 

 

E um povo que a apoia. Nessa confluência um país inibido de o ser. Nada mais do que isso.

 

(Então aqui fica o programa a que aludi, vinte minutos sobre o presente de África. E o futuro de Portugal).

 


          Vintage Evening Bag by Wallborg - Multi Colored Metallic Beaded Evening Bag - Bronze Gold Silver - Hand Beaded in Macau - Evening Bag by BirdInTheChimney      Cache   Translate Page      

24.00 USD

Evening bag. Multi colored metallic beads in a horizontal stripe pattern. Brown lining.

D E T A I L S
* Fabric: Beads
* Label: J*M*Towne & Co / Wallborg Hong Kong
* Metal Hinge closures

M E A S U R E M E N T S
* Width: 9.5"
* Height: 5”
* Strap: Chain strap can double up : 6.5” or 11” drop

F L A W S
* The JM Towne & Co label has come off – it is still with the purse, but slipped inside
* A loose bead or two

===================
VINTAGE ITEMS ARE TIME TRAVELERS.
THANK YOU FOR TAKING THAT INTO CONSIDERATION WHEN PURCHASING.
====================

























metallic beads
bronze beaded bag
gold beaded bag
silver beaded bag
metallic beaded bag
vintage evening bag
wedding accessory
Wallborg bag
hand beaded bag
prom formal purse
beaded evening bag
glamorous
bling
flashy purse


          Formula 3 crash      Cache   Translate Page      
Thumbnail of Formula 3 crash
FORMULA 3 driver Sophia Floersch has fractured her spine in a crash during the F3 World Cup final in Macau that left multiple people seriously injured. In horrific footage, the 17-year-old German's car can be seen losing control at 170 mph and launching into the air over a rival's car and into fences in the media section.
          Macau Stocks Are Bouncing Back...But Will It Last?      Cache   Translate Page      
Macau isn't in as bad a shape as once thought, but it still isn't growing.


Next Page: 10000

Site Map 2018_01_14
Site Map 2018_01_15
Site Map 2018_01_16
Site Map 2018_01_17
Site Map 2018_01_18
Site Map 2018_01_19
Site Map 2018_01_20
Site Map 2018_01_21
Site Map 2018_01_22
Site Map 2018_01_23
Site Map 2018_01_24
Site Map 2018_01_25
Site Map 2018_01_26
Site Map 2018_01_27
Site Map 2018_01_28
Site Map 2018_01_29
Site Map 2018_01_30
Site Map 2018_01_31
Site Map 2018_02_01
Site Map 2018_02_02
Site Map 2018_02_03
Site Map 2018_02_04
Site Map 2018_02_05
Site Map 2018_02_06
Site Map 2018_02_07
Site Map 2018_02_08
Site Map 2018_02_09
Site Map 2018_02_10
Site Map 2018_02_11
Site Map 2018_02_12
Site Map 2018_02_13
Site Map 2018_02_14
Site Map 2018_02_15
Site Map 2018_02_15
Site Map 2018_02_16
Site Map 2018_02_17
Site Map 2018_02_18
Site Map 2018_02_19
Site Map 2018_02_20
Site Map 2018_02_21
Site Map 2018_02_22
Site Map 2018_02_23
Site Map 2018_02_24
Site Map 2018_02_25
Site Map 2018_02_26
Site Map 2018_02_27
Site Map 2018_02_28
Site Map 2018_03_01
Site Map 2018_03_02
Site Map 2018_03_03
Site Map 2018_03_04
Site Map 2018_03_05
Site Map 2018_03_06
Site Map 2018_03_07
Site Map 2018_03_08
Site Map 2018_03_09
Site Map 2018_03_10
Site Map 2018_03_11
Site Map 2018_03_12
Site Map 2018_03_13
Site Map 2018_03_14
Site Map 2018_03_15
Site Map 2018_03_16
Site Map 2018_03_17
Site Map 2018_03_18
Site Map 2018_03_19
Site Map 2018_03_20
Site Map 2018_03_21
Site Map 2018_03_22
Site Map 2018_03_23
Site Map 2018_03_24
Site Map 2018_03_25
Site Map 2018_03_26
Site Map 2018_03_27
Site Map 2018_03_28
Site Map 2018_03_29
Site Map 2018_03_30
Site Map 2018_03_31
Site Map 2018_04_01
Site Map 2018_04_02
Site Map 2018_04_03
Site Map 2018_04_04
Site Map 2018_04_05
Site Map 2018_04_06
Site Map 2018_04_07
Site Map 2018_04_08
Site Map 2018_04_09
Site Map 2018_04_10
Site Map 2018_04_11
Site Map 2018_04_12
Site Map 2018_04_13
Site Map 2018_04_14
Site Map 2018_04_15
Site Map 2018_04_16
Site Map 2018_04_17
Site Map 2018_04_18
Site Map 2018_04_19
Site Map 2018_04_20
Site Map 2018_04_21
Site Map 2018_04_22
Site Map 2018_04_23
Site Map 2018_04_24
Site Map 2018_04_25
Site Map 2018_04_26
Site Map 2018_04_27
Site Map 2018_04_28
Site Map 2018_04_29
Site Map 2018_04_30
Site Map 2018_05_01
Site Map 2018_05_02
Site Map 2018_05_03
Site Map 2018_05_04
Site Map 2018_05_05
Site Map 2018_05_06
Site Map 2018_05_07
Site Map 2018_05_08
Site Map 2018_05_09
Site Map 2018_05_15
Site Map 2018_05_16
Site Map 2018_05_17
Site Map 2018_05_18
Site Map 2018_05_19
Site Map 2018_05_20
Site Map 2018_05_21
Site Map 2018_05_22
Site Map 2018_05_23
Site Map 2018_05_24
Site Map 2018_05_25
Site Map 2018_05_26
Site Map 2018_05_27
Site Map 2018_05_28
Site Map 2018_05_29
Site Map 2018_05_30
Site Map 2018_05_31
Site Map 2018_06_01
Site Map 2018_06_02
Site Map 2018_06_03
Site Map 2018_06_04
Site Map 2018_06_05
Site Map 2018_06_06
Site Map 2018_06_07
Site Map 2018_06_08
Site Map 2018_06_09
Site Map 2018_06_10
Site Map 2018_06_11
Site Map 2018_06_12
Site Map 2018_06_13
Site Map 2018_06_14
Site Map 2018_06_15
Site Map 2018_06_16
Site Map 2018_06_17
Site Map 2018_06_18
Site Map 2018_06_19
Site Map 2018_06_20
Site Map 2018_06_21
Site Map 2018_06_22
Site Map 2018_06_23
Site Map 2018_06_24
Site Map 2018_06_25
Site Map 2018_06_26
Site Map 2018_06_27
Site Map 2018_06_28
Site Map 2018_06_29
Site Map 2018_06_30
Site Map 2018_07_01
Site Map 2018_07_02
Site Map 2018_07_03
Site Map 2018_07_04
Site Map 2018_07_05
Site Map 2018_07_06
Site Map 2018_07_07
Site Map 2018_07_08
Site Map 2018_07_09
Site Map 2018_07_10
Site Map 2018_07_11
Site Map 2018_07_12
Site Map 2018_07_13
Site Map 2018_07_14
Site Map 2018_07_15
Site Map 2018_07_16
Site Map 2018_07_17
Site Map 2018_07_18
Site Map 2018_07_19
Site Map 2018_07_20
Site Map 2018_07_21
Site Map 2018_07_22
Site Map 2018_07_23
Site Map 2018_07_24
Site Map 2018_07_25
Site Map 2018_07_26
Site Map 2018_07_27
Site Map 2018_07_28
Site Map 2018_07_29
Site Map 2018_07_30
Site Map 2018_07_31
Site Map 2018_08_01
Site Map 2018_08_02
Site Map 2018_08_03
Site Map 2018_08_04
Site Map 2018_08_05
Site Map 2018_08_06
Site Map 2018_08_07
Site Map 2018_08_08
Site Map 2018_08_09
Site Map 2018_08_10
Site Map 2018_08_11
Site Map 2018_08_12
Site Map 2018_08_13
Site Map 2018_08_15
Site Map 2018_08_16
Site Map 2018_08_17
Site Map 2018_08_18
Site Map 2018_08_19
Site Map 2018_08_20
Site Map 2018_08_21
Site Map 2018_08_22
Site Map 2018_08_23
Site Map 2018_08_24
Site Map 2018_08_25
Site Map 2018_08_26
Site Map 2018_08_27
Site Map 2018_08_28
Site Map 2018_08_29
Site Map 2018_08_30
Site Map 2018_08_31
Site Map 2018_09_01
Site Map 2018_09_02
Site Map 2018_09_03
Site Map 2018_09_04
Site Map 2018_09_05
Site Map 2018_09_06
Site Map 2018_09_07
Site Map 2018_09_08
Site Map 2018_09_09
Site Map 2018_09_10
Site Map 2018_09_11
Site Map 2018_09_12
Site Map 2018_09_13
Site Map 2018_09_14
Site Map 2018_09_15
Site Map 2018_09_16
Site Map 2018_09_17
Site Map 2018_09_18
Site Map 2018_09_19
Site Map 2018_09_20
Site Map 2018_09_21
Site Map 2018_09_23
Site Map 2018_09_24
Site Map 2018_09_25
Site Map 2018_09_26
Site Map 2018_09_27
Site Map 2018_09_28
Site Map 2018_09_29
Site Map 2018_09_30
Site Map 2018_10_01
Site Map 2018_10_02
Site Map 2018_10_03
Site Map 2018_10_04
Site Map 2018_10_05
Site Map 2018_10_06
Site Map 2018_10_07
Site Map 2018_10_08
Site Map 2018_10_09
Site Map 2018_10_10
Site Map 2018_10_11
Site Map 2018_10_12
Site Map 2018_10_13
Site Map 2018_10_14
Site Map 2018_10_15
Site Map 2018_10_16
Site Map 2018_10_17
Site Map 2018_10_18
Site Map 2018_10_19
Site Map 2018_10_20
Site Map 2018_10_21
Site Map 2018_10_22
Site Map 2018_10_23
Site Map 2018_10_24
Site Map 2018_10_25
Site Map 2018_10_26
Site Map 2018_10_27
Site Map 2018_10_28
Site Map 2018_10_29
Site Map 2018_10_30
Site Map 2018_10_31
Site Map 2018_11_01
Site Map 2018_11_02
Site Map 2018_11_03
Site Map 2018_11_04
Site Map 2018_11_05
Site Map 2018_11_06
Site Map 2018_11_07
Site Map 2018_11_08
Site Map 2018_11_09
Site Map 2018_11_10
Site Map 2018_11_11
Site Map 2018_11_12
Site Map 2018_11_13
Site Map 2018_11_14
Site Map 2018_11_15
Site Map 2018_11_16
Site Map 2018_11_17
Site Map 2018_11_18
Site Map 2018_11_19
Site Map 2018_11_20
Site Map 2018_11_21
Site Map 2018_11_22
Site Map 2018_11_23
Site Map 2018_11_24
Site Map 2018_11_25
Site Map 2018_11_26
Site Map 2018_11_27
Site Map 2018_11_28
Site Map 2018_11_29
Site Map 2018_11_30
Site Map 2018_12_01
Site Map 2018_12_02
Site Map 2018_12_03
Site Map 2018_12_04
Site Map 2018_12_05